Skip to main content
Geopizza

Geopizza

By Geopizza

Podcast quinzenal de histórias políticas atuais e atemporais. Afinal, toda história acaba em pizza.
Where to listen
Apple Podcasts Logo

Apple Podcasts

Google Podcasts Logo

Google Podcasts

Overcast Logo

Overcast

Pocket Casts Logo

Pocket Casts

RadioPublic Logo

RadioPublic

Spotify Logo

Spotify

Guiana, Jim Jones e o Templo do Povo #53
Guiana, Jim Jones e o Templo do Povo #53
Em 1978, cerca de 918 pessoas, adultos e crianças morreram envenenados em culto na Guiana. A cidade de Jonestown foi um projeto de colonização do reverendo Jim Jones, que buscava criar uma sociedade livre do capitalismo. Foi fundada perto da fronteira da Guiana com a Venezuela. Entretanto, a colônia era apenas uma forma de isolar os fiéis do Templo do Povo do contato com o mundo externo. Assim, Jim Jones levou a manipulação de seus fiéis a outro patamar. Inicialmente misturando tópicos como integração racial, socialismo e religião, Jim Jones mostrou-se cada vez mais sádico e contraditório, agora em controle de sua própria colônia.
03:03:13
May 28, 2021
Montando uma Seita: Jim Jones #52
Montando uma Seita: Jim Jones #52
Jim Jones fundou uma das maiores seitas do século 20. O reverendo era considerado um dos maiores ativistas da época, fazendo trabalho em favelas do Brasil. Jones morou no Rio de Janeiro por alguns meses e Belo Horizonte por 2 anos. Em seu auge, a congregação do Templo do Povo teve mais de 2 mil membros. Dentro das portas do seu templo, Jones era conhecido por sua manipulação, utilizando pautas raciais para ganhar fama e dinheiro.
02:35:09
May 15, 2021
Minas: Entre Ouro e Revoltas #51
Minas: Entre Ouro e Revoltas #51
Os conflitos em Minas vão muito além da famosa Conjuração Mineira. Morros inteiros foram queimados e africanos mortos para suprimir revoltas que são pouco lembradas. A partir de 1755, a rigidez de Portugal sob o Brasil aumentaria. Cada pepita de ouro, seria crucial para reconstruir um país devastado por um grande terremoto.
02:08:52
April 30, 2021
O Ciclo do Ouro e a Formação do Brasil #50
O Ciclo do Ouro e a Formação do Brasil #50
O Ciclo do Ouro moldou o atual Brasil! A fundação das principais cidades brasileiras, nossa composição étnica e muitos outros fatores, foram definidos nessa época.
02:02:55
April 16, 2021
A Luta LGBTQI+ no Brasil #49
A Luta LGBTQI+ no Brasil #49
De 195 países no mundo, só 29 deles reconhecem a união de pessoas do mesmo sexo. Cerca de 71 deles criminalizam as relações, seja com punições físicas ou legislativas. Quase 85% de todas as nações no mundo não as reconhece de nenhuma forma. No Brasil da Ditadura Militar, delegados e policiais recolhiam as pessoas com "condutas impróprias" à centros de detenção. A OMS só descriminalizou a homossexualidade como uma "doença internacional" em 1981, levando o Brasil a fazer o mesmo em 1985.
02:59:39
April 03, 2021
Homoafetividade no Brasil Higienista #48
Homoafetividade no Brasil Higienista #48
No Brasil, desde 1850 até 1985, sentir atração pelo mesmo sexo foi considerado um "desvio da personalidade". Higienistas e médicos encaminhavam gays à manicômios, onde através de tratamentos hormonais e técnicas psiquiátricas, "revertiam" a orientação sexual de homens e mulheres.  A "Medicina Preventiva", cunhada no início do século 20, incentivava pais, educadores e donos de empresa, a denunciar homoafetivos as autoridades brasileiras.
03:17:17
March 20, 2021
Libéria: O Sonho Americano na África #47
Libéria: O Sonho Americano na África #47
Em 1816 os Estados Unidos fundou uma colônia na África, a Libéria, para deportar sua população afro-americana. A "realocação" dos alforriados foi proposta ainda no século 18, por figuras como Thomas Jefferson, um dos fundadores do país. Nos EUA, ideias abolicionistas espalhavam-se, mas poucos eram a favor da unidade entre as raças. Abolicionistas ou escravagistas concordavam que, os Estados Unidos, um país construído sob a escravidão africana, não seria o lar de um afro-americano liberto. Brancos, temerosos com rebeliões escravocratas, incentivavam a deportação de afro-americanos, "devolvendo-os" para a África, mesmo que fossem americanos. Em 1858, Abraham Lincoln falou em Illnois que: “Eu nunca fui a favor de alguma igualdade social das raças branca e negra." "Não sou a favor de ter eleitores negros, de qualificá-los para ocupar cargos, ou de de casar com pessoas brancas.” Lincoln defendia a criação de uma "reserva" para abrigar pretos libertos no Panamá, Linconia. A iniciativa foi rejeitada por governos da América Central. No século 19, a Inglaterra já estava deportando sua população preta: Afro-canadenses eram enviados de Ontário para Serra Leoa, uma colônia britânica, pois lá não viveriam com o homem branco. Com o apoio financeiro do presidente James Monroe e do sobrinho de George Washington, Bushrod Washington, foi acordado que seria fundado uma colônia para pretos libertos ao lado de Serra Leoa. A empresa American Colonization Society foi fundada, comprando uma grande faixa de terra de Serra Leoa que a apelidou de Libéria -  "terra da liberdade". Sua capital seria Monróvia, em tributo ao presidente James Monroe. Os primeiros colonos afro-americanos deportados para Libéria enfrentariam diversas dificuldades, como malária e conflito com os nativos. Quase 45% de todos afro-americanos que chegavam na Libéria morriam de malária. Foi a colonização mais mortal do século 19. A escravidão era ilegal na colônia, porém muitos indígenas da Libéria foram submetidos a um sistema análogo à escravidão por uma rica elite mercantil. Para não pagar mais impostos para sua empresa fundadora, a Libéria votou a favor da sua independência em 1847. Embora a população preta fosse quase hegemônica no país, uma minoria parda controlava os recursos financeiros e naturais do recém-criado país.
02:52:00
March 06, 2021
Quando a Especulação Quebrou a Inglaterra #46
Quando a Especulação Quebrou a Inglaterra #46
No século 18, a Inglaterra possuía a maior dívida pública do mundo, assim como a maior balança comercial até então. Em uma tentativa de abater seu endividamento, a Coroa Britânica investiu em uma solução que quase levou à sua ruína total.
02:33:54
February 20, 2021
Fugindo do Feudo, Caindo na Cidade #45
Fugindo do Feudo, Caindo na Cidade #45
Na Europa, a transição de uma vida rural para a urbana não significou uma melhora para vida de muitos cidadãos, muito pelo contrário. No século 13, as cidades inglesas eram conhecidas como locais violentos, de perseguição religiosa e com epidemias constantes. Os feudos, embora marcados pela desigualdade entre senhores e servos, eram locais relativamente mais seguros do que os centros comerciais. 
02:55:30
February 06, 2021
As Filipinas e a Guerra às Drogas
As Filipinas e a Guerra às Drogas
As Filipinas iniciou formalmente uma guerra às drogas em 2016, visando o extermínio de todos os usuários e traficantes do país. Através de denúncias anônimas, é possível sem muitas dificuldades incriminar um filipino de classe baixa pelo uso de substâncias ilícitas. O próprio presidente, Rodrigo Duterte, incentiva o assassinato de usuários por outros filipinos ou policiais, prometendo perdões àqueles que o fazem. Até 2020, mais de 30 mil filipinos já foram mortos por milícias, executores, ou policiais, de todas as idades e sexos.
03:19:56
January 23, 2021
A Amazônia Pré-Colonial #43
A Amazônia Pré-Colonial #43
Durante muito tempo a Amazônia foi vista como um "vazio demográfico". O calor excessivo e a grande umidade não propiciaria o surgimento de civilizações. Mas isso cada vez mais mostra-se equivocado. Estima-se que em 1500, havia 8 milhões de habitantes na Amazônia, de diferentes troncos-linguísticos, que construíam elaborados assentamentos urbanos que surpreenderam os colonizadores ibéricos.
02:25:13
January 10, 2021
Os Bastidores do Geopizza #42
