Skip to main content
Lavadeiras do São Francisco • Literatura e Escrita Criativa

Lavadeiras do São Francisco • Literatura e Escrita Criativa

By Ivandro Menezes

Nascido às margens do Velho Chico, no sertão baiano, o Lavadeiras do São Francisco é um podcast de Literatura e Escrita Criativa.
Where to listen
Apple Podcasts Logo

Apple Podcasts

Google Podcasts Logo

Google Podcasts

Overcast Logo

Overcast

Pocket Casts Logo

Pocket Casts

RadioPublic Logo

RadioPublic

Spotify Logo

Spotify

Currently playing episode

O HORROR DE VERENA CAVALCANTE

Lavadeiras do São Francisco • Literatura e Escrita Criativa

1x
REALISMO HISTÉRICO
REALISMO HISTÉRICO
Olá a todas e todos. Sejam muito bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. Você já ouviu falar em realismo histérico? Sabia que escritores tão diferentes como Thomas Pynchon, David Foster Wallace, Salman Rushdie, Roberto Bolaño, Johnathan Franzen, Zadie Smith estão reunidos nesse movimento? Sabia que mutios dos clahamaços desejados ou presentes na sua estante são do realismo histérico? Aliás, é realismo histérico ou maximalismo? Essas e outras perguntas foram respondidas nesse super papo com o premiado escritor, editor e professor Wander Shirukaya. NOSSO CONVIDADO Wander Shirukaya é um pernambucano nascido em São Paulo. Graduado e mestre em Letras pela Universidade Federal da Paraíba. Publicou Balelas (Mutuus, 2011); o romance Ascensão e queda (Cepe, 2015 – vencedor do II Prêmio Hermilo Borba Filho de Literatura); Tráfico de violência (Enclave, 2019); o romance Na escuridão somos todas iguais (Cepe, 2020 – vencedor do VI Prêmio Hermilo Borba Filho de Literatura). Também organizou com João Matias a antologia crítica Diacronia: ensaios de comunicação, cultura e ficção científica (Marca de Fantasia, 2015), e com Bruno Ribeiro a antologia Cem anos de amor, loucura e morte (Moinhos, 2017). CITADOS NO EPISÓDIO Para conferir a lista completa clique aqui. FICHA TÉCNICA Apresentação, gravação e edição: Ivandro Menezes. Esse episódio usou trilhas livres de direitos autorais. A faixa David Foster Wallace, de Susie é tocada no último bloco do episódio. A vinheta usada no episódio foi extraída de The Simpsons (S13E20). REDES SOCIAIS O Lavadeiras do São Francisco está no Instagram e no Facebook. O Lavadeiras do São Francisco é uma produção independente e o conteúdo é disponibilizado gratuitamente nas plataformas de podcast. As opiniões emitidas pelos convidados são livres e de inteira responsabilidade dos mesmos. OUÇA, CURTA, COMENTE E COMPARTILHE
59:41
December 03, 2022
A ESTEREOTIPIZAÇÃO DO NORDESTINO NA LITERATURA BRASILEIRA
A ESTEREOTIPIZAÇÃO DO NORDESTINO NA LITERATURA BRASILEIRA
Olá a todas e todos. Sejam muito bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. Pense rápido: qual a primeira imagem do nordestino na litertura que você se lembra? O sertanejo vestido de vaqueiro ou o retirante passando fome? Ou seria de uma cidade com prédios, engarafamentos e toda agitação de uma cidade grande? Ou ainda de uma cidade no sertão produtora de vinho? A concepção do Nordeste como região de atraso, fome e fracasso parece permear o imaginário não apenas na literatura (vide o cenário político pós-eleições presidenciais de 2022). Convidei dois escritores nordestinos, o sergipano Aliedson Lima e o baiano Nélio Silzantov para conversarmos sobre os etereótipos do nordestino na literatura brasileira. FICHA TÉCNICA Apresentação, gravação e edição: Ivandro Menezes. Esse episódio usou trilhas livres de direitos autorais. REDES SOCIAIS O Lavadeiras do São Francisco está no Instagram e no Facebook. O Lavadeiras do São Francisco é uma produção independente e o conteúdo é disponibilizado gratuitamente nas plataformas de podcast. As opiniões emitidas pelos convidados são livres e de inteira responsabilidade dos mesmos. OUÇA, CURTA, COMENTE E COMPARTILHE
45:23
November 07, 2022
AS VEIAS INSÓLITAS DA AMÉRICA LATINA
AS VEIAS INSÓLITAS DA AMÉRICA LATINA
Olá a todas e todos. Sejam muito bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. Você sabe o que é insólito? Você já parou para pensar como essa categoria se relaciona com a literatura latino-americana? O querido Rafael Ottati está iniciando um novo projeto o As veias insólitas da América Latina para mergulhar no que nossa literatura tem de mais estranho, característico e único. Terror, fantástico, ficção científica e estranho são características que percorrem a literatura do México ao Chile, do Brasil de Machado de Assis a Argentina de Samanta Schweblin. Conversei com o Rafa sobre nomes como Machado, Borges, Bráulio Tavares, Mariana Enríquez e tantos outros, num papo delicioso e encantador. NOSSO CONVIDADO Rafael Ottati é doutor em Literatura Comparada pela UFRJ, pesquisador de distopias e do insólito na Literatura, publica resenhas no seu Instagram e participa dos canais +Literatura e Estranho Escritório. PARA PARTICIPAR DO CLUBE Você pode participar do clube As veias insólitas da América Latina clicando aqui. CONHEÇA OS LIVROS DO CLUBE Sobre a imortalidade de Rui Leão - Machado de Assis (Plutão) A casa dos espíritos - Isabel Allende (Bertrand Brasil) Pedro Páramo - Juan Rulfo (José Olympio) A invenção de Morel - Adolfo Bioy Casares (Biblioteca Azul) Nossa parte de noite - Mariana Enríquez (Intrínseca) Homens de milho - Miguel Ángel Asturias (Pinard) FICHA TÉCNICA Apresentação, gravação e edição: Ivandro Menezes. Trilha sonora: Esse episódio usou trilhas livres de direitos autorais e Latinoamerica (Calle 13). REDES SOCIAIS O Lavadeiras do São Francisco está no Instagram e no Facebook. O Lavadeiras do São Francisco é uma produção independente e o conteúdo é disponibilizado gratuitamente nas plataformas de podcast. As opiniões emitidas pelos convidados são livres e de inteira responsabilidade dos mesmos. OUÇA, CURTA, COMENTE E COMPARTILHE
01:10:01
August 28, 2022
CINEMA & LITERATURA: ADAPTAÇÕES
CINEMA & LITERATURA: ADAPTAÇÕES
Olá a todas e todos. Sejam muito bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. Você provavelmente já assistiu algum filme ou série que não sabia ser uma adaptação de romance ou conto; ou alguém dizendo que o livro é sempre melhor que o livro. Desde os primórdios, cinema e literatura caminham juntos, em paralelo. Mas quais os desafios de transpor uma linguagem para outra? Como transformar um texto literário em um filme (ou série)? Convidei Abner Melanias (do podcast Vocês Não Estão Prontos) e Ricardo Oliveira (do podcast/canal O Meu Filme Preferido) para comentarem sobre as boas e más adaptações. Conta pra gente quais as boas e más adaptações na sua opinião. NOSSOS CONVIDADOS Abner Melanias é professor, coordenador pedagógico, músico amador, modelo fotográfico e podcaster. Ricardo Oliveira é cinéfilo desde os 14 aninhos, quando descobriu numa temporada hibernando em casa o cinema de Scorcese e Kubrick. Jornalista e mestre em comunicação pela UFPB, é blogueiro e produz conteúdo pra web há 15 anos, tendo críticas de cinema publicadas no Jornal da Paraíba e revista Cenário Cultural. É criador do Diversitá, co-criador do *catavento e tem alguns roteiros para novos curtas-metragem, que um dia sairão da gaveta do Google Drive. PARA VOCÊ CONFERIR Vídeo do Ricardo sobre a adaptação de Reparação (Ian McEwan) Bruno Ribeiro no Podcast O Meu Filme Preferido Vocês Não Estão Prontos #31 - Se tá no Google...é verdade PARA AJUDAR OS ATINGIDOS PELAS CHUVAS EM ALAGOAS Faça a sua doação aos atingidos pelas chuvas em Alagoas. FICHA TÉCNICA Apresentação, gravação e edição: Ivandro Menezes. Trilha sonora: Esse episódio usou trilhas livres de direitos autorais. REDES SOCIAIS O Lavadeiras do São Francisco está no Instagram e no Facebook. O Lavadeiras do São Francisco é uma produção independente e o conteúdo é disponibilizado gratuitamente nas plataformas de podcast. As opiniões emitidas pelos convidados são livres e de inteira responsabilidade dos mesmos. OUÇA, CURTA, COMENTE E COMPARTILHE
01:15:25
July 28, 2022
O FANTASMA DE NILTON RESENDE
O FANTASMA DE NILTON RESENDE
