Skip to main content
Espaço e poder

Espaço e poder

By Marcelo Karloni
Notas, análises de conjuntura social e politica sobre os temas da agenda urbana e da democracia no Brasil.
Where to listen
Google Podcasts Logo

Google Podcasts

RadioPublic Logo

RadioPublic

Spotify Logo

Spotify

Saúde mental : Transtorno bipolar - Entrevista com Enaldo Simões autor de MEMÓRIAS DE UM BIPOLAR
Em 2018, segundo dados da ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE TRANSTORNO BIPOLAR (ABTB) algo em torno de 4% da população adulta mundial sofria de transtorno bipolar. No Brasil eram 6 milhões de pessoas. São alterações de humor, depressão e euforia que marcam a trajetória desses sujeitos. O diagnóstico é difícil e leva entre 8 e 13 anos para ser finalizado. Sinais surgem na adolescência embora apenas na idade adulta seja corretamente identificado. Sintomas passam por insônia, necessidade de dormir pouco, alterações de apetite, dificuldade de concentração entre outros como falta de energia e esperança bem como excesso de sentimentos de culpa. É causa de incapacidade para o trabalho entre as demais patologias mentais fica em segundo lugar atrás de depressão. Muita gente famosa a tem assumido e isso contribui e muito para a melhoria da qualidade de vida de muitas pessoas anônimas que a sofrem. Jim Carey, Bem Stiler, Briteney Spear e Jean-Claude Van Damme e outros brasileiros como Rita Lee, Kássia Kiss e Mauricio Mattar. Vencer o estigma e por na mesa a questão da saúde mental no Brasil é mais do que necessário é modo de amparar esses indivíduos,muitas vezes pobres e sem recurso para custear tratamento. É amparar também famílias que sofrem junto com seus parentes. Hoje vamos conhecer um pequeno pedaço de uma dessas histórias que foi transformada em livro. Memórias de um bipolar por Enaldo Simões que hoje é nosso entrevistado
38:30
July 25, 2022
A “senzala” com diploma no país do “homem cordial” : Privilégios, Universidade e democracia
"No entanto, é marcado entre nós que, na senzala havia apenas selvageria , não civilidade e ignorância . Da senzala, não se esperava que saíssem pessoas para liderar o país. Da senzala não se esperava que saíssem arquitetos, construtores, professores, astrónomos ou qualquer manifestação de saber. Da senzala não se esperava que saísse outra coisa que não mão de obra escrava e a satisfação da luxúria e promiscuidade do sinhozinho morador da casa grande, também habitada por “ cidadãos de bem”.
13:32
July 25, 2022
Quem será o próximo ? : “ Quanto tempo temos antes de voltarem aquelas ondas. (...) vieram como gotas em silêncio tão furioso. Derrubando homens(...) Devorando árvores, pensamentos”
Título de composição acima no subtítulo é de FAGNER. O assassinato de Marcelo Arruda guarda Civil e tesoureiro do PARTIDO DOS TRABALHADORES é que serviu de estopim da pergunta. Notadamente, a imprensa hegemônica e de direita, insiste na narrativa de culpa compartilhada entre assassino que invade festa privada com crianças e mulheres e o Marcelo. Além de cínica e hipócrita, essa mesma imprensa se recusa a aceitar a culpa pelo discurso antipetista que alimentou por anos e anos. Cinicamente, de novo mas agora indico cúmplice do discurso de ódio, ela não está sozinha. Ao lado dela tem gente perto de você que comemora o assassinato de Marcelo. Sempre disse e repito, o autoritarismo é um processo social antes de ser instituição. Há base para ele ser o que é. Nessa altura do “campeonato” os iludidos que escolheram errado , vão abandonar esse “barco”. Quem ficar, ainda que tenha um sorriso no rosto ou seja seu parente, é cúmplice do ódio e celebra secretamente a “ limpeza” da petralhada. Eu não sou filiado ao PT mas defendo a liberdade de usar vermelho, de vestir Lula lá, de manifestar meu voto e conversar sobre essa opção.
03:24
July 11, 2022
A banalidade do mal governa : Genivaldo, Bruno, Dom, você e eu – Perdidos em RATANABÁ?
