Skip to main content
MANIA DE HISTORY

MANIA DE HISTORY

By Luís Carlos Lins
Grandes histórias em áudios curtos para preencher o seu tempo com qualidade. Estamos também no youtube, Instagram, Twitter, Pinterest e Facebook
Listen on
Where to listen
Breaker Logo

Breaker

Google Podcasts Logo

Google Podcasts

Pocket Casts Logo

Pocket Casts

RadioPublic Logo

RadioPublic

Spotify Logo

Spotify

Currently playing episode

PIRÂMIDE ALIMENTAR

MANIA DE HISTORY

1x
LENDAS E MITOS DO BRASIL E DO MUNDO - FOLCLORE
Narrativas fantásticas de lendas e mitos do Brasil e do mundo
03:15
July 29, 2021
Lendas e mitos do Brasil e do mundo - FOLCLORE
Narrativas fantásticas de lendas e mitos do Brasil e do mundo
03:15
July 29, 2021
Lendas e mitos do Brasil e do mundo - FOLCLORE
Narrativas fantásticas de lendas e mitos do Brasil e do mundo
04:22
July 29, 2021
LENDAS E MITOS DO BRASIL - FOLCLORE
Narrativas fantásticas de lendas e mitos do Brasil e do mundo
03:56
July 29, 2021
FOLCLORE DO BRASIL E DO MUNDO - LENDAS E MITOS
Narrativas fantásticas de lendas e mitos do Brasil e do mundo
04:24
July 29, 2021
MITOS E LENDAS DO BRASIL E DO MUNDO - FOLCLORE
Acompanhe conosco algumas dessas narrativas fantásticas que fazem parte do nosso imaginário, da nossa cultura popular.
01:51
July 29, 2021
DOMINGUINHOS
José Domingos de Morais (Garanhuns, 12 de fevereiro de 1941), conhecido como Dominguinhos, é um instrumentista, cantor e compositor brasileiro. Dominguinhos foi um exímio sanfoneiro, teve como mestres nomes como Luiz Gonzaga e Orlando Silveira. Tem em sua formação musical influências de baião, bossa nova, choro, forró, xote, jazz etc. Luiz Gonzaga deu o tom e Dominguinhos seguiu a melodia na sanfona. Mais do que aprender, o discípulo inovou a arte do mestre. Dominguinhos emprestou a sanfona sotaques novos e diferentes. Não abandonou o baião de seu padrinho, mas também não deixou de brincar em outras praias da música brasileira. O trabalho de Dominguinhos é mais uma prova de que pouco importa os sotaques ou origens quando trata de fazer música. No universo dos sons e dos ritmos o que conta mesmo é a sensibilidade, responsável pela emoção e o talento, capazes de transformar ideias e conceitos em obras de arte. Esses são os ingredientes mais constantes na trajetória do pernambucano de Garanhuns José Domingos de Morais, o Dominguinhos, tendo como pano de fundo um grande talento, eles compõem o quadro da vida de um dos importantes artistas brasileiros
02:17
June 18, 2021
PIRÂMIDE ALIMENTAR
A pirâmide alimentar é um tipo de gráfico informativo que organiza os alimentos de acordo com seus nutrientes e funções. O instrumento tem como objetivo orientar a população no desenvolvimento de uma alimentação saudável e, simultaneamente, prevenir doenças. A atual pirâmide brasileira é composta por oito grupos que relacionam-se com quatro níveis: • Alimentos energéticos: grupo 1 (carboidratos); • Alimentos reguladores: grupo 2 (verduras e legumes) e grupo 3 (frutas); • Alimentos construtores: grupo 4 (leites e derivados), grupo 5 (carnes e ovos) e grupo 6 (leguminosas e oleaginosas); • Alimentos energéticos extras: grupo 7 (óleos e gorduras) e grupo 8 (açúcares e doces). A quantidade de alimentos que devem ser consumidos diariamente varia, pois deve-se levar em consideração fatores como idade, sexo, peso, localidade, necessidades individuas, entre outros.  De modo geral, a maioria dos indivíduos necessita pelo menos uma porção dentre as opções recomendadas. Por esse motivo, é indispensável o auxílio de um profissional de saúde para montar um programa alimentar adequado. 
02:30
June 17, 2021
O GÊNIO JACKSON DO PANDEIRO
Cantor, instrumentista e compositor, José Gomes Filho, conhecido como Jackson do Pandeiro, nasceu em Alagoa Grande, Paraíba, no dia 31 de agosto de 1919, filho do oleiro José Gomes e da cantora de coco pernambucana Flora Mourão (Glória Maria da Conceição). Aos oito anos, começou a tocar zabumba e passou a acompanhar sua mãe nas festas de Alagoa Grande.  Em 1932, após a morte de seu pai, mudou-se com a mãe e os irmãos para a cidade de Campina Grande, também na Paraíba, onde começou a trabalhar como entregador de pão e engraxate, para ajudar a sustentar a família. Gostava de assistir aos emboladores de coco e repentistas na feira da cidade, assim como adorava cinema, principalmente os filmes de faroeste: Na época eu brincava de artista, naquele tempo do cinema mudo. Então tinha aquele pessoal do faroeste, e todo menino fazia suas quadrilhas, de índio, de chefe de quadrilha, de bandido, e eu era então o Jack Perry. Comprei um chapelão de palha, um revólver de madeira, e a gente brincava. Depois fui crescendo, tinha que ajudar minha mãe a dar de comer à moçada e tive que trabalhar. Parei com a brincadeira mas fiquei com o nome Jack, só J-a-c-k. Comecei a tocar pandeiro e os caras: – Come que é, e aí, Jack, Jack do Pandeiro… Fiquei sendo Jack do Pandeiro. Em 1936, aos 17 anos, largou o trabalho e foi ser substituto do baterista de um conjunto musical do Clube Ipiranga, sendo efetivado posteriormente como percussionista do grupo
02:50
June 16, 2021
MILHO | SAÚDE E BEM ESTAR
MILHO SAÚDE E BEM-ESTAR  O milho é um dos cereais mais utilizados em todo o mundo, além de ser um dos alimentos mais nutritivos que existem. Acredita-se que ele seja originário da América pré-colombiana, visto que os europeus só foram conhecer o cereal quando chegaram ao novo continente. Seu consumo proporciona vários benefícios à saúde, principalmente pelo fato de que, ao contrário do arroz e do trigo, o milho conserva sua casca. A casca do milho é uma rica fonte de fibras, importantíssimas para a manutenção do ritmo intestinal. Além disso, é rico em carboidratos, proteínas, vitaminas (principalmente B1 e E) e sais minerais. Embora o milho seja um ingrediente presente em vários pratos brasileiros, como a canjica e a pamonha, seu consumo na mesa dos brasileiros, seja direta ou indiretamente, é muito baixo. Segundo a Embrapa, apenas 5% de todo o milho produzido no Brasil é consumido diretamente pelo homem. A grande parte (65%) é utilizada na alimentação de animais. Em outros países, como no México, a situação é diferente, visto que o cereal é a base da alimentação. A utilização do milho na alimentação humana é, sem dúvida, muito abrangente. Para se ter uma ideia, o cereal é ingrediente na fabricação de balas, biscoitos, pães, chocolates, geleias, cerveja, etc. Os maiores produtores mundiais do milho são os Estados Unidos. O Brasil é o terceiro maior produtor mundial. Assim, ao lado da soja, o milho representa cerca de 80% de toda a produção de grãos do Brasil. Os maiores produtores são os estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Goiás e São Paulo.
02:29
June 10, 2021
A NEUROCIRURGIA MODERNA NO BRASIL
O DESENVOLVIMENTO DA NEUROCIRURGIA MODERNA NO BRASIL As conquistas essenciais para o desenvolvimento da neurocirurgia moderna foram o avanço da cirurgia geral, especialmente a anestesia (Morton, 1846) e a antissepsia (Lister, 1867) e a teoria das localizações cerebrais (Broca, 1861)1,2. Ela foi estabelecida nas duas últimas décadas do século XIX e primeiras décadas do século XX graças, principalmente, aos pioneiros Victor Horsley (1857-1916) e Harvey Cushing (1864-1939)1-3. No Brasil, o nascimento da neurocirurgia dependeu também do desenvolvimento prévio da cirurgia e da anestesia. O ensino oficial da neurologia foi inaugurado no Brasil em 1912, quando da criação da Disciplina de Neurologia, distinta da Psiquiatria, na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, sendo designado para regê-la Antônio Austregésilo Rodrigues Lima (1876 – 1961), que chefiava o Serviço de Neurologia da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro4. A cirurgia moderna no Brasil teve início no final do século XIX, especialmente no Rio de Janeiro, com as obras de Cândido Borges Monteiro, Chapot-Prévost, Andrade Pertence, Domingos de Góes e Vasconcelos, Paes Leme e Augusto Brandão Filho5. Este último era denominado o Príncipe da Cirurgia Brasileira e pode ser considerado o precursor da neurocirurgia brasileira, pois foi o primeiro cirurgião geral a ir além da cirurgia craniana do trauma, tentando a cirurgia dos tumores cerebrais e da neuralgia do trigêmeo e iniciando, em nosso meio, os exames neurorradiológicos (ventriculografia e angiografia cerebral). No final da terceira década do século XX, a moderna cirurgia e a neurologia estavam bem assentadas em nosso meio, especialmente no Rio de Janeiro, propiciando as condições para o nascimento da neurocirurgia brasileira. O ano de 1928 pode ser considerado como a data crucial da neurocirurgia brasileira. Neste ano, Brandão Filho encontrava-se no auge de sua tentativa de tratamento cirúrgico dos tumores cerebrais e, enquanto realizava, sob a orientação de Egas Moniz (1874 – 1955), a primeira angiografia cerebral no país, Antônio Austregésilo encontrava-se visitando os serviços de neurocirurgia dos Estados Unidos. De regresso, convoca Alfredo Monteiro e José Ribe Portugal para o início da neurocirurgia brasileira como especialidade6. AUGUSTO BRANDÃO FILHO Augusto Brandão Filho (1881 – 1957) (Fig 1) foi professor de Clínica Cirúrgica da Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil. Exerceu sua atividade cirúrgica no Hospital da Misericórdia, no Rio de Janeiro. Foi um dos mais hábeis cirurgiões de seu tempo e tinha também fino espírito científico. Foi o primeiro brasileiro a ir além da cirurgia do trauma e tentar o tratamento cirúrgico dos tumores cerebrais. Foi também o pioneiro dos exames neuroradiológicos em nosso país. Foi o primeiro a realizar no Brasil a ventriculografia e a angiografia cerebral. Na realização destes exames contou com a colaboração de dois grandes vultos da medicina. Na ventriculografia foi ajudado por Manoel de Abreu (1894 – 1962), futuro inventor, em 1936, da fotografia da imagem fluoroscópica, conhecida como abreugrafia7. Na angiografia cerebral foi auxiliado pelo próprio inventor do método, Egas Moniz8,9, que em 1928, encontrava-se em visita ao Brasil (Figs 2,3).Thumbnaila Leia mais aqui Autor luiscarlossilvalinsPublicado em10 de junho de 2021CategoriasMania de históriaTagsmedicina, NEUROCIRURGIA, NEUROCIRURGIÃO Obrigado pela sua participação! Conectado como luiscarlossilvalins. Fazer logout? COMENTÁRIO  Avise-me sobre novos comentários por email.  Avise-me sobre novas publicações por email. Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados. Navegação de posts ANTERIORPost anterior:A CONDUÇÃO DA COVID-19 NO BRASIL | DRA. TEREZA LYRA – FIOCRUZ-UPE Pesquisar por:PESQUISAR Anúncios INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL NO YOUTUBE Tocador de vídeo
03:04
June 10, 2021
HISTÓRIA DA FIOCRUZ
A história da Fundação Oswaldo Cruz começou em 25 de maio de 1900, com a criação do Instituto Soroterápico Federal
03:12
June 8, 2021
GASTRONOMIA E FESTA JUNINA
Festa junina é aula de gastronomia
03:55
June 7, 2021
BREVE HISTÓRIA DO MILHO
