Skip to main content
Caderno de Quaresma '22

Caderno de Quaresma '22

By EJNS Portugal
Podcast das Equipas de Jovens de Nossa Senhora com reflexões diárias para a Quaresma
Where to listen
Google Podcasts Logo

Google Podcasts

RadioPublic Logo

RadioPublic

Spotify Logo

Spotify

17 de abril | DOMINGO DA PÁSCOA NA RESSURREIÇÃO DO SENHOR
Evangelho segundo São João 20,1-9 No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi de manhãzinha, ainda escuro, ao sepulcro e viu a pedra retirada do sepulcro. Correu então e foi ter com Simão Pedro e com o discípulo predileto de Jesus e disse-lhes: «Levaram o Senhor do sepulcro, e não sabemos onde O puseram». Pedro partiu com o outro discípulo e foram ambos ao sepulcro. Corriam os dois juntos, mas o outro discípulo antecipou-se, correndo mais depressa do que Pedro, e chegou primeiro ao sepulcro. Debruçando-se, viu as ligaduras no chão, mas não entrou. Entretanto, chegou também Simão Pedro, que o seguira. Entrou no sepulcro e viu as ligaduras no chão e o sudário que tinha estado sobre a cabeça de Jesus, não com as ligaduras, mas enrolado à parte. Entrou também o outro discípulo, que chegara primeiro ao sepulcro: viu e acreditou. Na verdade, ainda não tinham entendido a Escritura, segundo a qual Jesus devia ressuscitar dos mortos. Reflexão Cristo ressuscitou verdadeiramente! Aleluia! Como diz S.Paulo, se não cremos que Cristo ressuscitou, a nossa fé é vã. Naquela manhã de Páscoa, a fé das primeiras testemunhas do túmulo foi progressiva, entre incredulidade e dúvidas. Devemos sempre recorrer à Virgem Santíssima se, por vezes, deixamos Cristo e nos encontramos perdidos, sem rumo, tristes, tendo abandonado o sacrifício e a Cruz, como fizeram os Apóstolos. Ao seu lado podemos viver a imensa alegria da Ressurreição e tornar firme a nossa fé. Também na Comunhão recebemos este Corpo Glorioso. Mais do que Jesus feito Homem, como recebeu Nossa Senhora no seu seio, no momento da Anunciação. Mais do que Jesus Crucificado, entre dois malfeitores. Recebemos, na verdade, Cristo glorioso e ressuscitado. Jesus veio anunciar que tinha oferecido a Redenção e que agora a porta do Céu estava aberta aos homens justos e bons. Quando O vemos vivo, temos a certeza de que Ele alcançou a vitória e de que nos salvou verdadeiramente. É por isso uma grande alegria para todos os cristãos, alegria que recordamos, de forma especial, todos os Domingos! “Estive morto, mas eis que estou vivo, pelos séculos dos séculos”. [Ap 1, 18]
02:50
April 17, 2022
16 de abril | Sábado Santo - VIGÍLIA PASCAL
Evangelho segundo São Lucas 24, 1-12 No primeiro dia da semana, ao romper da manhã, as mulheres que tinham vindo com Jesus da Galileia foram ao sepulcro, levando os perfumes que tinham preparado. Encontraram a pedra do sepulcro removida e, ao entrarem, não acharam o corpo do Senhor Jesus. Estando elas perplexas com o sucedido, apareceram-lhes dois homens com vestes resplandecentes. Ficaram amedrontadas e inclinaram o rosto para o chão, enquanto eles lhes diziam: «Porque buscais entre os mortos Aquele que está vivo? Não está aqui: ressuscitou. Lembrai-vos como Ele vos falou, quando ainda estava na Galileia: ‘O Filho do homem tem de ser entregue às mãos dos pecadores, tem de ser crucificado e ressuscitar ao terceiro dia’». Elas lembraram-se então das palavras de Jesus. Voltando do sepulcro, foram contar tudo isto aos Onze, bem como a todos os outros. Eram Maria Madalena, Joana e Maria, mãe de Tiago. Também as outras mulheres que estavam com elas diziam isto aos Apóstolos. Mas tais palavras pareciam-lhes um desvario e não acreditaram nelas. Entretanto, Pedro pôs-se a caminho e correu ao sepulcro. Debruçando-se, viu apenas as ligaduras e voltou para casa admirado com o que tinha sucedido. Reflexão O mundo estava na escuridão. José, discípulo de Jesus, pede para assumir o encargo de sepultar o Corpo do Senhor e representa o desejo de todos e da Igreja, que precisam d’Ele para se manter eternamente vivos. Com grande cuidado, depois da cruz, colocam-No nos braços da Sua Mãe. Olhemos para Jesus ferido, lentamente e com piedade, como a Virgem Maria o faria. Neste período desconcertante, algumas santas mulheres que tinham amado muito Jesus, dirigiram-se ao túmulo, porque queriam honrá-l’O, embalsamando o corpo morto de Jesus, como era costume. Mas, então, eis que um anjo lhes apareceu e anunciou a Ressurreição do Senhor. Rapidamente, elas deixaram o túmulo e, cheias de alegria, correram a levar a notícia aos discípulos. Repara bem nas palavras do anjo: “Ele ressuscitou!”. Ressuscitar significa voltar à vida. Este sábado, não foi um dia triste para Nossa Senhora: o seu Filho tinha deixado de sofrer. Ela aguardava serenamente o momento da Ressurreição, e por esta razão não as acompanhou ao túmulo. Não devemos esquecer, mesmo por um dia, que Jesus habita em nós - vivo! Mas Ele está indefeso, como na Cruz, ou, como mais tarde, no sepulcro. Cristo entrega-Se à Igreja e a cada cristão para que, com o fogo do nosso amor, possamos cuidar d’Ele e atendê-Lo da melhor maneira possível. Olhemos para Jesus e na intimidade do nosso coração digamos-Lhe: Jesus, ouve a minha oração! Esconde-me dentro das Tuas feridas, e mantém-me perto de Ti. Defendei-me do inimigo maligno e chamai-me na minha morte para a comunhão dos Santos, para que eu possa louvar-Te por toda a eternidade. Amém.
03:42
April 16, 2022
15 de abril | Sexta-feira da Paixão do Senhor
Evangelho segundo São João 18,1-40.19,1-42 Reflexão Jesus morreu. O que pensar nesta Sexta-feira Santa de 2022? Não devemos ver a Sexta-feira Santa como uma coisa do passado. Jesus crucificado está presente nos nossos dias, em tantos que dão a sua vida todos os dias pelos outros, que morrem e são maltratados injustamente. O Jesus Crucificado é real e está perto de nós.
12:16
April 15, 2022
14 de abril | Quinta-feira DA SEMANA SANTA | Missa vespertina na Ceia do Senhor
Evangelho segundo São João 13,1-15 Antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que chegara a sua hora de passar deste mundo para o Pai, Ele, que amara os seus que estavam no mundo, amou-os até ao fim. No decorrer da ceia, tendo já o Demónio metido no coração de Judas Iscariotes, filho de Simão, a ideia de O entregar, Jesus, sabendo que o Pai Lhe tinha dado toda a autoridade, sabendo que saíra de Deus e para Deus voltava, levantou-Se da mesa, tirou o manto e tomou uma toalha, que pôs à cintura. Depois, deitou água numa bacia e começou a lavar os pés aos discípulos e a enxugá-los com a toalha que pusera à cintura. Quando chegou a Simão Pedro, este disse-Lhe: «Senhor, Tu vais lavar-me os pés?». Jesus respondeu: «O que estou a fazer, não o podes entender agora, mas compreendê-lo-ás mais tarde». Pedro insistiu: «Nunca consentirei que me laves os pés». Jesus respondeu-lhe: «Se não tos lavar, não terás parte comigo». Simão Pedro replicou: «Senhor, então não somente os pés, mas também as mãos e a cabeça». Jesus respondeu-lhe: «Aquele que já tomou banho está limpo e não precisa de lavar senão os pés. Vós estais limpos, mas não todos». Jesus bem sabia quem O havia de entregar. Foi por isso que acrescentou: «Nem todos estais limpos». Depois de lhes lavar os pés, Jesus tomou o manto e pôs-Se de novo à mesa. Então disse-lhes: «Compreendeis o que vos fiz? Vós chamais-Me Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque o sou. Se Eu, que sou Mestre e Senhor, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns aos outros. Dei-vos o exemplo, para que, assim como Eu fiz, vós façais também». Reflexão Estamos em plena celebração da última ceia. Jesus lava os pés aos discípulos e, com isso, mostra-nos o verdadeiro sentido de servir o outro, o sentido de missão, de dar a vida pelos outros, amar o outro independentemente da sua condição. Jesus, sendo a pessoa mais importante naquele sítio, fez-se o mais humilde e serviu. Foi assim que Ele amou até ao fim, e nos ensinou a fazermos o mesmo uns aos outros, como fez aos seus discípulos.
02:29
April 14, 2022
13 de abril | Quarta-feira DA SEMANA SANTA
Evangelho segundo São Mateus 26,14-25 Naquele tempo, um dos Doze, chamado Judas Iscariotes, foi ter com os príncipes dos sacerdotes e disse-lhes: «Que estais dispostos a dar-me para vos entregar Jesus?». Eles garantiram-lhe trinta moedas de prata. E a partir de então, Judas procurava uma oportunidade para O entregar. No primeiro dia dos Ázimos, os discípulos foram ter com Jesus e perguntaram-Lhe: «Onde queres que façamos os preparativos para comer a Páscoa?». Ele respondeu: «Ide à cidade, a casa de tal pessoa, e dizei-lhe: "O Mestre manda dizer: O meu tempo está próximo. É em tua casa que Eu quero celebrar a Páscoa com os meus discípulos"». Os discípulos fizeram como Jesus lhes tinha mandado e prepararam a Páscoa. Ao cair da noite, sentou-Se à mesa com os Doze. Enquanto comiam, declarou: «Em verdade vos digo: Um de vós há-de entregar-Me». Profundamente entristecidos, começou cada um a perguntar-Lhe: «Serei eu, Senhor?». Jesus respondeu: «Aquele que meteu comigo a mão no prato é que há de entregar-Me. O Filho do homem vai partir, como está escrito acerca d’Ele. Mas ai daquele por quem o Filho do homem vai ser entregue! Melhor seria para esse homem não ter nascido». Judas, que O ia entregar, tomou a palavra e perguntou: «Serei eu, Mestre?». Respondeu Jesus: «Tu o disseste». Reflexão A traição de Judas é o início da Paixão. Jesus fala desta traição aos discípulos durante a refeição em que celebra a Páscoa e institui a Eucaristia. A entrega de Jesus por Judas choca-nos, entristece-nos…, mas e nós equipistas, o que fazemos no nosso dia-a-dia? Por quantas “moedas” trocamos Jesus? Quantas vezes “entregamos” a sua vida apenas por poder, apenas para possuir mais. Trocamos por orgulho? Trocamos por vergonha? Nos nossos dias, somos muitas vezes frágeis, manipulados pelo mundo que nos rodeia, esquecendo Jesus e até traindo-O. Mas Ele, na sua plena misericórdia, perdoa e dá-nos todos os dias a oportunidade de fazer melhor e de o acolher na sua vida.