Trechos " Urge-se por gente que tome as dores no Brasil. É impressionante que aos poucos , em todos os ambientes, as dores da injustiça que sofremos individualmente vai-se se tornando apenas as dores de quem as sofre.Não me afeta? Não me envolvo. É problema dele ou dela? É? E ainda nos perguntamos, onde foi que erramos? Não compreendemos ainda que a “falência” de um implica na “falência” paulatina e gradual de todos e inclusive sua que opta por não se envolver. Dê um tempo...e veremos." "Percebem? Como a autoridade máxima de um país é importante? Ela estabelece os parâmetros de governo em todas as instituições abaixo dela e sem recorrer a decretos ou ordens explicitas. Para criar ambiência favorável ou não a banalidade do mal, basta o exemplo. A banalidade do mal que se estabelece nos níveis mais altos de governo num país pode alastrar-se e afetar nosso dia a dia e nosso destino. É essa BANALIZAÇÃO DO MAL que está a nossa porta batendo, ou você pensou que ela estava perdida na floresta amazônica igual a CIDADE DE RATANABÁ?"
14:54
June 16, 2022
O DIREITO À TRISTEZA : Saúde mental em tempos onde a felicidade é um dever - A tristeza individual e coletiva no Brasil de 2022
Trechos selecionados " O ranking da organização mundial de saúde (OMS) em 2001 situava a depressão em quarto lugar dentre as doenças catalogadas e mapeadas no mundo. No ano, entre 5 e 6% da população mundial teria sido atingida pela depressão. Há uma discussão bastante profícua que busca por um lado compreender as relações entre essa patologia e o modo como a sociedade atual se vê organizada e por outro, questiona os métodos de tratamento empreendidos pela psiquiatria institucional." " O que provavelmente há de comum em todos as leituras que se façam sobre o tema da saúde mental hoje é a certeza de que nossa sociedade entrou numa cruzada contra a tristeza. Sentir a tristeza , parece ser cada vez mais algo insuportável e pode-se dizer anátema para o estilo de vida que se deseja sustentar. É como se senti-la fosse atestado de um fracasso que ora emerge como produto de uma incompetência na administração da própria vida do indivíduo e ora como fraqueza" "Não meu amigo ou minha amiga, você não é anormal por sentir tristeza pela luta que empreende na sua vida individual longe dos colegas e familiares ou um ainda um fracassado por sua renda não ser suficiente para tudo que precisas. Aceitemos o fardo da tristeza , embora pesado, que está sobre nós individualmente e no Brasil como projeto coletivo, e saibamos todos e todas, a ESPERANÇA também é sinal de normalidade."
14:26
June 14, 2022
A fábrica da loucura : A construção social do vilão e da doença mental no Brasil – Vigília e punição do “diferente”
A humanização das ações em saúde é luta antiga. 1. Luta essa que teve instantes importantes como o movimento da reforma psiquiátrica na década de 70 que coincide com a luta contra o regime civil-militar no Brasil. Em 2001 no Brasil , a lei Paulo Delgado é um avanço pois ajudará a constituir a ideia da proteção dos direitos de brasileiros sob tratamento na área de saúde mental. Mesmo sabendo que tal lei passou 12 anos sendo tramitada ela ainda assim representa algo no sentido da responsabilização do Estado na área além de uma força social destinada a impulsionar a migração do tratamento via isolamento para o tratamento via inclusão na família e formação de redes de apoio. Há um aspecto que porém limita o alcance dessa lei bem como ameaça a sua efetividade. Aspecto esse que não se remedia por decreto mas por uma mudança cultural no modo como todos nós encaramos a questão. Qual seria esse aspecto? A necessidade prenhe de que a sociedade moderna carece de um grupo que seja o vilão de suas narrativas. 2. Aqui aparece a primeira dificuldade da sociedade moderna que tem origem porém na era da inquisição pela igreja católica, lida com o diferente. Durante idade média segundo Thomas, a feitiçaria ocupava lugar de “bode expiatório”. Por meio de manuais de caças as bruxas os inquisidores caçavam, diziam quem poderia ser considerado bruxa tendo como aliados de diagnóstico médicos. E pasmem, as razões para ser chamada de bruxa aparecem em documentos da época. Preguiça , desobediência aos pais, insubordinação a maridos e até mesmo doenças contraídas por pessoas próximas a essas mulheres. O gênero feminino segundo se dizia, era preferido pelo diabo por ser entregue a luxúria. Ser homem é ser intocável as tentações do diabo. 3. O livro famoso chamado MALLEUS MALEFICARUM de Sprenger e Kramer, dominicanos inquisidores afirmava: “ toda feitiçaria decorre da luxuria carnal, e nas mulheres isso é insaciável”. O papa Inocêncio em bula de 1484 ordenava explicitamente : “ decretamos e ordenamos que os já mencionados inquisidores tenham o poder para proceder à justa correção, ao encarceramento e ao castigo quaisquer pessoa(...) a quem sejam nomeados”. A lucidez de Thomas é que os doentes mental ocupam exatamente esse papel hoje que teria na psiquiatria institucional e manicomial o papel correspondente de inquisidores. Encarcerar e privar de liberdade por meio de uma arquitetura que mascara a violência é a diretiva que guiou por muitos anos os cuidados em saúde mental no Brasil e que com o corte de recursos para a área em a partir de 2020, tende a se tornar a principal politica em saúde mental.