Os Bastidores do Geopizza #42
Quem faz as publicações do Geopizza? 🤔(eu, rs @zottes) Mas quanto aos podcasts? De onde vêm as fontes? Vivemos disso? Qual a nossa área de formação? Como são coloridas as fotos antigas?  A resposta de todas essas perguntas (e outras que você não perguntou) tá na nossa última edição do ano! (link na bio) Acredite ou não, a história do Geo é antiga: surgimos em 17 de maio de 2016. Inicialmente, éramos uma mídia dentro de outro portal online maior, mas acabamos crescendo e ganhando nosso próprio espaço.  Eu, Rodrigo Zottis, desde o meio da faculdade de comunicação social já trabalhava com portais online e a partir de 2018 com educação EAD.  A superficialidade que a mídia brasileira tratavam temas complexos, assim como a dificuldade de muitos professores em passar uma informação completa no EAD comparado às aulas presenciais, me fez iniciar o Geopizza com amigos de história e geografia. Embora exista muita informação em português sobre assuntos históricos, boa parte utiliza a mesma fonte e essa nem sempre está atualizada, ou sequer correta.  Mesmo com um propósito bonito, o Geo demorou para ganhar audiência. De 2016 - 2019, permanecemos como uma pequena iniciativa de vídeos autorais e replicador de conteúdo nas redes sociais. Apenas em maio de 2019 nosso podcast teve início, e junto com ele, um maior senso de responsabilidade com o conteúdo que distribuímos, assim como a preocupação de produzirmos conteúdo próprio. Hoje, o Geo não é uma via de mão única: aprendi muito aqui com leitores de todos os cantos do Brasil e do mundo. Todas as sugestões, críticas e agradecimentos que me passaram, tornaram ele o que é hoje. Obrigado principalmente àqueles que financiam o projeto mensalmente, pois sem vocês, certamente o Geo não existiria! Para saber mais, veja nosso destaque chamado "contribua!" Claro, obrigado também a todos que compartilharam e interagiram com nossas publicações ao longo desse ano de 2020!🎉
02:43:40
December 27, 2020
Acelerando a Corrida Espacial #41
Acelerando a Corrida Espacial #41
Após ser anistiado pelos EUA através da Operação Paperclip na 2° Guerra, Von Braun foi um dos responsáveis por levar o homem à Lua na década de 60. Para evitar que os soviéticos se apropriassem dos planos de engenharia alemã, os americanos transferiram diversos cientistas alemães para os EUA. De 1945 - 1959, cerca de 1600 alemães foram anistiados e transferidos para os Estados Unidos muitos denunciados por crimes de guerra contra a humanidade, mas com críticas abafadas pelo governo americano. Filiado a SS, Von Braun criou o foguete V-2, um míssil intercontinental que poderia acoplar uma bomba, ogiva nuclear ou uma pessoa. Os projetos do V-2 foram também encontrados pelos soviéticos, que o utilizaram como um modelo para desenvolver seus próprios foguetes, como o R-1 ou o R-7.  Nos Estados Unidos, a equipe de von Braun foi responsável pela criação de mísseis como o Saturno V - o maior e mais pesado foguete já lançado na história. O engenheiro tornou-se um dos mais proeminentes defensores da exploração espacial na década de 1950, escrevendo livros e aparecendo na televisão como na série Man in Space, em uma parceria com Walt Disney.  Embora fosse um ícone cultural e científico, Von Braun e sua equipe estavam atrás na corrida espacial em comparação com a União Soviética. A nação lançou o primeiro satélite e o primeiro homem ao espaço, levando aos americanos considerarem planos mais ambiciosos, como levar o homem à lua. Em 1960, a NASA foi criada pelo presidente Eisenhower, tornando von Braun diretor do Marshall Space Flight Center da NASA. Através de seu foguete Saturno V, a missão Apollo 11 em 1969 colocou o homem na Lua, representando uma vitória americana na área da exploração espacial.
02:33:33
December 14, 2020
Do Nazismo à Nasa #40
Do Nazismo à Nasa #40
De 1922 - 1923 a Alemanha enfrentou uma crise econômica sem precedentes: a fome voltou a ser uma realidade, somado a uma crise política entre diversos partidos comunistas e conservadores. Nesse contexto, o Partido nazista foi fundado em 1922, trabalhando junto com a organização paramilitar SS a partir de 1925 para tornar-se unipartidário no país. O engenheiro alemão Werner Von Braun, descendente da nobreza prussiana era uma das principais referências na Alemanha na fabricação de foguetes - tecnologias novas que poderiam tanto transportar uma pessoa, uma bomba, ou uma ogiva nuclear. Von Braun trabalhou para a Alemanha durante mais de uma década na fabricação de misseis teleguiados e na fabricação de combustível de diversas aeronaves alemães. Com o início da 2º Guerra Mundial, o engenheiro filiou-se à SS e também coordenou fábricas que empregavam trabalho escravizado de judeus e eslavos na fabricação de seu foguete V-2, programado para bombardear a Inglaterra e a França. Após a derrota Alemã na 2º Guerra Mundial, a carreira de Von Braun não acabou, muito pelo contrário.  Ele e sua equipe receberam anistia dos Estados Unidos e foram levados a América para trabalhar no aperfeiçoamento do V-2, para espionar ou atacar sua rival, a União Soviética.
02:54:00
December 06, 2020
O Cerco de Viena #39
O Cerco de Viena #39
Em 1683, duas das maiores potências do mundo - o Império Otomano e o Sacro Império Romano Germânico - pretendiam encerrar sua rivalidade que cultivavam por séculos. Em setembro do mesmo ano, com a finalidade capturar a joia do Sacro Império, Viena, os otomanos iniciariam uma das maiores batalhas da Idade Moderna. No século 17, embora as cortes europeias ganhassem cada vez mais regalias devido ao ouro roubado de civilizações asteca e inca, a vida do trabalhador comum mostrava-se cada vez mais difícil.  Aluguéis e mercadorias encareciam para bancar os custos elevados da corte, levando a fomes e epidemias generalizadas.   Somado a isso, Impérios iniciavam cada vez mais campanhas militares para adquirir mais territórios e tributar outros reinos, sendo o Cerco de Viena um dos conflitos mais característicos do fim do século.
02:43:04
November 15, 2020
A Urbanização do Brasil Colonial #38
A Urbanização do Brasil Colonial #38
Por que a maioria das capitais brasileiras são em terrenos íngremes, com ruas curvas? Até o século 18, os portugueses viam suas colônias como latifúndios, voltada a vida rural, priorizando o comércio e proibindo atividades culturais, como gráficas ou educacionais, como universidades.  Nossa 38º edição está no ar! Escute no Spotify (link na bio) ou Apple Music, Google Podcasts ou Deezer. Com a instituição das capitanias hereditárias, os portugueses concentraram-se em fundar cidades em baías e penínsulas que ofereciam ampla vantagem aos indígenas.  Os municípios baseavam-se no plano urbano de Lisboa, Porto e Vila Nova - locais em terrenos íngremes, com traçados medievais,  influenciadas pela característica moura árabe. Enquanto isso, a legislação espanhola ditava que as cidades coloniais deveriam ter um formato xadrez, com rígidas especificações da localização das áreas comerciais e residenciais.  Além de basearem-se na extração do ouro, as cidades espanholas eram também centros culturais e universitários, para impedir que suas economias fossem dominadas por apenas uma indústria. Em 1535 os espanhóis publicaram 252 livros na América Latina, com gráficas em Buenos Aires,  Cidade do México e Lima, formando 7.850 bacharéis e 473 doutores no século 18. Enquanto isso, não havia universidades no Brasil até 1822 - todos interessados deveriam ir até Coimbra, em Portugal. Gráficas, era proibidas até 1745. Além disso, os espanhóis entraram em contato com civilizações indígenas densamente urbanizadas como o Império Inca e a Confederação Asteca.  as cidades espanholas eram construídas em cima de cidades indígenas devastadas, como Cuzco e Tenochtitlán, para evitar a resistência dos nativos.  Ao longo dos séculos no Brasil, o crescimento exponencial da população explicitou a falta de infraestrutura do país, que perto do século 20 ainda dispunha de uma malha urbana colonial. O país era incapaz de comportar tecnologias como eletricidade, saneamento e carros. Em obras de urbanização aceleradas, Recife Rio de Janeiro e São Paulo destruíram edificações com mais de séculos de idade. A destruição de velhos bairros e criação de novos bairros também intensificou os processos de segregação societária e racial.