02:20
April 13, 2022
12 de abril | Terça-feira DA SEMANA SANTA
Evangelho segundo São João 13,21-33.36-38 Naquele tempo, estando Jesus à mesa com os discípulos, sentiu-Se intimamente perturbado e declarou: «Em verdade, em verdade vos digo: Um de vós Me entregará». Os discípulos olhavam uns para os outros, sem saberem de quem falava. Um dos discípulos, o predileto de Jesus, estava à mesa, mesmo a seu lado. Simão Pedro fez-lhe sinal e disse: «Pergunta-Lhe a quem Se refere». Ele inclinou-Se sobre o peito de Jesus e perguntou-Lhe: «Quem é, Senhor?» Jesus respondeu: «É aquele a quem vou dar este bocado de pão molhado». E, molhando o pão, deu-o a Judas Iscariotes, filho de Simão. Naquele momento, depois de engolir o pão, Satanás entrou nele. Disse-lhe Jesus: «O que tens a fazer, fá-lo depressa». Mas nenhum dos que estavam à mesa compreendeu porque lhe disse tal coisa. Como Judas era quem tinha a bolsa comum, alguns pensavam que Jesus lhe tinha dito: «Vai comprar o que precisamos para a festa»; ou então, que desse alguma esmola aos pobres. Judas recebeu o bocado de pão e saiu imediatamente. Era noite. Depois de ele sair, Jesus disse: «Agora foi glorificado o Filho do homem e Deus foi glorificado n’Ele. Se Deus foi glorificado n’Ele, Deus também O glorificará em Si mesmo e glorificá-l’O-á sem demora. Meus filhos, é por pouco tempo que ainda estou convosco. Haveis de procurar-Me e, assim como disse aos judeus, também agora vos digo: não podeis ir para onde Eu vou» Perguntou-Lhe Simão Pedro: «Para onde vais, Senhor?». Jesus respondeu: «Para onde Eu vou, não podes tu seguir-Me por agora; seguir-Me-ás depois». Disse-Lhe Pedro: «Senhor, por que motivo não posso seguir-Te agora? Eu darei a vida por Ti». Disse-Lhe Jesus: «Darás a vida por Mim? Em verdade, em verdade te digo: Não cantará o galo, sem que Me tenhas negado três vezes». Reflexão Este Evangelho chama-nos a perceber quão grandes são as nossas fragilidades…Quantas vezes entregamos Jesus? Quantas vezes vemos amigos afastarem-se para entregar Jesus e deixamo-los ir? Quantas vezes negamos Jesus, mesmo depois de enchermos o peito e jurarmos que O seguiríamos para onde quer que fosse? Se a história acabasse por aqui, só sobrava mesmo a nossa fragilidade e “o "medo da manhã fria”. No entanto, o amor de Deus nosso Pai não tem fim e todos os dias nos dá novas oportunidades para aprender a amá-Lo.
02:56
April 12, 2022
11 de abril | Segunda-feira DA SEMANA SANTA
Evangelho segundo São João 12,1-11 Seis dias antes da Páscoa, Jesus foi a Betânia, onde vivia Lázaro, que Ele tinha ressuscitado dos mortos. Ofereceram-Lhe lá um jantar: Marta andava a servir e Lázaro era um dos que estavam à mesa com Jesus. Então Maria tomou uma libra de perfume de nardo puro, de alto preço, ungiu os pés de Jesus e enxugou-Lhos com os cabelos; e a casa encheu-se com o perfume do bálsamo. Disse então Judas Iscariotes, um dos discípulos, aquele que havia de entregar Jesus: «Porque não se vendeu este perfume por trezentos denários, para dar aos pobres?» Disse isto, não porque se importava com os pobres, mas porque era ladrão e, tendo a bolsa comum, tirava o que nela se lançava. Jesus respondeu-lhe: «Deixa-a em paz: ela tinha guardado o perfume para o dia da minha sepultura. Pobres, sempre os tereis convosco; mas a Mim, nem sempre Me tereis». Soube então grande número de judeus que Jesus Se encontrava ali e vieram, não só por causa de Jesus, mas também para verem Lázaro, que Ele tinha ressuscitado dos mortos. Entretanto, os príncipes dos sacerdotes resolveram matar também Lázaro, porque muitos judeus, por causa dele, se afastavam e acreditavam em Jesus. Reflexão Jesus visita Lázaro, que havia ressuscitado. Jesus faz milagres, deixa sinais concretos, mexe com as nossas vidas. É esse um dos motivos para O quererem matar. Ainda hoje é assim. Marta trabalha, Maria dedica a Jesus uma fortuna em perfume. Qual o lugar que dedicamos a Jesus na nossa vida? Fica para depois do trabalho? Para depois do estudo? Para o fim das férias? Fica com os restos? Jesus diz-nos diretamente qual deve ser o seu lugar quando defende Maria. Olhando Judas: quantas vezes não camuflamos com boas desculpas e justificações, determinadas opiniões, decisões, atitudes, quando, na verdade, o que nos move não são coisas assim tão boas?
02:29
April 11, 2022
10 de abril | DOMINGO DE RAMOS E DA PAIXÃO DO SENHOR
Evangelho segundo São Lucas 19, 28-40 Naquele tempo, Jesus seguia à frente dos seus discípulos, subindo para Jerusalém. Quando Se aproximou de Betfagé e de Betânia, perto do monte das Oliveiras, enviou dois discípulos e disse-lhes: «Ide à povoação que está em frente e, ao entrardes nela, encontrareis um jumentinho preso, que ainda ninguém montou. Soltai-o e trazei-o. Se alguém perguntar porque o soltais, respondereis: ‘O Senhor precisa dele’». Os enviados partiram e encontraram tudo como Jesus lhes tinha dito. Quando estavam a soltar o jumentinho, os donos perguntaram: «Porque soltais o jumentinho?». Eles responderam: «O Senhor precisa dele». Então levaram-no a Jesus e, lançando as capas sobre o jumentinho, fizeram montar Jesus. Enquanto Jesus caminhava, o povo estendia as suas capas no caminho. Estando já próximo da descida do monte das Oliveiras, toda a multidão dos discípulos começou a louvar alegremente a Deus em alta voz por todos os milagres que tinham visto, dizendo: «Bendito o Rei que vem em nome do Senhor. Paz no Céu e glória nas alturas!». Alguns fariseus disseram a Jesus, do meio da multidão: «Mestre, repreende os teus discípulos». Mas Jesus respondeu: «Eu vos digo: se eles se calarem, clamarão as pedras». Reflexão "Os enviados partiram e encontraram tudo como Jesus lhes havia dito". Jesus não falha no que diz e no que promete. Quem n’Ele confia, encontra as Suas promessas. É bom dar Glória a Deus e vitoriar Jesus. É mais fácil fazê-lo em grupo, como os discípulos fizeram no Domingo de Ramos, ou como fazemos numa peregrinação ou num Encontro Nacional. O que não podemos esquecer é que os mesmos que o vitoriaram, 5 dias depois O deixaram crucificar e, possivelmente, até foram dos que gritaram por Barrabás. Por vezes não fazemos também o mesmo? Jesus deixa a certeza de que não é possível calar o Evangelho. Mesmo que calem os discípulos, "as pedras falarão".
02:19
April 10, 2022
9 de abril | Sábado da quinta semana da Quaresma
Evangelho segundo São João 11, 45-56 Naquele tempo, muitos judeus que tinham vindo visitar Maria, para lhe apresentarem condolências pela morte de Lázaro, ao verem o que Jesus fizera, ressuscitando-o dos mortos, acreditaram n’Ele. Alguns deles, porém, foram ter com os fariseus e contaram-lhes o que Jesus tinha feito. Então os príncipes dos sacerdotes e os fariseus reuniram conselho e disseram: «Que havemos de fazer, uma vez que este homem realiza tantos milagres? Se O deixamos continuar assim, todos acreditarão n’Ele; e virão os romanos destruir-nos o nosso lugar santo e toda a nação». Então Caifás, que era sumo sacerdote naquele ano, disse-lhes: «Vós não sabeis nada. Não compreendeis que é melhor para nós morrer um só homem pelo povo do que perecer a nação inteira?» Não disse isto por si próprio; mas, porque era sumo sacerdote nesse ano, profetizou que Jesus havia de morrer pela nação; e não só pela nação, mas também para congregar na unidade todos os filhos de Deus que andavam dispersos. A partir desse dia, decidiram matar Jesus. Por isso, Jesus já não andava abertamente entre os judeus, mas retirou-Se para uma região próxima do deserto, para uma cidade chamada Efraim, e aí permaneceu com os discípulos. Entretanto, estava próxima a Páscoa dos judeus e muitos subiram da província a Jerusalém, para se purificarem, antes da Páscoa. Procuravam então Jesus e perguntavam uns aos outros no templo: «Que vos parece? Ele não virá à festa?» Reflexão Depois da ressurreição de Lázaro, o conselho dos chefes do povo decide condenar Cristo à morte. «Não compreendeis que é melhor para nós morrer um só homem pelo povo do que perecer a nação inteira?». Pelas palavras de Caifás revela-se o desígnio maior de Deus, por meio de Jesus: reunir todos os filhos de Deus, a humanidade. Jesus veio para dar vida, e dá-la em abundância. Eis a grandeza de Deus, Senhor da história e da salvação!
02:10
April 09, 2022
8 de abril | Sexta-feira da quinta semana da Quaresma
Evangelho segundo São João 10, 31-42 Naquele tempo, os judeus agarraram em pedras para apedrejarem Jesus. Então Jesus disse-lhes: «Apresentei-vos muitas boas obras, da parte de meu Pai. Por qual dessas obras Me quereis apedrejar?». Responderam os judeus: «Não é por qualquer boa obra que Te queremos apedrejar: é por blasfémia, porque Tu, sendo homem, Te fazes Deus». Disse-lhes Jesus: «Não está escrito na vossa Lei: "Eu disse: vós sois deuses"? Se a Lei chama "deuses" a quem a palavra de Deus se dirigia, e a Escritura não pode abolir-se de Mim, que o Pai consagrou e enviou ao mundo, vós dizeis: "Estás a blasfemar", por Eu ter dito: "Sou Filho de Deus"? Se não faço as obras de meu Pai, não acrediteis. Mas se as faço, embora não acrediteis em Mim, acreditai nas minhas obras, para reconhecerdes e saberdes que o Pai está em Mim e Eu estou no Pai». De novo procuraram prendê-l’O, mas Ele escapou-Se das suas mãos. Jesus retirou-Se novamente para além do Jordão, para o local onde anteriormente João tinha estado a batizar, e lá permaneceu. Muitos foram ter com Ele e diziam: «É certo que João não fez nenhum milagre, mas tudo o que disse deste homem era verdade». E muitos ali acreditaram em Jesus. Reflexão Hoje lês mais um diálogo entre Cristo e os judeus, que continuam cegos da Verdade. Escutaram o que Jesus lhes havia dito, viram os milagres inegáveis, mas não queriam crer, muito devido à arrogância: nada os demoverá da incredulidade. É difícil para o orgulho humano ver a glória de Deus, através dos sinais tão humanos da pessoa, da vida e das ações de Jesus. Desde o início que Jesus Se apresenta como sendo realmente igual ao Pai - “o Pai está em Mim e Eu no Pai”. É este o caminho da Encarnação: Deus revela-Se e está perto dos homens na humildade do seu Filho. Que tu, que tens a graça de receber o dom da fé, saibas ouvir, ver e reconhecer a Verdade no teu dia-a-dia.