15:32
June 08, 2022
O APOCALIPSE : O fim do mundo vem primeiro para o mais pobre – CHUVA E TRAGEDIA URBANA
É nesse ponto que gostaria de ressaltar duas questões. Primeiro, as causas do “Apocalipse” – não o da narrativa cristã – Mas o de Hollywood cooperam para impregnar na narrativa comum que o fim do mundo vem por causas naturais. Esquecem porém essa narrativas que não são privilégio de Hollywood que o fim do mundo já chegou pra algumas pessoas. Converse com sobreviventes dessas tragédias e me diga se para parte delas o mundo já não acabou? Segundo ponto, a esquerda precisa entender o papel que lideranças religiosas – evangélicas, católicas e demais – tem nesses espaços em lugar de taxar tais segmentos de alienados. São essas lideranças, sobretudo em periferias, que socorrem as comunidades não apenas agora mas também no cotidiano com ações proselitistas sim, mas ações ainda que recuperam jovens das drogas e até mesmo encaminhando para universidades. Não, não é a universidade que tá la diariamente. Antes que digam que esse discurso é conservador apenas quero lembrar que a própria ideia de universalismo que funda o ideal de sociedade igualitária é de base dessas variantes de interpretação da cosmologia que funda também essas comunidades. Nosso povo passa fome. Sofre. Luta e é perfeitamente compreensível que busque refugio na sua fé posto que nem a direita no Brasil entende ainda que a manipule e nem a esquerda ainda conseguiu fazer uma leitura adequada.
06:21
June 01, 2022
O fim do encontro como fim da UTOPIA : A tirania da vida “remota” sob a Geografia
Compreender e representar o espaço, em quaisquer escala, é de fato um ato de poder. Talvez por isso, a geografia para Yves Lacoste seja para fazer a guerra. Alexandre o Grande, tinha entre suas estratégias o uso da geografia e valorização dos geógrafos práticos exatamente por compreender o lugar de importância que tinha o encontro nas suas conquistas. Batalhas se dão no espaço geográfico...Se dão? Vale para os dias atuais ? O encontro é tão importante que não possamos viver sem ele? Para o capital porém, é a realização de um sonho. Há tempos que com o apertar de uma tecla é possível transferir bilhões de dólares de um continente a outro. Há tempos que muitas reuniões de executivos são feitas via conferência. Há tempos que se desenha um mundo “virtual” que agora chega com força e ares de produto acabado como o METAVERSO. Logo, vamos descobrir que para termos quase todo tipo de relação, inclusive sexual, não é preciso encontrar ninguém, basta um boa conexão e um bom provedor de internet. Por que o encontro é tão importante? Por que essas propostas, ainda que sem perceber e argumentando em termos de aumento de acesso a educação, são tão perversas? Há muitas razões. Uma delas é o fato de que, sem encontro não há muitas possibilidades de exercício da tolerância com o diferente. Isso por que,quando em sala virtual, usando nossa energia, nosso equipamento e expondo nossa intimidade, o diferente vem, eu posso simplesmente mutar, ou em português, silenciar sua voz. Ou seja, aos poucos, vamos formando uma sociedade que não tem condições de suportar o contraditório em sala de aula.