02:16:34
November 01, 2020
A Revolta da...Vacina? #37
A Revolta da...Vacina? #37
Na República da Espada, a lei da vacinação obrigatória tornou o Rio de Janeiro um palco de Guerra Civil por 2 semanas em 1904.
02:06:19
October 18, 2020
Dos Cortiços às Favelas #36
Dos Cortiços às Favelas #36
Em 1904, mais de 700 casas foram destruídas e 14 mil pessoas desalojadas para dar espaço à atual Avenida Rio Branco no Rio de Janeiro. A população, movida para as periferias, concentrou-se principalmente para o Morro da Providência, criando suas casas da forma que podiam. A partir de 1850 o Brasil ia de um país agrário para uma nação industrial, contudo muitas capitais provincianas não tinham planejamento urbano ou saneamento básico. A chegada de levas de imigrantes portugueses explicitava que o país não tinha casas para comportar os próprios brasileiros, quem dirá os europeus. Ao longo do século 19, com a aprovação da Lei Eusébio de Queiroz e do Ventre Livre, o número de escravizados libertos a procura de moradia crescia exponencialmente. Os alugueis mostravam-se caros para a realidade de qualquer afrodescendente no Brasil, levando muitos a viverem em moradias comunitárias, junto com outros imigrantes pobres. Esses eram os cortiços, não bem vistos pela autoridades brasileiras, conhecidos por abrigar "os mais diversos vícios e imoralidades" Na visão dos higienistas, responsáveis pelo saneamento da cidade, os cortiços eram responsáveis por gerar (não transmitir) doenças como a febre amarela. Com a abolição da escravatura em 1888, milhares de ex- escravizados habitaram novos cortiços, que muitas vezes eram antigas mansões de seus senhores convertidas em moradias comunitárias. Foi essa situação que influenciou Aluísio Azevedo a escrever seu romance de 1890, O Cortiço. Com a proclamação da república através do golpe de Deodoro, os higienistas tornaram-se mais influentes em todo Brasil, ascendendo a cargos de poder. O higienista Barata Ribeiro foi eleito prefeito do Rio em 1892 e em sua visão, eliminar os cortiços e as "classes perigosas" era tão ou mais urgente quanto a vacinação da população.
02:25:45
October 08, 2020
A Tragédia Tóxica de Bhopal #35
A Tragédia Tóxica de Bhopal #35
Em 1984 em Bhopal, na Índia, um desastre de uma fábrica americana de pesticidas matou mais de 500 mil indianos -  e ainda causa graves danos à saúde da população devido a falta de contenção de riscos. A empresa de pesticidas Union Carbide, com sede em Nova York e uma filial em Bhopal, não conseguiu vender seus estoques de pesticida, causando em um crescente prejuízo que levou ao sucateamento de seus protocolos de segurança. Inevitavelmente, um vazamento de gás tóxico atingiu a cidade e diversos bairros, contaminando os lençóis freáticos de toda a cidade. O acontecimento foi abafado na mídia europeia e americana, devido ao envolvimento dos Estados Unidos. Hoje, a fábrica onde ocorreu o acidente ainda existe e está abandonada, repleta de produtos químicos tóxicos que contaminaram toda a cidade. Nenhum funcionário americano de alto escalão foi demitido e penalizado. Até hoje, vítimas indianas tentam buscar recompensação financeira por causa da tragédia, mas foram impossibilitados de buscar reparações judiciais em tribunais americanos. 
02:07:36
September 21, 2020
A Mãe de Todas as Demos #34
A Mãe de Todas as Demos #34
Quando a internet foi criada? Na década de 1990? Efetivamente sim, mas o compartilhamento de informações entre computadores já existia através de outros sistemas desde 1973. Porém, antes mesmo do século 20, o ser humano já compartilhava informações através outras máquinas que não eram computadores – os telégrafos desde o século 19. A ideia de criar uma rede de informações globais, onde alguém fosse capaz conversar com outras pessoas através de máquinas, veio junto com a invenção do telégrafo. Em 1891, dois advogados belgas criaram um projeto com um propósito semelhante a internet, o Mundaneum. A máquina possuiria uma grande biblioteca digital que poderia ser acessada por telégrafos diferentes. Por limitações tecnológicas e com a 1º Guerra Mundial, o Mundaneum nunca foi construído. Na década de 40, durante a 2 ºGuerra Mundial, o cientista Vannevar Bush que estava diretamente envolvido no conflito, percebeu que se as pessoas não adquirissem mais conhecimento estariam fadadas a travar guerras devido aos seus desejos egoístas. Caso o “QI coletivo” não fosse aumentado, seria só questão de tempo até o mundo destruir-se em uma guerra nuclear. Vannevar Bush cunhou o conceito de “Memex”, um dispositivo que acessaria a “Rede Mundial de Informações”, tornando possível ler e receber mensagens de diversas pessoas, assim como acessar bibliotecas no mundo inteiro. O Memex nunca foi produzido, mas ele influenciou profundamente um engenheiro na década de 60 chamado Douglas Engelbart. Engelbart foi o primeiro cientista e utilizar um computador – até então uma calculadora – para enviar mensagens através da ARPANET, uma antecessora da internet. Além disso, Engelbart criou o primeiro mouse, o primeiro teclado e o primeiro computador pessoal, o OnLine System Graças as suas invenções, empreendedores como Steve Jobs e Bill Gates apropriaram-se de suas tecnologias na corrida para criar o primeiro computador pessoal acessível na década de 70.
03:13:59
September 08, 2020
Astecas: Da Glória à Tragédia #33
Astecas: Da Glória à Tragédia #33
No século 16 o Império Asteca (mexica) era o 2º maior império das Américas após os Incas. Porém, mais da metade de seu território era composto de estados tributários, que organizavam rebeliões e colocavam em risco seu domínio frequentemente. Em 1519, invasores vindos do outro lado do Atlântico iriam não apenas desafiar a autoridade mexica, mas também unir diversos mesoamericanos em uma extensa campanha militar Escute o podcast no: Spotify: https://spoti.fi/2NJLR91 Apple Music: https://apple.co/2ItQEJT Google podcasts: https://bit.ly/34zCuje Deezer: https://bit.ly/35c4Fpl Os espanhóis foram recebidos na capital do Império Mexica, Technoticlan pelo imperador Montezuma em uma atitude pacífico e diplomática. Durante 6 meses os europeus permaneceram na cidade, mas suas constantes demandas por ouro e atitudes violentas em relação à população resultou em uma rebelião por parte dos mexicas. Durante 2 semanas, centenas de espanhóis foram mortos e os sobreviventes fugiram da cidade, em um episódio conhecido como Nocthe triste O comandante da operação no México, Hernan Cortés, após comandar sucessivas batalhas por terra contra os mexicas, percebeu que não os venceria em um confronto direto, mesmo com reforços. Assim, por mais de 2 anos, com a ajuda de milhares de mesoamericanos como os Tlaxcalanos, Texcocans e Cempoala e Huexotzinco um enorme cerco foi planejado para destruir as barragens de Technoticlan e inunda-la, destruindo a agricultura, causando fome e doenças na capital mexica. As campanhas militares de Cortés foram desaprovadas por seus soldados e até mesmo pelo governador de Cuba, Diego Velazquez, que tinha o encarregado para a campanha. A ambição pessoal de Cortés em obter o ouro mexica fez com que a Coroa Espanhola mandasse oficiais espanhóis para prende-lo. Contudo, Cortés obteve influencia entre outros soldados e executou outros contrários à sua campanha de dominiação O Cerco de Tehnoticlán durou 2 anos, junto com batalhas por mar e por terra. O episódio foi um dos maiores e mais complexos confrontos entre nativos-americanos e europeus, registrado por diversos pontos de vista.