02:18
April 08, 2022
7 de abril | Quinta-feira da quinta semana da Quaresma
Evangelho segundo São João 8, 51-59 Naquele tempo, disse Jesus aos judeus: «Em verdade, em verdade vos digo: Se alguém guardar a minha palavra, nunca verá a morte». Responderam-Lhe os judeus: «Agora sabemos que tens o demónio. Abraão morreu, os profetas também, mas Tu dizes: ‘Se alguém guardar a minha palavra, nunca sofrerá a morte’. Serás Tu maior do que o nosso pai Abraão, que morreu? E os profetas também morreram. Quem pretendes ser?» Disse-lhes Jesus: «Se Eu Me glorificar a Mim próprio, a minha glória não vale nada. Quem Me glorifica é meu Pai, Aquele de quem dizeis: ‘É o nosso Deus’. Vós não O conheceis, mas Eu conheço-O; e se dissesse que não O conhecia, seria mentiroso como vós. Mas Eu conheço-O e guardo a sua palavra. Abraão, vosso pai, exultou por ver o meu dia; ele viu-o e exultou de alegria». Disseram-Lhe então os judeus: «Ainda não tens cinquenta anos e viste Abraão?!» Jesus respondeu-lhes: «Em verdade, em verdade vos digo: Antes de Abraão existir, ‘Eu sou’». Então agarraram em pedras para apedrejarem Jesus, mas Ele ocultou-Se e saiu do templo. Reflexão Jesus é o Filho de Deus que existe desde sempre, mesmo antes de Abraão, mas os judeus vêem-No como uma competição aos antepassados. Jesus diz-lhes que vem do Pai para completar a história de salvação, tornando definitiva esta oportunidade para a humanidade. Ele vem estabelecer, para sempre, a aliança entre o Pai e os homens. Contudo, os judeus continuam sem querer reconhecer a Verdade e a alegria desta notícia, presos ao conhecimento passado, não sabem olhar o presente. Quantas vezes tu também não ficas preso às tuas certezas, sem querer perceber o que está a acontecer na tua vida? Este tipo de reconhecimento exige confiança, compromisso e coragem. É preciso que conheças e vivas a Sua Palavra para experimentar o Seu amor.
02:06
April 07, 2022
6 de abril | Quarta-feira da quinta semana da Quaresma
Evangelho segundo São João 8, 31-42 Naquele tempo, dizia Jesus aos judeus que tinham acreditado n’Ele: «Se permanecerdes na minha palavra, sereis verdadeiramente meus discípulos, conhecereis a verdade e a verdade vos libertará». Eles responderam-Lhe: «Nós somos descendentes de Abraão e nunca fomos escravos de ninguém. Como é que Tu dizes: ‘Ficareis livres’?» Respondeu Jesus: «Em verdade, em verdade vos digo: Todo aquele que comete o pecado é escravo. Ora o escravo não fica para sempre em casa ; o filho é que fica para sempre. Mas se o Filho vos libertar, sereis realmente homens livres. Bem sei que sois descendentes de Abraão; mas procurais matar-Me, porque a minha palavra não entra em vós. Eu digo o que vi junto de meu Pai e vós fazeis o que ouvistes ao vosso pai». Eles disseram: «O nosso pai é Abraão». Respondeu-lhes Jesus: «Se fôsseis filhos de Abraão, faríeis as obras de Abraão. Mas procurais matar-Me, a Mim que vos disse a verdade que ouvi de Deus. Abraão não procedeu assim. Vós fazeis as obras do vosso pai». Disseram-Lhe eles: «Nós não somos filhos ilegítimos; só temos um pai, que é Deus». Respondeu-lhes Jesus: «Se Deus fosse o vosso Pai, amar-Me-íeis, porque saí de Deus e d’Ele venho. Eu não vim de Mim próprio; foi Ele que Me enviou». Reflexão “Se vós permanecerdes na minha palavra sereis verdadeiramente meus discípulos, conhecereis a verdade e a verdade vos fará livres”. Quantas vezes por seguir a Palavra de Jesus não te sentiste parte de uma bolha? Parte da minoria, dos estranhos conversadores que acreditam que a felicidade pode ser vivida seguindo algumas regras e timings? Jesus foi sempre muito claro a separar o bem e o mal, o certo e o errado, a verdade e a mentira. Com isto tem um desejo de que vivas em liberdade e conheças a verdadeira felicidade. Quão firme defendes o que Ele diz, o que a Igreja diz? Estás consciente de que só a Sua Verdade te liberta realmente?
02:17
April 06, 2022
5 de abril | Terça-feira da quinta semana da Quaresma
Evangelho segundo São João 8, 21-30 Naquele tempo, disse Jesus aos fariseus: «Eu vou partir. Haveis de procurar-Me e morrereis no vosso pecado. Vós não podeis ir para onde Eu vou». Diziam então os judeus: «Irá Ele matar-Se? Será por isso que Ele afirma: "Vós não podeis ir para onde Eu vou"?» Mas Jesus continuou dizendo: «Vós sois cá de baixo, Eu sou lá de cima; vós sois deste mundo, Eu não sou deste mundo. Ora, Eu disse-vos que morrereis nos vossos pecados, porque, se não acreditardes que Eu sou, morrereis nos vossos pecados». Então perguntaram-Lhe: «Quem és Tu?» Respondeu-lhes Jesus: «Absolutamente aquilo que vos digo. Tenho muito que dizer e julgar a respeito de vós. Mas Aquele que Me enviou é verdadeiro e Eu comunico ao mundo o que Lhe ouvi». Eles não compreenderam que lhes falava do Pai. Disse-lhes então Jesus: «Quando levantardes o Filho do homem, então sabereis que Eu sou e que por Mim nada faço, mas falo como o Pai Me ensinou. Aquele que Me enviou está comigo: não Me deixou só, porque Eu faço sempre o que é do seu agrado». Enquanto Jesus dizia estas palavras, muitos acreditaram n’Ele. Reflexão “Vós sois cá de baixo, Eu sou lá de cima” – de maneira algo provocatória, Jesus indica-te o caminho: viver as coisas do alto em vida na Terra. Como? Aspirando a uma vida de santidade. “Precisamos de Santos que sejam do mundo, mas que não sejam mundanos”. Que saibas ser fiel à realidade que te foi dada e nela te santifiques. Não no fim do mundo a cuidar dos mais pobres, não com obras extraordinárias. Exatamente onde estás, com o que tens e és.
01:54
April 05, 2022
4 de abril | Segunda-feira da quinta semana da Quaresma
Evangelho segundo São João 8, 1-11 Naquele tempo, Jesus foi para o monte das Oliveiras. Mas de manhã cedo, apareceu outra vez no templo, e todo o povo se aproximou d’Ele. Então sentou-Se e começou a ensinar. Os escribas e os fariseus apresentaram a Jesus uma mulher surpreendida em adultério, colocaram-na no meio dos presentes e disseram a Jesus: «Mestre, esta mulher foi surpreendida em flagrante adultério. Na Lei, Moisés mandou-nos apedrejar tais mulheres. Tu que dizes?». Falavam assim para Lhe armarem uma cilada e terem pretexto para O acusar. Mas Jesus inclinou-Se e começou a escrever com o dedo no chão. Como persistiam em interrogá-l’O, ergueu-Se e disse-lhes: «Quem de entre vós estiver sem pecado atire a primeira pedra». Inclinou-Se novamente e continuou a escrever no chão. Eles, porém, quando ouviram tais palavras, foram saindo um após outro, a começar pelos mais velhos, e ficou só Jesus e a mulher, que estava no meio. Jesus ergueu-Se e disse-lhe: «Mulher, onde estão eles? Ninguém te condenou?». Ela respondeu: «Ninguém, Senhor». Disse então Jesus: «Nem Eu te condeno. Vai e não tornes a pecar». Reflexão Voltamos a refletir propositadamente sobre a mesma passagem, talvez seja um sinal de Deus para pensarmos mais a fundo nesta questão do pecado e do perdão, o drama e a salvação do cristão. “Quem de entre vós estiver sem pecado atire a primeira pedra”. O problema dos cristãos é desejarem ser performantes, até diante de Deus. Fazem do Cristianismo a religião do tender para o “perfeccionismo moral” - como se fosse a única condição para obter o amor de Deus. Mas Deus concede-te Ele próprio, morre por ti, Ele é todo Amor! Quantas vezes o teu perfeccionismo não te afastou de recebê-Lo? Deixas-te cair perante a primeira falha ou ainda te manténs firme na esperança de mudar? Se esperas ser perfeito para receber Deus, nunca O receberás. O teu amor não é perfeito, mas Ele ama-te mesmo assim. Aprende a perdoar-te também…
02:44
April 04, 2022
3 de abril | Quinto Domingo da Quaresma
Evangelho segundo São João 8, 1-11 Naquele tempo, Jesus foi para o monte das Oliveiras. Mas de manhã cedo, apareceu outra vez no templo e todo o povo se aproximou d’Ele. Então sentou-Se e começou a ensinar. Os escribas e os fariseus apresentaram a Jesus uma mulher surpreendida em adultério, colocaram-na no meio dos presentes e disseram a Jesus: «Mestre, esta mulher foi surpreendida em flagrante adultério. Na Lei, Moisés mandou-nos apedrejar tais mulheres. Tu que dizes?». Falavam assim para Lhe armarem uma cilada e terem pretexto para O acusar. Mas Jesus inclinou-Se e começou a escrever com o dedo no chão. Como persistiam em interrogá-l’O, ergueu-Se e disse-lhes: «Quem de entre vós estiver sem pecado atire a primeira pedra». Inclinou-Se novamente e continuou a escrever no chão. Eles, porém, quando ouviram tais palavras, foram saindo um após outro, a começar pelos mais velhos, e ficou só Jesus e a mulher, que estava no meio. Jesus ergueu-Se e disse-lhe: «Mulher, onde estão eles? Ninguém te condenou?». Ela respondeu: «Ninguém, Senhor». Disse então Jesus: «Nem Eu te condeno. Vai e não tornes a pecar». Reflexão Esta passagem choca em muitas coisas. Uma delas é a coragem de Jesus ante uma multidão que queria apedrejar uma pecadora. “Quem de vós não pecou?” - interpela Jesus. Fazes parte de uma Igreja de pecadores, que só tem redenção porque Ele veio à Terra morrer por cada um para a sua salvação. Quantas vezes não quiseste humilhar quem erra? Quantas vezes não te chateaste com as falhas dos outros? Olha para esta passagem e vê o que Jesus faz. Não se trata de não corrigir o pecador, podes e deves corrigir os teus amigos e família se vires que isso os ajudará a melhorar. Trata-se de saber perdoar, consciente de que não és melhor que os outros: um dia estão eles mal, outro talvez estejas tu.
02:17
April 03, 2022
2 de abril | Sábado da quarta semana da Quaresma
Evangelho segundo São João 7,40-53 Naquele tempo, alguns que tinham ouvido as palavras de Jesus diziam no meio da multidão: «Ele é realmente o Profeta». Outros afirmavam: «É o Messias». Outros, porém, diziam: «Poderá o Messias vir da Galileia? Não diz a Escritura que o Messias será da linhagem de David e virá de Belém, a cidade de David?» Houve assim desacordo entre a multidão a respeito de Jesus. Alguns deles queriam prendê-l’O, mas ninguém Lhe deitou as mãos. Então os guardas do templo foram ter com os príncipes dos sacerdotes e com os fariseus e estes perguntaram-lhes: «Porque não O trouxestes?». Os guardas responderam: «Nunca ninguém falou como esse homem». Os fariseus replicaram: «Também vos deixastes seduzir? Porventura acreditou n’Ele algum dos chefes ou dos fariseus? Mas essa gente, que não conhece a Lei, está maldita». Disse-lhes Nicodemos, aquele que anteriormente tinha ido ter com Jesus e era um deles: «Acaso a nossa Lei julga um homem sem antes o ter ouvido e saber o que ele faz?» Responderam-lhe: «Também tu és galileu? Investiga e verás que da Galileia nunca saiu nenhum profeta». E cada um voltou para sua casa. Reflexão Quantas vezes já falaste mal de quem não estava presente, até dos teus amigos? Quantas vezes tiveste conversas erradas? Quantas vezes falaste mal de Jesus, ou da Igreja, e te encolheste em vez de afirmar a verdade? Olha para Nicodemos, aquele que antes tinha ido em segredo ter com Jesus, como mudou desde aquele encontro! Procura, de modo simples e sem grande espetáculo, defender Jesus no teu dia-a-dia. Que sejas como Nicodemos e não tenhas medo de lutar pela verdade. Lembra-te do que escreveu Edmund Burke: “para o triunfo do mal, basta que os homens bons não façam nada”.