15:36
May 30, 2022
“A crise da educação no Brasil não é uma crise; é um projeto”( DARCY RIBEIRO) : Mensalidade na universidade pública, o sonho do mercado – ATO 01
Quando então alguém como Darcy Ribeiro fala que a crise da educação é um projeto no Brasil precisamos sim considerar as implicações dessa afirmação. Aqui vamos ressaltar apenas uma, historicamente a educação é um privilégio de poucos. Especialmente a educação superior. Fazer minguar investimentos, aporte de recursos, intervir na escolha de seus dirigentes, transformar universidades em “centros de empreendedorismo”, “enxugar” quadro de professores e cobrar mensalidade são no fundo etapas de uma luta empreendida pelos “donos do poder”(RAIMUNDO FAORO) para que a população mais pobre não tenha acesso a universidade. E isso é um projeto. O autor da PEC 206 Ddsconhece a realidade dos nossos estudantes ao dizer que a maioria é oriunda de escola particular. Segundo pesquisa do ANDIFES obre perfil socioeconomico: “Outro dado que se destaca é o percentual de estudantes inseridos na faixa de renda mensal familiar per capita até um e meio salários mínimos. Em 1996, quando foi realizada a primeira edição da pesquisa, eles eram 44,3% do corpo discente, número relativamente próximo aos dos percentuais encontrados nos levantamentos realizados em 2003 e 2010. Porém, percebe-se que, a partir de 2014, ocorre salto e os estudantes nessa faixa de renda passam a ser 66,2% do total de estudantes da graduação, chegando a 70,2% em 2018.” Em universidades federais como a UFAL no Nordeste esse percentual de vulnerabilidade é ainda maior onde 82% dos estudantes estão em situação de vulnerabilidade apenas agravada após pandemia. Lamentavelmente no entanto há uma contradição entre nós.Alunos, ex-alunos e professores do lado dessas propostas.
15:47
May 26, 2022
“ NÃO SÓ de pão viverá o homem...”(Mateus 4:4) - NÃO SÓ... : Insegurança alimentar e fome no Brasil de 2022 – FOME E CORRUPÇÃO.
A soma de dinheiro que é desviado por tais esquemas anualmente ( somente o rastreado) seria capaz segundo o alto comissariado para alimentar 80 vezes as pessoas que passam fome no mundo. Os números dessas pessoas no Brasil era de 19 milhões em finais de 2021 segundo a rede brasileira de pesquisa em soberania e segurança alimentar e nutricional.  Isso equivale meus caros à população do Chile. Essa realidade segundo pesquisa do IPEC que saiu em novembro de 2021 poe a fome e a pobreza como as primeiras preocupações entre jovens entre 16 e 34 anos para definir seu voto. Seguem de perto a questão do emprego e a do meio ambiente.  A pauta que surge para as eleições para o Brasil de 2023 muda. Se antes o combate a corrupção era tema central, claro que impulsionado por uma mídia desonesta à época, a partir da escasses na nossa mesa, o tema agora é “o que vamos comer amanhã no almoço?”
12:11
May 19, 2022
“Quando não restar nem ilusão. Ainda há de haver esperança” (SÉRGIO AFONSO, BY TITANS) : Os efeitos da opressão no Brasil de 2022 como etapa necessária para a libertação dos oprimidos dentro e fora da
Há dois pontos importantes no que diz Paulo Freire sobre tudo isso. Vamos aos mesmos. Primeiro, os oprimidos “hospedam em si” os opressores. Eles caso não se vejam libertados,em lugar de lutar pela libertação , lutam para se tornarem opressores. Esse é o ideal ensinado por bandeiras como empreendedorismo, voluntariado e tantas outras capas que dissimulam a perpetuação da opressão. O aluno que vem de classe baixa sonha que ao se formar possa ele mesmo ser agora patrão. Segundo, a única forma de dá início a esse ciclo é sentir a contradição. Apenas quem é vitima da opressão, será capaz de compreender a necessidade de libertação. Libertação que chega como diria Paulo, na práxis de sua busca. Reconhecer que é fruto de luta pela mesma e não como resultado do que Paulo chama de falsa generosidade do Estado que alimenta muitos programas sociais e assistencialistas em escala municipal e nas demais. Aqui, uma oportunidade se abre para a classe média no Brasil atual. E também para nós professores de universidade federal. A defasagem salarial que hoje acumula-se em quase 50% de perdas da categoria docente federal e de técnicos que tem privado muitos colegas até mesmo de segurança alimentar de si mesmos e de seus filhos; do lazer do final de semana; da viagem não realizada; do sonho adiado e da troca de carro ano a ano que era realidade de muitos servidores federais na década de 80, abre uma oportunidade. Sentir a contradição e os efeitos da opressão em um nível como há muito não se sente.