No mundo Há pelo menos 7.300 anos o milho participa da história alimentar mundial. Os primeiros registros de seu cultivo foram feitos em ilhas próximas ao litoral mexicano, mas rapidamente a cultura se espalhou por todo o país. Uma vez difundido no México, o grão se firmou como produto em países da América Central com clima propício para seu cultivo, como o Panamá, e também pela América do Sul, segundo as informações da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Na América do Sul, mais precisamente no sul Peru, grânulos de milho foram encontrados há 4 mil anos, revelando que há cerca de 40 séculos, pelo menos, já se cultivava o alimento por essa região do continente. No entanto, com o período de colonização do continente americano e as chamadas grandes navegações que ocorreram durante o século XVI, o milho se expandiu para outras partes do mundo, se tornando um dos primeiros itens na cultural mundial. Com a chegada de Colombo ao continente americano, o milho embarcou em direção a Europa e se consolidou como fonte alimentar das populações mais humildes. Por esse motivo e também por ser utilizado como ração animal, o cereal, no entanto, era discriminado pela elite europeia.   No Brasil No país o milho já era cultivado pelos índios antes mesmo da chegada dos portugueses, já que eles utilizavam o grão como um dos principais itens de sua dieta. Mas foi com a chegada dos colonizadores, cerca de 500 anos atrás, que o consumo do cereal no país aumentou consideravelmente e passou a integrar o hábito alimentar da população. De acordo com a Fundação Joaquim Nabuco, no período Brasil-Colônia, os escravos africanos tinham no milho, além da mandioca, como um de seus principais alimentos.
02:34
June 2, 2021
BREVE HISTÓRIA DAS MÍDIAS E REDES SOCIAIS
A história das Mídias Sociais e Redes Sociais Bom, como mídias sociais e redes sociais são dois termos diferentes, porém que possuem diversas semelhanças é fundamental que a história seja descrita em companhia. Dessa forma, provavelmente você sabe que as duas nomenclaturas foram apenas adaptadas para serem usadas na web, deste modo, surgiram antes que a internet ao menos existisse. A mídia a.C. – Serviço Postal Acredita-se que a mídia social tenha nascido em 2400 a.C. com o famoso serviço postal. Assim sendo, essa mídia era utilizada pelos egípcios para a distribuição de decretos para outros territórios distantes. Portanto, note que essa é uma mídia, tendo em vista que era extensa e não se enquadrava em uma comunicação limitada. Anos 1700 e 1800 – A criação da primeira rede social Anos mais tarde outro tipo de mídia social surgiu mediante a criação de Samuel Finley Breese Morse em 1791. Basicamente Morse foi responsável pelo desenvolvimento de um aparelho nomeado “telégrafo” usado para o encaminhamento e o recebimento de correspondências a distância. Gradativamente os anos de 1800 foram marcados por duas criações incríveis, a nova mídia social chamada de rádio, da qual até os dias de hoje usamos. Além disso, houve a origem da primeira rede social, o telefone criado acidentalmente por Alexander Graham Bell. Anos 1900 – O grande desenvolvimento das mídias e redes sociais Primeiro de tudo, precisamos falar sobre uma mídia criada em 1923, estruturada a partir da junção de peças eletrônicas que haviam acabado de ser produzidas e consequentemente se tornaram o primeiro protótipo da televisão. Assim sendo, em 1966 vale destacar a criação de Ray Tomlinson, um programador que desenvolveu a segunda rede social, conhecida como e-mail, tendo como o objetivo principal o envio e recebimento facilitados de mensagens. Em seguida, podemos destacar a origem da CompuServe e também da Arpanet, os primeiros serviços que disponibilizaram a conexão a internet. Deste modo, de agora em diante diversas mídias sociais e redes sociais foram desenvolvidas por nomes brilhantes da nossa história. Portanto, Usenet, bulletin board system (BBS), Internet Relay Chat, Listserv, SixDegrees, Blogger e o LiveJournal são alguns exemplos de softwares, redes e principalmente mídias elaboradas nessa época. E infelizmente não seria possível citar todas porque somente nos anos de 1900 houve a criação de milhares de mídias e redes que seguiram dois rumos, o desenvolvimento ou o desaparecimento em meio a tantas opções. Anos 2000 – Crescimento das redes sociais Por fim, nos anos 2000 podemos destacar o gigantesco crescimento das redes sociais e especialmente a utilização da internet. A partir dos anos 2000 redes como Facebook, Instagram, WhatsApp, YouTube, LinkedIn, Twitter, Pinterest, Orkut, dentre outros, foram desenvolvidas e começaram a abrigar bilhões de usuários. Além disso, podemos destacar também a evolução de empresas como o Google, que passou a oferecer ainda mais serviços e atualmente está presente no ranking das empresas mais valiosas do mundo. Com isso, os donos de negócios e responsáveis pelo marketing começaram a enxergar a partir dos anos 2000, outro ambiente para a propagação de suas divulgações, as mídias e redes do mundo digital. E provavelmente foi esse crescimento grandioso que fez com que você procurasse por informações sobre a história das mídias sociais e redes sociais para aperfeiçoar ainda mais os seus métodos usados.
05:41
June 2, 2021
HISTÓRIA DA ANATOMIA HUMANA
O conhecimento anatômico humano data de 500 anos antes de Cristo no sul da Itália com Alcmeon de Crotona.
04:27
June 1, 2021
A LUA NÃO ERA UM DEUS E A TERRA NUNCA FOI REDONDA | FILOSOFIA
A saga de Anaxágoras, o pensador que repreendido por acreditar que a lua não era Deus
05:26
June 1, 2021
CIÊNCIA E SOCIEDADE: A IMPORTÂNCIA DOS LABORATÓRIOS DE PESQUISA
Art. do Prof. Dr. Anísio. Brasileiro
03:41
May 31, 2021
CIÊNCIA E SOCIEDADE: A IMPORTÂNCIA DOS LABORATÓRIOS DE PESQUISA
Artigo do Prof..Dr. Anísio Brasileiro | UFPE | ACADEMIA PERNAMBUCANA DE CIÊNCIAS
03:56
May 31, 2021
A COBRANÇA DE IMPOSTOS NO BRASIL
ONDE ENTRA O BRASIL NESSA HISTÓRIA? O Brasil se encontra no 14° lugar dessa lista, com uma carga tributária que representa 35,4% do Produto Interno Bruto.   Dessa forma, mesmo fora do Top 10, o Brasil apresenta uma alta carga tributária. A segunda maior da América Latina, atrás apenas de Cuba.   Um dos grandes problemas da alta carga tributária no país é a forma como ela é cobrada, incidindo em grande parte sobre o consumo (prejudicando os mais pobres). Além disso, problemas como a alta quantidade de impostos causam um encarecimento das atividades empresariais.  Esses são alguns dos principais argumentos a favor da Reforma Tributária, além do fato de que a população não vê retorno na grande quantidade de impostos que paga.
02:46
May 30, 2021
COBRANÇA DE IMPOSTOS PELO MUNDO
QUAIS AS MAIORES CARGAS TRIBUTÁRIAS DO MUNDO? Cada país em sua própria carga tributária, ou seja, tem o nível de impostos que cobra de sua população.   Como as condições econômicas de cada um são diferentes, cobrar menos impostos não é necessariamente melhor. O mesmo acontece com o contrário, cobrar mais impostos. Vamos então à lista dos países com as maiores cargas tributárias do mundo: 1°- DINAMARCA A Dinamarca é um país escandinavo, que se encontra no norte da Europa, constituído por uma península e diversas ilhas ao redor. É terra natal dos Vikings, assim como a Noruega e a Suécia.  A carga tributária do país representa cerca de 45% do PIB do país.  Da mesma forma, pelo fato do país apresentar ótimos índices de igualdade e qualidade de vida, a população não acha que os impostos cobrados são abusivos. 2°- FINLÂNDIA Em segundo lugar na lista, outro país de origens escandinavas, e que também foi habitado por Vikings. O país fica no norte da Europa, um pouco mais próximo do Reino Unido.  Da mesma forma, a Finlândia mesmo que apresentando uma alta carga tributária (44% do PIB), não causa descontentamento em sua população, pelo fato de possuir altos índices de igualdade socieconômicas.  3°- BÉLGICA  A Bélgica é um país que fica no oeste da Europa, e é muito conhecido por suas torres medievais, arquitetura renascentista e pela sede da União Europeia.  A carga tributária do país corresponde a 43,2% do PIB. 4°- FRANÇA A França, também muito conhecida por sua culinária e pelo seu principal ponto turístico, a Torre Eiffel.  Além de ser um dois maiores países Europeus, possui uma das maiores cargas tributárias do mundo, que corresponde a 43% do Produto Interno Bruto do país.  Dessa forma, muito dos tributos incidem no país sobre grandes fortunas, o que desencadeia um processo de “fuga” de capitais para o mercado imobiliário de Portugal.  5°- ITÁLIA  A Itália, conhecida como a “bota” no sul da Europa, no mar mediterrâneo, também famosa por suas massas e pelo vaticano.   A carga tributária do país corresponde a 42,6% do PIB do país. MAIS ADIANTE NA LISTA… 6°- SUÉCIA: 48,8% 7° – ÁUSTRIA: 42,5% 8°- NORUEGA: 40,8% 9°- LUXEMBURGO: 39,3% 10°- HUNGRIA: 38,9
03:39
May 30, 2021
POR QUE PAGAMOS IMPOSTOS?
Como funciona a máquina pública brasileira e até mundial.
03:43
May 30, 2021
AS FESTAS JUNINAS NO BRASIL
Pequena história das festas juninas no Brasil, com base em texto do blog Mania de History
06:05
May 26, 2021
UMA BREVE HISTÓRIA DA FILOSOFIA
Conceito, características e os principais pensadores
09:09
May 25, 2021
DEMOLIÇÃO? OXENTE, NÃO! | Por Paolla Giovanna Santos Claudiano
V ANTOLOGIA | CONTOS | CORDÉIS | CRÔNICAS | POEMAS - ACADEMIA ESCADENSE DE LETRAS
04:29
May 24, 2021
DEMOLIÇÃO? OXENTE, NÃO! | Por Paolla Giovanna Santos Claudiano
V ANTOLOGIA - CONTOS | CORDÉIS | CRÔNICAS | POEMAS DA ACADEMIA ESCADENSE DE LETRAS
06:58
May 24, 2021
DEMOLIÇÃO? OXENTE, NÃO! | Por Paolla Giovanna Santos Claudiano
ACADEMIA ESCADENSE DE LETRAS - V ANTOLOGIA |CONTOS | CRÔNICAS | POEMAS
04:41
May 24, 2021
LULA VENCE NO VOX POPULI NO 1 TURNO
Levantamento publicado com exclusividade pelo Metrópoles Lula como favorito nos votos espontâneo e estimulado
02:17
May 21, 2021
A GRIPE ESPANHOLA NO BRASIL
Gripe espanhola: a viagem em que o ‘navio da morte’ Demerara venceu bombardeios alemães e trouxe a doença ao Brasil André Bernardo Do Rio de Janeiro para a BBC News Brasil
04:43
May 20, 2021
ESCADA NO IBGE
Dados sobre o território, população, educação, religiosidade, entre outras questões muito relevantes
05:18
May 19, 2021
LULA E MARÍLIA ARRAES LIDERAM EM PERNAMBUCO
Em recente pesquisa do Instituto Opinião, o ex-presidente Lula aparece com ampla vantagem sobre o 2° colocado nas pesquisas
03:06
May 19, 2021
LULA COM AMPLA VANTAGEM EM PERNAMBUCO
Em recente pesquisa do Instituto Opinião, o ex-presidente Lula aparece com ampla vantagem sobre o 2° colocado nas pesquisas
02:09
May 19, 2021
O ACENDEDOR DE LAMPIÃO
Do livro: Lendas, mitos e histórias da terra dos Barões da escritora Mariinha Leão .
01:57
May 18, 2021
A LOIRA DA SOMBRINHA
Do livro: Lendas, mitos e histórias da terra dos Barões da escritora Mariinha Leão
02:19
May 18, 2021
O PADRE SEM CABEÇA
Do livro: Lendas, mitos e histórias da terra dos Barões da escritora Mariinha Leão
01:41
May 18, 2021
A BOTIJA
Do livro: Lendas, mitos e histórias da terra dos Barões da escritora Mariinha Leão
02:16
May 18, 2021
A COVA DO INGLÊS
Do livro: Lendas, mitos e histórias da terra dos Barões
02:18
May 18, 2021
A MULHER E O CEMITÉRIO
Do livro: Lendas, mitos e histórias da terra dos Barões
02:29
May 18, 2021
A COMADRE FULORZINHA E SUAS PERIPÉCIAS NAS MATAS DE ESCADA
Do livro: Lendas, mitos e histórias da terra dos Barões
02:39
May 18, 2021
O POÇO DO SINO
Do livro: Lendas, mitos e histórias da terra dos Barões
01:59
May 17, 2021
A MATA DO DESEJADO
Do livro: Lendas, mitos e histórias da terra dos Barões
01:59
May 17, 2021
O CAIXÃO DE DEFUNTO
Do livro: Lendas, mitos e histórias da terra dos barões
01:19
May 17, 2021
A LENDA DO BARÃO DA ESCADA
A lenda vem de Belmiro da Silveira, tenente-coronel da Guarda Nacional
02:44
May 17, 2021
HINO DE ESCADA | PE Composição: Maria José Leão Portela Gomes
Despontaste audaz e alvissareira Ó inefável, cidade hospitaleira. O teu nome Escada enaltece O teu povo e a Pátria Brasileira. Despontasfe audaz e alvissareira Ó inefável, cidade hospitaleira. Tuas ínvias matas verdejantes O fulgor e limpidez do teu rio Os primórdios irmãos ameríndios Da lembrança, a bravura e o brio. Os barões, engenhos e casarios Belas paisagens de canaviais Para orgulho dos nossos ancestrais Foste Princesa dos Canaviais. Tua história ostenta conquistas Um passado de luta e vitória. E também tu tiveste momentos De infortúnio em tua trajetória. Ouves logo o brado do teu povo Destemido e cheio de clamor. Que anseia um progresso contínuo E recrudesça assaz o labor. Ó insigne cidade que apraz, de outrora guardas a memória. cujo tempo não apaga jamais, tua história, tradição e glória. Composição: Maria José Leão Portela Gomes