02:14
April 02, 2022
1 de abril | Sexta-feira da quarta semana da Quaresma
Evangelho segundo São João 7, 1-2.10.2-30 Naquele tempo, Jesus percorria a Galileia, evitando andar pela Judeia, porque os judeus procuravam dar-Lhe a morte. Estava próxima a festa dos Tabernáculos. Quando os seus parentes subiram a Jerusalém, para irem à festa, Ele subiu também, não às claras, mas em segredo. Diziam então algumas pessoas de Jerusalém: «Não é este homem que procuram matar? Vede como fala abertamente e não Lhe dizem nada. Teriam os chefes reconhecido que Ele é o Messias? Mas nós sabemos de onde é este homem, e, quando o Messias vier, ninguém sabe de onde Ele é». Então, em alta voz, Jesus ensinava no templo, dizendo: «Vós Me conheceis e sabeis de onde Eu sou! No entanto, Eu não vim por minha própria vontade e é verdadeiro Aquele que Me enviou e que vós não conheceis. Mas Eu conheço-O, porque d’Ele venho e foi Ele que Me enviou». Procuravam então prender Jesus, mas ninguém Lhe deitou a mão, porque ainda não chegara a sua hora. Reflexão Jesus sobe a Jerusalém em segredo. Em silêncio prepara-Se cada vez mais para a entrega. Mas não teme afirmar-Se quando é necessário. Está consciente das consequências das suas ações e continua a falar “abertamente”. Sem dúvida que uma das experiências de maior intimidade da vida de um cristão é o encontro em “segredo” com Jesus. Procurá-Lo nas pessoas ou no sacrário é sempre transformador. É nesta oração silenciosa que Ele mais fala. Por vezes, pode não ser claro o que te diz, mas cabe-te perseverança, paciência e atenção para O ouvires como e quando for da Sua vontade.
01:60
April 01, 2022
31 de março | Quinta-feira da quarta semana da Quaresma
Evangelho segundo São João 5, 31-47 Naquele tempo, Jesus disse aos judeus: «Se Eu der testemunho de Mim mesmo, o meu testemunho não será considerado verdadeiro. É outro que dá testemunho de Mim e Eu sei que o testemunho que Ele dá de Mim é verdadeiro. Vós mandastes emissários a João Batista e ele deu testemunho da verdade. Não é de um homem que Eu recebo testemunho, mas digo-vos isto para que sejais salvos. João era uma lâmpada que ardia e brilhava e vós, por um momento, quisestes alegrar-vos com a sua luz. Mas Eu tenho um testemunho maior que o de João, pois as obras que o Pai Me deu para consumar — as obras que Eu realizo— dão testemunho de que o Pai Me enviou. E o Pai, que Me enviou, também Ele deu testemunho de Mim. Nunca ouvistes a sua voz, nem vistes a sua figura e a sua palavra não habita em vós, porque não acreditais n’Aquele que Ele enviou. Examinais as Escrituras, pensando encontrar nelas a vida eterna; são elas que dão testemunho de Mim e não quereis vir a Mim para encontrar essa vida. Não é dos homens que Eu recebo glória; mas Eu conheço-vos e sei que não tendes em vós o amor de Deus. Vim em nome de meu Pai e não Me recebeis; mas se vier outro em seu próprio nome, recebê-lo-eis. Como podeis acreditar, vós que recebeis glória uns dos outros e não procurais a glória que vem só de Deus? Não penseis que Eu vou acusar-vos ao Pai: o vosso acusador será Moisés, em quem pusestes a vossa esperança. Se acreditásseis em Moisés, acreditaríeis em Mim, pois ele escreveu a meu respeito. Mas se não acreditais nos seus escritos, como haveis de acreditar nas minhas palavras?». Reflexão Hoje é-te pedido uma simples coisa: acreditar! Pode parecer óbvio e até fácil, mas é a forma como vives que dita o testemunho que dás de Jesus. Muitas vezes és orgulhoso, tens preguiça para estudar ou trabalhar, és egoísta, esqueces-te de rezar, etc. Será que te dás conta de que fazes parte de uma história e deves dar-lhe continuidade? Que outros lutaram para estares aqui hoje, que contam com o teu testemunho cristão? O Evangelho de hoje dá-te duas dicas para melhorar: apostar na Palavra e nas obras. É preciso saber agir e agir com saber. Assim terás maior segurança para dar testemunho do Filho, da Verdade, da Salvação.
02:26
March 31, 2022
30 de março | Quarta-feira da quarta semana da Quaresma
Evangelho segundo São João 5, 17-30 Naquele tempo, disse Jesus aos judeus: «Meu Pai trabalha incessantemente e Eu também trabalho em todo o tempo». Esta afirmação era mais um motivo para os judeus quererem dar-Lhe a morte: não só por violar o sábado, mas também por chamar a Deus seu Pai, fazendo-Se igual a Deus. Então Jesus tomou a palavra e disse-lhes: «Em verdade, em verdade vos digo: O Filho nada pode fazer por Si próprio, mas só aquilo que viu fazer ao Pai; e tudo o que o Pai faz também o Filho o faz igualmente. Porque o Pai ama o Filho e Lhe manifesta tudo quanto faz; e há-de manifestar-Lhe coisas maiores que estas, de modo que ficareis admirados. Assim como o Pai ressuscita os mortos e lhes dá vida, assim o Filho dá vida a quem Ele quer. O Pai não julga ninguém: entregou ao Filho o poder de tudo julgar, para que todos honrem o Filho, como honram o Pai. Quem não honra o Filho não honra o Pai que O enviou. Em verdade, em verdade vos digo: Quem ouve a minha palavra e acredita n’Aquele que Me enviou tem a vida eterna e não será condenado, porque passou da morte à vida. Em verdade, em verdade vos digo: Aproxima-se a hora — e já chegou — em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus; e os que a ouvirem, viverão. Assim como o Pai tem a vida em Si mesmo, assim também concedeu ao Filho que tivesse a vida em Si mesmo; e deu-Lhe o poder de julgar, porque é o Filho do homem. Não vos admireis do que estou a dizer, porque vai chegar a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz: Os que tiverem praticado boas obras irão para a ressurreição dos vivos e os que tiverem praticado o mal para a ressurreição dos condenados. Eu não posso fazer nada por Mim próprio: julgo segundo o que oiço e o meu juízo é justo, porque não procuro fazer a minha vontade, mas a vontade d’Aquele que Me enviou». Reflexão Tudo o que Jesus diz, tudo o que faz, provém da Sua união com o Pai. É criticado por Se fazer “igual a Deus”, porém tudo na Sua vida é unicamente fruto da vontade do Pai. Eles são UM SÓ. O caminho para a salvação é feito através da Palavra (que te é disponibilizada de forma diária, por exemplo, através do Evangelho). Ao escutar a voz de Jesus, aproximas-te d’Ele e quanto mais próximo, mais humilde te tornas, compreendendo como tens tanto para aprender com Ele. É muito mais fácil afastares-te, mas muito melhor ficares. Que possas permanecer com Ele até ao fim, ouvindo-O e pondo a Palavra em prática para, assim, ter a graça de viver também em união com o Pai.
02:49
March 30, 2022
29 de março |Terça-feira da quarta semana da Quaresma
Evangelho segundo São João 5, 1-3a. 5-16 Naquele tempo, por ocasião de uma festa dos judeus, Jesus subiu a Jerusalém. Existe em Jerusalém, junto à porta das ovelhas, uma piscina, chamada, em hebraico, Betsatá, que tem cinco pórticos, e neles jaziam numerosos doentes, cegos, coxos e paralíticos. Estava ali também um homem, enfermo havia trinta e oito anos. Ao vê-lo deitado e sabendo que estava assim há muito tempo, Jesus perguntou-lhe: «Queres ser curado?» O enfermo respondeu-Lhe: «Senhor, não tenho ninguém que me introduza na piscina, quando a água é agitada; enquanto eu vou, outro desce antes de mim». Disse-lhe Jesus: «Levanta-te, toma a tua enxerga e anda». No mesmo instante o homem ficou são, tomou a sua enxerga e começou a caminhar. Ora aquele dia era sábado. Diziam os judeus àquele que tinha sido curado: «Hoje é sábado: não podes levar a tua enxerga». Mas ele respondeu-lhes: «Aquele que me curou disse-me: ‘Toma a tua enxerga e anda’». Perguntaram-lhe então: «Quem é que te disse: ‘Toma a tua enxerga e anda’». Mas o homem que tinha sido curado não sabia quem era, porque Jesus tinha-Se afastado da multidão que estava naquele local. Mais tarde, Jesus encontrou-o no templo e disse-lhe: «Agora estás são. Não voltes a pecar, para que não te suceda coisa pior». O homem foi então dizer aos judeus que era Jesus quem o tinha curado. Desde então os judeus começaram a perseguir Jesus, por fazer isto num dia de sábado. Reflexão Nesta passagem é Jesus que, vendo o enfermo, Se aproxima e fala em primeiro lugar, no meio da confusão criada pela multidão. Da mesma forma, também te procura, mas tu, perdido na confusão do dia-a-dia, deixas de O ouvir ou respondes como o enfermo: “não temos ninguém”. Apenas de coração puro e humilde, escancarado, serás capaz de O ouvir verdadeiramente e, assim, ser curado pelo Seu Amor misericordioso. Por fim, de coração cheio, serás levado a partilhar esse Amor, como fez o enfermo.
02:19
March 29, 2022
28 de março | Segunda-feira da quarta semana da Quaresma
Evangelho segundo São João 4,43-54 Naquele tempo, Jesus saiu da Samaria e foi para a Galileia. (…) Havia em Cafarnaum um funcionário real cujo filho se encontrava doente. Quando ouviu dizer que Jesus viera da Judeia para a Galileia, foi ter com Ele e pediu-Lhe que descesse a curar o seu filho, que estava a morrer. Jesus disse-lhe: «Se não virdes sinais e prodígios, não acreditareis». O funcionário insistiu: «Senhor, desce, antes que meu filho morra». Jesus respondeu-lhe: «Vai, que o teu filho vive». O homem acreditou nas palavras que Jesus lhe tinha dito e pôs-se a caminho. Já ele descia, quando os servos vieram ao seu encontro e lhe disseram que o filho vivia. Perguntou-lhes então a que horas tinha melhorado. Eles responderam-lhe: «Foi ontem à uma da tarde que a febre o deixou». Então o pai verificou que àquela hora Jesus lhe tinha dito: «O teu filho vive». E acreditou, ele e todos os de sua casa. Foi este o segundo milagre que Jesus realizou, ao voltar da Judeia para a Galileia. Reflexão Nem sempre é fácil reconhecer a presença de Deus, mas a verdade é que Ele se encontra em todos os momentos da tua vida. Mesmo quando não entendes, Ele está lá a proteger-te e transformar-te. Pede-Lhe um novo olhar para que possas reconhecer todos os sinais e prodígios que Ele te oferece em cada dia. Dá graças pela Sua presença e deixa-te ser conduzido/a pelos Seus passos.
