Histórias Impublicáveis

Histórias Impublicáveis

By António Trindade
Conversas em torno dos livros dos autores e do texto.
Todas as semanas um podcast. Entre conversas e leituras de poemas, recebemos, na Livraria Trindade, autores, investigadores e poetas sobre textos e histórias em torno do livro.
"Como se uma literatura viva não fosse comércio aberto de palavras…"
Ruy Belo, in prefácio à Cidadela de Saint-Exupery, p. 18
Where to listen
Apple Podcasts Logo
Breaker Logo
Google Podcasts Logo
Overcast Logo
Pocket Casts Logo
RadioPublic Logo
Spotify Logo
Currently playing episode

À conversa com… Almeida Faria

Histórias Impublicáveis

Go to next audioGo to next audio
Go to prev audioGo to prev audio
1x
À conversa com… Almeida Faria
Almeida Faria, n. Montemor-o-Novo, 1943 Uma conversa em torno da sua obra, da sua experiência como professor e da sua amizade com o pintor Mário Botas.  Almeida Faria, ficcionista e professor de Filosofia, publicou, aos dezanove anos o seu primeiro e premiado romance, Rumor Branco, obra de referência de uma nova geração. Além de romancista, é autor de ensaios, contos, teatro, e do relato ensaístico de uma viagem à Índia intitulado O Murmúrio do Mundo. A partir de um conto seu, Os Passeios do Sonhador Solitário, escreveu ainda o libreto para a cantata homónima de Luís Tinoco. Os seus romances receberam diversos prémios, estão traduzidos em muitas línguas e são estudados em vários países. Sobre eles há um número crescente de livros, teses e dissertações universitárias. Na Universidade Nova de Lisboa ensinou Estética, Teoria da Arte, Psicologia da Arte e Teoria da Literatura. Ao conjunto da sua obra foi atribuído o Prémio Vergílio Ferreira da Universidade de Évora, o Prémio Universidade de Coimbra e o Prémio Fundação Inês de Castro. Junta-se à conversa Jaime-Axel Ruiz Baudrihaye que permitiu este encontro.
1:04:40
June 15, 2020
Uma leitura de… A Paixão, Almeida Faria
Breve apresentação do autor Almeida Faria e leitura do último capítulo de A Paixão, o primeiro livro da tetralogia lusitana. Almeida Faria marca o início de um estilo de uma nova geração de escritores e, com coragem, escreve uma obra que espelha o estado da situação sócio-económica em que o país vivia. Uma obra de leitura obrigatória para quem quer compreender o Portugal no final do século XX. Vera Ribeiro lê o último capitulo de "A Paixão."  _______________________ Um projecto da Livraria Trindade
03:28
March 11, 2020
À conversa com… o poeta Nuno Júdice
O nosso convidado de hoje é o poeta, professor, ficcionista e editor, Nuno Júdice; junta-se à conversa Jaime-Axel Ruiz Baudrihaye.* Nuno Júdice fala-nos da sua poesia, da criação do texto poético e de alguns assuntos de actualidade política e literária. Nuno Júdice, nasceu em 29 de abril de 1949 (71 anos), na Mexilhoeira Grande, Portimão. É formado “em Filologia Românica pela Faculdade de Letras de Lisboa. É Professor Jubilado da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, onde se doutorou em 1989 com uma tese sobre Literatura Medieval O espaço do conto no texto medieval (Vega, 1991). Tem uma obra imensa em múltiplas áreas, é poeta, ensaísta, editor, crítico literário e ficcionista. Colabora regularmente em jornais e revistas com crítica literária e crónicas. No campo do ensaio sobre temas de poesia, ficção e teoria literária. A sua obra está traduzida em mais de uma dezena de línguas e tem uma produção escrita impressionante. Em janeiro de 2009 assumiu as funções de diretor da revista Colóquio-Letras da Fundação Calouste Gulbenkian. Prémios e actividade literária:  38 livros de poesia publicados até 2019; mais de 20 livros de ficção; uma dezena de livros de ensaio, pelo menos peças de teatro, edições críticas e antologias, e uma imensidade de textos em periódicos; ganhou 16 prémios literários, em que se destaca o Prémio Rainha Sofia; *Jaime-Axel Ruiz Baudrihaye é natural de Espanha, formado em Direito, trabalhou para o estado espanhol nas áreas do turismo e da divulgação cultural, entre outras. Actualmente, encontra-se reformado (a viver em Portugal), mas mantém uma intensa vida cultural e literária, quer como autor, quer como leitor. É um profundo conhecedor da nossa cultura, das nossas letras e tradições. António Trindade
50:55
February 28, 2020
Muriel, Ruy Belo,
Ruy Belo, Muriel, Moraes editora, Lisboa, 1976 Ruy Belo nasceu em S. João da Ribeira, pequena aldeia do concelho de Rio Maior, em 1933. Foi aluno do liceu de Santarém e cursou Direito, primeiro na Universidade de Coimbra, depois na Universidade de Lisboa, onde se diplomou em 1956. De partida para Roma, doutorou-se em Direito Canónico na Universidade de S. Tomás de Aquino. Em Lisboa, viria a frequentar também a Faculdade de Letras, terminando em 1967 a licenciatura em Filologia Românica. Além de actividade no domínio editorial, Ruy Belo foi também professor. Leitor na Universidade de Madrid desde 1971, regressou ao país em 1977, vindo a falecer de modo súbito no ano seguinte. Nome de destaque na poesia portuguesa contemporânea, exerceu igualmente intensa actividade de  ensaísta e crítico literário.  Aquele Grande Rio Eufrates (1961) O Problema da Habitação (1962) Boca Bilingue (1966) Homem de Palavras (1969) Na senda da poesia (1969) Transporte no Tempo (1973) País Possível (1973) A Margem da Alegria (1974) Toda a Terra (1976) Despeço-me da Terra da Alegria (1977). Os estivadores (1974).
06:34
February 3, 2020
Histórias Impublicáveis
Histórias sobre os os livros, os autores e o texto.
00:22
February 2, 2020