01:58
May 17, 2021
CONFLITO ISRAEL E PALESTINA
Texto da professora de História, Juliana Bezerra
05:20
May 16, 2021
SEIS HISTÓRIAS SOBRE POLÍTICA E FUTEBOL NA DITADURA
Fatos que mostram as ligações do futebol com o regime. Fonte: Brasil de Fato | Jornalista Marcelo Ferreira
08:17
May 15, 2021
ESCADA, MATA SUL DE PERNAMBUCO, REVELA RELÍQUIAS DE ENGENHOS DE AÇÚCAR
Informações veiculadas em matéria do jornal do commercio em 29/12/2019, jornalista Cleide Alves
06:20
May 13, 2021
ANÁLISE DA MAIS RECENTE PESQUISA DATAFOLHA
Aprovação a Bolsonaro recua seis pontos e chega a 24%, a pior marca do mandato; rejeição é de 45%
16:35
May 13, 2021
O CANGACEIRO ANTÔNIO SILVINO
Inscreva-se em nosso canal no youtube e faça com que o conhecimento vá cada vez mais longe.
09:15
May 13, 2021
O CANGACEIRO ANTÔNIO SILVINO
Inscreva-se em nosso canal no youtube e faça com que o conhecimento vá cada vez mais longe.
09:47
May 13, 2021
A HISTÓRIA DE SEIS MULHERES NEGRAS PROTAGONISTAS DA ABOLIÇÃO DA ESCRAVIDÃO
Inscreva-se em nosso canal no youtube e faça com que o conhecimento vá cada vez mais longe.
05:32
May 13, 2021
COMO TRANSFORMAR A VIDA DE SEU FILHO
Uma obra da escritora Aparecida Fragoso, lançado pela Editora Universitária | UFPE
22:13
May 10, 2021
COMO TRANSFORMAR A VIDA DE SEU FILHO
Uma obra da escritora Aparecida Fragoso, lançado pela Editora Universitária | UFPE
05:41
May 10, 2021
COMO TRANSFORMAR A VIDA DE SEU FILHO
Uma obra da escritora Aparecida Fragoso, lançado pela Editora Universitária | UFPE
05:46
May 10, 2021
COMO TRANSFORMAR A VIDA DE SEU FILHO
Uma obra da escritora Aparecida Fragoso, lançado pela Editora Universitária | UFPE
05:22
May 10, 2021
COMO TRANSFORMAR A VIDA DE SEU FILHO
Uma obra da escritora Aparecida Fragoso, lançado pela Editora Universitária | UFPE
06:14
May 10, 2021
COMO TRANSFORMAR A VIDA DE SEU FILHO
Uma obra da escritora Aparecida Fragoso, lançado pela Editora Universitária | UFPE
02:46
May 10, 2021
COMO TRANSFORMAR A VIDA DE SEU FILHO
Uma obra da escritora Aparecida Fragoso, lançado pela Editora Universitária | UFPE
04:54
May 10, 2021
COMO TRANSFORMAR A VIDA DE SEU FILHO
Uma obra da escritora Aparecida Fragoso, lançado pela Editora Universitária | UFPE
02:27
May 9, 2021
COMO TRANSFORMAR A VIDA DE SEU FILHO
Uma obra da escritora Aparecida Fragoso, lançado pela Editora Universitária | UFPE
03:14
May 9, 2021
COMO TRANSFORMAR A VIDA DE SEU FILHO
Uma obra da escritora Aparecida Fragoso, lançado pela Editora Universitária | UFPE
05:30
May 9, 2021
COMO TRANSFORMAR A VIDA DO SEU FILHO
Uma obra da escritora Aparecida Fragoso, lançado pela Editora Universitária | UFPE
09:49
May 9, 2021
VESTIDO MARROM - ÚLTIMO EPISÓDIO
Uma obra do escritor Luiz Antônio de Araújo Marinho
05:40
May 8, 2021
VESTIDO MARROM
Uma obra do escritor Luiz Antônio de Araújo Marinho
06:12
May 8, 2021
VESTIDO MARROM
Uma obra do escritor Luiz Antônio de Araújo Marinho
06:22
May 8, 2021
VESTIDO MARROM
Uma obra do escritor Luiz Antônio de Araújo Marinho
05:17
May 8, 2021
VESTIDO MARROM
Uma obra do escritor Luiz Antônio de Araújo Marinho
06:06
May 8, 2021
VESTIDO MARROM
Uma obra do escritor Luiz Antônio de Araújo Marinho
04:39
May 8, 2021
VESTIDO MARROM
Uma obra do escritor Luiz Antônio de Araújo Marinho
06:45
May 8, 2021
VESTIDO MARROM
Uma obra do escritor Luiz Antônio de Araújo Marinho
08:21
May 7, 2021
VESTIDO MARROM
Uma obra do escritor Luiz Antônio de Araújo Marinho
05:48
May 7, 2021
VESTIDO MARROM
Uma obra do escritor Luiz Antônio de Araújo Marinho
06:16
May 7, 2021
VESTIDO MARROM
Uma obra do escritor Luiz Antônio de Araújo Marinho
11:34
May 7, 2021
VESTIDO MARROM
Uma obra do escritor Luiz Antônio de Araújo Marinho
07:30
May 7, 2021
MAIO DE 1968
1968, o ano que ajudou a desenhar a face so mundo
02:42
May 6, 2021
DOM PEDRO II EM ESCADA | PE
No próximo dia 21 de dezembro serão completados 162 anos da visita do Imperador Dom Pedro II ano município de Escada. Documentos indicam que Dom Pedro e comitiva hospedaram-se na casa grande do Engenho Matapiruma. Escada ainda se encontrava na condição de Vila. No entanto, segundo Samuel Campelo, era considerado naquela época o município do interior com maior saliência e importância econômica. De acordo com Minduca (2008), Matapiruma era uma das residências do Barão de Suassuna. Ainda de acordo com Campelo (1919), a vinda do Imperador Dom Pedro II para Escada se deu em razão da 2ª Conferência do Centro Republicano de Pernambuco, que aconteceu no Sítio da Pompéia, no bairro do Atalaia. Escritos afirmam que o encontro tratou da Proclamação da República, que aconteceria somente trinta anos depois, em 1889. As informações estão publicadas no artigo do professor de música, Dimison Cesar, na VI Antologia da Academia Escadense de Letras-AELE, lançada em dezembro de 2018. Prefeitura da Escada
01:34
May 5, 2021
O GRANDE GEÓGRAFO MILTON SANTOS
O legado de Milton Santos: um novo mundo possível surgirá das periferias | Texto de Mayara Paixão- Brasil de Fato
04:43
May 4, 2021
VESTIDO MARROM
Uma obra do escritor, Luiz Antônio de Araújo Marinho
01:55:29
May 2, 2021
VESTIDO MARROM
Obra do escritor Luiz Antônio de Araújo Almeida
03:33
May 2, 2021
VESTIDO MARROM
Uma obra do escritor Luiz Antônio de Araújo Marinho
03:46
May 2, 2021
J. BORGES MOROU EM ESCADA. VOCÊ SABIA DISSO?
O maior xilogravurista do Brasil, também cordelista, morou e tem um filho em Escada/PE
06:31
May 1, 2021
O ESCADENSE CÍCERO DIAS
Nascido em Escada em 05 de março de 1907, falecido e sepultado em Paris em 28 de janeiro de 2003.
03:40
April 28, 2021
WALTER BENJAMIN POR MICHEL ZAIDAN FILHO
Leituras em WALTER, BENJAMIN, obra do Prof. Michel Zaidan Filho. O livro completo está disponível para baixar no blog maniadehistory.com
29:45
April 27, 2021
RELIGIOSIDADE, RITOS FUNERÁRIOS E ATITUDES PERANTE A MORTE EM ESCADA-PE (1864-1888)
Artigo do historiador Messias Bernardo da Silva
02:25
April 27, 2021
RELIGIOSIDADE, RITOS FUNERÁRIOS E ATITUDES PERANTE A MORTE EM ESCADA-PE (1864-1888)
Artigo do historiador Messias Bernardo da Silva
03:14
April 27, 2021
RELIGIOSIDADE, RITOS FUNERÁRIOS E ATITUDES PERANTE A MORTE EM ESCADA-PE(1864-1888)
Artigo do historiador Messias Bernardo da Silva
04:50
April 27, 2021
RELIGIOSIDADE, RITOS FUNERÁRIOS E ATITUDES PERANTE A MORTE EM ESCADA/PE
Artigo produzido pelo historiador Messias Bernardo da Silva
19:60
April 27, 2021
LEITURAS EM WALTER BENJAMIN | MICHEL ZAIDAN FILHO
Por Michel Zaidan Filho
02:01
April 26, 2021
RELIGIOSIDADE, RITOS FUNERÁRIOS E ATITUDES PERANTE A MORTE EM ESCADA- PE
RELIGIOSIDADE, RITOS FUNERÁRIOS E ATITUDES PERANTE A MORTE EM ESCADA- PE | Artigo do historiador Messias Bernardo
50:56
April 26, 2021
RELIGIOSIDADE, RITOS FUNERÁRIOS E ATITUDES PERANTE A MORTE EM ESCADA- PE
RELIGIOSIDADE, RITOS FUNERÁRIOS E ATITUDES PERANTE A MORTE EM ESCADA- PE(1864-1888) | Artigo: Messias Bernardo da Silva
03:48
April 25, 2021
REVOLUÇÃO DOS CRAVOS
Autor luiscarlossilvalinsPublicado em25 de abril de 2021CategoriasHistória, Mania de históriaTagsDitadura, Portugal, revolução dos cravos, Salazar Obrigado pela sua participação! Conectado como luiscarlossilvalins. Fazer logout? COMENTÁRIO  Avise-me sobre novos comentários por email. Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados. Navegação de posts ANTERIORPost anterior:CARTA LAUDATO SI DO PAPA FRANCISCO EM PODCAST Pesquisar por:PESQUISAR Anúncios ESTATÍSTICAS DO MANIA DE HISTORY 4.309.599 cliques APOIE O MANIA DE HISTORY PELO PIX MANIADEHISTORY@GMAIL.COM APOIE O MANIA DE HISTORY PELO PIX MANIADEHISTORY@GMAIL.COM  Selecionar categoria  Amazônia  Cultura  Direitos Humanos  Economia  Educação  Fome  História  Mania de história  Mundo digital  Mundo jurídico  Pandemia  Política  Religião  saúde  Tecnologia   MANIA DE HISTORY EM PODCASTS BREVE HISTÓRICO DA IMPUNIDADE NO BRASIL Na colônia e no império, a impunidade atordoava autoridades e impressionava estrangeiros OS CIGANOS NA HISTÓRIA A história dos ciganos que hoje são cerca de 12 milhões espalhados pelo mundo não é tão colorida quanto eles: teve diáspora, perseguição, escravidão e genocídio. INSCREVA-SE NO MANIA DE HISTORY NO YOUTUBE Tocador de vídeo 00:00 00:08 PESQUISA Pesquisar por:PESQUISAR SIGA-NOS NO INSTAGRAM Instagram MEDICINA COM CIÊNCIA E HUMANISMO Medicina com ciência e humanismoQueremos ser a maior referência em plataforma de ensino. Somos a rede social educacional que faltava. SIGA-ME NO TWITTER Selecione o idiomaAfricânerAlbanêsAlemãoAmáricoÁrabeArmênioAzerbaijanoBascoBengaliBielo-russoBirmanêsBósnioBúlgaroCanarêsCatalãoCazaqueCebuanoChicheuaChinês (simplificado)Chinês (tradicional)ChonaCingalêsCoreanoCorsoCrioulo haitianoCroataCurdoDinamarquêsEslovacoEslovenoEspanholEsperantoEstonianoFilipinoFinlandêsFrancêsFrísioGaélico escocêsGalegoGalêsGeorgianoGregoGuzerateHauçáHavaianoHebraicoHindiHmongHolandêsHúngaroIgboIídicheIndonésioInglêsIorubaIrlandêsIslandêsItalianoJaponêsJavanêsKhmerKinyarwandaLaosianoLatimLetãoLituanoLuxemburguêsMacedônioMalaialaMalaioMalgaxeMaltêsMaoriMarataMongolNepalêsNorueguêsOriáPachtoPersaPolonêsPunjabiQuirguizRomenoRussoSamoanoSérvioSessotoSindiSomaliSuaíleSuecoSundanêsTadjiqueTailandêsTâmilTártaroTchecoTelugoTurcoTurcomanoUcranianoUigurUrduUzbequeVietnamitaXhosaZulu Powered by Tradutor MAIS LIDOS MINI DICIONÁRIO TUPI-GUARANI SÉRGIO MORO POR CORONEL SIQUEIRA 170 LIVROS DE HISTÓRIA | BAIXAR GRATUITAMENTE SIGNIFICADO DOS NOMES DOS MESES ARQUIVOS NO EXTERIOR ARQUIVO HISTÓRICO SOBRE A PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL 0 ARQUIVO NACIONAL DO TOMBO EM PORTUGAL 0 AUDIOTECA DE REPORTAGENS – EM FRANCÊS 0 BIBLIOTECA MUNDIAL DA UNESCO 0 Harry Truman Digital Archive 0 Latin American Network Information Center 0 Library of the Congress – Washington – EUA 0 National Museum of american History – EUA 0 SITE DO VATICANO 0 World History Archives 0 ARQUIVOS PARA PESQUISA NO BRASIL ARQUIVO HISTÓRICO JUDAICO NO BRASIL 0 ARQUIVO NACIONAL 0 ARQUIVO PÚBLICO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO 0 ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO 0 ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO 0 ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 0 BANCO DE DADOS DA FOLHA DE SÃO PAULO 0 BANDEIRAS HISTÓRICAS DO BRASIL 0 CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E MEMÓRIA DA UNESP 0 CENTRO DE PESQUISA E DOCUMENTAÇÃO DE HISTÓRIA CONTEMPORÂNEA DO BRASIL 0 DEPARTAMENTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO – SÃO PAULO 0 FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA 0 FUNDAÇÃO CULTURAL PALMARES 0 FUNDAÇÃO JOAQUIM NABUCO 0 HISTÓRIA E DOCUMENTOS SOBRE O ARRAIAL DE CANUDOS 0 LAMPIÃO, UMA VIAGEM PELO CANGAÇO 0 MILÊNIO – 5.400 ANOS DE HISTÓRIA 0 ARTES PLÁSTICAS A ARTE NA HISTÓRIA 0 A HISTÓRIA DA ARTE 0 ARTE DE CIVILIZAÇÕES 0 CÍCERO DIAS 0 JULIANA GOMIDE 0 PORTAL DAS ARTES 0 VEJA DIGITAL 0 ATLAS ANCESTRAL ATLAS ANCESTRAL ATLAS DIGITAL DA TERRA SAGRADA COM INFORMAÇÕES ARQUEOLÓGICAS E HISTÓRICAS. A PÁGINA ESTÁ EM INGLÊS, MAS É UMA IMPORTANTE
04:46
April 25, 2021
BREVE HISTÓRICO DA IMPUNIDADE NO BRASIL
Na colônia e no império, a impunidade atordoava autoridades e impressionava estrangeiros
05:22
April 25, 2021
OS CIGANOS NA HISTÓRIA
A história dos ciganos que hoje são cerca de 12 milhões espalhados pelo mundo não é tão colorida quanto eles: teve diáspora, perseguição, escravidão e genocídio.
04:24
April 25, 2021
ALDEIA DE ESCADA: ESBULHOS DE TERRAS E RESISTÊNCIA INDÍGENA EM PERNAMBUCO NO SÉCULO XIX