01:38
March 28, 2022
27 de março | Quarto Domingo da Quaresma
Evangelho segundo São Lucas 15, 1-3.11-32 Naquele tempo, os publicanos e os pecadores aproximavam-se todos de Jesus, para O ouvirem. Mas os fariseus e os escribas murmuravam entre si, dizendo: «Este homem acolhe os pecadores e come com eles». Jesus disse-lhes então a seguinte parábola: «Um homem tinha dois filhos. O mais novo disse ao pai: ‘Pai, dá-me a parte da herança que me toca’. O pai repartiu os bens pelos filhos. Alguns dias depois, o filho mais novo, juntando todos os seus haveres, partiu para um país distante e por lá esbanjou quanto possuía, numa vida dissoluta. Tendo gasto tudo, houve uma grande fome naquela região e ele começou a passar privações. Entrou então ao serviço de um dos habitantes daquela terra, que o mandou para os seus campos guardar porcos. Bem desejava ele matar a fome com as alfarrobas que os porcos comiam, mas ninguém lhas dava. Então, caindo em si, disse: ‘Quantos trabalhadores de meu pai têm pão em abundância, e eu aqui a morrer de fome! Vou-me embora, vou ter com meu pai e dizer-lhe: Pai, pequei contra o Céu e contra ti. Já não mereço ser chamado teu filho, mas trata-me como um dos teus trabalhadores’. Pôs-se a caminho e foi ter com o pai. Ainda ele estava longe, quando o pai o viu: encheu-se de compaixão e correu a lançar-se-lhe ao pescoço, cobrindo-o de beijos. Disse-lhe o filho: ‘Pai, pequei contra o Céu e contra ti. Já não mereço ser chamado teu filho’. Mas o pai disse aos servos: ‘Trazei depressa a melhor túnica e vesti-lha. Ponde-lhe um anel no dedo e sandálias nos pés. Trazei o vitelo gordo e matai-o. Comamos e festejemos, porque este meu filho estava morto e voltou à vida, estava perdido e foi reencontrado’. E começou a festa. Ora o filho mais velho estava no campo. Quando regressou, ao aproximar-se da casa, ouviu a música e as danças. Chamou um dos servos e perguntou-lhe o que era aquilo. O servo respondeu-lhe: ‘O teu irmão voltou e teu pai mandou matar o vitelo gordo, porque ele chegou são e salvo’. Ele ficou ressentido e não queria entrar. Então o pai veio cá fora instar com ele. Mas ele respondeu ao pai: ‘Há tantos anos que eu te sirvo, sem nunca transgredir uma ordem tua, e nunca me deste um cabrito para fazer uma festa com os meus amigos. E agora, quando chegou esse teu filho, que consumiu os teus bens com mulheres de má vida, mataste-lhe o vitelo gordo’. Disse-lhe o pai: ‘Filho, tu estás sempre comigo e tudo o que é meu é teu. Mas tínhamos de fazer uma festa e alegrar-nos, porque este teu irmão estava morto e voltou à vida, estava perdido e foi reencontrado’». Reflexão A parábola do Filho Pródigo apresenta-te o caminho do filho que regressa à casa que outrora abandonou, voltando para junto do seu pai. Já deves conhecê-la, mas vale a pena recordar aquele que pode ser o percurso do pecador, quando percebe qual o caminho da Verdade e da Vida. Não há nada tão reconfortante como saber que Deus, teu Pai e criador, tem os braços abertos para te receber sempre, independentemente de quem és e daquilo que fizeste. Pede a Jesus a capacidade de deixar de parte o teu orgulho, para dares espaço a um arrependimento transformador. Pede-Lhe ajuda para que nunca te esqueças do teu Pai apaixonado, que te espera todos os dias e para sempre.
03:39
March 27, 2022
26 de março | Sábado da terceira semana da Quaresma
Evangelho segundo São Lucas 18,9-14 Naquele tempo, Jesus disse a seguinte parábola para alguns que se consideravam justos e desprezavam os outros: «Dois homens subiram ao templo para orar; um era fariseu e o outro publicano. O fariseu, de pé, orava assim: ‘Meu Deus, dou-Vos graças por não ser como os outros homens, que são ladrões, injustos e adúlteros, nem como este publicano. Jejuo duas vezes por semana e pago o dízimo de todos os meus rendimentos’. O publicano ficou a distância e nem sequer se atrevia a erguer os olhos ao Céu; mas batia no peito e dizia: ‘Meu Deus, tende compaixão de mim, que sou pecador’. Eu vos digo que este desceu justificado para sua casa e o outro não. Porque todo aquele que se exalta será humilhado e quem se humilha será exaltado» Reflexão Com esta parábola Jesus recorda-te o quão importante é reconheceres que és pequeno, lembrando-te que a vaidade pode cegar. Pede-Lhe a graça da humildade, para que não te deixes levar pela arrogância que te desvia o olhar dos outros. Para que tenhas consciência de que, apesar de serem todos pecadores, são teus irmãos. Deves, por isso, preocupar-te em abrir portas, construir pontes, reconhecer os teus enganos, amar o mais possível. Só desta forma, deixando-te para o fim, ajudas o Pai a construir o Reino dos Céus já nesta terra.
01:46
March 26, 2022
25 de março | Sexta-feira da terceira semana da Quaresma | Solenidade da Anunciação do Senhor
Evangelho segundo São Lucas 1, 26-38 Ao sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um homem chamado José, da casa de David e o nome da virgem era Maria. Ao entrar em casa dela, o anjo disse-lhe: «Salve, ó cheia de graça, o Senhor está contigo.» Ao ouvir estas palavras, ela perturbou-se e inquiria de si própria o que significava tal saudação. Disse-lhe o anjo: «Maria, não temas, pois achaste graça diante de Deus. Hás-de conceber no teu seio e dar à luz um filho, ao qual porás o nome de Jesus. Será grande e vai chamar-se Filho do Altíssimo. O Senhor Deus vai dar-lhe o trono de seu pai David, reinará eternamente sobre a casa de Jacob e o seu reinado não terá fim.» Maria disse ao anjo: «Como será isso, se eu não conheço homem?» O anjo respondeu-lhe: «O Espírito Santo virá sobre ti e a força do Altíssimo estenderá sobre ti a sua sombra. Por isso, aquele que vai nascer é Santo e será chamado Filho de Deus. Também a tua prima Isabel concebeu um filho na sua velhice e já está no sexto mês, ela, a quem chamavam estéril, porque nada é impossível a Deus.» Maria disse, então: «Eis a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra.» E o anjo retirou-se de junto dela. Reflexão Todos os anos ouves esta passagem do Evangelho, talvez até aches que já a sabes de cor. Mas não deves ter a tentação de passar por ela rapidamente ou de lhe não prestar a devida atenção, porque todas as vezes que ouves este episódio, Deus arranja uma forma de te tocar de uma maneira diferente. Hoje celebras a Solenidade da Anunciação do Senhor. Que dia tão importante! Este é o dia em que recordamos o “SIM” mais importante da história da humanidade- o “SIM” de Nossa Senhora. Aquela que foi chamada a receber no seu ventre o Rei do Universo não era uma rainha, uma mulher rica ou de uma alta classe social, mas uma jovem que ainda não vivia em comum com o seu marido, que certamente muito sofreria com as consequências daquela decisão. Deus “pôs os olhos na humildade da Sua serva” e escolheu Maria para a mais importante missão alguma vez desempenhada por um ser humano, que não Jesus. E também te escolhe a ti todos os dias. Basta seres humilde e perceber que, se deixares Deus atuar, Ele será capaz de fazer as maiores maravilhas contigo. Basta um “faça-se” e não um “eu faço”. Deixa que Ele assuma o controlo. Assim fez Nossa Senhora. Como explica São Bernardo numa belíssima homilia: “Pois da tua palavra depende o alívio dos infelizes, a redenção dos cativos, a liberdade dos condenados, enfim, a salvação de todos os filhos de Adão, de toda a tua raça”.
03:17
March 25, 2022
24 de março | Quinta-feira da terceira semana da Quaresma
Evangelho segundo São Lucas 11, 14-23 Naquele tempo, Jesus estava a expulsar um demónio que era mudo. Logo que o demónio saiu, o mudo falou e a multidão ficou admirada. Mas alguns dos presentes disseram: «É por Belzebu, príncipe dos demónios, que Ele expulsa os demónios». Outros, para O experimentarem, pediam-Lhe um sinal do céu. Mas Jesus, que conhecia os seus pensamentos, disse: «Todo o reino dividido contra si mesmo, acaba em ruínas e cairá casa sobre casa. Se Satanás está dividido contra si mesmo, como subsistirá o seu reino? Vós dizeis que é por Belzebu que Eu expulso os demónios. Ora, se Eu expulso os demónios por Belzebu, por quem os expulsam os vossos discípulos? Por isso eles mesmos serão os vossos juízes. Mas se Eu expulso os demónios pelo dedo de Deus, então quer dizer que o reino de Deus chegou até vós. Quando um homem forte e bem armado guarda o seu palácio, os seus bens estão em segurança. Mas se aparece um mais forte do que ele e o vence, tira-lhe as armas em que confiava e distribui os seus despojos. Quem não está comigo está contra Mim e quem não junta comigo dispersa». Reflexão Jesus faz uma importantíssima advertência: “Quem não está comigo, está contra Mim e quem não junta comigo dispersa.” Não podes cair na tentação de seres morno na vivência da tua fé, de usar a desculpa de “eu sou cristão, mas isto não faço…”. Jesus não podia ter sido mais claro. O demónio é esperto e tem as suas tácticas, mas Deus é infinitamente maior e mais forte e, se estiveres com Ele, certamente ganharás a batalha contra o pecado e o Mal. Como dizia Santa Teresinha do Menino Jesus: "Deus não quer um coração dividido. Quer tudo ou nada."
01:52
March 24, 2022
23 de março | Quarta-feira da terceira semana da Quaresma
Evangelho segundo São Mateus 5,17-19 Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim revogar, mas completar. Em verdade vos digo: Antes que passem o céu e a terra, não passará da Lei a mais pequena letra ou o mais pequeno sinal, sem que tudo se cumpra. Portanto, se alguém transgredir um só destes mandamentos, por mais pequenos que sejam, e ensinar assim aos homens, será o menor no reino dos Céus. Mas aquele que os praticar e ensinar será grande no reino dos Céus». Reflexão Estás no Sermão da Montanha e Jesus fala-te da Lei. Ele é o Messias que a humanidade esperava ansiosamente, mas não vem “fazer tábua rasa” da Lei dos Profetas e dos Mandamentos que Deus deu a Moisés e ao povo de Israel. Veio antes completar o seu significado, dar-lhes pleno cumprimento. Ele é em Si mesmo a Verdade, absoluta e plena, e cumprir os Mandamentos e a Lei só tem realmente sentido, não como um mero código moral, mas como sendo um acto de amor. Deves cumprir a Lei porque amas a Deus. E é também por isto que a Igreja não se transforma e revoluciona conforme as modas e as marés dos tempos, porque para ser fiel a Deus e amá-Lo verdadeiramente, deves viver os Mandamentos e pregá-los a todas as pessoas, com a plenitude do sentido que encontras em Jesus Cristo.
01:34
March 23, 2022
22 de março | Terça-feira da terceira semana da Quaresma
Evangelho segundo São Mateus 18, 21-35 Naquele tempo, Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou-Lhe: «Se meu irmão me ofender, quantas vezes deverei perdoar-lhe? Até sete vezes?». Jesus respondeu: «Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete. Na verdade, o reino de Deus pode comparar-se a um rei que quis ajustar contas com os seus servos. Logo de começo, apresentaram-lhe um homem que devia dez mil talentos. Não tendo com que pagar, o senhor mandou que fosse vendido, com a mulher, os filhos e tudo quanto possuía, para assim pagar a dívida. Então o servo prostrou-se a seus pés, dizendo: "Senhor, concede-me um prazo e tudo te pagarei". Cheio de compaixão, o senhor daquele servo deu-lhe a liberdade e perdoou-lhe a dívida. Ao sair, o servo encontrou um dos seus companheiros que lhe devia cem denários. Segurando-o, começou a apertar-lhe o pescoço, dizendo: "Paga o que me deves". Então o companheiro caiu a seus pés e suplicou-lhe, dizendo: "Concede-me um prazo e pagar-te-ei". Ele, porém, não consentiu e mandou-o prender, até que pagasse tudo quanto devia. Testemunhas desta cena, os seus companheiros ficaram muito tristes e foram contar ao senhor tudo o que havia sucedido. Então, o senhor mandou-o chamar e disse: "Servo mau, perdoei-te tudo o que me devias, porque mo pediste. Não devias, também tu, compadecer- e do teu companheiro, como eu tive compaixão de ti?". E o senhor, indignado, entregou-o aos verdugos, até que pagasse tudo o que lhe devia. Assim procederá convosco meu Pai celeste, se cada um de vós não perdoar a seu irmão de todo o coração». Reflexão O Evangelho de hoje fala-te sobre o valor do perdão. O Senhor perdoa as tuas dívidas sempre, mas tu, quantas vezes não perdoas as dos teus irmãos? Pede ajuda. Pede a Jesus que te ensine a saber ver com o coração, saber perdoar tudo, não querendo tu fazer justiça na terra, mas deixando que Ele a faça no Céu. Pede para cresceres nesta virtude e saberes perdoar não só sete vezes, mas sim setenta vezes sete.