Olá a todas e todos. Sejam muito bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. Chegando atrasado ao episódio de junho, mas aqui estamos! Recebi o escritor, professor, editor, crítico literário, dramaturgo e pesquisador Nilton Resende para uma conversa sobre Fantasma, seu romance de estreia, que acabou se desdobrando em Graciliano Ramos, Lygia Fagundes Telles, de quem o autor é pesquisador, a economia do romance, literatura brasileira contemporânea e seus gatos por lebres e suas lebres por gatos. Foi um papo pra lá de suave, profundo e divertido.  NOSSO CONVIDADO  Nilton Resende é alagoano de Maceió. É Professor Adjunto de Literatura da Universidade Estadual de Alagoas/Campus Zumbi dos Palmares, na qual coordena os Grupos de Pesquisa Ensino de Literatura (com ênfase no Ensino Médio) e Estudos da Narrativa (com ênfase em Narrativas de Ficção). Integra a Cia. Ganymedes de teatro, para a qual adaptou a novela Mário e o Mágico, de Thomas Mann, para o espetáculo O Mágico, que codirigiu e protagonizou. Publicou os livros O Orvalho e os Dias (poesia), Diabolô (contos), A construção de Lygia Fagundes Telles: edição crítica de Antes do Baile Verde, Fantasma (romance). No cinema, tem trabalhado como ator, roteirista, preparador e diretor de elenco. O curta metragem A Barca (2020), baseado no conto “Natal na barca”, de Lygia Fagundes Telles, é seu primeiro filme como roteirista e diretor.  ONDE ADQUIRIR FANTASMA? Para adquirir Fantasma, basta clicar aqui. Conheça o catálogo da Trajes Lunares. Vídeo de lançamento de Fantasma. PARA AJUDAR OS ATINGIDOS PELAS CHUVAS EM ALAGOAS Faça a sua doação aos atingidos pelas chuvas em Alagoas.  FICHA TÉCNICA Apresentação, gravação e edição: Ivandro Menezes.  Trilha sonora: Esse episódio usou trilhas livres de direitos autorais. REDES SOCIAIS O Lavadeiras do São Francisco está no Instagram e no Facebook. O Lavadeiras do São Francisco é uma produção independente e o conteúdo é disponibilizado gratuitamente nas plataformas de podcast. As opiniões emitidas pelos convidados são livres e de inteira responsabilidade dos mesmos.  OUÇA, CURTA, COMENTE E COMPARTILHE
59:05
July 06, 2022
COMETERRA
COMETERRA
Olá a todas e todos. Sejam muito bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. Recebi a escritora Isa de Oliveira para falarmos sobre nossas impressões sobre Cometerra, romance da argentina Dolores Reys, lançado pela Moinhos e que conta com a tradução de Elisa Menezes. Mergulhamos nessa história sobre feminicídios, pobreza, deslocamentos e ausências. Para quem leu o romance é um convite a umatroca de ideias e para quem ainda não leu um bom jeito de saber do que se trata (spoilers free) e ficar com vontade de ler.  NOSSA CONVIDADA Isa de Oliveira é doutoranda e mestre em Estudos de Linguagens, revisora, resenhista e crítica, produtora de conteúdo do bookstagram @corujadasletras, poeta e escritora, autora de Intermitências (Crivo Editorial, 2019). Escreve para a coluna O Pio da Coruja no LiteraturaBR. APOIE URSO Confira aqui. FICHA TÉCNICA Apresentação, gravação e edição: Ivandro Menezes. Na trilha deste episódio foi utilizada as canções Hangover (BaBaBa) (Buraka Sound System), Feel It Still (Portugal The Man) e Gramame Midnight (RMS). O Lavadeiras do São Francisco é uma produção independente e o conteúdo é disponibilizado gratuitamente nas plataformas de podcast. As opiniões emitidas pelos convidados são livres e de inteira responsabilidade dos mesmos. OUÇA, CURTA, COMENTE E COMPARTILHE
56:19
May 20, 2022
LITERATURA LGBTQIA+
LITERATURA LGBTQIA+
Olá a todas e todos. Sejam muito bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. Afinal, o que é literatura LGBTQIA+? É aquela escrita por autores ou que possuem personagens gays, lésbicas, bissexuais, assexuais, travestis, não binários? Como gênero e sexualidade é capaz de definir uma literatura ou é apenas um rótulo para abarcar uma fatia do mercado literário? O certo é que de Safo de Lesbos a Natália Borges Polesso a literatura sempre questionou, retratou e sublimou as experiências humanas, incluindo as diversas sexualidades. Conversei com Bárbara Kraus, James Tiago e Paulo Lannes sobre o tema, num papo esclarecedor, leve e bastante produtivo.  NOSSOS CONVIDADOS Bárbara Krauss é jornalista, leitora, vegana e comanda o B de Barbárie. James Thiago é carioca, psicólogo e co-criador do Clube de Leitura LGBT. Paulo Lannes é carioca, pesquisador, jornalista, co-criador da Editora Pinard e do Clube de Leitura LGBT. CITADOS NO EPISÓDIO Confira aqui. FICHA TÉCNICA Apresentação, gravação e edição: Ivandro Menezes. Na trilha deste episódio foi utilizada as canções Feliz e ponto (Silva), Nothing Else Matters (Mon Laferte), Imitation of Life (R.E.M.) e Tua (Liniker e os Caramelows). O Lavadeiras do São Francisco é uma produção independente e o conteúdo é disponibilizado gratuitamente nas plataformas de podcast. As opiniões emitidas pelos convidados são livres e de inteira responsabilidade dos mesmos. OUÇA, CURTA, COMENTE E COMPARTILHE
01:26:31
February 18, 2022
COMO ORGANIZAR UM LIVRO DE CONTOS
COMO ORGANIZAR UM LIVRO DE CONTOS
Olá a todas e todos. Sejam muito bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. Você já sentiu com vontade de escrever um livro de contos? Já escreveu e está confuso em como organizá-lo? Tem simplesmente curiosidade de entender o processo? Conversei com o escritor, doutor em Escrita Critaiva (PUC-RS) e co-fundador da Edícula Literária, Tiago Germano, que explicou um pouco de seu processo para organizar o seu Catálogo de pequenas espécies, recém-lançado pela Editora Caos & Letras. NOSSO CONVIDADO Tiago Germano nasceu em Picuí (PB), em 1982. É autor dos romances “O que pesa no Norte” (2020), “A mulher faminta” (2018) e da coletânea de crônicas “Demônios domésticos” (2017), vencedora do Prêmio Minuano de Literatura e finalista do Jabuti. É mestre e doutor em escrita criativa pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, e foi bolsista do Programa Institucional de Internacionalização da CAPES na School of Literature, Drama and Creative Writing da University of East Anglia, na Inglaterra, por onde passaram o Booker Prize Ian McEwan e o Nobel de Literatura Kazuo Ishiguro. *Este episódio conta com o apoio da Edícula Literária. FICHA TÉCNICA Apresentação, gravação e edição: Ivandro Menezes. Na trilha deste episódio foi utilizada as canções Parabelo (Tom Zé), Burn the witch (Queens of The Stone Age) e There's a light that never goes out (The Smiths). O Lavadeiras do São Francisco é uma produção independente e o conteúdo é disponibilizado gratuitamente nas plataformas de podcast. As opiniões emitidas pelos convidados são livres e de inteira responsabilidade dos mesmos. OUÇA, CURTA, COMENTE E COMPARTILHE
01:23:24
January 21, 2022
TRÊS MOTIVOS PARA LER PORCO DE RAÇA
TRÊS MOTIVOS PARA LER PORCO DE RAÇA
[Este episódio é livre de spoilers] Olá a todas e todos. Sejam muito bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. Porco de Raça é o quarto romance de Bruno Ribeiro, vencedor do Prêmio Machado da Darkside Books. Um professor negro, fracassado, é sequestrado e forçado a lutar num ringue clandestino em Buenos Aires. Onírico e pé no chão, brutal e desnso, tenso e divertido são alguns contrastes que tornam a experiência de leitura ainda mais agradável. Pesonagens esféricas, enredo afiado, ritmo veloz, tenso e contante, recheado de aspereza, brutalidade e crítica social acrescentam camadas ao romance. Bruno remixa referências diversas para construir um romance robusto e divertido. Aqui comento alguns desses aspectos e reuno três boas razões para você ler. *Para comprar o livro, basta clicar aqui. CITADOS NO EPISÓDIO Resenha | Porco de Raça | LiteraturaBR Livro | Como usar um pesadelo (Bruno Ribeiro) Os disfraces do Racismo | Saia Justa | GNT MC Carol e Pastor Henrique Vieira | Jogo de Duplas | GNT FICHA TÉCNICA Apresentação, gravação e edição: Ivandro Menezes.  Na trilha deste episódio foi utilizada Por una cabeza (Carlos Gardel), Pickin On me (Skunk Anansie), Nego Dito (Itamar Assmpção), Me and the Devil (Robert Johnson) e You Aint The Problem (Michael Kiwanuka). O Lavadeiras do São Francisco é uma produção independente e o conteúdo é disponibilizado gratuitamente nas plataformas de podcast. As opiniões emitidas pelos convidados são livres e de inteira responsabilidade dos mesmos. OUÇA, CURTA, COMENTE E COMPARTILHE
38:26
December 10, 2021
PESSIMISMO, MODERNIDADE E LITERATURA