ALDEIA DE ESCADA: ESBULHOS DE TERRAS E RESISTÊNCIA INDÍGENA EM PERNAMBUCO NO SÉCULO XIX Edson Silva A invisibilidade dos índios na História A história dos povos indígenas no Brasil, das relações entre os povos indígenas e os não-índios, ainda são muito desconhecidas. No geral, os estudos de História do Brasil, mesmo aqueles que representam abordagens críticas, minimizaram a presença indígena na história do país, relegando-a aos momentos iniciais da colonização. Essa visão permanece, salvo algumas poucas exceções, nos livros didáticos, no ensino em todos os níveis, inclusive no universitário. Uma visão etnocêntrica com múltiplas facetas condenou e condena os povos indígenas à invisibilidade na História, sucumbidos diante da marcha da “civilização”. Todavia, nos últimos anos surgiram diversos estudos, resultados de pesquisas em sua maior parte na área da Antropologia, estudos estes que se utilizando de novas abordagens, metodologias e conceitos, estreitaram as fronteiras com a História. Esses estudos, em suas novas abordagens, análises e reflexões, foram também respostas na busca de explicações ao fenômeno da presença, da emergência e da afirmação étnica de povos até então tidos como extintos ou “restos” condenados ao desaparecimento, nas regiões nas antigas da colonização portuguesa, como no caso do Nordeste. Foram produzidas significativas reflexões sobre a história indígena, que obrigou-nos repensar a história da colonização, a História do Brasil até então conhecida, ensinada, discutida
02:23
April 23, 2021
A TERRA DOS PAPAGAIOS
A “terra dos papagaios” e do brasil – o século XVI por Adriana Lopez (Historiadora) Em agosto de 1501, o rei de Portugal, Manuel I, enviou a seus sogros, os reis de Castela e Aragão, um relato minucioso sobre a viagem realizada pela segunda armada enviada à Índia pela rota do Cabo. Nessa longa carta, Manuel I faz rápida menção ao achamento de uma terra no hemisfério austral “mui conveniente e necessária à navegação da Índia”. Pouco mais de um ano após o retorno da naveta comandada por Gaspar Lemos, trazendo a notícia do achado e do reconhecimento de mais de 150 léguas de costa no oeste do Atlântico Sul, oficializava-se a posse dos novos territórios. Uma aura de sigilo a escondia: o rei português havia proibido a divulgação de mapas que revelassem sua localização, sob pena de morte. Após o retorno da armada do Oriente, a notícia logo ganhou os principais portos europeus. Por volta de 1503, começa a circular em Paris, em italiano, uma versão alterada da carta Novus Mundus, originalmente escrita pelo agente comercial florentino Américo Vespúcio, na qual se dão a conhecer as primeiras notícias a respeito das novas posses do rei de Portugal. A correspondência enviada por espiões venezianos e representantes de casas comerciais italianas em Lisboa alude com frequência ao descobrimento da “terra dos papagaios”. 
02:19
April 23, 2021
O FANÁTICO TOMÁS DE TORQUEMADA
Tomás de Torquemada: O fanático da Inquisição Para proteger a fé, o frade Tomás de Torquemada recomendava parafusos nos polegares dos heréticos Na Espanha do fim do século 15, a fama do inquisidor Tomás de Torquemada chegava aos quatro cantos da Espanha. Queridinho da rainha Isabel (vulgo “a Católica”), Tomás – que era frade dominicano – queria livrar o reino de heresias religiosas. Desde que fora nomeado inquisidor-geral pelo papa Inocêncio VIII, perseguiu judeus, agiotas, bígamos, homossexuais e bruxas. Os suspeitos eram enviados, sem qualquer explicação, aos calabouços da Inquisição para interrogatório. Ali, durante os açoitamentos e torturas, o sinistro religioso ficava rezando baixinho enquanto os carrascos aplicavam parafusos nos polegares, arrancavam unhas e dilaceravam a pele dos presos com pinças em brasa. Suspeitas de bruxaria eram despidas, para que os carrascos procurassem pelo corpo tatuagens de pentagramas invertidos, considerados “marcas do diabo” (stigmata diaboli). Deu para assustar? Isso era só o começo. Depois de arrancadas as confissões, os “hereges” eram enviados a julgamento, quase sempre em praça pública, eventos chamados autos-da-fé. Mais de 10 mil acusados de feitiçaria e heresia foram condenados à fogueira, que era acendida ali mesmo. Chegou uma hora, contudo, em que o próprio Vaticano – assustado com a sanha assassina do frade – pediu que Torquemada moderasse. Tomás ignorou a ordem, e acabou destituído do cargo em 1494. Magoado, retirou-se para um convento, morrendo em 1498 enquanto dormia. Sua morte foi indolor.
03:18
April 23, 2021
JOAQUIM JOSÉ, O TIRADENTES
Por Laís Guedes   Editora selecionou 14 títulos que podem ser acessados em plataformas como Amazon e Kobo   A Cepe (Companhia Editora de Pernambuco) liberou o download gratuito de 14 e-books de seu acervo. Até o dia 31 de março, os títulos, direcionados ao público adulto e infanto-juvenil, estarão disponíveis na Amazon, Apple, Kobo, Google Play Books e Livraria Cultura. O intuito é incentivar a leitura como atividade satisfatória e prazerosa nos dias atuais, marcados pela quarentena como forma de combate à transmissão do coronavírus. Confira os títulos abaixo:   30 Entrevistas da revista Continente – Adriana Dória Matos (org.): “São trinta copos de chopp, são trinta homens sentados, trezentos desejos presos, trinta mil sonhos frustrados”, escreveu o poeta Carlos Pena Filho. Neste livro, são 30 entrevistas publicadas na revista Continente, selecionadas entre tantas outras, no intervalo de 10 anos. Aqui, o leitor terá o prazer do encontro com vozes potentes de artistas, músicos, cineastas, sociólogos, filósofos, entre outras ocupações nas áreas das Ciências Sociais e Humanas. Gente que, com suas ideias e experiências, é capaz de nos esclarecer e enternecer, a despeito das mudanças ocorridas, porque, assim como o poema de Carlos Pena, o que eles dizem desconhece limites de tempo e espaço. Caminho áspero e outros poemas – Severino Filgueira: Normalmente associado à chamada Geração 65 da literatura pernambucana, Severino Filgueira é, na verdade, um poeta que escapa de classificações, que talvez se enquadrasse mais na famosa tradição de poetas “malditos”. Dono de uma dicção peculiar que, como fogo hermético, caminha entre o rigor formal e o mergulho libertário surrealista, sobrevoando o nonsense, é um poeta cujo perfil não convencional, beirando o enigmático, ajudou a construir em torno de si um grupo seleto, mas fiel, de admiradores e leitores. Caminho áspero e outros poemas é uma coletânea em que se percebem as múltiplas facetas deste artista singular, um grande esteta de formas fixas, em especial do soneto, gênero que ele renova em combinações desconcertantes, ao mesmo tempo em que explora o verso livre com maestria. “A linguagem é minha única armadura/ para assim merecer a deslembrança”, diz o poeta, e os antigos e novos leitores assim se vestem de poesia. Os Casos Especiais de Osman Lins – Adriano Portela (org.): Nascido em Vitória de Santo Antão, Pernambuco, Osman Lins é autor de contos, romances, narrativas, ensaios e peças de teatro. O romance Avalovara (1973) é considerado sua obra-prima. No final da década de 1970, Osman Lins enveredou na aventura televisiva, escrevendo, roteirizando e adaptando para o programa Caso Especial, da Rede Globo, os episódios: A ilha no espaço, Quem era Shirley Temple? e Marcha Fúnebre. Estes são os invólucros de suas histórias, analisadas pelo crítico Adriano Portela em sua dissertação de mestrado – sob orientação da professora doutora Ermelinda Ferreira – e que agora propõe a reedição da obra osmaniana. Quarenta anos depois, o pesquisador, na oportunidade da publicação pela Cepe Editora, resgata os três roteiros finalizados pelo autor pernambucano; textos pouco conhecidos e divulgados, nos quais fica evidente a continuidade de sua incansável luta pela independência do país por meio do aprimoramento da capacidade crítica de seu povo. Ficcionais – Scheneider Carpeggiani (org.): Organizado em comemoração aos cinco anos do suplemento Pernambuco, da Companhia Editora de Pernambuco, a obra reúne textos de 32 autores que colaboraram para a sessão “Bastidores”, falando sobre seus processos de criação, entre eles Rubens Figueiredo, conhecido tradutor do russo, a escritora de livros infantis Ana Maria Machado, o escritor e crítico literário José Castello, e outros. O Filho das Viúvas – Pedro Veludo: A descoberta acidental de um livro num Sebo é o ponto de partida para esta história. Enquanto o texto relata a busca intensa de Catrônfilo, o protagonista, pela identidade da mãe, o narrador procura obsessiv
02:36
April 21, 2021
TIRADENTES, O HERÓI DESPEDAÇADO
Por Laís Guedes   Editora selecionou 14 títulos que podem ser acessados em plataformas como Amazon e Kobo   A Cepe (Companhia Editora de Pernambuco) liberou o download gratuito de 14 e-books de seu acervo. Até o dia 31 de março, os títulos, direcionados ao público adulto e infanto-juvenil, estarão disponíveis na Amazon, Apple, Kobo, Google Play Books e Livraria Cultura. O intuito é incentivar a leitura como atividade satisfatória e prazerosa nos dias atuais, marcados pela quarentena como forma de combate à transmissão do coronavírus. Confira os títulos abaixo:   30 Entrevistas da revista Continente – Adriana Dória Matos (org.): “São trinta copos de chopp, são trinta homens sentados, trezentos desejos presos, trinta mil sonhos frustrados”, escreveu o poeta Carlos Pena Filho. Neste livro, são 30 entrevistas publicadas na revista Continente, selecionadas entre tantas outras, no intervalo de 10 anos. Aqui, o leitor terá o prazer do encontro com vozes potentes de artistas, músicos, cineastas, sociólogos, filósofos, entre outras ocupações nas áreas das Ciências Sociais e Humanas. Gente que, com suas ideias e experiências, é capaz de nos esclarecer e enternecer, a despeito das mudanças ocorridas, porque, assim como o poema de Carlos Pena, o que eles dizem desconhece limites de tempo e espaço. Caminho áspero e outros poemas – Severino Filgueira: Normalmente associado à chamada Geração 65 da literatura pernambucana, Severino Filgueira é, na verdade, um poeta que escapa de classificações, que talvez se enquadrasse mais na famosa tradição de poetas “malditos”. Dono de uma dicção peculiar que, como fogo hermético, caminha entre o rigor formal e o mergulho libertário surrealista, sobrevoando o nonsense, é um poeta cujo perfil não convencional, beirando o enigmático, ajudou a construir em torno de si um grupo seleto, mas fiel, de admiradores e leitores. Caminho áspero e outros poemas é uma coletânea em que se percebem as múltiplas facetas deste artista singular, um grande esteta de formas fixas, em especial do soneto, gênero que ele renova em combinações desconcertantes, ao mesmo tempo em que explora o verso livre com maestria. “A linguagem é minha única armadura/ para assim merecer a deslembrança”, diz o poeta, e os antigos e novos leitores assim se vestem de poesia. Os Casos Especiais de Osman Lins – Adriano Portela (org.): Nascido em Vitória de Santo Antão, Pernambuco, Osman Lins é autor de contos, romances, narrativas, ensaios e peças de teatro. O romance Avalovara (1973) é considerado sua obra-prima. No final da década de 1970, Osman Lins enveredou na aventura televisiva, escrevendo, roteirizando e adaptando para o programa Caso Especial, da Rede Globo, os episódios: A ilha no espaço, Quem era Shirley Temple? e Marcha Fúnebre. Estes são os invólucros de suas histórias, analisadas pelo crítico Adriano Portela em sua dissertação de mestrado – sob orientação da professora doutora Ermelinda Ferreira – e que agora propõe a reedição da obra osmaniana. Quarenta anos depois, o pesquisador, na oportunidade da publicação pela Cepe Editora, resgata os três roteiros finalizados pelo autor pernambucano; textos pouco conhecidos e divulgados, nos quais fica evidente a continuidade de sua incansável luta pela independência do país por meio do aprimoramento da capacidade crítica de seu povo. Ficcionais – Scheneider Carpeggiani (org.): Organizado em comemoração aos cinco anos do suplemento Pernambuco, da Companhia Editora de Pernambuco, a obra reúne textos de 32 autores que colaboraram para a sessão “Bastidores”, falando sobre seus processos de criação, entre eles Rubens Figueiredo, conhecido tradutor do russo, a escritora de livros infantis Ana Maria Machado, o escritor e crítico literário José Castello, e outros. O Filho das Viúvas – Pedro Veludo: A descoberta acidental de um livro num Sebo é o ponto de partida para esta história. Enquanto o texto relata a busca intensa de Catrônfilo, o protagonista, pela identidade da mãe, o narrador procura obsessiv
