Skip to main content
TERRA e ALIMENTO

TERRA e ALIMENTO

By Embrapa Alimentos e Territórios
Podcast de divulgação do Núcleo de Comunicação Organizacional (NCO) da Embrapa Alimentos e Territórios (CNAT), sob responsabilidade do jornalista Dalmo Oliveira.
Listen on
Where to listen
Apple Podcasts Logo

Apple Podcasts

Breaker Logo

Breaker

Google Podcasts Logo

Google Podcasts

Overcast Logo

Overcast

Pocket Casts Logo

Pocket Casts

RadioPublic Logo

RadioPublic

Spotify Logo

Spotify

Currently playing episode

Cenarios globais da produção agroalimentar

TERRA e ALIMENTO

1x
Sistemas Agroalimentares Circulares
Sistemas alimentares circulares são a pauta de seminário on-line que a Embrapa e parceiros realizam nesta sexta-feira, dia 12. O evento será on-line começando a partir das 8h30 e tem transmissão exclusiva no canal corporativo do Youtube da Estatal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O jornalista Dalmo Oliveira bateu um papo rápido com o analista Gustavo Porpino, que também vai participar de um dos painéis desse webinário. Para participar, o interessado precisa se cadastrar no endereço: http://www.qualidade.co/isbe/
06:43
February 11, 2021
Participação de agricultores e valorização de produtos agroalimentares na Argentina
MARCELO CHAMPREDONDE atua na Agência de Extensão Rural do Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária (INTA), no distrito de Pigüé, em San Martín, há quase 500 quilômetros de Buenos Aires, na Argentina. Engenheiro agrônomo graduado em 1991, ele tem doutorado em Economia, desde 2001, pela Universidade de Toulouse, e pós-doutorado sobre “diferenciação de produtos locais através de selos de qualidade por origem geográfica”, desde 2003, com trabalhos realizados na Unidade de Pesquisa em Desenvolvimento da Atividade Pecuária do Instituto Nacional de Pesquisa em Agricultura, Alimentação e Meio Ambiente (INRAE), na França. Desde 2006 ele lidera equipes voltadas à identificação, resgate e valorização dos produtos locais por meio de Denominações de Origem ou outras estratégias. Para entrevistá-lo, TERRA & ALIMENTO convocou o analista RODOLFO OSÓRIO DE OLIVEIRA. Eles conversaram por quase uma hora e você vai ouvir agora os melhores momentos desse bate-papo.
25:27
November 3, 2020
Cenarios globais da produção agroalimentar
TERRA & ALIMENTO realiza essa semana uma cobertura especial do Seminário Internacional Estratégias de Valorização de Produtos Agroalimentares, que vai reunir, pela internet, especialistas de Portugal, França, Peru e Argentina. Neste episódio, o jornalista Dalmo Oliveira, conversa com Patrick Caron, vice-presidente para assuntos internacionais da Universidade de Montpellier, na França. Ex-Diretor Geral e pesquisador do CIRAD, Caron também é presidente da Agropolis International, uma plataforma inovadora para o diálogo e a interação construtiva que reúne mais de 40 instituições associadas, autoridades públicas e atores da sociedade civil. Além de questões diretamente ligadas ao seminário, Patrick Caron fez uma análise sobre a entrega, esse ano, do Prêmio Nobel da Paz aoPrograma Mundial de Alimentos (PMA), da Organização das Nações Unidas (ONU). Ele analisou também qual o papel dos países que estão no Sul do Globo na questão agroalimentar de todo o planeta e de quais são os principais desafios do Brasil para manter seu status de “celeiro do mundo”. Nosso convidado falou ainda dos desafios globais em relação às mudanças climáticas e da crise instalada pelo Covid-19. E de qual é o papel dos meios de comunicação num cenário mundial tão desafiador.
32:04
November 2, 2020
O modelo de Portugal para desenvolvimento territorial, agroalimentacao e saude