PESSIMISMO, MODERNIDADE E LITERATURA
Olá a todas e todos. Sejam muito bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. A Modernidade é conhecida como um período de profundas transformações históricas, tecnológicas e culturais que redefininiram o modo como pensamos, agimos, sentimos e nos relacionamos com o mundo. Um profundo sentimento de deslocamento e não pertencimento é percebido com o advento da Modernidade e está presente na obra de filósofos, sociólogos, médicos e escritores. Partindo da obra do poeta inglês W. B. Yeats, o nosso convidado, o professor, escrito e sociólogo, João Matias, explicou os elementos que compõe o pessimismo, sua relação com a Modernidade e com os nossos dias, e o modo como essa característica se tornou uma marca essencial da literatura ocidental. Um papo pra lá de esclarecedor e especial. NOSSO CONVIDADO  João Matias nasceu em Juazeiro do Norte (CE) e é radicado em João Pessoa (PB). Escritor, sociólogo, professor e roteirista. Tem doutorado em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), onde defendeu tese que explorava a obra de João Ubaldo Ribeiro e Peppetela. É professor na Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Também atua como editor na Revista Blecaute de Literatura e é um dos organizadores do Encontro de Literatura Contemporânea, em Campina Grande-PB. Em 2022 publicará pela Caos & Letras o seu quarto livro de contos. CITADOS NO EPISÓDIO Ensaio - W. B. Yeats, pessimismo e literatura Às avessas - Jori-Karls Huyssman (Cia. das Letras) Como usar um pesadelo - Bruno Ribeiro (Caos & Letras) Meio Estreito - Roberto Menezes (Caos & Letras) Viva o povo brasileiro - João Ubaldo Ribeiro (Alfaguara) A geração da utopia - Peppetela (Leya) FICHA TÉCNICA  Apresentação, gravação e edição: Ivandro Menezes  Na trilha deste episódio foi utilizada Intro (The XX), Baile Muderno (Chico Correia and Eletronic Band) e Lost Horse (Asaf Avidan).  *Este episódio teve o apoio da Editora Caos & Letras. O Lavadeiras do São Francisco é uma produção independente e o conteúdo é disponibilizado gratuitamente nas plataformas de podcast. As opiniões emitidas pelos convidados são livres e de inteira responsabilidade dos mesmos.  OUÇA, CURTA, COMENTE E COMPARTILHE
47:12
November 26, 2021
O HORROR DE VERENA CAVALCANTE
O HORROR DE VERENA CAVALCANTE
Olá a todas e todos. Sejam muito bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. A escritora Verena Cavalcante é uma das novas e promissoras vozes do terror. Seus contos são afiados, revelam dramas, angústias, tensões humanas e despertam o horror das ações mais vis e inesperadas. Sua estreia, em 2015, com Larva (Oito e Meio) é todo ambientado na infância, contando o horror nas vozes de crianças. O trabalho de linguagem é primoroso, atento e emula com destreza aspectos da oralidade e cotidiano infantis. Em O berro do bode (Penalux) trilha caminho diverso, mergulhando na feminilidade e nos horrores que nascem da animalidade e crueza do humano. Em 2021, Verena chega com novo livro, Inventário de predadores domesticos (Darkside) e o que espera das novas histórias da autora? Conversei com ela sobre o novo livro, terror, influências, o gosto por Clarice Lispector.  NOSSA CONVIDADA Verena Cavalcante é mãe, escritora, tradutora, revisora de textos e professora de idiomas. Formou-se em Letras pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (pucc) e atualmente também divide seu tempo com o estudo da psicanálise. Verena publicou seu primeiro livro, Larva em 2015, aos 25 anos. Em 2018, lançou seu segundo livro, O Berro do Bode. Sua voz única e visceral carrega um alto teor de verdade, especialmente quando aborda a infância e os terrores do universo feminino. A realidade na ficção de Verena Cavalcante é absolutamente chocante, e ela mergulha em diferentes universos (femininos e masculinos, infantis e adultos, mágicos e mundanos) de maneira bastante peculiar. Nesses tempos pandêmicos, vive reclusa em uma casa no interior de São Paulo com dois gatos, dois cachorros, um homem, um bebê, e seus demônios. FICHA TÉCNICA Apresentação, gravação e edição: Ivandro Menezes  Na trilha deste episódio foi utilizada American Horror Story Theme, Halloween Theme e Burn The Witch (Quens of The Stone Age). COLABORE com o Lavadeiras do São Francisco (Pix): 03987ada-f9d1-44a5-a403-acb1a041892b O Lavadeiras do São Francisco é uma produção independente e o conteúdo é disponibilizado gratuitamente nas plataformas de podcast. As opiniões emitidas pelos convidados são livres e de inteira responsabilidade dos mesmos. OUÇA, CURTA, COMENTE E COMPARTILHE
36:49
November 19, 2021
MEIO ESTREITO - A PERIFERIA DE ROBERTO MENEZES
MEIO ESTREITO - A PERIFERIA DE ROBERTO MENEZES
Olá a todas e todos. Sejam muito bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. Recentemente, o escritor Roberto Menezes laçou o seu primeiro livro de contos, Meio Estreito, que chega pela editora Caos & Letras. Em dez contos, Roberto mergulha na Tibiri de sua infância e juventude reconstruindo um cenário marcado pela violência e dificuldade, mas também pela alegria, amizade, amores e desejos, e assim lança um retratao fidedigno da periferia da vigéma cidade mais violenta da América Latina. Essa realidade permeada pelo fluxo constante, pelo trem e coletivos lotados, por peladas e partidas de flipimerando com ares de guerra, a dúvida entre a oportunidade de um moneto com as garotas ou assistir um novo filme, de vendedores ambulantes, entregadores de comida e pastores evangélicos, da vendeta aos grupos de extermínio, do encontro entre a inocência da infância e a suspeita com a saída de um egresso do sistema penitenciário, quando a imaginação fértil ante a escassez se mescla ao real, permeando de magia e cores as crenças, os medos, as dores, a morte e os afetos. Falamos sobre o livro, a literatura drone e a planfetária, o processo criativo e as semelhanças e distinções deste trabalho e de suas obras anteriores. Um papo franco, direto e tão divertido quanto uma partida de Samurai Shadow (como diz no livro). NOSSO CONVIDADO Roberto Menezes é um escritor, DJ, físico, professor e pesquisador da Universidade Federal da Paraíba. Autor dos romances Pirilampos Cegos, O gosto amargo de qualquer coisa, Palavras que devoram lágrimas, Julho é um bom mês para morrer e Trago comigo as dores de todos os homens. Além desses, escreveu Despoemas e Conversa de Jardim (em parceria com Maria Valéria Rezende). Participa do Clube do Conto da Paraíba e integrou o coletivo Caixa Baixa.  FICHA TÉCNICA Apresentação, gravação e edição: Ivandro Menezes  Na trilha deste episódio foi utilizada a vinheta da Rádio Líder FM (Santa Rita-PB), Samurai Shodown e Diário de um detento (Racionais MC's feat. Seu Jorge). COLABORE com o Lavadeiras do São Francisco (Pix): 03987ada-f9d1-44a5-a403-acb1a041892b O Lavadeiras do São Francisco é uma produção independente e o conteúdo é disponibilizado gratuitamente nas plataformas de podcast. As opiniões emitidas pelos convidados são livres e de inteira responsabilidade dos mesmos. OUÇA, CURTA, COMENTE E COMPARTILHE
51:55
October 25, 2021
MODINHA LATINO-AMERICANA?
MODINHA LATINO-AMERICANA?
Olá a todas e todos. Sejam muito bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. Há algumas semanas num bate-papo entre o escritor Roberto Menezes e o Isaías Livro Bakana surgiu a pergunta: "É modinha ler escritores e escritoras latino-americanos?". Pensando nessa pergunta e nos desdobramentos de uma resposta afirmativa, convidei o squeridos Paulo Lannes, Olívia e Nathan Matos para um papo sobre essa tal modinha latino-americana e outros desdobramentos.  NOSSOS CONVIDADOS Paulo Lannes é carioca, pesquisador, jornalista e co-criador da @pinard.livros. Nathan Matos é cearense, criador do LiteraturaBR e editor da Moinhos. CATARSE - A FAMÍLIA DO COMENDADOR (PINNARD) Para colaborar, clique aqui. FICHA TÉCNICA Apresentação, gravação e edição: Ivandro Menezes  Na trilha deste episódio foi utilizada Latinoamérica (Calle 13). COLABORE com o Lavadeiras do São Francisco (Pix): 03987ada-f9d1-44a5-a403-acb1a041892b Atenção: O Lavadeiras do São Francisco é uma produção independente e o conteúdo é disponibilizado gratuitamente nas plataformas de podcast. As opiniões emitidas pelos convidados são livres e de inteira responsabilidade dos mesmos. OUÇA, CURTA, COMENTE E COMPARTILHE.