02:25
March 22, 2022
21 de março | Segunda-feira da terceira semana da Quaresma
Evangelho segundo São Lucas 4, 24-30 Naquele tempo, Jesus veio a Nazaré e falou ao povo na sinagoga, dizendo: «Em verdade vos digo: Nenhum profeta é bem recebido na sua terra. Em verdade vos digo que havia em Israel muitas viúvas no tempo do profeta Elias, quando o céu se fechou durante três anos e seis meses e houve uma grande fome em toda a Terra; contudo, Elias não foi enviado a nenhuma delas, mas a uma viúva de Sarepta, na região da Sidónia. Havia em Israel muitos leprosos no tempo do profeta Eliseu; contudo, nenhum deles foi curado, mas apenas o sírio Naamã». Ao ouvirem estas palavras, todos ficaram furiosos na sinagoga. Levantaram-se, expulsaram Jesus da cidade e levaram-n’O até ao cimo da colina sobre a qual a cidade estava edificada, a fim de O precipitarem dali abaixo. Mas Jesus, passando pelo meio deles, seguiu o seu caminho. Reflexão Jesus é rejeitado pelo povo da sua cidade natal, Nazaré. Depois de ter cumprido com a profecia, muitos ficaram indignados e começaram a perguntar se Ele era o filho de José. Quando o viram assim, cheio de Espírito Santo, ensinando com autoridade e não como escriba, mandaram-n’O para fora da Sinagoga e conduziram-n’O até ao alto de um monte para precipitá-lo. Neste momento, é visível a inveja que o povo de Nazaré tem em relação a Jesus e a desgraça que querem causar ao quererem atirá-l’O por um penhasco. Percebes que dentro destes nazarenos está o demónio, é ele quem cria estas más intenções, estes maus desejos, más obras de modo a impedir que o homem chegue à felicidade eterna: estar com Deus no Céu. Pede então a graça da fortaleza para que saibas lutar diariamente contra cada falha, contra o Mal.
01:56
March 21, 2022
20 de março | Terceiro Domingo da Quaresma
Evangelho segundo São Lucas 13, 1-9 Naquele tempo, vieram contar a Jesus que Pilatos mandara derramar o sangue de certos galileus, juntamente com o das vítimas que imolavam. Jesus respondeu-lhes: «Julgais que, por terem sofrido tal castigo, esses galileus eram mais pecadores do que todos os outros galileus? Eu digo-vos que não. E se não vos arrependerdes, morrereis todos do mesmo modo. E aqueles dezoito homens, que a torre de Siloé, ao cair, atingiu e matou? Julgais que eram mais culpados do que todos os outros habitantes de Jerusalém? Eu digo-vos que não. E se não vos arrependerdes, morrereis todos de modo semelhante. Jesus disse então a seguinte parábola: «Certo homem tinha uma figueira plantada na sua vinha. Foi procurar os frutos que nela houvesse, mas não os encontrou. Disse então ao vinhateiro: ‘Há três anos que venho procurar frutos nesta figueira e não os encontro. Deves cortá-la. Porque há-de estar ela a ocupar inutilmente a terra?’. Mas o vinhateiro respondeu-lhe: ‘Senhor, deixa-a ficar ainda este ano, que eu, entretanto, vou cavar-lhe em volta e deitar-lhe adubo. Talvez venha a dar frutos. Se não der, mandá-la-ás cortar no próximo ano». Reflexão Tens tendência a achar que quando algo te corre mal é um castigo de Deus? Jesus, através deste Evangelho, mostra-te que há acontecimentos difíceis na vida (ou aquilo que tu consideras desgraças), porque o mundo, embora tendo sido criado bom por Deus, por estar marcado pelo pecado original, muitas vezes não é bom terreno de plantação. Contudo, tu podes sempre escolher dar fruto! Esta parábola lembra a tua vida limitada na terra. Podes pertencer à Igreja, frequentar movimentos católicos e, ainda assim, não te converter verdadeiramente, de forma automática. O dono da vinha é Deus Pai, o vinhateiro é Jesus, e a vinha és tu. Que tipo de fruto dás? Pede ajuda para que não tenhas só qualidade externa, só aparência, mas realmente um interior rico, saboroso que luta por ser cada vez melhor para agradar o Pai.
02:13
March 20, 2022
19 de março | Sábado da segunda semana da Quaresma | Solenidade de São José, esposo da Virgem Maria
Evangelho segundo São Mateus 1, 16.18 - 21.24 Jacob gerou José, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, chamado Cristo. O nascimento de Jesus deu-se do seguinte modo: Maria, sua Mãe, noiva de José, antes de terem vivido em comum, encontrara-se grávida por virtude do Espírito Santo. Mas José, seu esposo, que era justo e não queria difamá-la, resolveu repudiá-la em segredo. Tinha ele assim pensado, quando lhe apareceu num sonho o anjo do Senhor, que lhe disse: «José, filho de David, não temas receber Maria, tua esposa, pois o que nela se gerou é fruto do Espírito Santo. Ela dará à luz um Filho, e tu pôr-Lhe-ás o nome de Jesus, porque Ele salvará o povo dos seus pecados». Quando despertou do sono, José fez como lhe ordenara o Anjo do Senhor. Reflexão Hoje é dia do Pai, dia de São José! Apesar de não ter voz na Bíblia, é um dos maiores santos. Também ele disse “sim”. Também ele largou tudo para receber Jesus. Também ele confiou mesmo nas situações mais difíceis, quando tiveram de fugir para o Egito ou quando O perderam no templo. Comprometeu-se seriamente com o papel destinado, partilhando a paternidade de Jesus com Deus. Que tarefa tão surreal! Mas sem alaridos, sem ambições, tudo aceitou e entregou. Com ele aprendes o valor do trabalho como forma de santificação. Pede-lhe que te ajude a dar o teu “sim” quando tens medo e quando desconheces o resultado. Pede-lhe força para a rotina, para os teus estudos ou trabalho. Pede-lhe também que te ensine a cuidar melhor da tua família, pondo-a sempre em primeiro lugar.
01:55
March 19, 2022
18 de março | Sexta-feira da segunda semana da Quaresma
Evangelho segundo São Mateus 21, 33-43.45-46 Naquele tempo, disse Jesus aos príncipes dos sacerdotes e aos anciãos do povo: «Ouvi outra parábola: Havia um proprietário que plantou uma vinha, cercou-a com uma sebe, cavou nela um lagar e levantou uma torre; depois, arrendou-a a uns vinhateiros e partiu para longe. Quando chegou a época das colheitas, mandou os seus servos aos vinhateiros para receber os frutos. Os vinhateiros, porém, lançando mão dos servos, espancaram um, mataram outro, e a outro apedrejaram-no. Tornou ele a mandar outros servos, em maior número que os primeiros. E eles trataram-nos do mesmo modo. Por fim, mandou-lhes o seu próprio filho, dizendo: ‘Respeitarão o meu filho’. Mas os vinhateiros, ao verem o filho, disseram entre si: ‘Este é o herdeiro; matemo-lo e ficaremos com a sua herança’. E, agarrando-o, lançaram-no fora da vinha e mataram-no. Quando vier o dono da vinha, que fará àqueles vinhateiros?». Eles responderam: «Mandará matar sem piedade esses malvados e arrendará a vinha a outros vinhateiros, que lhe entreguem os frutos a seu tempo». Disse-lhes Jesus: «Nunca lestes na Escritura: ‘A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular; tudo isto veio do Senhor e é admirável aos nossos olhos’? Por isso vos digo: Ser-vos-á tirado o reino de Deus e dado a um povo que produza os seus frutos». Ao ouvirem as parábolas de Jesus, os príncipes dos sacerdotes e os fariseus compreenderam que falava deles e queriam prendê-l’O; mas tiveram medo do povo, que O considerava profeta. Reflexão “A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular”. Quantas vezes não rejeitas o que é bom e verdadeiro? Jesus diz-te que está presente nos corações de todos que te rodeiam e, ainda assim, tantas vezes é maltratado e desprezado. Quantas vezes, à semelhança dos vinhateiros, te autocentras no teu egoísmo e procuras aquilo que é imediato, mas passageiro, em vez de procurar a salvação eterna que te é prometida?
02:26
March 18, 2022
17 de março | Quinta-feira da segunda semana da Quaresma
Evangelho segundo São Lucas 16, 19-31 Naquele tempo, disse Jesus aos fariseus: «Havia um homem rico, que se vestia de púrpura e linho fino e se banqueteava esplendidamente todos os dias. Um pobre, chamado Lázaro, jazia junto do seu portão, coberto de chagas. Bem desejava saciar-se do que caía da mesa do rico, mas até os cães vinham lamber-lhe as chagas. Ora sucedeu que o pobre morreu e foi colocado pelos Anjos ao lado de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado. Na mansão dos mortos, estando em tormentos, levantou os olhos e viu Abraão com Lázaro a seu lado. Então ergueu a voz e disse: ‘Pai Abraão, tem compaixão de mim. Envia Lázaro, para que molhe em água a ponta do dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nestas chamas’. Abraão respondeu-lhe: ‘Filho, lembra-te que recebeste os teus bens em vida, e Lázaro apenas os males. Por isso, agora ele encontra-se aqui consolado, enquanto tu és atormentado. Além disso, há entre nós e vós um grande abismo, de modo que se alguém quisesse passar daqui para junto de vós, ou daí para junto de nós, não poderia fazê-lo’. O rico insistiu: ‘Então peço-te, ó pai, que mandes Lázaro à minha casa paterna – pois tenho cinco irmãos – para que os previna, a fim de que não venham também para este lugar de tormento’. Disse-lhe Abraão: ‘Eles têm Moisés e os Profetas: que os oiçam’. Mas ele insistiu: ‘Não, pai Abraão. Se algum dos mortos for ter com eles, arrepender-se-ão’. Abraão respondeu-lhe: ‘Se não dão ouvidos a Moisés nem aos Profetas, também não se deixarão convencer, se alguém ressuscitar dos mortos’». Reflexão Jesus conta uma história que explica bem a importância de escutar a Sua palavra, bem como de todas as personagens que fazem parte da tua história cristã. Aquilo que te ensinam não deve cair no esquecimento, mas ser de facto posto em prática. Não deixes que a rotina ou os maus hábitos te ceguem. Se sabes como fazer o Bem, fá-lo! Não adies a mudança. Sê melhor hoje, agora! O teu lugar no céu não é garantido…
02:33
March 17, 2022
16 de março | Quarta-feira da segunda semana da Quaresma
Evangelho segundo São Mateus 20, 17-28 Naquele tempo, enquanto Jesus subia para Jerusalém, chamou à parte os Doze e durante o caminho disse-lhes: «Vamos subir a Jerusalém e o Filho do homem vai ser entregue aos príncipes dos sacerdotes e aos escribas, que O condenarão à morte e O entregarão aos gentios, para ser por eles escarnecido, açoitado e crucificado. Mas ao terceiro dia Ele ressuscitará». Então a mãe dos filhos de Zebedeu aproximou-se de Jesus com os filhos e prostrou-se para Lhe fazer um pedido. Jesus perguntou-lhe: «Que queres?». Ela disse-Lhe: «Ordena que estes meus dois filhos se sentem no teu reino um à tua direita e outro à tua esquerda». Jesus respondeu: «Não sabeis o que estais a pedir. Podeis beber o cálice que Eu hei de beber?». Eles disseram: «Podemos». Então Jesus declarou-lhes: «Bebereis do meu cálice. Mas sentar-se à minha direita e à minha esquerda não pertence a Mim concedê-lo; é para aqueles a quem meu Pai o designou». Os outros dez, que tinham escutado, indignaram-se com os dois irmãos. Mas Jesus chamou-os e disse-lhes: «Sabeis que os chefes das nações exercem domínio sobre elas e os grandes fazem sentir sobre elas o seu poder. Não deve ser assim entre vós. Quem entre vós quiser tornar-se grande seja vosso servo e quem entre vós quiser ser o primeiro seja vosso escravo. Será como o filho do homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a vida pela redenção dos homens». Reflexão Mais uma vez Jesus reforça que um cristão não deve aspirar ao poder, mas sim ao serviço humilde, seguindo o modelo do Mestre. O Reino de Deus é o reino dos pequenos, que lutam por amar mais e melhor. Jesus diz ainda que os filhos de Zebedeu terão a sua cruz: “Na verdade, bebereis no meu cálice”. Também te é pedido que aceites o sofrimento que te está destinado, para poderes alcançar o céu. A dor, vivida com fé, ganha sentido e é oportunidade de fortaleza, união e conversão.