03:17:36
August 26, 2020
Astecas: Entre o Milho e o Sangue #32
Astecas: Entre o Milho e o Sangue #32
A mesomérica pré-colombiana foi o lar de centenas de povos. A partir de 500 dC, os olmecas, maias e zapotecas eram as principais civilizações que estabeleceram cidades centralizadas como San Lorenzo, Monte Albam e Tikal. O comércio entre os diferentes povos em breve criaria uma escrita, arquitetura e religião em comum entre as civilizações. Em 750, os Toltecas estabeleceram uma poderosa cultura militar expansionista com uma complexa ordem social. O Império Tolteca foi o maior da América Central, mas teve sua queda em 1063, provavelmente devido a uma rebelião ocasionado por uma severa seca, a mesma que devastou as cidades maias. Os toltecas foram sucedidos pelos astecas que habitaram o centro do México a partir do século 14, com campanhas militares expansionistas, submetendo outros povos em estados vassalos e tributários. A partir de 1428, os astecas tornaram-se o maior império da mesomérica, com uma complexa estrutura social.  Os astecas foram os primeiros que estabeleceram uma educação universal para todos os habitantes de seu império, ensinando conceitos matemáticos, militares, astronômicos e religiosos para seus habitantes, sendo eles astecas ou de outros povos como toltecas, chichimecas ou maias. Todas as classes sociais, incluindo escravizados, deveriam frequentar o ensino público.  Sendo politeístas, cada cidade asteca tinha um padroeiro diferente, sendo sua capital, Tenochtitlán em homenagem ao deus do Sol e da Guerra, Huitzilopochtli. Em sua mitologia, os astecas só existiam pois os deuses haviam se sacrificado para criar o seu mundo. Por isso, ser sacrificado em homenagem aos deuses era uma das maiores honras da sociedade, sendo que anualmente de 500 – 700 sacrifícios ocorriam anualmente apenas na capital asteca. Embora prisioneiros de guerra fossem sacrificados eventualmente, quanto maior era a classe do indivíduo, maior era a importância do sacrifício oferecido. Portanto, em eventos religiosos ou devido a mudanças climáticas, sacerdotes eram muitas vezes sacrificados.
01:51:58
August 10, 2020
O Genocídio Belga no Congo Pt2 #31
O Genocídio Belga no Congo Pt2 #31
No início do século 20, a atual República Democrática do Congo era propriedade privada do rei belga Leopoldo II. Todos os lucros da região oriundo do trabalho forçado de congolenses através da extração de borracha possibilitaram que o rei construísse diversos palácios pessoais e obras públicas por toda Bélgica. As atrocidades cometidas pelo exército de Leopoldo, Force Publique já eram reportadas por jornalistas e missionários por mais de duas décadas, através de relatos, fotos e testemunhos, mas desmerecidas pelo rei e seus apoiadores como notícias falsas que queriam atrapalhar seu "trabalho humanitário". Diversos jornalistas e missionários, ao levantar a voz contra o rei foram ostracizados, boicotados e tiveram suas carreiras manchadas para sempre.  Para silenciar as críticas, Leopoldo tornou a Bélgica sede da Exposição Universal de 1897, onde criou um museu para exibir os tesouros coloniais do Congo, além de congolenses capturados e trazidos pela Bélgica. Alguns congoleses foram vendidos para "zoológicos humanos" nos EUA e França. O Museu Real da África Central, construído para sediar a Exposição Universal, existe até hoje em Tervuren, com um extenso inventário congolês. Em 1900, jornalistas formaram a Associação de Reforma do Congo, que pretendia encerrar as atrocidades de Leopoldo através de palestras, comícios, panfletos, revistas e fotografias. A associação teve a participação de pessoas notáveis como do escritor Mark Twain, Arthur Conan Doyle (criador do Sherlock Holmes) Booker T. Washington e Bertrand Russell. De 1877 - 1906, estima-se que mais de 10 milhões de congolenses morreram sob o sistema de Leopoldo. Contudo, o que repercutia na Bélgica eram as relações amorosas do rei, que com 65 anos tinha uma nova amante de 16 anos, Caroline Delacroix. Que final teve Leopoldo e o que ocorreu com o Congo durante o resto do século 20? Descubra na última parte do Genocídio Belga do Congo do Geo
02:03:22
July 26, 2020
O Genocídio Belga no Congo Pt1 #30
O Genocídio Belga no Congo Pt1 #30
Em 1885, uma conferência em Berlim entre as principais potências europeias acordaram que todo o continente africano menos a Libéria (independente dos EUA em 1847) e a Etiópia tornariam-se protetorados europeus. A reunião, sem nenhum africano presente, também reconheceu uma área de 2.345.000 km² no centro africano como propriedade do rei belga, Leopoldo II. O Estado Livre do Congo, era uma ambição do rei em realizar um trabalho missionário através de sua pessoas física, com o argumento de combater a escravidão entre outros africanos, assim como  o canibalismo e o paganismo. Contudo, a ambição de Leopoldo era econômica e sua instituição filantrópica era apenas uma fachada para a Comunidade Internacional. Desde pequeno, o rei tinha fascínio em colônias e sonhava em ter um território lucrativo. Após estabelecer-se na região e ignorar totalmente a existência de reinos e povos que já existiam no atual Congo - mais de 30 milhões de pessoas - Leopoldo criou seu exército privado, a Force Publique, para suprimir revoltas, estabelecendo uma cota de extração de borracha e marfim que os congolenses eram obrigados a cumprir. Caso falhassem em cumprir suas cotas, os congoleses tinham suas mãos cortadas como sinal de punição. O trabalho forçado de Leopoldo estendia-se a todos africanos no Estado Livre do Congo, assim como crianças, mulheres e idosos, muitas vezes captados à força para servir na Force Publique. Através de uma campanha de mídia falsa que censurava todo tipo de denúncia feita na região, Leopoldo moldou uma imagem de filantropo, desmerecendo todo o trabalho de jornalistas, militares e missionários que denunciavam suas atrocidades. O Estado Livre do Congo foi propriedade privada do rei por quase 30 anos, enriquecendo o rei belga que promoveu dezenas de obras públicas na Bélgica como parques, prédios, museus, palácios pessoais e até mesmo uma Exposição Universal em 1897. Em 1900, jornalistas formaram a Associação de Reforma do Congo que tinha ambição de encerrar as atrocidades de Leopoldo. A associação promoveu palestras, comícios, distribuiu panfletos, revistas e fotografias sobre a causa. A associação teve a participação de pessoas como notáveis da época Mark Twain, Arthur Conan Doyle (criador do Sherlock Holmes) Booker T. Washington e Bertrand Russell. Após 6 anos de atividade, a Associação tornou a propriedade de Leopoldo  indefensável, obrigando o governo belga a anexar o território como colônia, retirando-a como propriedade privada do rei. Contudo, Leopoldo e todos os envolvidos nas atrocidades no Congo, nunca foram julgados e sequer multados, muito pelo contrário. Henry Stanley, que comandou a Force Publique, foi promovido para o Parlamento Britânico de 1900-1905.
02:04:45
July 13, 2020
A Era de Ouro da Índia #29
A Era de Ouro da Índia #29
O subcontinente indiano foi durante boa parte de sua história habitado por dezenas de reinos independentes, povos que falavam diferentes…
02:24:37
June 28, 2020
A Lei Seca nos EUA Pt2 #28
A Lei Seca nos EUA Pt2 #28
Há 100 anos, o país que era conhecido como a terra da liberdade proibiu todo consumo de álcool. A lei…
02:44:08
June 14, 2020
A Lei Seca nos EUA Pt1 #27
A Lei Seca nos EUA Pt1 #27
Durante 13 anos foi ilegal beber qualquer bebida alcoólica nos Estados Unidos. A lei seca foi aprovada na esperança de…
02:21:16
May 31, 2020
A Construção de Brasília #26
A Construção de Brasília #26