41:03
October 09, 2021
O PARQUE DAS IRMÃS MAGNÍFICAS
O PARQUE DAS IRMÃS MAGNÍFICAS
Olá a todas e todos. Sejam muito bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. Nesse episódio teremos um bate-papo sobre O parque das irmãs magníficas, romance da argentina Camila Sosa Villada (Tusquets, 2021), com Aline Teixeira e Paulo Lannes, em parceria com o Canal +Literatura. O romance acompanha a trajetória de uma travesti recém-chegada a Córdoba e suas desventuras junto a um grupo diverso, efusivo, melancólico e festivo rodeados na figura da Tia Encarna e do seu filho brilho. Da cruel realidade das vidas travestis ao mágico e o místico, do desejo e repulsa, dos amores e decepções, tece com riqueza e complexidade cada uma dessas vidas. Aline e Paulo compartilham suas percepções, acrescentam novos olhares para lançar luzes sobre esse livro potente e comovente. NOSSOS CONVIDADOS  Aline Teixeira nasceu em Limeira, interior de São Paulo e cidade da escritora Verena Cavalcante, é uma simpatia de pessoa e ama ficção científica. Paulo Lannes é carioca, pesquisador, jornalista e co-criador da @pinard.livros. FICHA TÉCNICA  Apresentação, gravação e edição: Ivandro Menezes  Na trilha deste episódio foi utilizada Bixa (Oxa), Si no hablarmos (Pedro Aznar & Manuel García) e Tengo Miedo Torero (Eva Ayllón & Diego El Cigala).  Colabore com o Lavadeiras do São Francisco (Pix): 03987ada-f9d1-44a5-a403-acb1a041892b Atenção: O Lavadeiras do São Francisco é uma produção independente e o conteúdo é disponibilizado gratuitamente nas plataformas de podcast. As opiniões emitidas pelos convidados são livres e de inteira responsabilidade dos mesmos.  Ouça, curta, comente e compartilhe.
53:01
August 11, 2021
RELATOS INSIGNIFICANTES DE VIDAS ANÔNIMAS | Entrevista com Rosana Vinguenbah
RELATOS INSIGNIFICANTES DE VIDAS ANÔNIMAS | Entrevista com Rosana Vinguenbah
Olá, pessoas! Sejam bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. Relatos insignificantes de vidas anônimas, livro de contos da mineira Rosana Vinguenbah, em pré-venda pela Editora Caos & Letras, mergulha no realismo mágico para lançar luzes sobre a vida de pessoas em pequenas cidades. Mais afiado que o seu antecessor, o romance Sopa de Pedras (Penalux, 2018), nos apresenta uma escritora mais consciente de sua escrita e projeto. Aposta no regionalismo, nas pequenas cidades do interior e nessa vida simples que esconde complexidades afetivas, morais e axiológicas. Rosana nos apresenta personagens de um tempo que pode ser o ontem e anteontem ou o aqui e o agora; tece tramas de beleza rústica e delicadas, indo do estranho ao belo, e do belo ao etéreo, e do etéreo ao chão, e do chão ao firmamento. Conversei com a escritora sobre o desenvolvimento desse novo trabalho, influências e processo de escrita. NOSSA CONVIDADA Rosana Vinguenbah nasceu em São Paulo (capital) e é radicada em Minas Gerais desde a infância. É bióloga formada pela Universidade de Franca/SP e Especialista em Gestão Ambiental, Gestão Microrregional em Saúde, Planejamento Orçamentário e Financeiro do SUS Municipal e Administração Pública. Atua como Funcionária Pública Municipal. Sopa de Pedras foi sua estreia na literatura e Relatos insignificantes de vidas ausentes é seu segundo livro. FICHA TÉCNICA Apresentação, gravação e edição: Ivandro Menezes Na trilha deste episódio foi utilizada cantos do povo Simplicidade (Pato Fu) e Gramame Midnight (RMS). O Lavadeiras do São Francisco é uma produção independente e o conteúdo é disponibilizado gratuitamente nas plataformas de podcast. As opiniões emitidas pelos convidados são livres e de inteira responsabilidade dos mesmos. Ouça, curta e compartilhe.
51:41
June 17, 2021
PARA LER ELENA FERRANTE
PARA LER ELENA FERRANTE
Olá, pessoas! Sejam bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. Um dos grandes mistérios que cercam a literatura mundial atende pelo nome Elena Ferrante. Quem é a autora italiana? um coletivo de escritores? Uma editora? Um famoso escritor italiano? Enquanto a sua pessoa atiça a curiosidade de leitores e jornalistas, a sua obra é incontestavelmente grande e alcança leitoras e leitores de várias nacionalidades e tipos. Seus romances, em especial, a tetralogia napolitana, trata de dilemas humanos a partir de uma ótima sensível, crua, honesta e feminina. A escrita simples, porém densa, fascina pela capacidade de revelar personagens, dramas e dilemas profundos e cotidianos. Para tratar sobre Ferrante e estabelecer um guia para aqueles que desejam conhecer a sua obra, me reuni a Luísa Gadelha, que pesquisa a obra da autora. Uma conversa leve e regada a risos e curiosidades. NOSSA CONVIDADA Luísa Gadelha nasceu em João Pessoa (Paraíba). É doutoranda da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, na área de Estudos Literários, Interartísticos e Culturais, possui mestrado em Linguística (2012) e graduação em Letras (2009), ambos pela Universidade Federal da Paraíba. Foi tutora do curso Letras Libras (UFPB Virtual) de 2011 a 2015. Atualmente é servidora técnico-administrativa do CCJ-UFPB. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Psicolinguística, e Literatura e Estudos Feministas. FICHA TÉCNICA Apresentação, gravação e edição: Ivandro Menezes Na trilha deste episódio foi utilizada cantos do povo Italian Music  Background Chill Out e Lost On You (Live Session). O Lavadeiras do São Francisco é uma produção independente e o conteúdo é disponibilizado gratuitamente nas plataformas de podcast. As opiniões emitidas pelos convidados são livres e de inteira responsabilidade dos mesmos. Ouça, curta e compartilhe.
41:09
June 03, 2021
LITERATURA E ANTROPOLOGIA
LITERATURA E ANTROPOLOGIA
Olá a todos e todas! Sejam bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. A Antropologia surgiu num esforço para compreender a origem do homem e na busca por compreendê-lo. Sob o exercício da alteridade, voltou-se aos povos não ocidentais, adentrando nos rincões da África, América e Ásia para compreender o humano em seus costumes, hábitos, relações familiares, crenças, valores e normas. Em comum, a Literatura aventura-se na busca pelo humano, sob o manto da arte e tecendo narrativas que tentam reconstruir as emoções, relações, crenças e valores. O professor Alexandre Nodari pensa a Literatura como uma Antropologia especulativa tamanha a conexão. É sobre esses encontros, tensões e aproximações, que trataremos nesse episódio.     NOSSA CONVIDADA Karlene Bianca de Oliveira é graduada em Arquitetura e Urbanismo, com especialização em Artes Visuais, mestrado em Ciências Sociais - Antropologia pela UNIFESP e doutoranda em Antropologia pela UFPA. Desenvolve performances artísticas que exploram espaços públicos e privados, desejos, o corpo feminino e transtornos mentais. Desenvolveu pesquisa versam sobre sexualidade e corporalidade na saúde mental. Em seu doutorado, estuda as possíveis curas para transtornos mentais através das Medicinas da floresta e a relação entre os seres encantados, saúde e doença. FICHA TÉCNICA   Apresentação, gravação e edição: Ivandro Menezes   Na trilha deste episódio foi utilizada cantos do povo Fulni-Ô, do Buraka Som Sistema e da Burro Morto.   O Lavadeiras do São Francisco é uma produção independente e o conteúdo é disponibilizado gratuitamente nas plataformas de podcast. As opiniões emitidas pelos convidados são livres e de inteira responsabilidade dos mesmos.  Ouça, curta e compartilhe.
01:05:45
March 26, 2021
FICÇÃO CIENTÍFICA 101
FICÇÃO CIENTÍFICA 101