02:10
March 16, 2022
15 de março | Terça-feira da segunda semana da Quaresma
Evangelho segundo São Mateus 23, 1-12 Naquele tempo, Jesus falou à multidão e aos discípulos, dizendo: «Na cadeira de Moisés sentaram-se os escribas e os fariseus. Fazei e observai tudo quanto vos disserem, mas não imiteis as suas obras, porque eles dizem e não fazem. Atam fardos pesados e põem-nos aos ombros dos homens, mas eles nem com o dedo os querem mover. Tudo o que fazem é para serem vistos pelos homens: alargam os filactérios e ampliam as borlas; gostam do primeiro lugar nos banquetes e dos primeiros assentos nas sinagogas, das saudações nas praças públicas e que os tratem por "mestres". Vós, porém, não vos deixeis tratar por "mestres", porque um só é o vosso Mestre e vós sois todos irmãos. Na terra não chameis a ninguém vosso "pai", porque um só é o vosso pai, o Pai celeste. Nem vos deixeis tratar por "doutores", porque um só é o vosso doutor, o Messias. Aquele que for o maior entre vós será o vosso servo. Quem se exalta será humilhado e quem se humilha será exaltado». Reflexão Jesus é muito claro no que te pede hoje: quanto mais pequeno te fizeres, maior serás aos olhos de Deus. De nada te serve ser exaltado aos olhos do mundo, se acabares por não receber a Graça de Deus. Aqueles que se autoproclamam os melhores muitas vezes caem na hipocrisia… Sê um cristão coerente, vivendo de acordo com aquilo que dizes e acreditas, em todos os âmbitos da tua vida.
01:43
March 15, 2022
14 de março | Segunda-feira da segunda semana da Quaresma
Evangelho segundo São Lucas 6, 36-38 Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Sede misericordiosos, como o vosso Pai é misericordioso. Não julgueis e não sereis julgados. Não condeneis e não sereis condenados. Perdoai e sereis perdoados. Dai e dar-se-vos-á: dei-tar-vos-ão no regaço uma boa medida, calcada, sacudida, a transbordar. A medida que usardes com os outros será usada também convosco». Reflexão Jesus fala-te da Misericórdia e do Juízo final. A justiça máxima é a justiça divina. É a Deus a quem cabe julgar e que, para tua felicidade, o fará com Misericórdia. Assim, deves perdoar e amar o próximo, pois será esta a medida aplicada para a tua salvação. Se atuares com Misericórdia, acabas por colher o que semeias, para o bem da tua alma.
01:00
March 14, 2022
13 de março | Segundo Domingo da Quaresma
Evangelho segundo São Lucas 9, 28-36 Naquele tempo, Jesus tomou consigo Pedro, João e Tiago e subiu ao monte, para orar. Enquanto orava, alterou-se o aspecto do seu rosto e as suas vestes ficaram de uma brancura refulgente. Dois homens falavam com Ele: eram Moisés e Elias, que, tendo aparecido em glória, falavam da morte de Jesus, que ia consumar-se em Jerusalém. Pedro e os companheiros estavam a cair de sono; mas, despertando, viram a glória de Jesus e os dois homens que estavam com Ele. Quando estes se iam afastando, Pedro disse a Jesus: «Mestre, como é bom estarmos aqui! Façamos três tendas: uma para Ti, outra para Moisés e outra para Elias». Não sabia o que estava a dizer. Enquanto assim falava, veio uma nuvem que os cobriu com a sua sombra; e eles ficaram cheios de medo, ao entrarem na nuvem. Da nuvem saiu uma voz, que dizia: «Este é o meu Filho, o meu Eleito: escutai-O». Quando a voz se fez ouvir, Jesus ficou sozinho. Os discípulos guardaram silêncio e, naqueles dias, a ninguém contaram nada do que tinham visto. Reflexão Neste Evangelho estás perante um milagre notável que espelha de maneira singular a maravilha da salvação. No Monte Tabor o rosto de Jesus transfigura-se e todo Ele enche-Se de luz, mostrando aos discípulos a Sua divindade. Por outro lado, Moisés e Elias falam do futuro que se avizinha: a Sua Morte humana. Parece contraditório, mas na verdade salienta o amor da entrega de Jesus, que sendo Deus e tudo podendo, aceita a Sua condição humana e morre para te salvar dos teus pecados. Os discípulos tudo presenciaram, mas não entenderam. Tantas vezes acontece o mesmo contigo. Não te apercebes da presença de Jesus, dos Seus sinais e dos Seus significados. Pede a Deus que te dê um olhar atento, a fim de contemplares as maravilhas que o Senhor põe à frente dos teus olhos.
02:13
March 13, 2022
12 de março | Sábado da primeira semana da Quaresma
Evangelho segundo São Mateus 5, 43-48 Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Ouvistes que foi dito: "Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo". Eu, porém, digo-vos: Amai os vossos inimigos e orai por aqueles que vos perseguem, para serdes filhos do vosso Pai que está nos Céus; pois Ele faz nascer o Sol sobre bons e maus e chover sobre justos e injustos. Se amardes aqueles que vos amam, que recompensa tereis? Não fazem a mesma coisa os publicanos? E se saudardes apenas os vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Não o fazem também os pagãos? Portanto, sede perfeitos, como o vosso Pai celeste é perfeito». Reflexão Ao dizer “Amai os vossos inimigos, fazei o bem aos que vos odeiam e rezai pelos que vos perseguem e caluniam”, Jesus faz-te uma grande proposta. Aproximar os inimigos e amá-los não é, de facto, uma tarefa fácil, não é uma proposta que qualquer um aceite com facilidade. Mas aí está a beleza de seres cristão. Tentar ser perfeito como Deus Pai, é saber agarrar com coragem e verdade estes desafios, aqueles que te fazem ser melhor. É dizer “sim Pai, eu quero ser santo!”. Não te esqueças que, com fé, és capaz de transformar o mundo.
01:21
March 12, 2022
11 de março | Sexta-feira da primeira semana da Quaresma
Evangelho segundo São Mateus 5, 20-26 Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Se a vossa justiça não superar a dos escribas e fariseus, não entrareis no reino dos Céus. Ouvistes que foi dito aos antigos: "Não matarás; quem matar será submetido a julgamento". Eu, porém, digo-vos: Todo aquele que se irar contra o seu irmão será submetido a julgamento. Quem chamar imbecil a seu irmão será submetido ao Sinédrio, e quem lhe chamar louco será submetido à geena de fogo. Portanto, se fores apresentar a tua oferta ao altar e ali te recordares que o teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa lá a tua oferta diante do altar, vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão e vem depois apresentar a tua oferta. Reconcilia-te com o teu adversário, enquanto vais com ele a caminho, não seja caso que te entregue ao juiz, o juiz ao guarda, e sejas metido na prisão. Em verdade te digo: Não sairás de lá, enquanto não pagares o último centavo». Reflexão Neste Evangelho Jesus faz-te um apelo: “se fores apresentar a tua oferta sobre o altar e ali te recordares que o teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa lá a tua oferta diante do altar, vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão e vem depois apresentar a tua oferta”. Como cristão, a melhor maneira de mostrares que és e queres ser um exemplo na Igreja é seguir Jesus, não só nas Suas palavras, mas também através das Suas ações. Ele morreu na cruz por ti, fê-lo para te mostrar que o amor e a reconciliação são capazes da conversão, da santificação…
01:45
March 11, 2022
10 de março | Quinta-feira da primeira semana da Quaresma
Evangelho segundo São Mateus 7, 7-12 Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Pedi e dar-se-vos-á, procurai e encontrareis, batei à porta e abrir-se-vos-á. Porque todo aquele que pede recebe, quem procura encontra e a quem bate à porta abrir-se-á. Qual de vós dará uma pedra a um filho que lhe pede pão, ou uma serpente se lhe pedir peixe. Ora, se vós que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o vosso Pai que está nos Céus as dará àqueles que Lhas pedem! Tudo quanto quiserdes que os homens vos façam fazei-o também a eles, pois nisto consiste a Lei e os Profetas». Reflexão «Quem pede recebe» Neste Evangelho é agora o próprio Jesus que insiste em que deves “pedir”, “procurar”, “bater à porta”. Orar ao Senhor não é humilhante é, porém, um acto de confiança, afirmação de fé, caminho de paz. Jesus também pediu ao Pai nas horas difíceis. E a penitência é um caminho difícil, mas conduz à libertação pascal. Se mesmo tu és capaz de dar, tenta imaginar a imensidão de coisas boas que Deus te pode dar. Só o Seu braço poderoso te pode fazer passar da escravidão à libertação, da morte à vida.
01:37
March 10, 2022
9 de março | Quarta-feira da primeira semana da Quaresma
Evangelho segundo São Lucas 11, 29-32 Naquele tempo, aglomerava-se uma grande multidão à volta de Jesus e Ele começou a dizer: «Esta geração é uma geração perversa: pede um sinal, mas nenhum sinal lhe será dado, senão o sinal de Jonas. Assim como Jonas foi um sinal para os habitantes de Nínive, assim o será também o Filho do homem para esta geração. No juízo final, a rainha do Sul levantar-se-á com os homens desta geração e há de condená-los, porque veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão; e aqui está quem é maior do que Salomão. No juízo final, os homens de Nínive levantar-se-ão com esta geração e hão de condená-la, porque fizeram penitência ao ouvir a pregação de Jonas; e aqui está quem é maior do que Jonas». Reflexão O Evangelho de hoje diz-te que, tal como Jonas foi um sinal para os habitantes de Nínive (Jn, 3), assim também o será Jesus para a tua geração e a prova disso é a Sua morte e a Sua ressurreição. A Sua morte, livremente aceite, é o sinal do incrível amor que tem por ti: Jesus deu a Sua vida para salvar a tua! E a Sua ressurreição de entre os mortos é o sinal de Seu divino poder, trata-se do sinal mais poderoso e comovedor jamais dado.
01:33
March 09, 2022
8 de março | Terça-feira da primeira semana da Quaresma
Evangelho segundo São Mateus 6, 7-15. Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Quando orardes, não digais muitas palavras, como os pagãos, porque pensam que serão atendidos por falarem muito. Não sejais como eles, porque o vosso Pai bem sabe do que precisais, antes de vós Lho pedirdes. Orai assim: ‘Pai nosso, que estais nos Céus, santificado seja o vosso nome; venha a nós o vosso reino; seja feita a vossa vontade assim na terra como no Céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido; e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal’. Porque se perdoardes aos homens as suas faltas, também o vosso Pai celeste vos perdoará. Mas se não perdoardes aos homens, também o vosso Pai não vos perdoará as vossas faltas». Reflexão Hoje, Jesus ensina-te a comportar como filho de Deus. O primeiro passo é a consciência de que falas com um Pai que te ama imenso, por isso, não deves ter medo, mas confiar. Jesus adverte: “Quando orardes, não useis de muitas palavras, como fazem os pagãos. Eles pensam que serão ouvidos por força das muitas palavras”. Os filhos, quando falam com os pais, não usam raciocínios complicados, nem muitas palavras, mas com simplicidade pedem aquilo que precisam porque, de facto, rezar não é informar a Deus da vida, mas sim pedir-Lhe tudo aquilo que verdadeiramente desejas (e confiar que Ele te dará o que precisas, no tempo certo).