O novo episódio de TERRA & ALIMENTO traz uma conversa exclusiva com o vice-reitor da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Artur Fernando Cristóvão. Direto de Vila Real, em Portugal, ele falou da importância do Seminário Internacional Estratégias de Valorização de Produtos Agroalimentares, que ocorre no período de 3 a 5 de novembro, evento em que vai fazer a palestra de abertura. Pesquisador do Centro de Estudos Transdisciplinares para o Desenvolvimento e membro do Conselho Consultivo da Associação Portuguesa de Economia Agrária, Artur Cristovão explicou de que maneira Portugal tem agido para fomentar a qualidade em seus produtos agroalimentares locais. O papo virtual com o jornalista da Embrapa Dalmo Oliveira tratou também sobre turismo rural e preservação do ambiente e das chamadas “paisagens culturais”. O nosso convidado falou ainda dos Sistemas Alimentares Alternativos na Europa e de como os meios de comunicação (inclusive as novas mídias digitais) tem colaborado na disseminação de novas tecnologias e de avanços científicos nessa área.
31:27
October 28, 2020
Produtos agroalimentares terão seminário Internacional totalmente online
Olá ouvintes! Nosso podcast está de volta pra falar de um grande evento internacional sobre os produtos agroalimentares e que já está com as inscrições gratuitas abertas. Inédito no país, o Seminário Internacional Estratégias de Valorização de Produtos Agroalimentares, ocorre de 3 a 5 de novembro, totalmente online. Nós convidamos os pesquisadores João Roberto Correia e Patrícia Bustamante, da comissão organizadora, para nos dar mais detalhes sobre esse evento, que será palco de experiências exitosas em diversos territórios que produzem alimentos diferenciados para a gastronomia e vai contribuir certamente para o fortalecimento do turismo nacional. Quem conversa com eles é o jornalista da Embrapa Alimentos e Territórios, DALMO OLIVEIRA. Vamos ouvir!?
22:05
October 16, 2020
Mandioca - Do campo para a gastronomia brasileira
A mandioca (Manihot esculenta), no Brasil também chamada de macaxeira, aipim, castelinha, uaipi, maniva, ganhou recentemente mais um foco importante de pesquisa e atenção da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). Já estabelecida e consagrada no mercado brasileiro de raizes, na fecularia, de farinhas, agora ela avança (de volta) para o campo da alimentação humana, como um dos alimentos preferidos da mesa nacional, notadamente nas regiões Norte e Nordeste. A mandioca recebe inúmeros usos na alimentação humana e de animais, mas seu aproveitamento ultradiversificado abrange também diversas áreas industriais, com utilização de fécula e de amidos modificados, que se transformaram em matéria-prima para papéis fotográficos, colas, cervejas, tintas, vestuário e embalagens biodegradáveis, em substituição a derivados de petróleo e mais outras dezenas de outras aplicações no nosso cotidiano. Para bater um papo conosco sobre esse riquíssimo campo da mandioca e seus usos diversos que convidamos Antônio Dias Santiago, pesquisador da Embrapa Tabuleiros Costeiros.
36:18
June 12, 2020
Horticultura protegida para o Semiárido brasileiro
O potencial de produção de hortaliças em cultivo protegido, no perímetro do Canal do Sertão, é uma das oportunidades que a Embrapa Alimentos e Territórios colocou em seu radar de inovação e novas pesquisas. A pesquisadora Flávia Teixeira, radicada em Maceió há alguns meses, acredita que cultivares de tomateiros, de alface e de outras hortícolas já desenvolvidas pela Embrapa Hortaliças, podem oferecer um diferencial interessante para os horticultores da região. Pesquisas da Embrapa já atestaram que o crescente interesse na produção de hortaliças sob ambiente protegido está associado ao aumento de renda dos consumidores, à urbanização da população brasileira e gradualmente à intensificação da preocupação com o alimento seguro, com o decréscimo no uso de pesticidas químicos e com o melhor eficiência no uso de água e fertilizantes. Os pesquisadores da Embrapa Alimentos e Território chamam atenção para importância do cultivo de hortaliças para a região polarizada por Arapiraca. Esse tipo de cultivo atende, especialmente, uma das estratégias do novo programa do Ministério da Agricultura, o AgroNordeste. A Embrapa considera que com uma boa articulação interinstitucional e o investimento da iniciativa privada nesse tipo de