Olá a todos e todas! Sejam bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. A ficção científica é um dos grandes gêneros da literatura. Considerada por muitos como menor, é cercada de preconceitos e mal entendidos. A quem alegue que tem de ter algo de ciência, em especial, as naturais, contrapondo-se à gravidade e aos limites da natureza humana, com híbridos, viagens espaciais, máquinas mirabolantes, sabres de luz. Praticada por escritores célebres do gênero, como Isaac Asimov, George Orwell, Aldous Huxley, Philip K. Dick, ou por outros que neguem tal associação com Margaret Atwood, Ian McEwan, Kazuo Ishiguro e outros, o certo é que a ficção científica vai além de viagens espaciais, alienígenas e máquinas do tempo. Para todos aqueles, que como eu, são neófitos ou mesmo alheios a tal literatura, convoquei a escritora Isabor Quintiere para conversar conosco e trazer luz e um pequeno roteiro para quem deseja se aventurar na ficção científica.  NOSSA CONVIDADA  Isabor Quiniere é uma escritora paraibana, professora e mestranda em Letras pela Universidade Federal da Paraíba. Autora de A cor humana (Ed. Escaleras, 2018), Os filhos de Asher (em e-book na Amazon) e contos em coletâneas e revistas diversas. Vencedora do Prêmio Odisseia de Literatura Fantástica 2019, na categoria Narrativa Curta Horror, com o conto Madres, que integra o A cor humana.   FICHA TÉCNICA  Apresentação, gravação e edição: Ivandro Menezes  Na trilha deste episódio foi utilizada a faixa Gramame Midnight, do DJ paraibano RMS.  O Lavadeiras do São Francisco é uma produção independente e o conteúdo é disponibilizado gratuitamente nas plataformas de podcast. As opiniões emitidas pelos convidados são livres e de inteira responsabilidade dos mesmos. Ouça, curta e compartilhe.
52:54
February 08, 2021
LUANDA, LISBOA, PARAÍSO
LUANDA, LISBOA, PARAÍSO
Olá a todos e todas! Sejam bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. Nesse episodio, o papo é com Paulo Lannes (Lendo Arte e Editora Pinnard) para falarmos sobre o romance Luanda, Lisboa, Paraíso, da escritora Djaimilia Pereira de Almeida. O romance, vencedor do Prêmio Oceanos, dentre outros, narra a história de pai e filho que partem de Luanda para Lisboa em busca de tratamento médico. É a partir que um rede de acontecimentos, sentimentos, carências e afetos se desenvolvem.  FICHA TÉCNICA Apresentação, gravação e edição: Ivandro Menezes Na trilha deste episódio foram usadas faixas (disponíveis no YouTube): Lisboa não é a cidade perfeita (Deolinda), O paraíso (Madredeus) e Hangover (BaBaBa) (Buraka Som Sistema). O Lavadeiras do São Francisco é uma produção independente e o conteúdo é disponibilizado gratuitamente nas plataformas de podcast. As opiniões emitidas pelos convidados são livres e de inteira responsabilidade dos mesmos. Ouça, curta e compartilhe.
55:50
January 29, 2021
AS MELHORES LEITURAS DE 2020
AS MELHORES LEITURAS DE 2020
Olá a todos e todas! Sejam bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco, a esse primeiro episodio de 2021 (feito para ser o último de 2020), no qual traremos as listas de melhores leituras do ano. Toda lista contém justiça e injustiça, convergências e divergências, pois é fruto da arbitrariedade e das escolhas individuais e, portanto, subjetivas de quem as faz. Como em meio a pandemia nosso podcast encontrou alento e companheirismo no canal coletivo +Literatura, nada mais justo, que convocar alguns amigos de canal para trazerem as suas escolhas entre as seguintes categorias: melhor leitura do ano, melhor romance (brasileiro e estrangeiro), melhor livro de contos (brasileiro e estrangeiro), decepção e editora destaque.  NOSSOS CONVIDADOS Isaías Lima, potiguar, encrenqueiro e professor de Geografia, é o boss do Canal +Literatura e responde pelo perfil @livrobakana. Tati Frogel, carioca, a cara da riqueza e amante de Paris e trequinhos de papelaria.Você a encontra no @readandthink_2018. Wholacy Fonseca, publicitário, produtor de conteúdo, gente boa (ao contrário do Isaías) e galã de novela do SBT. É facilmente encontrado no @viajonolivro. FICHA TÉCNICA Apresentação, gravação e edição: Ivandro Menezes Na trilha deste episódio foram usadas faixas (disponíveis no YouTube) de Chico Correa & Eletronic Band, Tom Zé e Burro Morto. O Lavadeiras do São Francisco é uma produção independente e o conteúdo é disponibilizado gratuitamente nas plataformas de podcast. As opiniões emitidas pelos convidados são livres e de inteira responsabilidade dos mesmos.  Ouça, curta e compartilhe.
01:13:10
January 07, 2021
KRAMP
KRAMP
Olá a todas e todos! Kramp é o primeiro romance da chilena María José Ferrada, lançado no Brasil pela Moinhos, com tradução da Silvia Massimini Felix. Esse breve episódio, Ivandro Menezes, fala sobre suas impressões sobre o livro.
17:15
November 24, 2020
LITERATURA E DESLOCAMENTOS
LITERATURA E DESLOCAMENTOS
Olá a todas e todos! Chegamos a mais um episódio. Dessa vez, para falar sobre LITERATURA E DESLOCAMENTOS, com a participação dos escritores, em ordem alfabética, Bruno Ribeiro e Débora Ferraz, gravado durante a edição virtual do FesfFronteira. Em que medida os deslocamentos contribuem para a literatura? Como o fato de estar ou transitar por outros lugares, esse estranhamento de ser estrangeiro, reverterá na construção dos personagens e mesmo no modo como enxergamos a nossa literatura e a literatura dos que nos cercam?  Tentamos desbravar os nossos perecimentos e deslocamentos. Junte-se a nós. Os links estão na bio e nos destaques. NOSSOS CONVIDADOS Bruno Ribeiro, um mineiro radicado na Paraíba. Escritor, tradutor, roteirista e editor na Enclave. Já publicou em diversos jornais, revistas, blogues e antologias. Autor do livro de contos Arranhando Paredes (Bartlebee, 2014) traduzido para o espanhol pela editora argentina Outsider e do romance Febre de Enxofre (Penalux, 2016). Mestre em Escrita Criativa pela Universidad Nacional de Tres de Febrero, editor da Revista Sexus, foi um dos vencedores do concurso Brasil em Prosa, promovido pelo jornal O Globo e pela Amazon, também foi finalista do Prêmio Sesc de Literatura 2016 e do Prêmio Kindle de Literatura. Débora Ferraz nasceu em Serra Talhada, no sertão pernambucano, mas desde 2001 vive em João Pessoa, onde formou-se em Jornalismo pela Universidade Federal da Paraíba (2009). Vencedora do Prêmio Sesc e do Prêmio São Paulo de Literatura, com seu primeiro romance, Enquanto Deus não está olhando. É doutora em Escrita Criativa pela PUC-RS. Ministra cursos de Escrita Criativa. NA TRILHA SONORA Baile Muderno e Eu pisei na Pedra, ambas da Chico Correa & Eletronic Band. Paraíba, meu amor de Chico César. *Este podcast radicado no sertão baiano é feito na Paraíba. ** Agradecimento especial ao escritor gaúcho R. Tavares pelo convite para o FestFronteira.
55:24
September 12, 2020
EDITORAS INDEPENDENTES - CAOS & LETRAS
EDITORAS INDEPENDENTES - CAOS & LETRAS
Olá, todas e todos. Sejam bem-vindos a mais um episódio, eu, Ivandro Menezes, recebo os escritores e editores da Caos & Letras, Cristiano Rato e Eduardo Sabino, para um papo sobre o primeiro ano da editora, planos, projetos, mercado literário, pandemia. Vem junto para esse papo arretado. VINHETA Tesseracto | Poema de Calí Boreaz | Leitura de Noemia | @estante_da_no TRILHA A Gente Não Concede Terminar | Miêta Simplicidade | Pato Fu Uh Uh Uh, Lá Lá Lá, Ié Ié | Pato Fu INSTAGRAM Lavadeiras do São Francisco | @lavadeirassf
45:37
August 15, 2020
MÔNICA VAI JANTAR
MÔNICA VAI JANTAR
Olá a todas e todos! Estamos de volta com mais um episódio e dessa vez para falar sobre o ótimo Mônica vai jantar*, romance do baiano Davi Boaventura, lançado pela Editora Dublinense. No romance, Mônica se arruma para um jantar da empresa após receber a notícia de que o marido foi espancado, quase linchado, ao ser pego se masturbando num ônibus coletivo. Engenhosamente narrado, sem o uso maiúsculas e pontuação, num fôlego só, entre sentimentos díspares, difusos e confusos. Convidamos o autor para tratar sobre seu processo de criação, técnicas de fluxo de consciência, incentivos à escrita e leitura, o planeta Bahia (risos) e muito mais. FAÇA AQUI SEUS COMENTÁRIOS, CRÍTICAS, SUGESTÕES NOSSO INSTAGRAM: @lavadeirassf VINHETA USADA NO EPISÓDIO: Brasil Urgente - Homem é flagrado se masturbando em ônibus NA TRILHA DO EPISÓDIO Sinnerman - Nina Simone Bahia Noir - Eduardo Queiroz APRESENTAÇÃO E EDIÇÃO: Ivandro Menezes *Adquira o livro com desconto, basta usar o cupom LITBRAS40
50:03
July 25, 2020
LITERATURA E FEMINISMO
LITERATURA E FEMINISMO