Brasília foi a maior cidade projetada e inaugurada do século 20. A ideia de transferir a capital brasileira para o Planalto Central remete desde o século 18. Originalmente, Marquês de Pombal, o 1º ministro de Portugal que transferiu a capital de Salvador para o Rio,  tinha originalmente a intenção de interioriza-la. Como não se conhecia o interior brasileiro, a ambição foi descartada. Apenas com a Proclamação da República e a exploração do estado de Goyaz, positivistas viram a construção da cidade como uma forma de se desvincular de seu passado colonial do Rio de Janeiro. A construção da cidade de Vera Cruz, seria a capital que marcaria um novo começo. Durante a Época Vargas na década de 30, o governo lançou o programa "Expansão para o Oeste" na qual Goiânia foi construída para ser a nova capital de Goiás. Com os ânimos efervescidos, começaram a ser estudadas as áreas para a construção de Brasília, contudo os trabalhos só inciaram no mandato do próximo presidente, Juscelino Kubitschek. Ao contrário do que se imagina, Brasília não foi inaugurada em 5 anos, e durante toda a década de 60 até 70, o Brasil possuía 2 capitais. Em uma estimativa atualizada, calcula-se que teriam sido gastos mais de US$ 83 bilhões para a construção da cidade. Infelizmente feita às pressas, muito dos dados sobre a construção da cidade não foram registrados. Com seus atuais 2,977 milhões de habitantes,Brasília é hoje a 3º cidade mais populosa do Brasil, além de 7º concentração urbana mais populosa do país. Hots: Rodrigo Zottis e Alexander Desmouceaux Convidado: Thanius Silvano Martins Cardápio da semana (dicas culturais): Livro: No Tempo da GEB - Hermes Anquino Teixeira Filme Koyaanisqatsi Jacaré da Pampulha no twitter Escute o podcast também no no: Spotify: https://spoti.fi/2NJLR91 Google podcasts: https://bit.ly/34zCuje Apple Music: https://apple.co/2ItQEJT Deezer: https://bit.ly/35c4Fpl Esse podcast só foi possível graças ao apoio de nossos barões. Auxilie o Geo a produzir mais conteúdo e podcasts através do https://bit.ly/2KGn84g
02:26:47
May 17, 2020
As Maiores Epidemias da História #25
As Maiores Epidemias da História #25
Epidemias muitas vezes aceleram (e não atrasam) nosso desenvolvimento a longo prazo! Sem a existência da Peste Negra, por exemplo,…
02:17:47
May 03, 2020
A Gripe Espanhola #24
A Gripe Espanhola #24
Além do covid-19, outro vírus se espalhou por todo mundo e obrigou as pessoas ficarem em casa. Em 1918, a…
02:35:54
April 19, 2020
Gripes mortais: Sars, Mers e o Covid-19 #23
Gripes mortais: Sars, Mers e o Covid-19 #23
Países como Coréia do Sul, Japão e Singapura estão tendo melhores resultados em combater o covid-19 pois tiveram experiências posteriores…
02:21:28
April 05, 2020
A grande diáspora irlandesa #22
A grande diáspora irlandesa #22
Epidemias mudam o rumo de um país e às vezes do mundo inteiro. Algo semelhante (mas mais mortal) ao que vivenciamos agora ocorreu na Irlanda metade do século 19. Em 1840, um fungo se espalhou pelo principal alimento dos camponeses irlandeses – a batata. A praga causou fome generalizada, pobreza, aumento de doenças e migrações em massa para outros países. Os irlandeses fugiram para nações como os Estados Unidos e o Canadá. No início do século 20, mais de 25% dos nova-iorquinos tinham ascendência irlandesa. Por atitudes negligentes de seus políticos, doenças como cólera infectaram a população do país por mais de 5 anos, fazendo vítimas junto com a fome. O governo colonial britânico, minou o transporte de alimentos para a ilha da Irlanda priorizando em alimentar o povo inglês diante da escassez. De 1849 e 1852, a população irlandesa se reduziu entre 20 e 25%. O país tornaria-se uma das nações mais pobres e violentas do continente europeu até o fim do século 20. Contudo hoje, é o 3º país com maior IDH de toda europa. Até hoje, o país nunca se recuperou do legado deixado pela fome. Atualmente a Irlanda tem menos de 5 milhões de habitantes, enquanto antes da imigração tinha 8 milhões. No século 20, as cicatrizes deixado pelo colonialismo britânico incentivou o surgimento de grupos paramilitares a favor da independência contra o domínio inglês, como o IRA que viria a tornar-se um grupo terrorista a partir da década de 60, realizando dezenas de atentados nas principais cidades britânicas, como Belfast. Mais de 33 milicias surgiram a partir do IRA, muitas em resposta a violência irlandesa, encabeçada por ingleses protestantes, como o  UDA e UDF. No século 20, a Irlanda foi o país com maior quantidade de atentados terroristas na Europa. Escute o podcast também no no: Spotify: https://spoti.fi/2NJLR91 Google podcasts: https://bit.ly/34zCuje Apple Music: https://apple.co/2ItQEJT Deezer: https://bit.ly/35c4Fpl Hots: Rodrigo Zottis e Alexander Desmouceaux Cardápio da semana (dicas culturais): Filmes: Michael Collins (1996) Black '47 (2018) Em nome do pai (1993) Gangues de Nova York (2002) Um sonho distante (1992) As Cinzas de Ângela (1999) Documentário The Great Famine (1995) Terra da Discórdia (1990) Os ventos da Liberdade (2006) Hunger (2008) Livros The Famine Plot, de Tim Pat Coogan The Irish Famine, de Diarmaid Ferriter e Colm Tóibín The Graves Are Walking: The Great Famine and the Saga of the Irish People, de John Kelly Auxilie o Geo a produzir mais podcasts e ganhe recompensas através do apoia.se/geopizza ou do picpay.me/geopizza
02:36:01
March 29, 2020
O Glorioso Império Inca #21
O Glorioso Império Inca #21
O Império Inca foi o maior Império pré-colombiano de todas as Américas, com mais de 3 mil km de extensão. De 1438 até 1533, os incas utilizaram da conquista militar à assimilação pacífica, para incorporar uma grande porção do oeste da América do Sul, incluindo grande parte do atual Equador, Peru, e partes da Bolívia, Argentina, Chile e Colômbia. O império abrangia diversas nações e mais de 700 idiomas diferentes, sendo o mais falado o quíchua, com sede em Cusco, Peru. Com uma população de aproximadamente 10 milhões de pessoas no século 15, o império era a soma do conhecimento e cultura de diversos povos andinos sob o domínio dos incas, com mais de 2 mil km de estradas, um sistema postal, reservatórios de comida e armas, e uma arquitetura resistente a terremotos  e desastres naturais. Após a chegada dos espanhóis na região em 1532, estes, em menores quantidades que os incas fizeram alianças politicas com grupos rivais para derrubar o Império. Devido aos surtos de varíola trazidas pelos espanhóis e principalmente após a captura e assassinato do imperador Atahualpa, a civilização inca começou a se desmantelar em 1533, sendo muitos escravizados pelos espanhóis para extração de minério. Dicas culturais (cardápio da semana): Livro The Last Days of the Incas (2012) Escute o podcast também no no: Spotify: https://spoti.fi/2NJLR91 Google podcasts: https://bit.ly/34zCuje Apple Music: https://apple.co/2ItQEJT Deezer: https://bit.ly/35c4Fpl Auxilie o Geo a produzir mais podcasts e ganhe recompensas através do apoia.se/geopizza ou do picpay.me/geopizza Hots: Rodrigo Zottis e Alexander Desmouceaux
03:15:41
March 15, 2020
A empresa mais valiosa que já existiu #20
A empresa mais valiosa que já existiu #20