10:59
May 03, 2022
"Tudo bem, garota, não adianta mesmo ser livre Se tanta gente vive sem ter como comer"( HUMBERTO GESSINGER): A fome, simplesmente a Fome.
"O preço dos alimentos em Fevereiro é o mais alto em cerca de 100 anos, sendo superado apenas pelo preço dos alimentos na época da 1ª Guerra Mundial e da pandemia da influenza, no quinquênio 1915-1920.” (DINIZ,2022). Esse preço é que vem aumentado o numero de pessoas em situação de insegurança alimentar. A fome chega e chega sem perceber também nos lares da classe média.Ela já está nos estratos mais vulneráveis mas também na classe media vai se acomodando na hora de optar pelo frango em lugar da carne de boi, pela manteiga mais barata, e por aí vai. Não nos enganemos,a fome é talvez o último estágio antes da tomada de consciência de classe. Quando ela chega e atinge filhos e filhas, talvez aí, a classe trabalhadora perceba que não resta outra alternativa que não seja lutar pela sua sobrevivência física ao lado de quem já sofre a fome há muito mais tempo.
15:01
April 27, 2022
“Aos esfarrapados do mundo e aos que neles se descobrem e, assim descobrindo-se, com eles sofrem, mas, sobretudo, com eles lutam.”(Paulo Freire): O MEDO DA LIBERDADE
Entrevistas oficina de diálogo 01 e o MEDO DA LIBERDADE Não perceber a injustiça é melhor para quem? Não é a percepção do direito negado ou violado que causa o caos, pois este já está estabelecido. Consciência da realidade é o que permite sermos agentes de nossa própria transformação. Numa época após a pandemia covid 19 quando nas universidades se discute ensino remoto, híbrido, plataformas de ensino e pós graduação a distancia, há ainda gente que mesmo não sabendo ler ou escrever insistem em não ter medo da liberdade. Aprender a ler palavras e o mundo e escrever sobre ele é uma ação revolucionária que pode sim mudar a vida de milhares de pessoas mas também de libertar a nós mesmos educadores das universidades do medo da liberdade.
13:48
April 21, 2022
“Por ser de lá. Do sertão, lá do cerrado. Lá do interior do mato. Da caatinga do roçado. Eu quase que não consigo ficar na cidade sem viver contrariado” (DOMINGUINHOS) : Por uma agenda a urbana para
Importa por isso mesmo apostar na democratização da inovação, autonomia dos territórios, apostar na interiorização do ensino superior que hoje luta pra se manter sem recursos, sem estruturas muitas vezes mas que tem sim possibilidades de realizar algo com significância. A democracia que dizemos defender deve virar espacialidade caso não é abstrata e abstrações não fazem revoluções. Uma agenda urbana regionalizada e por urbano maior que as capitais é disso que o Brasil precisa.
12:03
April 19, 2022
A era (ética) da mediocridade : A mediocridade recompensada
A era (ética) da mediocridade : A mediocridade recompensada
05:52
April 12, 2022
A cidade dialógica : Direito à cidade a partir do diálogo em Paulo Freire
A cidade dialógica : Direito à cidade e democracia a partir do diálogo em Paulo Freire
09:14
April 04, 2022
"Eu só peço a Deus Que a injustiça não me seja indiferente" (León Gieco) : Primeiras impressões sobre o cinismo da academia e a tragédia de nosso povo latino-americano
O que há de esperar a América Latina após a pandemia frente o aumento da pobreza e da desigualdade ?