Olá a todas e todos, sejam bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. Existe diferença entre a autoria masculina e a autoria feminina? Por que apenas a literatura escrita por mulheres é dotada de um qualificativo de gênero? Realmente importa discutir feminismo na literatura? Essas e outras perguntas perpassam o papo pra lá de arretado que tive  com a escritora e pesquisadora Luísa Gadelha nesse episódio sobre Literatura e Feminismo.  NOSSA CONVIDADA Luísa Gadelha, paraibana, é doutoranda pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, na área de Estudos Literários, Interartísticos e Culturais, possui mestrado em Linguística (2012) e graduação em Letras (2009), ambos pela Universidade Federal da Paraíba. Foi tutora do curso Letras Libras (UFPB Virtual) de 2011 a 2015. Atualmente é servidora técnico-administrativa do CCJ-UFPB. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Psicolinguística, e Literatura e Estudos Feministas.  VINHETAS "O feminismo é para quem gosta de transformações sociais", diz a filósofa Marcia Tiburi (TV Brasil) Vanessa Carvalho - Leia Mulheres BSF Bárbara Krauss - Sobre Literatura e Feminismo Autoria Feminina no meio literário - Constância Lima Duarte (TV UFMG) TRILHA Woman - Cat Power Glory Box - Thandi Phoenix (Like A Version) O meu amor (Marieta Severo e Elba Ramalho) Cry Baby (Janis Joplin) Garotas boas vão pro céu, garotas más vão pra qualquer lugar Gramame Midnight - RMS *Todas as trilhas e vinhetas utilizadas nesse episódio estavam disponíveis para acesso no YouTube, e são utilizadas sem qualquer fim comercial.
01:05:04
July 13, 2020
PARA LER JOÃO UBALDO RIBEIRO
PARA LER JOÃO UBALDO RIBEIRO
O escritor João Ubaldo Ribeiro nasceu em Itaparica (BA), em 23 de janeiro de 1941. Vencedor de dois Jabutis e do Prêmio Camões, notabilizou-se por obras como Sargento Getúlio, Viva o Povo Brasileiro, A casa dos budas ditosos, entre outros romances, contos e crônicas. Dono de um humor, sempre dizia que não tinha cara ou jeito de escritor, o que não o impediu de ser o sétimo ocupante da Cadeira nº 34 na Academia Brasileira de Letras. Faleceu no dia 18 de julho de 2014, no Rio de Janeiro, aos 73 anos. Aos que conhecem ou querem conhecer a sua obra, convidamos o professor, escritor e pesquisador João Matias, dono de uma tese sobre a identidade nacional entre Angola e Brasil nas obras de Pepetela e João Ubaldo Ribeiro, para nos conduzir na obra e leitura do autor. NOSSO INSTAGRAM: https://www.instagram.com/lavadeirassf/ VINHETAS E TRILHA SONORA: Roda Viva - TV Cultura - João Ubaldo Ribeiro Beira Mar - Cabruêra Sertão (Instrumental) - Eduardo Queiroz Bahia Noir - Eduardo Queiroz Mercy Street - Peter Gabriel
51:24
June 30, 2020
O NARRADOR
O NARRADOR
Olá a todas e todos, sejam bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. O nosso intuito é conversar sobre Literatura, livros, escrita criativa e muito mais. Nesse episódio, batemos um papo com o escritor, tradutor, roteirista, professor e editor, Bruno Ribeiro, sobre o narrador. Certamente, essa é das escolhas mais importantes no momento de criação literária, ele é quem nos conduzirá ao longo da trama, revelando, escondendo, enganando o leitor. Falamos sobre os processos de escolha, composição e caminhos dessa escolha numa conversa objetiva e elucidativa para quem escreve - ou pensa em escrever - e para quem quer apenas se tornar um leitor mais experimentado e atento. CITADOS NO EPISÓDIO Febre de Enxofre - Bruno Ribeiro (Penalux) Glitter - Bruno Ribeiro (Moinhos) Bartolomeu - Bruno Ribeiro (KDP) A arte da ficção - David Lodge (L&PM) Para ler como um escritor - Francine Prose (Zahar) São Bernardo - Graciliano Ramos (Record) Oito do Sete - Cristina Judar (Reformatório) Trago comigo as dores de todos os homens - Roberto Menezes (Escaleras) Memórias Póstumas de Brás Cubas - Machado de Assis (Penguin) Zumbis - Bruno Ribeiro (Enclave) Tráfico de Violência - Wander Shirukaya (Enclave)  TRILHA SONORA: Gramame Midnight - RMS
01:10:57
June 03, 2020
LITERATURA INDÍGENA
LITERATURA INDÍGENA
Olá, pessoas. Com muito orgulho e alegria chegamos ao nosso décimo terceiro episódio, num papo com a escritora e pesquisadora do povo Macuxi, Julie Dorrico, para tratar sobre literatura indígena. Afinal, o que é literatura indígena? Teve algum povo ou personagem indígena já torna a obra indígena? Como se dá a relação de autoria? Essas e outras perguntas foram objeto de uma entrevista e uma mesa (no @carnavalhame), a qual reproduzo aqui. NOSSO CONVIDADA  JULIE DORRICO, doutoranda em Teoria da Literatura no Programa de Pós-Graduação em Letras da PUCRS. Descendente do povo Macuxi e autora de Eu sou macuxi e outras histórias (Caos & Letras, 2019). NOSSO INSTAGRAM: @lavadeirassf CRÉDITOS:  Na trilha sonora: Cantos do povo Fulni-ô e Kaê Guajajara. A ilustração na vitrine do episódio é de Gustavo Caboco e foi publicada no livro "Eu sou macuxi e outras histórias", de Julie Dorrico (Caos & Letras, 2019). Edição e apresentação por Ivandro Menezes.
45:23
May 04, 2020
EDITORAS INDEPENDENTES: MOINHOS
EDITORAS INDEPENDENTES: MOINHOS
Oi, gente! Como sabido, as pequenas e médias editoras - também chamadas de independentes - têm conquistado espaço e revelado uma literatura diversa e plural. Com trabalho árduo, por vezes artesanal, produzem livros que em nada deixam a desejar, quer enquanto produto, quer em qualidade literária. A boa aceitação por parte de leitores, críticos e prêmios corroboram a qualidade e revelam a necessidade de se conhecer e não mais negligenciar os romances, contos, crônicas e poesias que publicam. Entre as casas editoriais, encontra-se a Moinhos, editora mineira com DNA cearense, capitaneada por Nathan Matos e Camila Araújo. Nesse episódio, conversei com Nathan sobre sua trajetória na literatura, seleção de originais, projetos e planos editorias e mercado literário. Um ótimo papo.  NOSSO CONVIDADO NATHAN MATOS é doutor em Literaturas Modernas e Contemporâneas na UFMG. Co-fundador e editor da Editora Substânsia. Criador do portal literário LiteraturaBr. Editor da Moinhos. NOSSO INSTAGRAM: @lavadeirassf
49:52
May 04, 2020
TERROR
TERROR
Olá, pessoas! Sejam bem-vindo ao nosso décimo primeiro episódio. O encontro da Literatura e do terror já vem de longa data.  Desde a Idade Média, encontramos histórias e livros de terror. Dos clássicos, como Drácula e Frankenstein,  aos contos de Mariana Enríquez, passando pela relevância do obra de Stephen King, falamos sobre o gênero, suas características e desafios, bem como sua conexão com o cinema. NOSSOS CONVIDADOS ANDREZZA POSTAY, escritora e psicóloga, mestre em Escrita Criativa pela PUCRS, EDUARDO SABINO, mineiro, escritor e editor na Editora Caos & Letras. Tem os ótimos Naufrágio entre Amigos (Patuá) e Estados Alucinatórios (Caos & Letras). ROBERTO MENEZES, físico, escritor, professor e pesquisador na UFPB. É autor de vários romances, dentre eles Palavras que devoram lágrimas (Patuá), Julho é um bom mês para morrer (Patuá), Conversa de Jardim (Moinhos), escrito em parceria com Maria Valéria Rezende, e Trago comigo as dores de todos homens (Escaleras). NOSSO INSTAGRAM: @lavadeirassf *Este episódio contém trechos de trilhas sonoras de clássicos do terror e de adaptações cinematográficas da obra de Stephen King. Todas disponíveis no YouTube.
44:43
May 04, 2020
TRAGO COMIGO AS DORES DE TODOS OS HOMENS
TRAGO COMIGO AS DORES DE TODOS OS HOMENS
Olá a todas e todos! Sejam muito bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. Pela primeira vez, resolvi falar a respeito de um livro. O eleito foi Trago Comigo as Dores de Todos os Homens, novela de Roberto Menezes, lançada pela Editora Escaleras (2019).  A trama é narrada por Gustavo Inácio Monte, um celebrado poeta, que se envolve com a bem-sucedida advogada Silvia Rodrigues. Colocando-se, por vezes, numa posição subalterna, ele vai destilando toda a sua toxicidade para revelar o fato que o pôs diante de um plateia de jornalistas. Sedução, traição, loucura e morte se mesclam conduzindo o leitor página a página a embarcar no delírio (?) de Gustavo e na revelação de seus pecados, pavores e assombros. AVISO: Não se trata de publi editorial. Instagram: @lavadeirassf *Este episódio contém citações do vídeo Pessoas Tóxicas: como identificar e lidar com elas (Manual do Homem Moderno); Triste, Louca ou Má (Cultura Livre - Mariana Aydar); Toxic (Spleen - The Voice France). Além disso, contém áudios gentilmente enviados por Isaías Gonçalves (@livrobakana), Rosana Vinguenbah e Nathan Magalhães.
38:47
May 03, 2020
ANTOLOGIAS & COLETÂNEAS
ANTOLOGIAS & COLETÂNEAS