A empresa mais valiosa da história existiu no século 17 e foi Companhia das Índias Orientais e Ocidentais Neerlandesa. Em menos de 40 anos desde sua fundação, adquiriu 8.2 trilhões de dólares: quase 7x o valor do PIB anual do Brasil. Fundada em 1602, a VOC tornou-se um protoconglomerado através do comércio internacional, construção naval, venda de escravizados e comércio de especiarias. Em 1621, os neerlandeses fundaram sua 2º "ramificação" a Companhia das Índias Orientais, que cuidaria de todos os assentamentos no hemisfério geográfico oriental enquanto a VOC cuidaria do ocidente. Nova York, Recife e Suriname, foram todos locais colonizados pelo a WIC. Em 1637 ambas as empresas possuíam mais de 150 navios mercantes, 40 navios de guerra, 50 mil funcionários e um exército privado de 10 mil soldados com sede em Amsterdã, Países Baixos. Outras empresas como Companhia do Mississípi e a Companhia dos Mares do Sul também acumularam também riquezas de trilhões de dólares, mas foram rapidamente ultrapassadas pelo domínio colonial neerlandês. Graças aos seus lucros, os Países Baixos fundaram a primeira bolsa de valores do mundo, na qual um cidadão poderia investir em títulos da empresa, financiando a construção de navios e expedições militares. Esse modelo foi copiado por outras empresas coloniais, como a Companhia dos Mares do Sul, fundada no século 18. Contudo, a descentralização econômica também foi um problema: a especulação de investidores em cima de títulos com pouquíssimo ou nenhum valor, gerou em 1720 a primeira grande bolha financeira da história, na qual a Companhia dos Mares do Sul quebrou poucos anos após sua fundação. Acionistas como Isaac Newton, perderam milhares de libras no episódio. No início do século 19 a VOC acumulou enormes dívidas, sendo liquidada em 1812, com suas posses coloniais passadas para o governo neerlandês. Em 1800, os neerlandeses chegaram na Indonésia, sua colônia mais lucrativa seguida do Suriname. Durante quase 350 anos, os neerlandeses participaram de diversas decisões políticas e sociais do arquipélago indonésio, sendo expulsos apenas em 1945 pelos indonésios e japoneses. Fontes: https://bit.ly/2BxhIId, https://bit.ly/2VPnE61, https://bit.ly/3gov2Nu, https://bit.ly/2BEUJe8 Dicas culturais (cardápio da semana): The Act Of Killing (2012) The Look of Silence (2014) Hots: Rodrigo Zottis e Alexander Desmouceaux Auxilie o Geo a produzir mais conteúdo através do apoia.se/geopizza ou do picpay.me/geopizza
02:38:53
March 01, 2020
O Paradoxo do Irã #19
O Paradoxo do Irã #19
O Irã é uma nação mais complexa que homens barbudos queimando bandeiras dos Estados Unidos nas ruas de Teerã. Ao contrário do Egito, Turquia e Emirados Árabes, a vida no Irã não é voltada para religião.  Após a Revolução de 79, os adeptos ao islã caíram drasticamente. O país lidera as estatísticas no Oriente Médio (após Israel) em agnósticos, índice de alfabetização e participação da mulher no mercado de trabalho. Mesmo com suas constantes ameaças de retaliação aos Estados Unidos, o presidente Rohani e até mesmo o Aiatolá Khamenei já visitaram os Estados Unidos com sua família para fazer compras e estudar. Embora o consumo de bebidas alcoólicas, cultura ocidental, redes sociais e festas sejam proibidas, em qualquer camelô de rua é possível encontrar DVDs estadunidenses. Em qualquer café de esquina, toca música ocidental com jovens usando o Facebook em seus celulares. Em diversas residencias, ocorre festas com álcool e maconha. Se a polícia moral vier incomodar, um pequeno suborno, ou até mesmo uma cerveja resolvem o problema. Assim como o Brasil, o Irã é uma nação hipócrita e multifacetada, onde as aparências existem mais no papel do que no cotidiano. Só nele, se encontra a língua farsi, a cultura persa e uma nação de maioria muçulmana xiita. Desde o século 19, o Império Persa foi ocupado pelos 3 impérios mais poderosos que existiam: O Império Otomano, Russo e Britânico. Após seculos de ocupação, fomes e doenças, o Império Persa estava esfacelado, acabando definitivamente com um golpe de um general militar apoiado pelos britânicos em 1925. Por mais de 50 anos, os britânicos participaram diretamente de todas decisões políticas do Irã, até a Revolução de 79. Cardápio da semana (dicas culturais): Livro: Os Iranianos -  Samy Adghirini Livro: Todos os Homens do Xá -  Pedro Jorgensen e Stephen Kinzer (2004) Documentário:  Iran 1919 - Al Jhazeera Documentário: 444 days - Iran Hostage Crisis Filme: Incêndios (2010) Filme: Argo (2012) Sugestões de ouvintes: Quadrinho: Persépolis Série: Le Bureau des légendes Escute o podcast também no no: Spotify: https://spoti.fi/2NJLR91 Google podcasts: https://bit.ly/34zCuje Apple Music: https://apple.co/2ItQEJT Deezer: https://bit.ly/35c4Fpl Auxilie o Geo a produzir mais conteúdo através do apoia.se/geopizza ou do picpay.me/geopizza
02:56:20
February 17, 2020
Dubai é um milagre econômico? #18
Dubai é um milagre econômico? #18
A cidade de Dubai nos Emirados Árabes Unidos foi durante grande parte de sua história um pequeno posto comercial, crescendo…
01:29:29
February 02, 2020
A Operação Prato Pt2: Os Militares #17
A Operação Prato Pt2: Os Militares #17
A Operação Prato foi criada pelas Forças Armadas e a Força Aérea para investigar acontecimentos estranhos no Pará nas cidades de Colares e Viseu, em que moradores e animais estavam sendo feridos por luzes estranhas. A partir de 1 mês dos primeiros avistamentos, mais da metade da população de ambas cidades fugiram por pânico. O coronel Uyrangê Hollanda foi encarregado de liderar a Operação Prato com outros militares, para reportar tudo que ocorria para o exército. Após diversos avistamentos reportados por Hollanda, a operação foi encerrada abruptamente por superiores 3 meses após seu início, embora os acontecimentos estranhos continuaram. Todos os participantes da operação foram proibidos de contar detalhes sobre o caso após seu encerramento. As 2 mil folhas do relatório, 16 horas de filmes 500 e fotos da operação foram grande parte ocultadas do público. Na década de 90, Hollanda decide ceder uma entrevista de mais de 2 horas publicamente, mas poucas semanas depois, é encontrado morto em sua casa.   Na 2º e última parte sobre a Operação Prato do Geopizza, abordamos o que foi uma das operações militares menos transparentes de todo o Brasil e teorizar sobre o que ela possivelmente abordou. Cardápio da Semana (dicas culturais): Filme Fogo no Céu (1993) Livro Carl Jung: Flying Saucers: A Modern Myth of Things Seen in the Sky (1959) Caso Roswell por the Last Podcast on the Left Projeto MkUltra de The Last Podcast on the Left Relato Bernie e Betty Hill Escute o podcast também no no: Spotify: https://spoti.fi/2NJLR91 Google podcasts: https://bit.ly/34zCuje Apple Music: https://apple.co/2ItQEJT Deezer: https://bit.ly/35c4Fpl Listen Notes: https://bit.ly/2NHTIEe Chartable: https://bit.ly/32fF6RL Auxilie o Geo a produzir mais conteúdo através do apoia.se/geopizza ou do picpay.me/geopizza
01:13:42
January 19, 2020
A Operação Prato Pt1: Os ataques #16
A Operação Prato Pt1: Os ataques #16
Desde a invenção da escrita há registros de acontecimentos sem explicações lógicas, levando o ser humano a formular histórias fantásticas para convencer sua mente. Antigamente, a Aurora Boreal era visto como uma manifestação divina, o início do desenvolvimento de aviões stealth em 1960 eram vistos como OVNIS. Contudo, até hoje há fenômenos não há explicações, como o Raio Globular, quando raios em formato circular pairam sobre o chão e mais tarde desaparecem. Um dos fenômenos que ainda não há explicação foi algo que ocorreu no interior do Pará, de 1977 até 1980, em militares, médicos, jornalistas e cidadãos comuns na cidade de Colares e Viseu observaram acontecimentos estranhos durante a noite em toda a região. Centenas de vítimas apareceram com ferimentos homogêneos, obrigando o então Governo Militar a abrir uma investigação sobre o ocorrido, junto com Serviço Nacional de Inteligência, a Operação Prato. O episódio contou com algumas mortes, humanas e de animais. Até hoje, alguns moradores das cidades têm traumas desse ocorrido que já faz mais de 40 anos. As luzes que apareceram no interior do Pará, já foram relatadas em quase todo o Norte brasileiro. A Operação Prato rendeu mais de 20 horas de gravações em vídeo e centenas de fotos. Seria tudo isso fruto de surto coletivo e farsa? Nessa 16º edição do Geopizza, Zottis e Alexander, 2 mentes céticas e científicas vão (de novo) no interior do Pará analisar o que pode ter sido a Operação Prato, um dos maiores eventos ufológicos do Brasil que ainda não possui explicação formal. Obs: O Cardápio da Semana ficou na parte 2 do podcast! Escute o podcast também no no: Spotify: https://spoti.fi/2NJLR91 Google podcasts: https://bit.ly/34zCuje Apple Music: https://apple.co/2ItQEJT Deezer: https://bit.ly/35c4Fpl Listen Notes: https://bit.ly/2NHTIEe Chartable: https://bit.ly/32fF6RL Auxilie o Geo a produzir mais conteúdo através do apoia.se/geopizza ou do picpay.me/geopizza