02:21
April 21, 2021
PALAVRAS DE ORIGEM INDÍGENA
Palavras de origem indígena  Flávia Neves Professora de Português Existem diversas palavras de origem indígena no português falado atualmente. Há 200 línguas indígenas registradas no Brasil, sendo que 180 ainda são faladas atualmente. O Tupi é o tronco linguístico que engloba o maior número de línguas indígenas. Aquando da chegada dos colonizadores portugueses no Brasil, havia mais de mil línguas diferentes faladas pelas tribos indígenas que viviam no território brasileiro. Houve então um ensinamento lexical feito pelos índios aos portugueses, que desconheciam a fauna e flora brasileira. Assim, diversas palavras que indicam conceitos de fauna, flora e localidades têm uma origem indígena. Nomes de fauna de origem indígena araponga (do tupi wira-pónga) arara (do tupi arára) ariranha (do tupi ari'rana) baiacu (do tupi wambaiakú) capivara (do tupi kapii-wára) chopim (do tupi xo'pi) cupim (do tupi kupií) cutia (do tupi akutí) gambá (do tupi wa-ambá) guará (do tupi awará) irara (do tupi (e)i'rara) jabiru (do tupi yambï'ru) jabuti (do tupi iawotí) jacaré (do tupi iakaré) jararaca (do tupi iararáka) jaú (do tupi ya'u) jiboia (do tupi iuy-mbóia) mamangaba (do tupi manga'nga) maracanã (do tupi maraka'na) perereca (do tupi pereréka) piranha (do tupi pira-ãia) pirarucu (do tupi pira-urukú) poti (do tupi po'tĩ) sabiá (do tupi sawiá) sagui (do tupi sawín) sariguê (do tupi sari'gwe) saúva (do tupi ysaúwa) siri (do tupi sirí) suaçu (do tupi sïwa'su) tamanduá (do tupi tamanduá) tatuí (do tupi tatu'i) traíra (do tupi tare'ïra) tucano (do tupi tukána) urubu (do tupi uru'wu) urucum (do tupi uru'ku) xororó (do tupi xoro'ro) Nomes de flora de origem indígena abacaxi (do tupi ywa-katí) açaí (do tupi ywa-saí) aipim (do tupi aipĩ) amendoim (do tupi mandu'wi) bacaba (do tupi ïwa'kawa) bacupari (do tupi *ïwakupa'ri) bacuri (do tupi ywa-kurí) bocaiuva (do tupi mboka'ïwa) buriti (do tupi *mbïrï'tï) caatinga (do tupi kaa-tínga) cajá (do tupi akaiá) caju (do tupi akaiú) capim (do tupi kapíi) capoeira (do tupi ko'pwera) cipó (do tupi ysypó) cupuaçu (do tupi kupu-wasú) inajá (do tupi ina'ya) ipê (do tupi ypé) jabuticaba (do tupi iawotikáwa) jenipapo (do tupi iandypáwa) jequitibá (do tupi yïkïtï'wa) jerimum (do tupi yuru'mũ) macaxeira (do tupi maka'xera) mandioca (do tupi mandióka) piaçaba (do tupi pïa'sawa) pindaíba (do tupi pinda'ïwa) piranga (do tupi pi'ranga) pitanga (do tupi pytánga) pitomba (do tupi pi'tomba) pupunha (do tupi pu'puña) samambaia (do tupi sama-mbái) sapê (do tupi yasa'pe) tapioca (do tupi typyóka) tucumã (do tupi tuku'ma) uvaia (do tupi ï'waya) Outros nomes de origem indígena arapuca (do tupi wira-púka) biboca (do tupi ymby-mbóka) caboclo (do tupi kara'iwa) caipora (do tupi kaa-póra) carioca (do tupi kariwóka) catapora (do tupi tata-póra) cumbuca (do tupi kui'mbuka) curumim (do tupi kunumín) curupira (do tupi kuru'pira) guri (do tupi gwi'ri) inhaca (do tupi yakwa) jirau (do tupi yu'ra) jururu (do tupi yuru-ru) maniçoba (do tupi mandisówa) mingau (do tupi minga'u) nhe-nhe-nhem (do tupi nheeng-nheeng-nheeng) paçoca (do tupi pasóka) pajé (tupi pa'ye) pereba (do tupi pe'rewa) peteca (do tupi pe'teka) pipoca (do tupi pipóka) pororoca (do tupi poro'roka) potiguar (do tupi potï'war) saci (do tupi *sa'si) suruba (do tupi suru'ba) taba (do tupi 'tawa) tocaia (do tupi to'kaya) tucupi (do tupi tiku'pir) xará (do tupi xa'ra) Nomes de localidades de origem indígena Amapá Copacabana Curitiba Goiás Grajaú Guanabara Guarujá Iguaçu Ipanema Ipiranga Itapuã Macapá Maceió Maranhão Moji Morumbi Pará Paraguai Paraíba Paraná Pernambuco Piauí Piracicaba Piraí Piraíba Sapucaí Sergipe Tietê Tijuca Ubatuba Uruguai Xingu Nomes de pessoas de origem indígena Anaí Araci Aruana Iracema Jaciara Jacira Janaína Jandira Juçara Juraci Jurandir Jurema Kaique Kauã Mayara Moacir Moema Roani Tainá Ubirajara Yara Veja
04:11
April 19, 2021
NO TEMPO DA FRATELLI VITA
Coleção Tempo Municipal | Centro de Estudos de História Municipal Autor: Gustavo Arruda
04:27
April 18, 2021
NO TEMPO DA FRATELLI VITA
Coleção Tempo Municipal | Centro de Estudos de História Municipal Autor: Gustavo Arruda
03:19
April 18, 2021
NO TEMPO DA FRATELLI VITA
Coleção Tempo Municipal | Centro de Estudos de História Municipal Autor: Gustavo Arruda
06:51
April 18, 2021
NO TEMPO DA FRATELLI VITA
Coleção Tempo Municipal | Centro de Estudos de História Municipal
03:51
April 18, 2021
NO TEMPO DA FRATELLI VITA
Coleção Tempo Municipal | Centro de Estudos de História Municipal
04:29
April 18, 2021
NO TEMPO DA FRATELLI VITA
Coleção Tempo Municipal | Centro de Estudos de História Municipal
04:46
April 18, 2021
NO TEMPO DA FRATELLI VITA
Coleção Tempo Municipal | Centro de Estudos de História Municipal
10:11
April 18, 2021
NO TEMPO DA FRATELLI VITA
Coleção Tempo Municipal | Centro de Estudos de História Municipal | Autor: Gustavo Arruda
04:15
April 18, 2021
NA TRILHA DO GOLPE
Depoimento de Gregório Bezerra (1900 - 1983).
10:15
April 17, 2021
NA TRILHA DO GOLPE 1964 REVISITADO
Depoimento de Gregório Bezerra (1900 - 1983)
02:24
April 17, 2021
15 DE ABRIL | DIA MUNDIAL DA ARTE
Nascido no dia 15 de abril de 1452, na República de Florença — atual Itália — Leonardo da Vinci foi um grande cientista, matemático, engenheiro, inventor, anatomista, pintor, escultor, arquiteto, botânico, poeta e músico. Considerado um dos maiores gênios da história, o artista foi um dos nomes mais importantes do Alto Renascimento. Dentre suas obras mais famosas, estão 'Mona Lisa', 'A Última Ceia' e 'Homem Vitruviano'. Além de percursor da aviação e da balística, suas contribuições para a área científica também foram inestimáveis, principalmente nos campos da anatomia, engenharia civil, óptica e hidrodinâmica.  Em 2012, a Associação Internacional de Arte (IAA) decretou que, no dia 15 de abril, passaria a ser celebrado o Dia Mundial da Arte. De acordo com o portal UOL, a data foi escolhida para homenagear o aniversário de Leonardo da Vinci. O objetivo da data é propagar a conscientização da criatividade humana, além de refletir aobre a importância da arte para a sociedade como forma de manifestar sentimentos e pensamentos individuais e coletivos. Pensando nisso, o site Aventuras na História selecionou 15 obras incríveis para entender a história da arte.
01:48
April 16, 2021
TOBIAS BARRETO
Tobias Barreto   Lúcia Gaspar Bibliotecária da Fundação Joaquim Nabuco pesquisaescolar@fundaj.gov.br Tobias Barreto de Meneses nasceu em Campos, Sergipe, no dia 7 de junho de 1839, filho de Pedro Barreto de Meneses, escrivão de órfãos e ausentes da localidade e Emerenciana de Meneses.   Em 1846, matriculou-se na escola primária do professor Manuel Joaquim de Oliveira Campos, na cidade onde nasceu e, em 1851, foi levado à cidade de Estância para aprender latim com o padre Domingos Quirino. Dedicou-se tanto e teve tão bom aproveitamento que, em 1857, foi designado para a cadeira de latim da vila de Itabaiana. Entre 1854 e 1865 foi professor particular de diversas matérias. Prestou concurso para a cadeira de latim do Ginásio Pernambucano, no Recife, mas não conseguiu ser nomeado. Em 1861, viajou à Bahia para seguir a carreira eclesiástica, mas não suportando sua rígida disciplina e sem vocação firme, abandonou o seminário. Fez os exames preparatórios necessários à matricula no ensino superior, em Salvador. Mudou-se para o Recife e em 1864, matriculou-se na Faculdade de Direito do Recife, onde foi uma das figuras mais importantes do movimento intelectual conhecido como a Escola do Recife, formando-se em 1869. Durante o seu período na Faculdade colaborou com os jornais O Acadêmico (1865); A Luta (1867); A Regeneração (1868); O Vesúvio (1869); Correio Pernambucano (1869), onde foram publicados artigos de filosofia. O Diario de Pernambuco também publicou várias de suas poesias e o Jornal do Recife, A Província e Correio do Norte, artigos de várias naturezas. Casou-se, em 1868, com a filha de um coronel, proprietário de engenhos no município de Escada, Pernambuco, e antes de concluir o curso de Direito já estava com um filho de poucos meses. Durante o ano de 1870 morou no Recife, onde redigiu o jornal O Americano e, em 1871, radicou-se na cidade de Escada, em Pernambuco, onde exerceu a advocacia e dedicou-se ao estudo da língua alemã, sendo um autodidata. Como dono de uma pequena tipografia em Escada publicou os seguintes periódicos: Um Sinal dos Tempos (dez números, 1874); A Comarca da Escada (cinco números, 1875); Desabuso (cinco números, 1875); Aqui pra Nós (dois números, 1875); O Povo da Escada (três números, 1876); A Igualdade (um número, 1877) e Contra a Hipocrisia (dezesseis números, 1879) Redigiu e publicou em alemão o jornal Deutscher Kaempfer, (O lutador alemão), Brasilien wie est ist (1876) e Ein Brief na diedeutsche Presse (1878). No campo da poesia competiu com o poeta baiano Antônio de Castro Alves, a quem superou do ponto de vista cultural. Aos 43 anos mudou-se de Escada para o Recife, onde, em 1882, através de concurso, conseguiu uma cátedra na Faculdade de Direito do Recife. Desde então dedicou-se exclusivamente a ensinar Direito e a estudar Filosofia. Problemas de saúde e financeiros acabaram por impedi-lo de sair de casa. Tentou uma viagem à Europa para tratar da saúde, mas não conseguiu por falta de condições financeiras. Morreu no Recife, no dia 26 de julho de 1889, com cinqüenta anos de idade. Seus ossos foram transportados para a cidade de Aracaju, Sergipe, e colocados em uma urna de bronze, embaixo de uma estátua erigida em sua homenagem. Suas obras completas, publicadas pelo Instituto Nacional do Livro, incluem os seguintes títulos: Ensaios e estudos de filosofia e crítica, 1975; Brasilien, wie es ist, 1876; Ensaio de pré-história da literatura alemã, Filosofia e crítica, Estudos alemãs, 1879; Dias e noites, 1881; Menores e loucos, 1884;Discursos, 1887 e Polêmicas, 1901. Recife, 17 de julho de 2003. (Atualizado em 8 de setembro de 2009). FONTES CONSULTADAS: ACADEMIA Brasileira de Letras. Disponível em:. Acesso em: 18 jun. 2002. BEVILAQUA, Clovis. História da Faculdade de Direito do Recife. 2.ed. Brasília: INL; Conselho Federal de Cultura, 1977. p. 348-349. FRANCOVICH, Guillermo. Filósofos brasileiros. Rio de Janeiro: Presença, 1979. p.39-51. MONT’ALEGRE, Om
05:16
April 14, 2021
CARTA ENCÍCLICA LAUDATO SI' DO SANTO PADRE FRANCISCO
"Louvado sejas, meu senhor ", cantava São Francisco de Assis.
08:25
April 13, 2021
HISTÓRIA DO PROTESTANTISMO NO BRASIL
Em dezembro de 1555 chegou à baia de Guanabara uma expedição comandada por Nicolas Gaspard de Coligny(1519 - 1567)
07:17
April 13, 2021
CARTA ENCÍCLICA FRATELLI VITA DO SANTO PADRE FRANCISCO SOBRE A FRATERNIDADE E A AMIZADE SOCIAL
