Estudo Bíblico Online

Estudo Bíblico Online

By DIMAR LUIZ DOS SANTOS
Estudos Bíblicos para alimentar nosso relacionamento com Deus.

Conhecer a Palavra de Deus produzirá em você: a certeza da Salvação (1Cor 1,21), paz (Jo 16,33), orientará as suas decisões e escolhas (Sl 119,105), te fortalecerá e fará vencedor (1Jo 2,14), aumentará sua confiança na oração (1Jo 5,14) e te encherá de alegria e de amor pelo próximo (Jo 15,11-12).

Conheça a Palavra de Deus e deixe-se transformar pelo seu poder de cura, salvação e libertação!
Where to listen
Breaker Logo
Google Podcasts Logo
Overcast Logo
Pocket Casts Logo
RadioPublic Logo
Spotify Logo
Vencendo o mal com o bem. Gentileza gera gentileza!
Vencendo o mal com o bem. Gentileza gera gentileza! Certa vez, um escritor acompanhava um de seus amigos até uma banca de jornais. Ao chegarem lá, ele percebeu que o colega, apesar de cumprimentar o jornaleiro amigavelmente, havia recebido um tratamento grosseiro. Mesmo assim ele apanhou o jornal e, sorrindo, desejou ao homem um bom fim de semana. Quando os dois desceram a rua, o autor, intrigado, perguntou ao companheiro: “Ele sempre trata você dessa maneira?”. “Infelizmente, sim”. “E você é sempre tão amistoso com ele?”. “Oh, sim, é claro”. “Por que você é tão polido se ele o trata com grosseria?”, indagou o escritor. “Porque não quero que ele decida como eu devo agir”, concluiu o amigo. Essa atitude é a mesma proposta por Jesus quando disse: “aquilo que quereis que os homens vos façam, fazei vós a eles”. Jesus, nosso mestre, é nosso modelo no trato com as outras pessoas. Jesus sempre tratava as pessoas com gentileza, mesmo quando elas o desprezavam. Ser gentil, mesmo na adversidade, como a atitude mencionada acima, é uma conquista. Por esse motivo, precisa ser cultivada, pois, instintivamente, temos a tendência de pagar o mal com o mal. Pensamos que, retribuindo o mal que recebemos, estaremos nos vingando e castigando o malvado. No entanto, não percebemos que isso gera ainda mais maldade, divisão e mal-estar. A gentileza é a forma mais eficaz de vencer o mal com o bem. Nós estamos sempre nos relacionando com os outros, mas nem sempre o fazemos com qualidade. Muitas vezes agimos de maneira rude ou usamos palavras fúteis no tratamento com as pessoas. Hoje somos convidados a tomar a decisão de ser gentis em todos os nossos relacionamentos. Para cultivar a gentileza, o Apóstolo Paulo nos pede que deixemos "de lado a ira, a má vontade constante, os comentários maldosos, a maldade, as palavras vergonhosas e os enganos". Iluminados por essas palavras, tenhamos a coragem de cultivar a gentiliza em nossas famílias, em nosso trabalho, em nosso lazer, em nossa missão nesse mundo. Tenhamos sempre em mente o que disse Jean de la Bruyère: “a gentileza faz com que o homem pareça exteriormente, como deveria ser interiormente” e sejamos sempre gentis em todas as situações. Amado Deus, encha nosso coração das graças necessárias para que possamos tratar o próximo com o amor com o qual o Senhor nos trata. Por Cristo Jesus, em comunhão com o Espírito Santo. Amém.
03:18
August 2, 2020
Você não está sozinho
Uma mulher ficou pressa num elevador que parou entre dois andares. O zelador do prédio chamou-a e perguntou-lhe se estava sozinha. Ela respondeu: “Não, não estou sozinha”. O homem assegurou-lhe que o elevador logo seria consertado e pediu-lhe que não se preocupasse. Quando o elevador ficou em ordem e a porta foi aberta, verificou-se que a moça estava sozinha. O homem fitou-a, admirado: “A senhora disse que não estava sozinha”. Ela replicou serenamente: “E não estava mesmo. Deus estava comigo”. Deus sabia que o ser humano não suportaria a solidão, por isso, fez uma das mais importantes promessas da Bíblia: “Nunca o deixarei, nunca o abandonarei” (Hb 13,5). O próprio Senhor Deus promete que estará conosco sempre, cuidando de cada detalhe das nossas vidas. Nenhum só fio de cabelo da nossa cabeça cai sem a sua permissão. Não há promessa mais gloriosa e profunda do que essa. O Senhor, nosso Deus, está sempre ao nosso lado, como valente guerreiro nos defende das ciladas do inimigo e nos eleva aos lugares mais gloriosos. Ele mesmo nos garante a vitória nas batalhas. Todos nós temos medo da solidão, mas ela é necessária para o encontro com Deus. É nela que Deus se manifesta, carinhosamente, para salvar o seu povo. Aquela senhora do elevador carregava em seu coração a certeza mais profunda: “Deus está comigo”. Seu coração estava convicto de que, mesmo, atravessando os vales escuros, o Senhor estaria sempre ao lado dela. Essa doce certeza da presença constante do Senhor fez dissipar todo o medo de seu coração. Amado irmão e irmã, hoje somos convidados a cultivar a mesma fé daquela senhora do elevador. Precisamos nos firmar na palavra de Deus que diz: “O Senhor, pois, é aquele que vai