01:19:30
January 12, 2020
Um cidadão do século 20 #15
Um cidadão do século 20 #15
Nessa edição conversamos com nosso primeiro convidado, Waldo dos Santos que nasceu em 1936 no interior do Rio Grande do Sul. Waldo cresceu numa casa de barro, caçando para se alimentar, sem acesso à agua encanada nem eletricidade. Mais tarde, se tornou pedreiro e mestre de obras, formando 2 familias e morando em 3 cidades diferentes. Nessa edição, através dos relatos do Waldo, percorremos a industrilização do Brasil, o governo militar, a inflação econômica dos anos 80 e como era ser um trabalhador braçal no meio do seculo 20 comparado à nossa vida de trabalho digital do século 21. Cardápio da Semana (dicas culturais): Filmes: Nadando em Dinheiro  - 1952 Bye Bye Brazil -  1980   Zuzu Angel - 2006   Legalidade - 2019 Escute o podcast também no no: Spotify: https://spoti.fi/2NJLR91 Google podcasts: https://bit.ly/34zCuje   Apple Music: https://apple.co/2ItQEJT Deezer: https://bit.ly/35c4Fpl Listen Notes: https://bit.ly/2NHTIEe Chartable: https://bit.ly/32fF6RL Auxilie o Geo a produzir mais conteúdo através do apoia.se/geopizza ou do picpay.me/geopizza
01:09:44
December 30, 2019
Vivendo em Roma #14
Vivendo em Roma #14
A Roma Antiga surgiu no século 8 a.C. e durou até o século 5, sendo uma das civilizações mais longas…
01:58:30
December 14, 2019
Brasil Indígena #13
Brasil Indígena #13
Pindorama era o nome dado ao Brasil pelos indígenas antes da chegada dos europeus. Esses habitantes somavam de 4 a 5 milhões que falavam cerca de 1300 línguas diferentes. Hoje, são 800 mil habitantes distribuídos em 230 povos, falantes de 200 línguas. Isso representa uma queda de 98% da população índigena desde a chegada dos europeus, representando hoje 0.47% da população nacional. Embora a coroa e governo brasileiro tenha protagonizado muito dos genocídios praticado contra esses povos, toda nossa identidade nacional possui elementos indígenas. A cultura, vocabulário e culinária brasileira foi moldado pelos habitantes milenares que já estavam aqui há milhares de anos. Cardápio da Semana (dicas culturais): Série "Guerras do Brasil" na Netflix Entrevista com Ailton Krenak em Provocações Canal: Culturas Indígenas do canal Itaú Cultural no Youtube Livro  O Tempo e o Vento: O Continente, de Érico Veríssimo Livro Deuses, Túmulos e Sábios - livro das escadarias Filme: O Abraço da Serpente - Embrace the Serpent -  2015 Filme:  Aguirre, a Cólera dos Deuses - 1972 Escute o podcast também no no: Spotify: https://spoti.fi/2NJLR91 Google podcasts: https://bit.ly/34zCuje   Apple Music: https://apple.co/2ItQEJT Deezer: https://bit.ly/35c4Fpl Listen Notes: https://bit.ly/2NHTIEe Chartable: https://bit.ly/32fF6RL
01:44:60
December 01, 2019
Não esqueça das Guianas #12
Não esqueça das Guianas #12
No Brasil, dizemos que vivemos um legado "colonial", uma mentalidade política atrasada. Mas a Guiana Francesa, Guiana Britânica e Suriname, colônias até a década de 70, vivem essa realidade colonial mais que qualquer país da América Latina. A Guiana Francesa, ainda é um território ultramarino da França - uma colônia que nunca recebeu independência. Na Guiana, até hoje a homossexualidade ainda é punida com castigos físicos,  onde também está o menor PIB da América do Sul. No Suriname o setor primário corresponde a mais de 50% do PIB e na Guiana Francesa se utiliza mais o transporte marítimo do que o rodoviário. Todos já ouviram o argumento de "se o Brasil fosse colonizado por ingleses, franceses ou neerlandeses seria como os Estados Unidos", bom, não é bem por aí. A região política do Caribe -  que engloba as Guianas e Suriname é o maior exemplo disso. Cardápio da Semana (dicas culturais): Livro e filme "Papillon" 1973 de Franklin J. Schaffner Canal do Youtube: Richard World Travel Escute o podcast também no no: Spotify: https://spoti.fi/2NJLR91 Google podcasts: https://bit.ly/34zCuje   Apple Music: https://apple.co/2ItQEJT Deezer: https://bit.ly/35c4Fpl
01:28:08
November 17, 2019
A Maldição do Petróleo #11
A Maldição do Petróleo #11
Desde 1980, o mundo se tornou mais rico, democrático e pacífico. No entanto, isso só é verdade para países sem petróleo. Continentes com grandes quantidades de petróleo como África, América Latina, e Ásia não estão mais ricos, democráticos ou pacíficos, do que foram três décadas atrás. Alguns estão em situação pior. De 1980 a 2006, a renda per capita caiu mais de 10% na Venezuela, 45% no Gabão e 85% no Iraque. Muitos produtores de petróleo - como Argélia, Angola, Colômbia, Nigéria, Sudão e  Iraque - foram marcados por décadas de guerra envolvendo um recurso mineral específico: petróleo. Hoje, os estados petrolíferos têm 50% mais chances de serem governados por autocratas e mais 2x mais probabilidade de ter guerras civis do que os estados não petrolíferos. O Oriente Médio é a materialização desse problema, a região possui mais da metade das reservas de petróleo do mundo e fica muito atrás do resto do mundo em relação à democracia, igualdade de gênero e reformas econômicas. Nos acompanhe na 11ºedição do podcast do Geopizza para entender porque esse recurso tem muito mais chance de arruinar uma nação do que leva-la a prosperidade. Cardápio da Semana (dicas culturais): Livro "A Maldição do Petróleo" de Michael L. Ross, 2016 ( The Oil Curse: How Petroleum Wealth Shapes the Development of Nations ) Filme: There Will be Blood, 2007
01:43:25
November 03, 2019
Serra Pelada, a montanha dourada no Pará #10
Serra Pelada, a montanha dourada no Pará #10
Durante a época colonial das Américas havia uma lenda de uma cidade construída em ouro no meio da Amazônia, El…
01:41:42
October 20, 2019
Iluminando a Idade das Trevas #09
Iluminando a Idade das Trevas #09
Quando nos falam em Idade das Trevas imaginamos trabalhadores na Idade Média sobrevivendo a um tempo de pestes, guerras e…
01:43:32
September 29, 2019
Césio 137 em Goiânia, o brilho da morte #08
Césio 137 em Goiânia, o brilho da morte #08
Em 1987, 19 gramas de Césio 137 em Goiás matou 4 pessoas e afetou mais de 1600  em setembro daquele ano. Hoje, mais de 700 vítimas possuem problemas físicos ou psicológicos devido à exposição ao elemento Césio-137, oriundo de uma máquina de radiografia, encontrada em um terreno abandonado. Seu conteúdo foi exposto por dois catadores de lixo que pretendiam reciclar o aparelho e desconheciam da radiação. Mesmo após a contaminação parcial da cidade de Goiânia, o governo local mentiu para a população e disse que o mal estar das vítimas foi ocasionado por um vazamento de gás: essa negligência custou a saúde de dezenas de policiais e profissionais que realizaram a limpeza da região contaminada. Famílias inteiras foram evacuadas da zona de risco, com mais de 110 mil pessoas inspecionadas no Estádio Olímpico de Goiânia. A tragédia sobre a fonte radioativa só foi revelada ao público mais tarde por parte de jornalistas. Até hoje, mais de 700 vítimas que deveriam receber pensão para adquirir remédios que controlam a radiação do organismo chegam a receber ⅓ do valor dos remédios. Muitas tornaram-se depressivas, tabagistas ou alcoólatras. Os médicos e físicos responsáveis por esse acidente - donos do terreno onde a máquina de radiografia estava abandonada incorretamente durante anos -  não foram indiciados de nenhuma forma, tendo suas identidades já reveladas desde a década de 90. Na 8º edição do podcast do Geopizza, narramos uma história nacional extremamente recente que ainda deixa cicatrizes em Goiânia e em todo o Brasil, prova da irresponsabilidade do governo estadual e federal. Cardápio da Semana (dicas culturais): Seriado: Chernobyl da HBO - 2019 Entrevista do Fantástico - 2007 Escute o podcast também no no: Spotify: https://spoti.fi/2NJLR91 Google podcasts: https://bit.ly/34zCuje   Apple Music: https://apple.co/2ItQEJT Deezer: https://bit.ly/35c4Fpl Listen Notes: https://bit.ly/2NHTIEe Chartable: https://bit.ly/32fF6RL