«FRATELLI TUTTI»:[1] escrevia São Francisco de Assis, dirigindo-se a seus irmãos e irmãs para lhes propor uma forma de vida com sabor a Evangelho. Destes conselhos, quero destacar o convite a um amor que ultrapassa as barreiras da geografia e do espaço; nele declara feliz quem ama o outro, «o seu irmão, tanto quando está longe, como quando está junto de si».[2] Com poucas e simples palavras, explicou o essencial duma fraternidade aberta, que permite reconhecer, valorizar e amar todas as pessoas independentemente da sua proximidade física, do ponto da terra onde cada uma nasceu ou habita
10:34
April 13, 2021
O GOLPE MILITAR DE 1964 NO EXTERIOR
Na trilha do golpe, 1964 revisitado. Organizadores: Túlio Velho Barreto | Laurindo Ferreira
06:33
April 12, 2021
TANQUES NAS RUAS, É O GOLPE
Na trilha do golpe, 1964 revisitado - Organizadores: Túlio Velho Barreto | Laurindo Ferreira
04:48
April 12, 2021
MOVIMENTOS RELIGIOSOS E AS LUTAS SOCIAIS
Na trilha do golpe - 1964 revisitado. Organizadores: Túlio Velho Barreto | Laurindo Ferreira
06:57
April 10, 2021
IGREJA SANTA E REVOLUCIONÁRIA
Na trilha do golpe - 1964 revisitado. Organizadores: Túlio Velho Barreto | Laurindo Ferreira
06:18
April 10, 2021
UM PAÍS FEITO DE SONHOS E ASPIRAÇÕES
Na trilha do golpe - 1964 revisitado. Organizadores | Túlio Velho Barreto | Laurindo Ferreira
06:45
April 10, 2021
A JUVENTUDE IDEALISTA
Trecho do livro "Na trilha do golpe, 1964 revisitado". Organizadores: Túlio Velho Barreto | Laurindo Ferreira
09:54
April 9, 2021
AS OUTRAS INCONFIDÊNCIAS MINEIRAS
Muito antes de Tiradentes, vários episódios em Minas mostraram a insatisfação popular com a monarquia. Por Leandro Pena Catão
05:39
April 5, 2021
TIRADENTES: O HERÓI DESPEDAÇADO
Interessante texto de Laurentino Gomes, que demonstra como as punições contra os adversários político da Coroa Portuguesa no Brasil colonial eram desumanas e chocantes
03:15
April 5, 2021
NA LEI OU NA MARRA
Reportagem de Eduardo Machado, trecho do livro Na trilha do Golpe - 1964 revisitado. Organizadores | Túlio Velho Barreto | Laurindo Ferreira
07:39
April 2, 2021
GUERRA NO CAMPO OPÕE USINAS E SINDICATOS
Reportagem de Jamildo Melo, trecho do livro Na trilha do Golpe - 1964 revisitado. Organizadores | Túlio Velho Barreto | Laurindo Ferreira
09:40
April 2, 2021
MÚSICA E RESISTÊNCIA DURANTE O REGIME MILITAR NO BRASIL
A Música Popular Brasileira (MPB) sempre foi um dos instrumentos de identidade nacional. Durante o período ditatorial brasileiro (1964-1985), a produção artística adotou certas características fruto exatamente das imposições que o cenário autoritário de então impunha. No entanto, isso não anulou o caráter crítico da produção musical no país. Algumas vozes e personalidades foram imortalizadas durante as décadas de 1960, 1970 e 1980. Alguns cantores utilizavam sua personalidade artística para também adotar uma postura política. As letras críticas, desafiadoras e que denunciavam a situação brasileira marcaram a trajetória de tantos cantores e compositores, como Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Elis Regina, Milton Nascimento, Geraldo Vandré, entre diversos outros.  Nos primeiros anos de regime, as denúncias sociais e às medidas anti-democráticas marcaram a produção musical. O aumento da miserabilidade com o regime, devido a alguns programas de contenção econômica como o PAEG – Programa de Ação Econômica do Governo – gerou canções como “Pedro Pedreiro” de Chico Buarque: Manhã parece carece de esperar também / Para o bem de quem tem bem / De quem não tem vintém / Pedro pedreiro tá esperando a morte / Ou esperando o dia de voltar pro Norte / Pedro não sabe, mas talvez no fundo / Espere alguma coisa mais linda que o mundo / Maior do que o mar / Mas pra que sonhar se dá / Um desespero de esperar demais / Pedro pedreiro quer voltar atrás / Quer ser pedreiro, pobre e nada mais / Sem ficar esperando, esperando, esperando Com a instituição do AI-5 (1968), a crítica musical precisou se maquiar para passar pela censura prévia imposta pelo regime. Músicas de duplo sentido – como “Cálice” de Gilberto Gil e Chico Buarque, fazendo referência ao verbo “calar-se” – tentavam driblar a ditadura e seus censores. Diversos cantores adotavam pseudônimos para esconder sua identidade – a de alguns já muito perseguida. O final da década de 1960 também protagonizou a emergência da Tropicália, um movimento artístico que propunha uma inovação musical a partir da mesclagem de manifestações brasileiras com algumas vanguardas europeias à época. A mistura da MPB com o Rock’n Roll foi uma das marcas desse sincretismo cultural. Nomes como o de Caetano Veloso subvertiam o padrão tradicionalista da população brasileira. Com a crise do regime no final da década de 1970 e o processo de reabertura na década de 1980, a revogação do AI-5 abriu espaço para manifestações mais diretas e abertas aos resquícios do regime. Uma das músicas que marcou esse processo e que se tornou uma espécie de hino democrático no início dos anos 1980 foi “Pra não dizer que não falei das flores” de Geraldo Vandré. Pelos campos ha fome em grandes plantações Pelas ruas marchando indecisos cordões Ainda fazem da flor seu mais forte refrão E acreditam nas flores vencendo o canhão Vem vamos embora que esperar não e saber Quem sabe faz a hora não espera acontecer O perfil crítico da MPB não ficou restrito como uma marca de resistência cultural ao regime ditatorial brasileiro. Até hoje, com o fortalecimento de novos gêneros, como o funk e o rap, a produção musical ainda é um meio de denúncia. Muitos desses cantores citados permanecem em ativa até os dias atuais e, somadas a essas vozes, diversas outras compõe uma das marcas do conceito de brasilidade.
03:58
April 1, 2021
A PESTE
A PESTE  A grande peste A doença foi levada para a Europa por ratos e pulgas. Uma em cada três pessoas morreu em menos de cinco anos. Nunca, nenhuma guerra ou catástrofe matou tanta gente em tão pouco tempo: 25 milhões de pessoas por Voltaire Schilling Os sintomas não deixavam dúvidas. Atacada por uma febre de 40 graus, a vítima sentia crescer na virilha ou na axila um inchaço que assumia a forma de um doloroso furúnculo do tamanho de um ovo ou de uma laranja. Insônia e delírios complementavam o mal-estar, fazendo com que o infeliz temesse tanto o sono como o despertar. No segundo ou no terceiro dia, seu corpo estaria tomado por esses bubões. Se tivesse sorte, os caroços se abririam em pus, dimuinuindo a dor e a febre. Aí surgiriam as manchas pretas na pele. Ardendo, com feridas por todo o corpo, o condenado sentia-se como se na ante-sala do inferno. Era a peste negra ou peste bubônica. O aspecto do desgraçado tornava-o repelente. Os olhos inchados pelas infecções e os membros cobertos pelas pústulas deixavam claro que a sua hora chegara e nada no mundo o salvaria. Neste momento de agonia, nos estertores de uma tremedeira sem-fim, ninguém mais se aproximava dele. Nem pai, nem mãe, nem irmão ou amigo que se apiedasse. Todos debandavam, temendo a contaminação. Cerca de uma semana depois dos primeiros sintomas, a vítima estava morta. Com poucas variações, foi assim que 25 milhões de pessoas morreram abatidas pela peste entre 1347 a 1351. Ainda mais rápida que a doença corriam as histórias sobre ela. As primeiras notícias da peste vinham da Ásia, onde ela já fazia vítimas. Os relatos dos viajantes da rota da seda – que ligava a Europa à China – davam conta de mortes por causa da doença por volta de 1330, no deserto de Gobi. Aparentemente, a peste vivia nas tocas de roedores silvestres na região entre a China e a Índia. Ela permaneceu ali por milhares de anos, passando de roedor para roedor, carregada pelas pulgas, isolada naquela imensidão. Não podia ir muito longe, já que seus hospedeiros não costumam fazer longas viagens e mesmo as pessoas que ocasionalmente eram infectadas não se afastam muito de casa. No entanto, o mundo nunca fora tão pequeno, quanto no século 13. Uma tropa de nômades mongóis pode ter acampado próximo a uma toca de ratos, ou um deles pode ter se juntado a uma caravana, ou, ainda, uma minúscula pulga pode ter ido do dorso de um roedor para as roupas de um mensageiro que cruzava as estepes. Nunca saberemos. O certo é que ela chegou à península da Criméia, no Mar Negro. Ali, no porto de Kaffa, a doença apareceu após um ataque de mongóis da Horda de Ouro. O lugar era freqüentado por mercadores genoveses e venezianos, que aportavam seus navios à espera de bons negócios. Sem saber que podiam estar infectados, os marinheiros alçaram velas para retornar à Europa. Passaram por Constantinopla e, em seguida, já abalados pelo efeito epidêmico, rumaram para o porto de Messina, na Sicília. Além dos homens doentes, o navio transportava ratos. Milhares deles. E, claro, ocultas nos pêlos dos roedores, uma impressionante carga de pulgas. Ali, todos foram vetores da contaminação, já que uma vez que chega ao hospedeiro, a peste desenvolve dois tipos de epidemia: a bubônica e a pneumônica. A primeira expande-se pelo sangue, gerando os bubões nas ínguas e as ulcerações pelo corpo. Mas, mantendo-se na corrente sangüínea, só pode ser transmitida pela picada da pulga ou pela mordida do rato. A outra forma, no entanto, invade os pulmões, destruindo-os, provocando a expectoração. Essa forma pode ser trasmitida também pelos humanos, já que a cada vez que tossem lançam milhares de bacilos no ar. A peste negra não era uma completa desconhecida em terras européias. Em 541, uma epidemia havia atingido as costas do Mar Mediterrâneo. Dessa vez, porém, ela encontrou um ambiente diferente, muito mais atraente para seu apetite. A população da Europa crescera muito nos séculos anteriores e havia mais gente do que comida disponível. Nos anos que
23:27
March 27, 2021
JUDEUS EXPULSOS DO RECIFE QUE AJUDARAM A FUNDAR NOVA YORK
A bordo do navio Valk, cerca de 600 judeus deixaram Recife, em Pernambuco, expulsos pelos portugueses. Era o fim da ocupação holandesa no Brasil e também da liberdade de praticar sua religião. Eles queriam voltar à terra natal — a Holanda, onde o culto do judaísmo era permitido devido ao calvinismo. De lá haviam chegado mais de duas décadas antes, quando os holandeses conquistaram parte do Nordeste brasileiro — de olho na produção e comércio do açúcar. Mas uma tempestade desviou-os do caminho e o navio foi saqueado por piratas. O grupo foi resgatado por uma fragata francesa e levado à Jamaica, então colônia espanhola, e acabou preso por causa da Inquisição espanhola. Mas, graças à intervenção do governo holandês, foram libertados e, por motivos financeiros, parte deles seguiu para um destino mais próximo do que a Europa: a colônia holandesa de Nova Amsterdã, atual Nova York, então um mero entreposto comercial. Ali formaram a primeira comunidade judaica da América do Norte e contribuíram para o desenvolvimento da cidade. Atualmente, Nova York é a segunda cidade com o maior número de judeus no mundo, atrás apenas de Tel Aviv, em Israel. Legenda da foto,Vista de Mauritsstad (Recife) em 1645 Mas essa história rocambolesca não começa em 1654, ano em que Portugal derrotou os holandeses e retomou o controle do Nordeste, provocando, por consequência, a expulsão dos judeus, temerosos com a Inquisição. Legenda da foto,Cerco holandês a Olinda e ao Recife Imigração judaica A imigração judaica ao Brasil remonta à época do descobrimento, com os chamados “cristãos novos”, judeus que foram obrigados a se converter ao cristianismo na Península Ibérica devido à perseguição pela Igreja Católica. Na então maior colônia portuguesa, alguns deles abdicaram das práticas judaicas. Outros as mantinham às escondidas. Legenda da foto,Livro de Daniela Levy foi resultado de 10 anos de pesquisas Mas foi em fevereiro de 1630 com a ocupação holandesa que os judeus dos Países Baixos, alguns dos quais descendentes dos que haviam fugido da Península Ibérica rumo à Holanda, chegaram ao Brasil, diz à BBC News Brasil a historiadora Daniela Levy, autora do livro De Recife para Manhattan: Os judeus na formação de Nova York (Editora Planeta), que demandou 10 anos de pesquisa. Levy investigou inicialmente o tema para sua dissertação de mestrado, na Universidade de São Paulo (USP). “Os judeus que vieram ao Brasil eram descendentes dos cristãos novos que se mudaram para a Holanda um século depois da conversão forçada pela Inquisição. Naquele país, eles puderam retornar ao judaísmo, recuperando tradições e reorganizando-se enquanto comunidade”, explica Levy.