agronegócio, poderá fomentar uma das maiores áreas de horticultura protegida do mundo, notadamente com as condições diferenciadas do perímetro do Semiárido atingido pelo Canal do Sertão. Na região polarizada por Arapiraca, por exemplo, há excelentes condições para que possa ser implantada uma espécie hub da horticultura, apoiado por uma logística, já praticamente instalada, de transporte de cargas e logísticas de distribuição nessa região do Nordeste, de onde podem partir produtos alimentares para as principais metrópoles circunvizinhas. O Canal do Sertão possui ainda vantagens incomparáveis como a disponibilidade hídrica, umidade relativa baixa, disponibilidade de luz solar e temperatura elevados. Já existem experiências exitosas, como por exemplo, em Almeria, na Espanha. A Embrapa crê ainda que a exploração inteligente do Canal do Sertão com horticultura em ambientes protegidos pode ocasionar oportunidades únicas para o desenvolvimento territorial dessas regiões, onde ainda é muito baixo o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).
28:20
June 5, 2020
Murici tem potencial na produção de alimentos diferenciados
Atualmente são conhecidas quase 150 espécies de Murici distribuídas desde o México até toda a América do Sul. No Brasil, já foram identificadas a ocorrência de 35 espécies de Murici, espalhadas em quase todos os biomas brasileiros. Há espécies na Amazônia, Cerrados, Mata Atlântica e Caatinga. O fruto do murici tem um sabor exótico e com características muito especiais. Quando maduro, ele é rico em gorduras e de alto valor nutritivo, sendo excelente fonte em fibras, fósforo, ferro, cálcio, vitaminas B1, B2 e Niacina, Proteínas e Vitamina C. Tradicionalmente, no sertão nordestino, os frutos são utilizados na produção de sucos, licores, na produção de guloseimas, como geleias, doces, refrescos e sorvetes, sendo consumido também in natura. Outras partes da planta são amplamente utilizadas para fins fitoterapêuticos, como laxantes, sedativos, diuréticos, anti-hipertensivos, digestivos, antiasmáticos, no combate às dermatites, gripes e doenças renais. As folhas do murici também podem ser usadas na alimentação animal de ruminantes. Por tudo isso, numa publicação do Ministério do Meio Ambiente, o murici foi incluído no rol das chamadas “Plantas do Futuro do Nordeste”. Em Alagoas já foram identificadas a ocorrência de sete espécies (B. crassifólia, B. verbascifolia, B. gardneriana, B. crispa, B. stipulacea, B.  sericea e B. triopterifolia ). Pesquisadores do Laboratório de Ecogeografia e sustentabilidade Ambiental (LABESA) do Instituto de Geografia, Desenvolvimento e Meio Ambiente da UFAL, com a colaboração da Embrapa Alimentos e Territórios, vem desenvolvendo pesquisas com Murici na Caatinga alagoana. Até agora foi identificada a ocorrência de duas espécies no Alto Sertão Alagoano. Para conhecermos um pouco mais sobre o assunto, convidamos o pesquisador João Gomes da Costa. Além da Embrapa, ele é professor do programa de Pós-Graduação em Agricultura e Ambiente da Universidade Federal de Alagoas e Professor do Programa de Pós-Graduação em Análise de Sistemas Ambientais do Centro Universitário (CESMAC). Melhorista de frutíferas com especialidade em Ecologia Química, ele também desenvolve estudos no uso de semioquímicos na agricultura. Ele explicou porque que essa planta tem tanta importância nos processos alimentares tradicionais, especialmente no semiárido aqui da Região. Primeiramente porque são poucas espécies como o murici que conseguem produzir em solos rasos e de afloramentos rochosos, ainda mais com a irregularidade da distribuição de chuvas típica da Caatinga. “As comunidades locais do Alto Sertão dependem muito das espécies nativas mais  adaptadas às condições edafoclimáticas (de solos e de clima) da região, é uma alternativa importante para eles. A exemplo do Murici, que tem no seu fruto propriedades nutricionais e antioxidantes”, detalha o entrevistado. Gomes analisa como a experiência tradicional dos agricultores em lidar com o murici pode