01:40
March 08, 2022
7 de março | Segunda-feira da primeira semana da Quaresma
Evangelho segundo São Mateus 25, 31-46 Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Quando o Filho do homem vier na sua glória com todos os seus Anjos, sentar-Se-á no seu trono glorioso. Todas as nações se reunirão na sua presença e Ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos; e colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda. Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Vinde, benditos de meu Pai; recebei como herança o reino que vos está preparado desde a criação do mundo. Porque tive fome e destes-Me de comer; tive sede e destes-Me de beber; era peregrino e Me recolhestes; não tinha roupa e Me vestistes; estive doente e viestes visitar-Me; estava na prisão e fostes ver-Me’. Então os justos Lhe dirão: ‘Senhor, quando é que Te vimos com fome e Te demos de comer, ou com sede e Te demos de beber? Quando é que Te vimos peregrino e Te recolhemos, ou sem roupa e Te vestimos? Quando é que Te vimos doente ou na prisão e Te fomos ver?’. E o Rei lhes responderá: ‘Em verdade vos digo: Quantas vezes o fizestes a um dos meus irmãos mais pequeninos, a Mim o fizestes’. Dirá então aos que estiverem à sua esquerda: ‘Afastai-vos de Mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e os seus anjos. Porque tive fome e não Me destes de comer; tive sede e não Me destes de beber; era peregrino e não Me recolhestes; estava sem roupa e não Me vestistes; estive doente e na prisão e não Me fostes visitar’. Então também eles Lhe hão-de perguntar: ‘Senhor, quando é que Te vimos com fome ou com sede, peregrino ou sem roupa, doente ou na prisão, e não Te prestámos assistência?’ E Ele lhes responderá: ‘Em verdade vos digo: Quantas vezes o deixastes de fazer a um dos meus irmãos mais pequeninos, também a Mim o deixastes de fazer’. Estes irão para o suplício eterno e os justos para a vida eterna». Reflexão Jesus mostra-te que o Deus que conheces como grande e poderoso, é também um Deus que Se faz presente na simplicidade. A mensagem que este Evangelho vem trazer é a da bondade. “Quantas vezes o fizestes a um dos meus irmãos mais pequeninos, a Mim o fizestes”. Amar o próximo é amar a Deus. Pelo contrário, quando fazes mal ao próximo, também magoas a Cristo.
02:44
March 07, 2022
6 de março | Primeiro Domingo da Quaresma
Evangelho segundo São Lucas 4, 1-13 Naquele tempo, Jesus, cheio do Espírito Santo, retirou-Se das margens do Jordão. Durante quarenta dias, esteve no deserto, conduzido pelo Espírito, e foi tentado pelo Diabo. Nesses dias não comeu nada e, passado esse tempo, sentiu fome. O Diabo disse-lhe: «Se és Filho de Deus, manda a esta pedra que se transforme em pão». Jesus respondeu-lhe: «Está escrito: ‘Nem só de pão vive o homem’». O Diabo levou-O a um lugar alto e mostrou-Lhe num instante todos os reinos da terra e disse-Lhe: «Eu Te darei todo este poder e a glória destes reinos, porque me foram confiados e os dou a quem eu quiser. Se Te prostrares diante de mim, tudo será teu». Jesus respondeu-lhe: «Está escrito: ‘Ao Senhor teu Deus adorarás, só a Ele prestarás culto’». Então o Diabo levou-O a Jerusalém, colocou-O sobre o pináculo do templo e disse-Lhe: «Se és Filho de Deus, atira-Te daqui abaixo, porque está escrito: ‘Ele dará ordens aos seus Anjos a teu respeito, para que Te guardem’; e ainda: ‘Na palma das mãos te levarão, para que não tropeces em alguma pedra’». Jesus respondeu-lhe: «Está mandado: ‘Não tentarás o Senhor teu Deus’». Então o Diabo, tendo terminado toda a espécie de tentação, retirou-se da presença de Jesus, até certo tempo. Reflexão Jesus não se deixa tentar pelo Diabo. Três vezes é tentado e três vezes resiste. Porque é que Jesus não cede à tentação? Seria tão mais fácil, e ninguém teria de saber... Mas não. Jesus não Se deixa enganar, porque confia no Pai. Escolhe o caminho do Bem, luta pelo Bem, sofre as consequências, mas depois, na altura certa, é recompensado (os Anjos chegam e servem-No). Ao modelo de Jesus, também tu, cristão, és tentado. Cedes ou persistes na confiança? A Eucaristia é prova de que Jesus venceu o Mal e, por isso, torna-te “invencível”. Pede a graça da confiança a Cristo Ressuscitado.
02:07
March 06, 2022
5 de março | Sábado depois das Cinzas
Evangelho segundo São Lucas 5, 27-32. Naquele tempo, Jesus viu um publicano chamado Levi, sentado no posto de cobrança, e disse-lhe: «Segue-Me». Ele, deixando tudo, levantou-se e seguiu Jesus. Levi ofereceu-lhe um grande banquete em sua casa. Havia grande número de publicanos e de outras pessoas com eles à mesa. Os fariseus e os escribas murmuravam, dizendo aos discípulos: «Porque comeis e bebeis com os publicanos e os pecadores?» Então Jesus, tomando a palavra, disse-lhes: «Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes. Eu não vim chamar os justos, vim chamar os pecadores, para que se arrependam». Reflexão Destaca-se uma atitude de Jesus que te pode parecer estranha. Jesus não segue a mesma lógica que um ser mundano, vai mais além e senta-se à mesa com os publicanos e os pecadores. Quantas vezes na tua vida segues este exemplo de estar com os mais fracos, os mais desprezados? Quanta diferença farias se tivesses esta atitude de amor e disponibilidade para com o outro… Começa esta primeira semana de Quaresma com este desejo e este compromisso.
01:16
March 05, 2022
4 de março | Sexta-feira depois das Cinzas
Evangelho segundo São Mateus 9, 14-15 Naquele tempo, os discípulos de João Baptista foram ter com Jesus e perguntaram-Lhe: «Por que motivo nós e os fariseus jejuamos e os teus discípulos não jejuam?» Jesus respondeu-lhes: «Podem os companheiros do esposo ficar de luto, enquanto o esposo estiver com eles? Dias virão em que o esposo lhes será tirado e nessa altura hão de jejuar». Reflexão Fazer penitência significa viveres uma vida mais austera, cultivares a virtude da temperança impondo-te sacrifícios, coisas que te custam. É a privação das coisas terrenas para a aproximação de Deus, dando-Lhe Glória por tudo o que te deu na vida. Dedica-te seriamente ao que te é pedido neste tempo, são 40 de 365 dias que tens por ano…
00:59
March 04, 2022
3 de março | Quinta-feira depois das Cinzas
Evangelho segundo São Lucas 9, 22-25 Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «O Filho do homem tem de sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos príncipes dos sacerdotes e pelos escribas; tem de ser morto e ressuscitar ao terceiro dia». Depois, dirigindo-Se a todos, disse: «Se alguém quiser vir comigo, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz todos os dias e siga-Me. Pois quem quiser salvar a sua vida, há de perdê-la; mas quem perder a sua vida por minha causa, salvá-la-á». Na verdade, que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se vier a perder-se ou arruinar-se a si próprio?». Reflexão Jesus diz, de forma muito direta, que para salvar a tua vida deves renunciar a ti mesmo e segui-Lo confiadamente. Mas o que significa isto? Simples. Reconheceres que a tua vida pertence, na sua totalidade, a Deus. Saberes pegar todos os dias na tua cruz e acompanhares cada passo de Jesus até ao Calvário. Pedires força e coragem para que, em cada queda, sejas capaz de te reerguer.
01:25
March 03, 2022
2 de março | Quarta-feira de Cinzas
Evangelho segundo São Mateus 6, 1-6.16-18 Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Tende cuidado em não praticar as vossas boas obras diante dos homens, para serdes vistos por eles. Aliás, não tereis nenhuma recompensa do vosso Pai que está nos Céus. Assim, quando deres esmola, não toques a trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas, nas sinagogas e nas ruas, para serem louvados pelos homens. Em verdade vos digo: já receberam a sua recompensa. Quando deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita, para que a tua esmola fique em segredo; e teu Pai, que vê o que está oculto, te dará a recompensa. Quando rezardes, não sejais como os hipócritas, porque eles gostam de orar de pé, nas sinagogas e nas esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo: já receberam a sua recompensa. Tu, porém, quando rezares, entra no teu quarto, fecha a porta e ora a teu Pai em segredo; e teu Pai, que vê o que está oculto, te dará a recompensa. Quando jejuardes, não tomeis um ar sombrio, como os hipócritas, que desfiguram o rosto, para mostrarem aos homens que jejuam. Em verdade vos digo: já receberam a sua recompensa. Tu, porém, quando jejuares, perfuma a cabeça e lava o rosto, para que os homens não percebam que jejuas, mas apenas o teu Pai, que está presente no que é oculto; e teu Pai, que vê o que está oculto, te dará a recompensa». Reflexão A Quaresma é um tempo para regressares a Deus. Não é um tempo de exaltação da tua penitência, nem o espetáculo da tua virtude, mas sim um tempo de graça que é dado para a tua conversão. Deus pretende que chegues à Páscoa com a mesma pureza que vivenciaste no dia do teu batismo. Este Evangelho alerta-te para o risco de viveres uma Quaresma só exterior, superficial, falsa. Que perda de oportunidade… Pede ao Senhor ajuda para viveres seriamente este tempo de conversão e fazeres um caminho humilde com Jesus.
02:10
March 02, 2022
Introdução
Querido equipista, Amanhã começas o caminho da cruz, tão propício para uma autêntica conversão do coração! Durante este caminho, terás três companheiros de viagem: o jejum, a esmola e a oração. Em primeiro lugar, o jejum, aquele que nos lembra a nossa fragilidade humana. Privamo-nos de alguma coisa, para nos lembrarmos, no nosso próprio corpo que é de Deus, que realmente dependemos d’Ele e que é a Ele que devemos confiar a nossa inteira liberdade. Em segundo lugar, a esmola, que é muito mais do que darmos aquilo que nos sobra, é o fruto do nosso jejum. Este caminho pede, exatamente, que partilhes o que tens e o que és com os outros, inteiramente e sem reservas, lembrando que é a Ele que estás a servir. Por último, a oração, pois nela “o coração cresce silenciosamente” e só assim vais compreender e amar a vontade de Deus para a tua vida. Que este caderno seja realmente parte do teu caminho. Risca e regista nele tudo o que quiseres, leva-o para onde quer que vás. A Quaresma é um tempo favorável em que somos chamados a recentrarmo-nos no essencial, uma altura em que procuramos viver com especial intensidade, em preparação para a Páscoa. Serão 40 dias em que te vais deparar com algumas provações, dúvidas, desafios, preguiça, cansaço, etc. Lembra-te que não estás sozinho! Deixa-te conduzir pelo teu tão especial e único caminho, consciente daquela esperança de quem se dirige até à Cruz sabendo que já foi salvo por Ele. Que este não seja um tempo indiferente na tua vida. Entrega-te e receberás todas as forças e Graças que precisas para a tua salvação. Bom caminho! O teu Secretariado Nacional
02:01
February 28, 2022