Catarina Beato

Eu e a balança. Uma história de amor e raiva(s)

An episode of Catarina Beato

By Catarina Beato
Mãe de três filhos. Este é o diário de uma eterna adolescente. Fui solteira convicta até aos 37, altura em que encontrei o homem da minha vida, com quem casei de calças de ganga. E eu que julgava que nunca casaria. A vida resolve-se sozinha, não é? Defensora da poupança e do minimalista mas com acessos consumistas. Consciente das vantagens de uma alimentação saudável mas também sou capaz de comer este mundo, o outro e mais qualquer coisa. Com capacidades acrobáticas para treinar, trabalhar e ser mãe a tempo inteiro. Um conjunto coerente e feliz de inúmeras contradições.
Como encontrar o homem da nossa vida?
Mais um conversa com Eduardo Torgal e a estratégia infalível porque todas (e todos) esperávamos. Percebi que, sem saber, foi assim que cheguei até ao homem da minha vida.  Espero que ouçam e aguardo pelas vossas sugestões.
21:26
February 6, 2019
Porque a mudança demora 40 dias? Conversa com Eduardo Torgal
Latest episode of Catarina Beato
05:57
February 3, 2019
Os mitos da gravidez com a enfermeira Carmen Ferreira
Perguntas como: o tamanho da minha bacia define que tipo de parto terei? Tenho o peito pequeno, vou ter leite para amamentar? Como acalmar os terríveis enjoos de uma grávida? Os mitos e as respostas verdadeiras para as mil e uma perguntas que passam na cabeça de uma futura mãe (e dos pais das crianças também)! Vejam mais em http://www.bebesaudavel.com E https://diasdeumaprincesa.pt
11:55
January 30, 2019
Eu e a balança. Uma história de amor e raiva(s)
Deixo-vos um post muito especial... "há quatro anos por esta altura vencia a minha luta contra a inércia. há quatro ano percebi que tinha negligenciado o meu corpo e isso era visível nos quilos a mais. há quatro anos tornei-me consciente do que comia e comecei a treinar. há quatro ano acreditei que estar bem comigo era um número.  passamos muito tempo a detestar aquilo que vimos ao espelho. na verdade, mesmo quando pesei 56 ou 57 quilos conseguia ver infinitos defeitos. passamos demasiado tempo a detestar aquilo que vemos ao espelho. e passamos demasiado tempo a acreditar que a vida muda quando conseguirmos pesar menos. é obvio que somos mais felizes quando perdemos peso porque isso é sinónimo de uma vitória. perder peso é quase a consequência de que cuidamos de nós, arranjámos tempo para treinar, que não vingámos as nossas ansiedades e frustrações em comida. e tudo isso são gigantescas vitórias, independentemente dos números. olharmos para as pessoas que somos e gostarmos é um dos exercícios mais difíceis e mais importantes desta vida. acredito mesmo que isto do amor próprio, da aceitação, ou seja lá o nome que possamos à necessidade de vermos os valor que temos, devia ser disciplina obrigatória da escola desde sempre. não peso 56, nem 57, nem 58 quilos (podia continuar por aí adiante mas não é o número que interessa). tento comer de forma saudável, umas vezes irrepreensível e noutros dias cheia de asneiras. treino quase todos os dias. adoro treinar. são os meus 60 minutos de fuga e equilíbrio. há dias em que olho para o espelho e adoro. há dias em que olho para o espelho e zango-me comigo por ter vontade de o detestar. faço exercícios diários de aceitação porque quero que os meus filhos – sejam rapazes ou raparigas – cresçam sabendo que são lindos. independentemente do peso. e se eu não quiser ser fit? e se que nem quiser saber quanto peso? e se quiser apenas gostar de mim, um bocadinho mais todos os dias? e se quiser apenas comemorar as conquistas que faço em cada treino? e ficar feliz porque consegui comer saudável? mas ficar igualmente feliz nos dias em que como torradas com manteiga? e se eu deitar fora a balança? vamos deitar fora as balanças?" Leiam mais em https://diasdeumaprincesa.pt
26:26
January 26, 2019
Porque os Casados à Primeira Vista não ficaram juntos? Conversa com Eduardo Torgal
Ainda estou a acertar o som! ❤️ O meu segundo podcast só podia ser sobre o amor.  E para falar sobre isso e muito mais convidei  o coach Eduardo Torgal. Devem conhecer como especialista do “Casados à Primeira Vista”. Sou fã do programa “Casados à Primeira Vista”! Já gostava do formato feito em outros países e tenho estado agradavelmente surpreendida com a versão portuguesa. Sou suspeita porque vivi o meu género de casados à primeira vista. Eu e o Pedro casámos 6 semanas depois de nos conhecermos. Correu bem mas podia ter corrido mal. Verdade! Mas isso acontece com relações que durante há dois minutos ou há vinte anos. Surpresas e mudanças existem sempre. Os meus avós ficaram juntos desde o instante em que se conheceram e foi para sempre…  Lá está, arranjinhos e casamentos combinados sempre existiram. Se tirarmos a parte da obrigatoriedade (porque a liberdade do divórcio é fundamental nestas aventuras do amor) acho muito bem. É uma forma das pessoas tentarem, como outra qualquer. O programa mostra a lei das probabilidades a funcionar: em seis casais, uns correm muito bem, outros mais ou menos, outros para lá de mal. É uma amostra da vida real. Como costumo dizer quando dizem que tive sorte com o Pedro respondo sempre: para acertar 1 é preciso falhar 100. Não levem isto de forma literal! Mais em https://diasdeumaprincesa.pt
09:33
January 23, 2019
O meu primeiro podcast
Quero as vossas mensagens, e-mails, comentários. Digam-me sobre o que gostava que conversasse. Isto se sobrevierem. Com a essencialíssima participação de Miguel Feraso Cabral que fez a introdução. Mais em https://diasdeumaprincesa.pt
06:47
January 20, 2019
Make your own podcast for free with Anchor!

Like what you see? Try making your own podcast for free with Anchor.