04:02
March 27, 2021
SIGNIFICADO DOS MESES DO ANO
JANEIRO Januarius era uma homenagem ao deus Jano, o senhor dos solstícios, encarregado de iniciar o inverno e o verão. FEVEREIRO O nome se referia a um rito de purificação, que em latim se chamava februa. Logo, Februarius era o mês de realizar essa cerimônia realizada pelos romanos, sacrificando animais em homenagem aos deuses do panteão. MARÇO Dedicado a Marte, o deus da guerra. A homenagem, porém, tinha outra motivação. Martius era o mês da semeadura nos campos. ABRIL Pode ter surgido para celebrar a deusa do amor, Vênus. Outra hipótese é a de que tenha se originado de aperio, “abrir” em latim. Seria a época do desabrochar da primavera. MAIO Homenagem a Maia, uma das deusas da primavera. Seu filho era o deus Mercúrio, pai da medicina e das ciências ocultas. Maio era chamado por Ovídio de “o mês do conhecimento”. JUNHO Faz alusão a Juno, a esposa de Júpiter. Se havia uma entidade poderosa no panteão romano, era ela, a guardiã do casamento e do bem-estar de todas as mulheres. JULHO Chamava-se Quinctilis e era simplesmente o nome do quinto mês do antigo calendário romano. Até que, em 44 a.C. o senado romano mudou o nome para Julius, em homagem a Júlio César. AGOSTO Antes era sextilis, “o sexto mês”. De acordo com o historiador Suetônio, o nome Augusto foi adotado em 27 a.C., em homenagem ao primeiro imperador romano, César Augusto (63 A.C. – 14 d.C.). SETEMBRO A DEZEMBRO Para os últimos quatro meses do ano, a explicação é simples: setembro vem de Septem, que em latim significa “sete”. Era, portanto, o sétimo mês do calendário antigo. A mesma lógica se repete até o fim do ano. Outubro veio de October (oitavo), novembro de November (nono) e dezembro de December (décimo mês)
02:54
March 26, 2021
POR QUE ESTUDAMOS CIÊNCIAS?
Por que estudamos ciências na escola? Se tivermos a curiosidade de pesquisar a definição da palavra “ciência” nos livros ou na internet, o principal significado que vamos encontrar é “conhecimento”. Mas também podemos achar como definição para esse termo "o esforço para descobrir e aumentar o conhecimento humano de como o Universo funciona".  Bom, o que a gente estuda na escola como "Ciências", na verdade, engloba somente uma parte desse conjunto de conhecimentos. Geralmente, essa matéria é composta por conteúdos das disciplinas de Física e Química, que fazem parte do campo das ciências físicas, e Biologia, que integra o rol de ciências da vida. Mas, na realidade, as ciências estão presentes em todos os momentos da nossa vida. Por exemplo, o computador ou celular que você está usando agora só chegou às suas mãos graças a pessoas que tinham conhecimentos nas áreas de engenharia eletrônica, ciências da computação e até mesmo química (lembre-se de que muitos dos materiais que compõem esses dispositivos foram desenvolvidos em laboratório). Para ler e compreender esse texto, você também está usando uma bagagem de conhecimentos adquiridos quando estudou Língua Portuguesa, disciplina que faz parte do campo das ciências humanas.  Vamos lá: resumidamente, a gente pode dizer que estudar Ciências é importante porque isso nos ajuda a compreender o mundo e como fazemos parte dele. O conhecimento científico estimula nossa curiosidade – e ter curiosidade foi fundamental para alcançar o desenvolvimento tecnológico que existe atualmente. Se o homem não se perguntasse, por exemplo, de onde vêm as estrelas que vemos à noite, certamente hoje você não teria a facilidade de encontrar endereços usando o GPS. Sem conhecimentos de Astronomia, como poderíamos lançar satélites no espaço? Ciência também tem a ver com qualidade de vida. Lembre-se de que diversos medicamentos, equipamentos para diagnósticos de doenças e técnicas de cirurgia utilizados para salvar e prolongar vidas saíram das bancadas de inúmeros laboratórios e universidades ao redor do mundo.  Conhecer e entender alguns objetos de estudo dessas disciplinas também ajuda a desenvolver nosso raciocínio e nossa capacidade crítica. Jornais, sites, programas de TV e conteúdos das redes sociais nos mostram todos os dias uma enxurrada de informações, nem sempre verdadeiras. Se não tivermos um conhecimento básico sobre o mundo, como vamos conseguir filtrar o que é útil ou não para nossas vidas? Além disso, esses veículos de comunicação apresentam uma série de descobertas científicas que são feitas não só em outros países, mas também em muitas universidades brasileiras. Compreender a importância dessas pesquisas desperta o interesse em cobrar de nossos governantes que haja sempre investimentos nessa área. Afinal, ciência não é algo que fica apenas dentro dos laboratórios ou da universidade: ela também ajuda indústrias e empresas a se desenvolver e criar mais empregos, estimulando a economia do país.
04:22
March 26, 2021
POR QUE ESTUDAR GEOGRAFIA?
Estudar geografia é uma forma de compreender o mundo.
04:03
March 25, 2021
BREVE HISTÓRIA DA VACINA
A história da vacina iniciou-se no século XVIII, quando o médico inglês Edward Jenner utilizou a vacina para prevenir a contaminação por varíola, uma doença viral extremamente grave que causava febre alta, dores de cabeça e no corpo, lesões na pele e morte. A varíola foi a primeira doença infecciosa que foi erradicada por meio da vacinação. A primeira vacina de que se tem registro foi criada por Edward Jenner no século XVIII. Jenner nasceu em maio de 1749, na Inglaterra, e dedicou cerca de 20 anos de sua vida aos estudos sobre varíola. Em 1796 realizou uma experiencia que permitiu a descoberta da vacina e em 1798 divulgou seu trabalho “Um Inquérito sobre as Causas e os Efeitos da Vacina da Varíola”, mudando, a partir daí, completamente a ideia de prevenção contra doenças. → Como foi criada a primeira vacina?  Ele observou pessoas que se contaminaram, ao ordenharem vacas, por uma doença de gado e chegou à conclusão de que essas pessoas tornavam-se imunes à varíola. A doença, chamada de cowpox, assemelhava-se à varíola humana pela formação de pústulas (lesões com pus).  Edward Jenner criou a vacina contra a varíola e ajudou a erradicar essa grave doença. Diante dessa observação, em 1796, Jenner inoculou o pus presente em uma lesão de uma ordenhadora chamada Sarah Nelmes, que possuía a doença (cowpox), em um garoto de oito anos de nome James Phipps. Phipps adquiriu a infecção de forma leve e, após dez dias, estava curado. Posteriormente, Jenner inoculou em Phipps pus de uma pessoa com varíola, e o garoto nada sofreu. Surgia aí a primeira vacina. O médico continuou sua experiência, repetindo o processo em mais pessoas. Em 1798, comunicou sua descoberta em um trabalho intitulado “Um Inquérito sobre as Causas e os Efeitos da Vacina da Varíola”. Apesar de enfrentar resistência, em pouco tempo, sua descoberta foi reconhecida e espalhou-se pelo mundo. Em 1799, foi criado o primeiro instituto vacínico em Londres e, em 1800, a Marinha britânica começou a adotar a vacinação. A vacina chegou ao Brasil em 1804, trazida pelo Marquês de Barbacena
02:59
March 25, 2021
O CINEMA ARGENTINO
 O cinema argentino começa a ser produzido pouco depois da primeira exibição dos irmãos Lumière feita no país. Cerca de 4 meses depois, as primeiras obras começam a surgir, com vistas de acontecimentos cotidianos e também filmes de temática histórica e patriótica, caso de  "A Revolução de Maio", estreado em 22 de maio de 1909. A literatura e história já formavam a base para o que seria o cinema argentino. Em 1931 chega o cinema sonoro, dando espaço para a indústria cinematográfica no país. A soma de som e imagem enriqueceu o cinema argentino, que já começava a construir uma identidade própria. A Argentina passa por um momento de dificuldade em 1942 e suspende-se a importação de filme virgem. Após a eleição de Perón é aprovada a Lei do Cinema, que deu espaço para as produções argentinas. Porém com a ditadura de 1955, passa por mais um problema e tem as produções paralisadas por 2 anos. Nesse momento ocorrem perseguições a pessoas ligadas ao cinema. Com o surgimento de novos diretores e novas ideias em 1957, o cinema argentino começa a se renovar à partir de 1960. Na década de 80 o Cinema Pós-Ditadura  começa a ganhar visibilidade com nomes como María Luisa Bemberg ("Camila"), Pino Solanas ("Tangos, o Exílio de Gardel") e Luis Puenzo ("A História Oficial"). Em 1990 surge o que é chamado de Novo Cinema Argentino, carregado com novas perspectivas e realizações independentes. O precursor do movimento é Martín Rejtman com o filme "Rapado". Diretoras e diretores ganham espaço com seus filmes nos anos seguintes, somando à história do cinema argentino com grandes filmes, como Lucrecia Martel com "O Pântano", tornando-se um dos principais cinemas entre os países latino-americanos. Na lista abaixo você encontrará uma diversidade de filmes para conhecê-lo melhor.   Camila (1984), Maria Luisa Bemberg Camila é um filme do gênero drama que vai além do romance, passando pelas características sociais de Buenos Aires no século XIX. Na Argentina, uma bela aristocrata e um padre jesuíta se apaixonam. O filme é baseado em uma história verídica.   A História Oficial (1985), de Luis Puenzo Primeiro filme argentino a ganhar um Oscar, A História Oficial é polêmico e tem tom de denúncia contra a ditadura militar sofrida pela Argentina. Após o fim da Guerra Suja no país, uma professora investiga a origem de sua filha adotiva.   O Pântano (2001), Lucrecia Martel Com atmosfera pesada e estrutura de narrativa  diferenciada, o filme prende pela complexidade dos personagens e o visual criado por Lucrecia Martel. Na Argentina, conta-se a história de um casal que enfrenta um calor infernal em sua casa de campo, junto aos filhos adolescentes. Uma prima traz os filhos também. Quando a mulher sofre um acidente doméstico, os adultos vão para a cidade e os jovens ficam sozinhos.   Leonera (2008), de Pablo Trapero Julia é presa acusada de ter matado o namorado que estava envolvido com outro homem. Grávida, enfrenta os desafios de criar o filho numa ala especial da prisão. O filme se concentra em retratar o cotidiano do presídio em que Julia passa a viver e os modos de relação dentro dessa realidade.   O Segredo dos Seus Olhos (2009), de Juan José Campanella Segundo filme argentino vencedor na categoria de Melhor Filme Estrangeiro no Oscar, O Segredo dos Seus Olhos conta a história de Benjamín, um oficial de justiça que decide escrever um livro após se aposentar, usando suas memórias como base da criação. Sua inspiração é um caso real de estupro e assassinato de uma jovem. Em sua jornada, o aposentado conhece o marido da vítima e promete ajudá-lo a encontrar o culpado.   Medianeras: Buenos Aires na Era do Amor Virtual (2011), de Gustavo Taretto Tratando de um assunto atual, Medianeras apresenta Martín e Mariana, seres solitários que moram em Buenos Aires e têm dificuldades em se relacionar com o mundo. Sempre se cruzam na rua, mas nunca se veem. A ascensão da tecnologia vem para mostrar como agora faz parte de nossas relações. Em busca
02:39
March 24, 2021
A GRANDE PSIQUIATRA ALAGOANA, NISE DA SILVEIRA