15:07
November 03, 2021
"Nem toda estrada é caminho. Nem todo longe é além" : Desconstruindo o mito do "novo normal"
O que de fato se verá transformado após a pandemia Covid 19? Mudanças ou apenas "novas camuflagens"?
24:55
October 21, 2021
“...Nada fácil de entender “ (Renato Russo): Marx, SOBRE O SUICÍDIO e AS MULHERES
"A região das Américas foi a única a apresentar crescimento da taxa global de suicídios, com  incremento de 6% na comparação com 2010. Cerca de 80% dos casos ocorrem em países de  baixa e média renda, como o Brasil."
14:44
September 17, 2021
Despossuídos e invisíveis: Acampamento de sem-teto SÃO LUIZ II em Arapiraca
A realidade de centenas de famílias nos vários acampamentos de sem teto no Brasil conta também como perfeita ilustração da discussão de Marx. Nesses acampamentos encontramos pessoas e famílias que sem ter onde morar passam a integrar movimentos sociais que ocupam o lugar deixado pelo poder público em sua tarefa constitucional de atender a função social da terra
38:17
September 14, 2021
Direito ao conforto bioclimático pela classe trabalhadora : A habitação social e o conforto
Tem a classe trabalhadora direito ao conforto ?
11:16
September 10, 2021
AS ZEIS E A CIDADE INVISÍVEL: A cidade vista pelo olhar de seus donos, o povo
As zona especiais de interesse social, retirando da invisibilidade nosso povo!
19:06
September 03, 2021
O Espaço (Urbano e virtual) dos “malditos” no Brasil é uma questão coletiva : Saúde mental no espaço e nas redes
Adoecimento mental como processo social e fruto de uma sociedade autoritária
35:45
August 05, 2021
A influência do Estado policial no planejamento urbano : Wacquant e os pobres
Estado policial e planejamento urbano
21:06
August 02, 2021
A luta pela reforma urbana no Brasil: A cidade e a cidadania na mira do autoritarismo
A luta pela reforma urbana no Brasil, governo militar.
26:54
July 29, 2021
A CIDADE INVISÍVEL: A invisibilidade social e urbana como um projeto de exceção
A invisibilidade social é um projeto de exceção
21:35
July 28, 2021
A ditadura dos “bem-nascidos”: Como a eugenia construiu a sub - cidadania de hoje
A sub-cidadania é um dos sub-produtos da eugenia no Brasil
35:09
July 22, 2021
O Espaço “limpo” do fascismo: Habitação e eugenia no Brasil
O que há por trás das práticas de higienização do espaço urbano ?
22:23
July 16, 2021
A vida pós-formatura dos estudantes de arquitetura e urbanismo
A vida após a colação de grau
50:45
July 15, 2021
A cidade entre a exceção e a democracia: O alargamento do espaço privado e o estreitamento do espaço público
É a cidade espaço da democracia ou espaço da exceção ?
22:57
July 14, 2021
A produção do espaço fascista: A subordinação do pensar pela técnica no Brasil.
O projeto de país, de espaço urbano e de sociedade deve começar por onde perdemos, a humanização do saber e seu agente, o pesquisador.
14:49
July 12, 2021
Habitação para a classe trabalhadora: Esforço do capital para superar tempo e espaço
A habitação para o capital tem em sua gênese o empreendimento de um esforço na superação das barreiras do tempo e do espaço
13:35
July 09, 2021
A equivalência entre genocídio e comércio na formação do espaço Caio Prado Júnior e o sentido da colonização
Formação econômico territorial do Brasil e sua ligação com o extermínio de povos originários
08:11
July 05, 2021
Na periferia urbana “a fé não costuma faiar” (Gilberto Gil): Espaço urbano, a escolha entre o prosperar e o ser liberto
O espaço da periferia é espaço de libertação ou de prosperidade ?
14:34
July 03, 2021
A sub - cidadania no Brasil tem cor: O urbano sob a lente da questão racial
O espaço urbano materializa o racismo estrutural nas cidades brasileiras ?
14:46
June 30, 2021
Planejamento e formação territorial
Introdução a disciplina de PLANEJAMENTO REGIONAL E URBANO
16:53
June 28, 2021