contribuir para que os pesquisadores possam desenvolver novas tecnologias que permitam um melhor manejo dessa planta. Ele revela também que o murici pode ser encontrado, praticamente, em todos os biomas brasileiros e explica como é possível que sua presença se espalhe por regiões tão diversas e num espaço geográfico tão amplo. João Gomes também aborda sobre como as metodologias participativas, especialmente o modelo on-farm, estão ajudando a comunidade científica a preservar e valorizar recursos genéticos vegetais diferenciados, como o murici. Outro ponto interessante desse bate-papo virtual é sobre  os “agentes polinizadores”. Por fim, ele diz quais outras instituições se envolveram nesse trabalho, além da UFAL e como a Embrapa Alimentos e Territórios poderá atuar mais efetivamente nesse projeto.
29:42
May 27, 2020
Embrapa vai mapear produtos alimentares diferenciados tradicionais no NE
A Embrapa Alimentos e Territórios lança  mais um canal de comunicação com seus públicos-alvo. Trata-se do podcast  Terra & Alimento, uma espécie de informativo sonoro que será difundido através de diversas plataformas na internet. Nesse primeiro número,  o bate-papo é com o engenheiro agrônomo  e chefe-geral, JOÃO FLÁVIO VELOSO SILVA. A ideia, fundamentalmente, é inventariar, catalogar e organizar, sob a perspectiva territorial, informações qualificadas sobre produtos agroalimentares diferenciados produzidos nos estados de Alagoas, Pernambuco e Sergipe. Veloso explica para os ouvintes como foi que a Embrapa Alimentos e Territórios chegou à conceituações para definir aquilo que está sendo chamado de “Produtos Agroalimentares Diferenciados” (PAD’s). Ele adianta  as perspectivas do quê a sua equipe deverá encontrar nas comunidades tradicionais em Alagoas, Pernambuco e Sergipe. Quais as peculiaridades de cada um desses estados, mesmo sendo vizinhos geograficamente e partilhando, basicamente, de uma mesma paisagem cultural e gastronômica. João Flávio comenta também sobre o que será necessário para fomentar e melhorar as conexões entre os consumidores e os produtores de PAD’s nesse três estados nordestinos. Outra questão abordada foi como a originalidade, as especificidades e as especializações regionais podem fazer o diferencial dos PAD’s regionais e como se pode transformar essas vantagens em mais renda, mais emprego e sustentabilidade nesse tipo de agronegócio. Ele discute ainda as relações entre essa produção diferenciada e a identidade cultural dos territórios aonde ela ocorre. Explica também porque a certificação desses produtos é tão importante, especialmente naquilo que tange os selos distintivos de qualidade e de origem em produtos agroalimentares.Veloso informa que o projeto prevê georreferenciamento e desenvolvimento de aplicativos para facilitar acesso dos públicos consumidores e a importância da biodiversidade neste contexto. O podcast discutiu a relação entre o consumo desses alimentos tradicionais e a saúde das pessoas que os consomem e a preocupação com a questão nutritiva. A conversa tratou também sobre a importância da valorização do trabalho artesanal, do fomento ao trabalho coletivo comunitário, do preço justo, da economia solidária e da erradicação do trabalho infantil. O projeto está assentado sob o reconhecimento de práticas sustentáveis, da agroecologia e do cuidado com os recursos naturais das comunidades.
19:43
May 25, 2020
Produtos Alimentares Diferenciados terão censo no NE
A Embrapa Alimentos e Territórios lança  mais um canal de comunicação com seus públicos-alvo. Trata-se do podcast  Terra & Alimento, uma espécie de informativo sonoro que será difundido através de diversas plataformas na internet. Nesse primeiro número,  o bate-papo é com o engenheiro agrônomo  e chefe-geral, João Flávio Veloso Silva. Ele fala sobre um projeto da Embrapa em parceria com o  SEBRAE-AL, cuja finalidade é produzir um censo alimentar, que está sendo chamado pelos idealizadores de “Mapa de Oportunidades e de Apoio à Valorização de Produtos Agroalimentares”.
19:43
May 19, 2020