Nise da Silveira     Psiquiatra alagoana, Nise da Silveira (1905-1999) foi uma das maiores representantes da corrente junguiana no Brasil. Jovem médica, formada pela Universidade da Bahia e psiquiatra principiante no hospício da Praia Vermelha, Nise da Silveira sempre ousou. Esquerdista, atuante na União Feminina do Brasil, ela foi presa pela ditadura getulista ao lado de Olga Prestes e Elisa Berger, mas também foi expulsa do Partido Comunista pelo crime inafiançável de suposto trotskismo. Nise da Silveira equilibrava-se entre as estruturas rígidas das instituições e sua inegável vocação para a marginalidade. O seu feito geralmente mais celebrado foi o de ter transformado honestas e sedativas atividades de terapia ocupacional em via libertária de realização estética dos internos do Engenho de Dentro (RJ). Foram esses trabalhos artísticos dos internos que culminaram na criação do Museu de Imagens do Inconsciente, em 1952, do qual parte do acervo veio a ser apresentado em São Paulo, em 2000, na mostra Brasil 500 anos. Em 1955, Nise fundou, no Rio de Janeiro, um grupo de estudos sobre C. G. Jung, que viria a se tornar um centro aglutinador de todos que buscavam caminhos alternativos aos diversos discursos hegemônicos que então dominavam o campo "psi". Já em 1956, preocupada em resgatar a dimensão humana dos denominados "loucos", Nise da Silveira criou a Casa das Palmeiras, instituição pioneira de acolhimento, de portas sempre abertas que, na opinião de um de seus primeiros clientes, seria "um cantinho que iria modificar o mundo".
02:42
March 24, 2021
PEQUENA HISTÓRIA DO SALÁRIO MÍNIMO
ECONOMIA E FINANÇAS O salário mínimo é o menor salário que uma empresa pode pagar para um funcionário. Ele é estabelecido por lei e é reavaliado todos os anos com base no custo de vida da população, sua criação foi feita com base no valor mínimo que uma pessoa gasta para garantir sua sobrevivência. História do Salário Mínimo O salário mínimo foi criado no século XIX na Austrália e na Nova Zelândia. No Brasil o salário mínimo surgiu no século XX na década de 30, com a promulgação da Lei de nº185 em janeiro de 1936 e decreto de lei em abril de 1938. No dia 1º de Maio o então presidente Getúlio Vargas, fixou os valores do salário mínimo que começou a vigorar no mesmo ano. Nesta época existiam 14 salários mínimos diferentes, sendo que na capital do país, o Rio de Janeiro, o salário mínimo correspondia a quase três vezes o valor do salário mínino no Nordeste. A primeira tabela do salário mínimo tinha um prazo de vigência de três anos, mas em 1943 foi dado o primeiro reajuste seguido de um outro em dezembro do mesmo ano. Os aumentos eram calculados para recompor o poder de compra do salário mínimo. Algumas falhas no Brasil Embora o valor mínimo seja estabelecido por lei, vários trabalhadores não recebem nem a um terço do valor do salário mínimo, isso se deve a exploração feita por alguns empregadores
02:23
March 23, 2021
PEREIRINHA E AS LETRASDE OURO
Anotações sobre o Padre Ibiapina, obra do Padre Rômulo Remígio Viana
01:24:58
March 23, 2021
O QUE É IMPEACHMENT E O QUE É INTERDIÇÃO?
Qual a seria a melhor solução para salvarmos o Brasil?
09:24
March 21, 2021
DAS CASAS DE CARIDADE À ENFERMIDADE DO PADRE IBIAPINA
Pereirinha e as letras de ouro (Anotações sobre o Padre Ibiapina), obra do Padre Rômulo Remigio Viana
25:27
March 21, 2021
O PASTOR MARTIN LUTHER KING
Atualmente, vivemos uma crise da verdade. O negacionismo ganha novamente espaço dentro da sociedade e coloca em xeque preceitos básicos e já sedimentados pela ciência no mundo. Esse movimento se apresenta travestido de “polêmicas”, por isso, é importante tomar cuidado com ele. A problemática da veracidade é irrigada por ingredientes presentes nas estratégias dos “mercadores da dúvida”. Dessa forma, tais agentes procuram uma falsa simetria na argumentação científica e criam teorias conspiratórias para explicar o inexplicável. Um bom exemplo da atuação do negacionismo é em relação ao aquecimento global. De fato, existe uma desestruturação do conhecimento por parte da população, gerando um descrédito em relação ao tema, entretanto, também vemos empresas de petróleos e indústrias ajudando a disseminar contestações à ciência do clima. A movimentação dessas particularidades é perigosa. O campo do debate vira uma discussão ideológica capaz de influenciar a opinião pública e legitimar governantes com posições anticientíficas. Entretanto, infelizmente, o aquecimento global não é o único consenso científico questionado pelos negacionistas. Temos o movimento antivacinas, a crença de que a terra é plana, o dito de que o Holocausto não existiu, entre outros. Portanto, é necessário compreender melhor o negacionismo a as suas consequências. O que é negacionismo? Negacionismo é a escolha de negar a realidade como forma de escapar de uma verdade desconfortável. Na ciência, o negacionismo é definido como a rejeição dos conceitos básicos, incontestáveis e apoiados por consenso científico a favor de ideias, tanto radicais quanto controversas.
09:12
March 20, 2021
O QUE É NEGACIONISMO?
Atualmente, vivemos uma crise da verdade. O negacionismo ganha novamente espaço dentro da sociedade e coloca em xeque preceitos básicos e já sedimentados pela ciência no mundo. Esse movimento se apresenta travestido de “polêmicas”, por isso, é importante tomar cuidado com ele. A problemática da veracidade é irrigada por ingredientes presentes nas estratégias dos “mercadores da dúvida”. Dessa forma, tais agentes procuram uma falsa simetria na argumentação científica e criam teorias conspiratórias para explicar o inexplicável. Um bom exemplo da atuação do negacionismo é em relação ao aquecimento global. De fato, existe uma desestruturação do conhecimento por parte da população, gerando um descrédito em relação ao tema, entretanto, também vemos empresas de petróleos e indústrias ajudando a disseminar contestações à ciência do clima. A movimentação dessas particularidades é perigosa. O campo do debate vira uma discussão ideológica capaz de influenciar a opinião pública e legitimar governantes com posições anticientíficas. Entretanto, infelizmente, o aquecimento global não é o único consenso científico questionado pelos negacionistas. Temos o movimento antivacinas, a crença de que a terra é plana, o dito de que o Holocausto não existiu, entre outros. Portanto, é necessário compreender melhor o negacionismo a as suas consequências. O que é negacionismo? Negacionismo é a escolha de negar a realidade como forma de escapar de uma verdade desconfortável. Na ciência, o negacionismo é definido como a rejeição dos conceitos básicos, incontestáveis e apoiados por consenso científico a favor de ideias, tanto radicais quanto controversas.
06:45
March 20, 2021
AS CASAS DE CARIDADE ERAM RESULTADO DAS MISSÕES E DAS VOCAÇÕES LEIGAS
Pereirinha e as letras de ouro ( Anotações sobre o Padre Ibiapina), obra do Padre Rômulo Remigio Viana
07:19
March 19, 2021
AS CASAS DE CARIDADE
Pereirinha e as letras de ouro(Anotações sobre o Padre Ibiapina), obra do Padre Rômulo Remigio Viana
05:50
March 19, 2021
PROTETOR DA MULHER SERTANEJA (CONTINUAÇÃO)
Pereirinha e as letras de ouro (Anotações sobre o Padre Ibiapina)
04:18
March 19, 2021
PROTETOR DA MULHER SERTANEJA
Pereirinha e as letras de ouro (Anotações sobre o Padre Ibiapina), obra do Padre Rômulo Remigio Viana
05:56
March 19, 2021
BEATOS E BEATAS - SEUS DISCÍPULOS E DE JESUS
Pereirinha e as letras de ouro( Anotações sobre o Padre Ibiapina), obra do Padre Rômulo Remigio Viana
05:21
March 18, 2021
O JEITO DE TRABALHAR DO PADRE IBIAPINA
Pereirinha e as letras de ouro(anotações sobre o Padre Ibiapina), obra do Padre Rômulo Remigio Viana.
49:15
March 15, 2021
SERTÃO ABANDONADO
Pereirinha e as letras de ouro(anotações sobre o Padre Ibiapina), obra do Padre Rômulo Remigio Viana.
05:01
March 15, 2021
RELATOS DA DURA REALIDADE DA SEDE E DA FOME
Pereirinha e as letras de ouro(anotações sobre o Padre Ibiapina), obra do Padre Rômulo Remigio Viana.
06:19
March 15, 2021
O NORDESTE BRASILEIRO: ENTRE DOENÇAS, EPIDEMIAS E MIGRAÇÕES
Pereirinha e as letras de ouro(anotações sobre o Padre Ibiapina), obra do Padre Rômulo Remigio Viana.
06:13
March 15, 2021
SUA ORDENAÇÃO SACERDOTAL E A MUDANÇA RADICAL DA SUA VIDA
Pereirinha e as letras de ouro(anotações sobre o Padre Ibiapina), obra do Padre Rômulo Remigio Viana.
05:34
March 15, 2021
IBIAPINA ADVOGADO
Anotações sobre o Padre Ibiapina, obra do Padre Rômulo Remigio Viana
02:50
March 14, 2021
OUTRA DECEPÇÃO DE IBIAPINA
Anotações sobre o Padre Ibiapina, obra do Padre Rômulo Remigio Viana
03:04
March 14, 2021
DIFICULDADES ENCONTRADAS
Anotações sobre o Padre Ibiapina, obra do Padre Rômulo Remigio Viana
03:09
March 14, 2021
NOMEADO JUIZ DE DIREITO
Anotações sobre o Padre Ibiapina, obra do Padre Rômulo Remigio Viana
02:43
March 14, 2021
A DECEPÇÃO DE IBIAPINA
Anotações sobre o Padre Ibiapina, obra do Padre Rômulo Remigio Viana
03:17
March 14, 2021
ESTUDANTE DE DIREITO, PROFESSOR E ADVOGADO.
Anotações sobre o Padre Ibiapina, obra do Padre Rômulo Remigio Viana
02:59
March 14, 2021
O BISPADO DE OLINDA
Anotações sobre o Padre Ibiapina, obra do Padre Rômulo Remigio Viana
02:12
March 14, 2021
O NASCIMENTO DE PEREIRINHA
Anotações sobre o Padre Ibiapina, obra do Padre Rômulo Remigio Viana
02:33
March 14, 2021
PEREIRINHA E AS LETRAS DE OURO
Anotações sobre o Padre Ibiapina, obra do Padre Rômulo Remigio Viana
03:17:50
March 14, 2021
NA TRILHA DO GOLPE - 1964 REVISITADO
Documento histórico impressionante organizado pelo Cientista Político Túlio Velho Barreto da Fundação Joaquim Nabuco e Laurindo Ferreira do Sistema Jornal do Commercio.
35:19
March 14, 2021
BREVE HISTÓRIA DA XILOGRAVURA
Xilogravura ou xilografia é a técnica de gravura na qual se utiliza madeira como matriz e possibilita a reprodução da imagem gravada sobre o papel ou outro suporte adequado
02:14
March 13, 2021
PALAVRAS DE ORIGEM AFRICANA
Palavras de origem africana que você talvez não conheça e algumas que você utiliza e nem sabia.
04:01
March 13, 2021
FREI BARTOLOMÉ DE LAS CASAS
Terá sido sua ação pastoral o prenúncio da teologia da libertação?
03:57
March 13, 2021
ALDEIA DE ESCADA: ESBULHOS DE TERRAS E RESISTÊNCIA INDÍGENA EM PE NO SÉCULO XIX
A história dos povos indígenas no Brasil, das relações entre os povos indígenas e os não-índios, ainda são muita desconhecidas.
03:04
March 13, 2021
A ÁGUA NA HISTÓRIA
Notadamemte é sabido que a humanidade passou em toda a sua história por duas grandes revoluções: a agrícola e industrial
03:44
March 13, 2021
A AMAZÔNIA, A BORRACHA E HENRY FORD
Já ouviram falar na Fordlândia? O norte-americano Henry Ford tentou criar uma cidade na Amazônia. Isso mesmo.
03:43
March 13, 2021
MULHERES DE ATENAS
Este áudio se propõe a uma interpretação histórica do papel da mulher na sociedade grega.
02:51
March 13, 2021
CURIOSIDADES SOBRE A ESCRAVIDÃO NEGRA NO BRASIL
Favor não tomar este áudio como uma romantização da escravidão no Brasil. O sofrimento desses escravos perdura até os dias atuais em seus descendentes.
03:52
March 13, 2021
BREVE RESUMO DA HISTÓRIA DA COMUNICAÇÃO
Vamos viajar no tempo com curiosidades interessantes sobre a comunicação
03:15
March 13, 2021
O NAZISMO EM PERNAMBUCO
A polêmica envolvendo a família Lundgren, fundadores das Casas Pernambucanas
02:43
March 13, 2021
ELIS REGINA, A DITADURA MILITAR E LUÍS INÁCIO LULA DA SILVA
Este artigo é um primor. O autor: Sérgio Luz. A revista: Continente Multicultural
03:36
March 13, 2021
MARECHAL RONDON
Um militar humanista defensor dos índios brasileiros
03:41
March 13, 2021
ÊXODO QUE AMEAÇA O BRASIL
Fuga de cérebros é realidade, diz presidente da ABC
02:31
March 13, 2021
March 13, 2021
00:14
March 13, 2021
LAWFARE
Breve roteiro para identificar perseguições políticas através do sistema de justiça
03:05
March 13, 2021
QUEIMA DE LIVROS NA HISTÓRIA
10 lamentáveis queima de livros na história humana
02:59
March 13, 2021