Seja bem-vindo a mais um episódio do Lavadeiras do São Francisco. Antologias e coletâneas são uma ferramenta interessante para apresentar aos leitores um autor ou vários autores, para homenagear algum nome da música, da literatura, algum ritmo ou mesmo uma temática. Também são comuns para congregar um conjunto de autores de um mesmo estilo, escola. Assim, pode ser brega ou rock n’ roll, romântica ou anárquica, terror ou sci-fi. Algumas são bastante conhecidas como àquelas de crônicas que a gente lós na escola ou a do conto contemporâneo organizada pelo Alfredo Bosi. Em todos os casos, são importantes para lançar novos autores, apresentar outros não tão novos, mergulhar em temas que talvez não fossem abordados numa obra individual ou apresentar um panorama da obra de algum autor.  NOSSOS CONVIDADOS Alessandra Barcelar é escritora e tem vários contos publicados em revistas, antologias e coletâneas. Está organizando uma coletânea sobre realismo mágico brasileiro. Irka Barrios é escritora, mestre em Escrita Criativa pela PUC-RS. Participou de diversas antologias de contos e está lançando Lauren, seu primeiro romance (Caos & Letras). T. K. Pereira é escritor e participou de várias coletâneas de contos. Organizou a coletânea Conte Outra Vez: 30 contos inspirados em canções de Raul Seixas. Está lançando seu primeiro livro, Vozes (Caos & Letras). Instagram: @lavadeirassf *Este episódio contém citações de canções do Raul Seixas, Genival Santos, Baby Shark, todas disponíveis no YouTube.
01:44:44
May 03, 2020
LEIA NORDESTE
LEIA NORDESTE
A literatura é um campo de disputas e, por conseguinte, de apagamentos, marginalizações, reprodução de preconceitos e esteriótipos. Não raro, isso afeta não apenas a perspectiva e temática das obras, mas ainda permeia o conjunto de ações, escolhas e posicionamentos. Assim, embora não de modo explícito, agimos de modo a contrariar nossos discursos inclusivos por meio de práticas excludentes.  Penso que algo assim ocorre com nossas escolhas de leitura. Não atentamos ao gênero (como tem mostrado a #leiamulheres), tampouco a cor ou origem das obras e autores.  O Nordeste brasileiro, frequentemente reduzido à seca, miséria e subdesenvolvimento, apresenta-se no imaginário como esse rincão árido, reduzido ao cordel e ao fluxo que conduz ao eixo, onde podem ser reconhecidos ou acontecer. Isso traz dois efeitos claros: a) muitos migram em busca dessa esperança; b) muitos creem que nada acontece por aqui. Seja honesta ou honesto, quantos são os autores e autoras nordestinas que você leu esse ano? Essa escolha se deu de modo consciente ou por que esse autor/autora recebeu algum prêmio ou chancela do mercado editorial? Pelo que vemos, a literatura brasileira não é assim tão brasileira, pois conserva sotaques, fórmulas, cenários e fluxos de grande metrópole ou ainda cachecol e chimarrão.  #LeiaNordeste é a lembrança de que o Nordeste produz boa literatura, cria personagens com ares universais, olha para o entorno e lhe confere ares fantásticos, deforma-o para caber no urgente, no moderno, no transcendente, no universal. São putas que sonham ser escritoras, modelos kamicazes, bandas decadente ascendendo após a trágica morte de seu vocalista, vampiros, pedreiros, meninos, homens e sexo em cidades dormitórios, apocalipses num fundo de gaveta. Somos bem mais que seca, fome e retirantes. Uma ferramenta para destacar, evidenciar, alardear, atentar para a literatura nordestina contemporânea. LIDO NO EPISÓDIO Elegias do País do Sanhauá - Joedson (Moinhos) Glitter - Bruno Ribeiro (Moinhos) Mãe - Ezter Liu (Conto do livro "Das tripas coração") (CEPE) Adão e Eva - Michel de Oliveira (Conto do livro "O sagrado coração do homem") (Moinhos) Nossos Ossos - Marcelino Freire (Record) Enquanto Deus não está olhando - Débora Ferraz (Record) Adília e o apocalipse - Isabor Quintiere (Conto do livro "A cor humana")(Escaleras) *AGRADECIMENTOS: Eduardo Sabino, Rosana Vinguenbah, Bruno Gaudêncio, Bruno Ribeiro, Isaías Gonçalves, Pablo Raoni, Wander Shirukaya. **Este episódio contém trechos em áudio em vídeos de notícias disponíveis no YouTube (Presidente Jair Bolsonaro ataca criminosamente povo do Nordeste; Nordestinos são alvo de ofensas após resultado da eleição; Atriz ofende nordestinos calem a boca que nós já pagamos o bolsa-família de vocês). Além disso, contém trechos das seguintes canções: Fulô do Mamoeiro (Zabé da Loca); Leão do Norte (Lenine); Voga (Coutto Orchestra); É mais embaixo (Pastoril do Velho Faceta); Carcaças e Carcarás (Hanagorik); Anunciação (Saulo); Cordeiro de Nanã (Mateus Aleluia e Thalma de Freitas).
52:58
May 03, 2020
LITERATURA & SOCIOLOGIA
LITERATURA & SOCIOLOGIA
Olá, pessoas, sejam bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. Nesse episódio, juntamos duas áreas que dialogam, desde sempre, a Literatura e a Sociologia. A literatura pode servir de fonte para reconstrução de sociabilidades, mecanismos de distinção e identidades para os sociólogos e antropólogos. Enquanto campo de disputas, pois operam e atuam forças e poderes, estabelecendo regras, dominações e apagamentos, o que provoca a reflexão sociológica. Essa relação estreita, nem sempre evidente, é o tema de nosso sétimo episódio.  Nosso convidado é o João Matias, professor, escritor, roteirista e doutor em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco (PPGS/UFPE). *Este episódio contém excertos das canções Live To Rise (Soundgarden) e Nós Não Somos Iguais (Juliano Guerra). Dos vídeos disponíveis no YouTube: Trilha de Letras - Especial com Sergio Sant'Anna; O delegado (com João Ubaldo Ribeiro) e Roberto Menezes tenta ler Teu Nome (Thiago Lia Fook).
01:14:09
May 03, 2020
LITERATURA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA
LITERATURA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA
Olá, pessoas! Tecnicamente falando, a Literatura Brasileira Contemporânea engloba as obras e autores da década de 1970 até os nossos dias. É um amplo guarda-chuva que abriga autores já considerados clássicos, como Rubem Fonseca, Clarice Lispector, Adélia Prado, Ariano Suassuna, Dalton Trevisan, Hilda Hilst, Lygia Fagundes Telles, Murilo Rubião, Ferreira Gullar, Nélida Piñon, Antônio Carlos Viana e tantos outros; até autores novos, como Maria Valéria Rezende, Carol Bensimon, Bruno Ribeiro, Roberto Menezes, Luisa Geisler, Samir Machado de Machado, Juliana Leite, Verena Cavalcante, Verônica Stigger, Michel Laub, Marco Severo e tantos outros. É um universo amplo e variado. Aqui queremos focar nos autores do século XXI, que estão produzindo a nova e atual literatura brasileira. Mesmo entre estes há uma grande diversidade de temas, origens, cores, gêneros, editoras. Não é raro nos depararmos por aí com anúncios com a literatura brasileira contemporânea ou a poesia brasileira contemporânea, por vezes, compostas de um recorte ínfimo de autores do chamado “eixão” (composto majoritariamente por cariocas, paulistas e gaúchos radicados paulistas pertencentes a grandes editoras) ou de homens brancos cis de classe média. Um evento recente divulgado por um importante instituto brasileiro trouxe uma lista de poetas brasileiros contemporâneos composto apenas por mulheres e homens brancos e todos do eixo. A literatura do centro-oeste, do nordeste ou norte não é literatura? Qual o lugar desses autores? E a literatura produzida por editoras pequenas? E a literatura negra?  NOSSOS CONVIDADOS TAMY GHANNAM é bacharel em Letras pela USP. Booktuber do LiteraTamy. HUMBERTO CONZO JR. é biólogo, historiador e escritor. Mantém o vlog Primeira Prateleira e o Clube de Literatura Brasileira Contemporânea, dedicado à leitura mensal de obras de brasileiros contemporâneos. É autor, dentre outros, dos livros infantis Descobrindo os bichos do Jardim e Descobrindo os bichos da praia.  DARWIN OLIVEIRA é cearense e estudante de Economia. Comanda o vlog Seleção Literária. MENCIONADOS NO EPISÓDIO Também os brancos sabem dançar - Kalaf Epalanga Baú de Ossos - Pedro Nava Lágrimas não caem no espaço - Luísa Mussnich Ruído Branco - Don DeLillo Oito do Sete - Cristina Judar Cada forma ausência é o retrato de uma solidão - Marco Severo Assim na terra como embaixo da terra - Ana Paula Maia O homem que odiava Machado de Assis - José Almeida Júnior O imponderável Bento contra o criolo voador - Joaquim Pedro de Andrade 24/7: capitalismo tardio e os fins do sono - Jonathan Crary Se a rua Beale falasse - James Baldwin Dicionário da Escravidão e Liberdade - Lilia Moritz Schwarcz e Flávio dos Santos Gomes (Orgs.) História da Sexualidade 1: vontade de saber - Michel Foucault Trago comigo as dores de todos os homens - Roberto Menezes *Este episódio contém trechos de vídeos produzidos pelos convidados; do Literatórios, da querida e saudosa, Roberta Carmona; de Roberto Menezes recitando poema de Thiago Lia Fook, e; de entrevista com Plínio Marcos para o Roda Viva (1988). Além das canções Desça daí seu corno, de Nenho; Elephant Gun, do Beirut; Um contra o outro, de Deolinda; Aí sim, de Marcelo Jeneci; Live to Rise, do SoundGarden.