01:45:19
September 15, 2019
Os Crimes do Japão Imperial Pt2 #07
Os Crimes do Japão Imperial Pt2 #07
SAIU a 7º edição do podcast do Geopizza! Embora os nazistas utilizassem prisioneiros de guerra para experimentos médicos e genéticos em seus campos de concentração, o Japão levava experimentação humana à nível sádico: utilizam cobaias para hospedar vírus e bactérias como sífilis, peste bubônica e antrax, realizavam vivisecações (autópsia quando uma pessoa estava viva), amputavam membros e e testavam até onde o corpo humano resistia à níveis extremos de frio, calor, perda de sangue e resistência à explosivos. Escute no Spotify: https://spoti.fi/32lKX8p Estima-se que até 300.000 homens, mulheres e crianças chinesas, passaram pela unidade 731 de 1931 - 1945 sendo vítimas deste experimentos desumanos, financiados e executados pelo exército japonês. Diversos "testes" que ocorreram na unidade foram utilizados para fabricar armas biológicas que o país pretendia utilizar durante a 2º Guerra. Em vez de serem julgados por crimes de guerra, os pesquisadores envolvidos na Unidade 731 receberam imunidade dos Estados Unidos em troca dos dados que eles reuniram através da experimentação, como aconteceu com pesquisadores nazistas na Operação Paperclip. Contudo, alguns foram presos pelas forças soviéticas foram julgados em Khabarovsk, em 1949. Os relatos de vítimas foram, em grande parte, ignorados ou desacreditados no Ocidente como propaganda comunista. Escute o podcast também no no: Spotify: https://spoti.fi/2NJLR91 Google podcasts: https://bit.ly/34zCuje   Apple Music: https://apple.co/2ItQEJT
41:11
August 30, 2019
Os Crimes do Japão Imperial Pt 1 #06
Os Crimes do Japão Imperial Pt 1 #06
O genocídio praticado pelo Império Japonês antes e durante a 2º Guerra é um fenômeno desconhecido por muitos. Cidades foram apagadas do mapa, milhões foram escravizados para o ramo da construção civil, prostituição forçada ou até mesmo como suprimentos de carne para canibalismo, assim como cobaias para experimentos científicos. Escute o podcast no Spotify: https://spoti.fi/2X3tQKy Ou no youtube: https://bit.ly/2KLvcllOu no site do Geo: https://bit.ly/2HgRlWC Não há sentindo em comparar tragédias, mas os alemães mataram aprox 6 milhões de judeus e 20 milhões civis, enquanto os japoneses assassinaram aprox 43 milhões de civis asiáticos ( chineses, filipinos, malaios, vietnamitas, cambojanos, etc). As nações saquearam os países conquistados numa escala monumental, embora os japoneses tenham pilhado mais, por um período mais longo. Se você fosse um prisioneiro de guerra dos nazistas de origem européia (mas não russa) tinha 4% de chance de morrer antes do fim da guerra; o índice de mortalidade dos mantidos pelos japoneses era quase 30%. Muitos chefes militares, cientistas que torturaram prisioneiros O próprio imperador do Japão da época, Michinomiya  Hirohito, foram perdoados pelos Estados Unidos - que se apossou de todos seus experimentos científicos e os usou futuramente em laboratórios como os da NASA. Na 6º edição do podcast de Geopizza, debatemos o assunto mais pesado até então: porquê o Império do Japão com sua creça fundamentalista racista praticou uma enorme carnificina, muitas vezes esquecida. Escute o podcast também no no: Spotify: https://spoti.fi/2NJLR91 Google podcasts: https://bit.ly/34zCuje   Apple Music: https://apple.co/2ItQEJT Deezer: https://bit.ly/35c4Fpl Listen Notes: https://bit.ly/2NHTIEe Chartable: https://bit.ly/32fF6RL
55:38
August 18, 2019
República das Bananas #05
República das Bananas #05
O Brasil é frequentemente chamado de República das Bananas. Essa expressão veio da América Central – do sec 19 ao…
01:44:36
August 04, 2019
As (muitas) profissões extintas #04
As (muitas) profissões extintas #04
Avanços tecnológicos e a globalização têm eliminado diversos trabalhos no mundo inteiro: no último século, muitas profissões surgiram, enquanto diversas outras desapareceram. Na 4º edição do Geopizza,  comentamos de alguns trabalhos que não existem mais, exóticos ou comuns do ultimo século, e até mais antigos! Como controlar pestes como ratos que infestavam as cidades? Um dos trabalhos mais exóticos foi o caçador de ratos: desde a antiguidade muitas pessoas foram empregadas para lidarem com as pestes urbanas, sejam profissionais independentes carismáticos e cheios de misticismo, até a simples guardas municipais. Antes da refrigeração, como estocar alimentos e refrescar bebidas em lugares extremamente quentes? A tarefa consistia em cortar camadas de um rio congelado com um grande serrote.  As baixas temperaturas e o excesso de umidade  podia congelar os membros dos cortadores de gelo, um corte mal feito, poderia afundar.o próprio cortador. Quer nos ajudar a produzir mais podcasts como esse e receber recompensas? A partir de R$ 2 por mês você ajuda a construir o Geopizza! Escute o podcast também no no: Spotify: https://spoti.fi/2NJLR91 Google podcasts: https://bit.ly/34zCuje   Apple Music: https://apple.co/2ItQEJT Deezer: https://bit.ly/35c4Fpl Listen Notes: https://bit.ly/2NHTIEe Chartable: https://bit.ly/32fF6RL
01:15:55
July 14, 2019
Como a pizza conquistou o mundo – Geopizza #03
Como a pizza conquistou o mundo – Geopizza #03
De um pão recheado de classe baixa até uma das comidas mais famosas do mundo; a pizza foi apropriada e modificada por muitas culturas até se tornar o que é hoje. Atravessando milênios da história, o alimento surgiu como um algo venenoso, sendo mal visto pela sociedade. Por fim, acabou por tornar-se uma ferramenta de integração geopolítica entre governantes, povos e países inimigos. Como isso aconteceu, envolveu as Grandes Navegações, reis e rainhas, guerras e crises. Na terceira edição do podcast Geopizza, analisamos como um dos alimentos mais famosos do mundo se tornou o que é hoje. Escute também no Spotify: https://spoti.fi/2X3tQKyQuer nos ajudar a produzir mais podcasts como esse e receber recompensas? A partir de R$ 2 por mês você ajuda a construir o Geopizza! Facebook Instagram Twitter
33:52
July 07, 2019
O Incesto na História #02
O Incesto na História #02
O incesto sempre foi mal visto pela sociedade, mas antigamente, isso não importava tanto. Os Habsburgo, a Família Real Britânica, o Império Egipcío e muitos outros praticaram incesto entre e irmãos e primos para dar continuidade ao seu reinado. Isso resultou em grandes problemas - físicos e mentais. Na segunda edição do podcast do Geopizza, vamos contar as principais pérolas que esses reinos incestuosos deixaram de legado. Mais tarde, a ciência deu a luz:  pela falta de variança genética, um filho de um relacionamento incestuoso tem mais chances de ter câncer, deformidades cerebrais e baixa imunidade. Escute também no Spotify:  https://spoti.fi/2X3tQKy Quer nos ajudar a produzir mais podcasts como esse e receber recompensas? A partir de R$ 2 por mês você ajuda a construir o Geopizza! Escute o podcast também no no: Spotify: https://spoti.fi/2NJLR91 Google podcasts: https://bit.ly/34zCuje   Apple Music: https://apple.co/2ItQEJT Deezer: https://bit.ly/35c4Fpl Listen Notes: https://bit.ly/2NHTIEe Chartable: https://bit.ly/32fF6RL
41:51
June 23, 2019
Exploração Espacial e o futuro do trabalho – Geopizza #01
Exploração Espacial e o futuro do trabalho – Geopizza #01
No primeiro podcast do Geopizza, debatemos as previsões feitas pelo escritor Isaac Asimov em1983, sobre como seria a tecnologia em…
51:51
May 30, 2019