01:29:49
May 03, 2020
SENTIMENTALISMO
SENTIMENTALISMO
Sejam bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. Eu, Ivandro Menezes, irei te conduzir num papo sobre literatura e escrita criativa. Não raro histórias com cenas trágicas, encontros amorosos, despedidas e outros momentos carregados de emoção podem descambar para o caricato ou grotesco. Algumas dessas cenas soam recheadas de lugares comuns, como os olhares de dois amantes e toda uma coisa melosa e sofrida. Em geral, os autores apelam para respostas emocionais prontas e apostam nisso para comover o leitor. Tudo lembra mais um roteiro de publicidade que uma obra de arte. Então, como podemos compor cenas de amor, velório, perda, sem descambar no sentimentalismo?  Para responder e apontar caminhos, convidamos o querido e competente escritor Marco Severo,  professor, formado em Letras pela Universidade Federal do Ceará, e com contos publicados no Brasil e no exterior. Colabora mensalmente com diversos sites voltados para literatura. Autor dos livros Os escritores que eu matei, Coisas que acontecem se você estiver vivo, Todo naufrágio é também um lugar de chegada, Cada forma de ausência é o retrato de uma solidão e Se eu te amasse, estas são as coisas que te diria (todos pela Editora Moinhos). *Este episódio contém um trecho da Entrevista de Elvira Vigna ao Bondelê, e das músicas Sentimental (com Milionário e José Rico), Heart of Glass (com Blondie), Con Altura (com Rosalía). Há ainda trechos de um programa Love Songs da Rádio Cidade 96.9.
01:10:32
May 03, 2020
CONVERSA DE JARDIM | Com Maria Valéria Rezende e Roberto Menezes
CONVERSA DE JARDIM | Com Maria Valéria Rezende e Roberto Menezes
Sejam bem-vindos a mais um episódio do Lavadeiras do São Francisco. Eu, Ivandro Menezes, fui a João Pessoa para conversar no jardim da casa da escritora Maria Valéria Rezende e o escritor Roberto Menezes sobre Conversa de Jardim (Moinhos, 2018), escrito a quatro mãos e muitos encontros, no qual descrevem suas trajetórias, processos criativos, interesses e amizade. Escrita Criativa, trajetórias, prêmios, mercado literário e outros assuntos também foram surgindo nesse encontro delicioso numa tarde nublada na capital paraibana. NOSSOS CONVIDADOS Maria Valéria Rezende, nascida em Santos (1942), mas radicada na Paraíba. É escritora, tradutora e freira. Pulicou, dentre outros, os romances Vasto Mundo, Quarenta Dias, O voo da Guará Vermelha, Outros Cantos, Carta à Rainha Louca. E os contos de Histórias Nada Sérias, A face Serena, Modo de Apanhar Pássaros a Mão. Além de livros infanto-juvenis. Venceu os Prêmios Jabuti e Casa de Las América, entre outros. Roberto Menezes (Santa Rita, 1978) é escritor e professor universitário. É doutor em Física e professor da Universidade Federal da Paraíba. É autor de Pirilampos Cegos, Gosto amargo de qualquer coisa, Julho é um bom mês para morrer, Palavras que devoram lágrimas, Trago comigo as dores de todos os homens, dentre outros. PERIODICIDADE Os episódios do Lavadeiras do São Francisco vão ao ar a cada quinto dia do mês. LAVADEIRAS NO INSTAGRAM
01:03:19
May 03, 2020
CONTOS
CONTOS
Sejam bem-vindos ao terceiro episódio do Lavadeiras do São Francisco. Há quem diga que o conto é estágio para o romance, uma porta de entrada, um exercício de prosa para quem deseja escrever algo mais longo. O conto é realmente esse estágio para algo maior? Como poderíamos definir conto? O que caracteriza um bom conto? NOSSOS CONVIDADOS Eduardo Sabino, mineiro e autor de Naufrágio entre Amigos (Patuá, 2016), Estados Alucinatórios (Caos e Letras, 2019) e Limbo (2020). Foi o vencedor do Prêmio Brasil em Prosa, promovido pelo jornal O Globo, em parceria com a Amazon Brasil, com o conto Sombras. Isabor Quintiere, paraibana e autora de A Cor Humana (Escaleras, 2018). É graduada e mestranda em Letras pela UFPB. Trabalha como professora em João Pessoa-PB. INDICAÇÕES Na escuridão não existe cor de rosa - Cinthia Kriemler (Patuá) Perifobia - Lilia Guerra (Patuá) As coisas que perdemos no fogo - Mariana Enríquez (Intrínseca) A cabeça do santo - Socorro Acioli (Cia. das Letras) Enfim, imperatriz - Maria Fernanda Elias Poglio (Patuá) Angu de Sangue - Marcelino Freire (Ateliê Editorial) Um Exu em Nova York - Cidinha da Silva (Pallas) PERIODICIDADE Os episódios do Lavadeiras do São Francisco vão ao ar a cada quinto dia do mês.
01:10:60
May 03, 2020
DESAFIOS LITERÁRIOS
DESAFIOS LITERÁRIOS
Sejam bem-vindos ao Lavadeiras do São Francisco. Sempre ouvimos, quase como ladainha, que o Brasil é um país que não lê. Há, inclusive, quem reclame que há escritores demais para poucos leitores.  Uma solução comumente apontada é a tal “formação do leitor”. Nas redes sociais temos inúmeros canais, perfis literários e clubes de leitura. Além de resenhas e comentários de livros, vários desses canais e perfis propõem desafios de leitura aos seus seguidores, criando categorias ou propondo-lhes desbravar a obra de determinados autores. Porém, até que ponto esses desafios e clubes de leitura virtual, e mesmo a atividade-fim, por assim dizer, desses canais e perfis incentivam à leitura e à literatura? Com: Bárbara Krauss, Matheus Soares e Rosana Vinguenbah
01:25:03
May 03, 2020
ESCRITA CRIATIVA
ESCRITA CRIATIVA
Sejam bem-vindos ao primeiro episódio do Lavadeiros do São Francisco. Eu sou Ivandro Menezes e estarei capitaneando sempre um papo sobre Literatura e Escrita Criativa. E para começar, iremos nos debruçar sobre o que seria a tal Escrita Criativa.  Por que a figura do escritor é frequentemente cercada da ideia de talento e genialidade? Por que para todos os ofícios temos a ideia de aprendizado, mas na escrita acreditamos ser desnecessário e supérfluo? E, em tempos em que todos têm tanto a dizer ou escrever, como distinguir os profissionais sérios dos aproveitadores? Afinal, pululam ofertas de cursos de escrita criativa em nossas timelines, prometendo os segredos para se tornar o próximo best seller, as fórmulas ou passos para a composição de um romance de sucesso etc. Para pensar essa “nova” área do conhecimento, reunimos as lavadeiras para um papo descontraído e proveitoso. NOSSOS CONVIDADOS Bruno Ribeiro, mineiro radicado na Paraíba, mestre em Escrita Criativa pela UNTREF, em Buenos Aires, autor de Arranhando Paredes (contos), Febre de Enxofre e Glitter (romances). Foi finalista do Prêmio Kindle e SESC de Literatura; e,  Tiago Germano, paraibano, que aportou em Porto Alegre para um doutorado em Escrita Criativa, na PUC-RS, autor das crônicas de Demônios Domésticos, com o qual foi finalista do Prêmio Jabuti 2018; e, do romance, A mulher faminta, finalista do prêmio Açorianos.  INDICADOS NO EPISÓDIO A arte da ficção - David Lodge (L&PM) Conversa de Jardim - Maria Valéria Rezende e Roberto Menezes (Moinhos) Para ler como um escritor - Francine Prose (Zahar) Como funciona a ficção - James Wood (SESI-SP Editora) Mais estranho que a ficção - Chuck Palahniuk (Rocco) A arte do romance - Virginia Woolf (L&PM) A cor humana - Isabor Quintiere (Escaleras) Tríptico Vital - Mariana Basílio (Patuá) The First Five Pages - Noah Lukeman (Fireside) The Power of Point of View - Alicia Rasley (Writer’s Digest Books) A Preparação do Escritor - Raimundo Carrero (Iluminuras) Romancista como vocação - Haruki Murakami (Alfaguara) A arte do romance - Milan Kundera (Cia. das Letras) Sobre a Escrita - Stephen King (Suma) Cada Ausência é o Retrato de uma Solidão - Marco Severo (Moinhos) PERIODICIDADE Tem novo episódio a cada quinto dia do mês.
01:00:05
May 03, 2020