adiante de ti; ele será contigo, não te deixará, nem te desamparará; não temas, nem te espantes” (Dt 31,8). Nessa poderosa palavra está a nossa segurança. Essa palavra é como uma rocha firme que dá segurança aos nossos pés. Essa palavra estava gravada no mais profundo da alma daquela senhora do elevador. Tomemos posse dessa palavra poderosa e creiamos que nós pertencemos ao Senhor e que ele mesmo vai à nossa frente nas batalhas. Ele derrota nossos inimigos e nos dá segurança, esperança e salvação. Ele não está apenas conosco, mas está dentro de nós. Ele é o Emanuel. Emanuel em hebraico quer dizer “Deus dentro do barro”. Nós somos esse barro no qual Deus habita. Nós somos templos vivos, nós somos a shekinah de Deus, sua habitação. Se temos essa certeza, não precisamos temer os perigos ou os dardos inflamados do inimigo, pois o Senhor não nos abandonará, nem nos deixará desamparados. Oremos: Senhor, nosso Deus e Pai, temos a certeza de que o Senhor está sempre conosco, por isso queremos te louvar e agradecer. Nós somos seus templos e queremos viver para manifestar a sua glória nesse mundo. Encha-nos cada vez mais com a sua presença e faça-nos instrumentos de Teu amor nesse mundo. Que a nossa vida manifeste a Tua glória para que o mundo creia e se converta ao Evangelho. Por Cristo Jesus, nosso Senhor e Salvador em comunhão com o Espírito Santo, Amém.
04:07
July 26, 2020
O Senhor se torna íntimo dos que o temem. Como ser íntimo de Deus. Buscando intimidade com o Senhor
O Senhor se torna íntimo dos que o temem. Como ser íntimo de Deus. Buscando intimidade com o Senhor  “O Senhor se torna íntimo dos que o temem, e lhes manifesta a sua aliança” (Sl 25,14)  Deus deseja ter intimidade conosco e deseja que nós trabalhemos para ter intimidade com ele. É preciso trabalhar para tal, pois a intimidade não é um dom e sim uma conquista. É preciso conquistar a intimidade com Deus, da mesma forma que se conquista intimidade com um amigo.  Um bom leitor da bíblia perceberá que há pelo menos três tipos de seguidores de Cristo: - Primeiro: a multidão, que busca o Senhor apenas por curiosidade ou em busca de milagres (Jo 6,1). Para esta, Deus é apenas um meio para alcançar os objetivos desejados: a melhor casa, o melhor carro, o melhor emprego... - Segundo: os discípulos, aqueles que estão próximos do Senhor e o seguem onde quer que ele vá, mas ainda não estão preparados para os segredos mais elevados de Deus (Jo 16,12); - Terceiro: os íntimos, aqueles a quem Deus revela seus segredos mais profundos (Mt 17,1-8), os que são chamados pelo próprio Senhor de amigos (Jo 15,15).  Não importa em qual tipo estejamos agora. O mais importante é que estejamos caminhando para sermos íntimos do Senhor e para isso, podemos seguir os conselhos do apóstolo Tiago em sua carta (Tg 4,8-10). De acordo com Tiago, para conquistarmos a intimidade com Deus precisamos:  a) Aproximar-nos de Deus;  b) Purificar as mãos;  c) Corrigir a duplicidade;  d) Purificar o coração;  e) Converter o riso em pranto, a alegria em tristeza;  f) Humilhar-nos na presença do Senhor;  g) Deixar o Senhor nos exaltar;  Deus deseja corações que o busquem com sinceridade. Ele deseja ter intimidade conosco. A intimidade vai reproduzir em nós cada vez mais o semblante de Cristo. Á medida que formos aprofundando no relacionamento com o Senhor, criando intimidade, o Espírito Santo produzirá em nós os “mesmos sentimentos de cristo” (Fp 2,5). Lembre-se, intimidade é conquista, e somente aqueles que fazem violência contra si mesmos a alcançarão (Mt 11,12).  Conheça-me: Instagram ➜ @pe.dimarluiz Facebook ➜ pe.dimarluiz Site ➜ https://www.estudobiblicoonline.com.br Podcast ➜ https://anchor.fm/pe-dimar-luiz
08:11
July 12, 2020
O pecado e suas consequências
Todos temos pecado e por isso estamos privados da glória de Deus. No tema anterior tratou-se do amor de Deus, contudo, ante a realidade de nós mesmos e de tudo quanto nos rodeia, surgem algumas perguntas lógicas. Se Deus nos ama, por que: + Ao nível pessoal, se vive com tantas inseguranças, temores, inveja, insatisfações, desequilíbrio emocional, contendas, angústias, tristezas, limitações, e não experimentamos o amor de Deus? + Ao nível comunitário, as famílias se desintegram, os filhos se rebelam contra seus pais, há conflito de gerações, contendas, ódios de uns para com os outros? + Por que a guerra, a fome, a pobreza, a injustiça, a discriminação, a opressão e a falta de liberdade? Enfim, poderíamos perguntar: Se Deus é amor, por que não experimento seu amor? Por que não vejo um mundo em paz e harmonia? Se o plano de Deus é de sabedoria e amor, por que não o experimento? Posto por Deus em estado de amizade com ele, o homem rompe esta amizade, buscando o seu fim fora de seu criador. O pecado não é um mal qualquer, de natureza puramente psicológica ou social, mas é um: Ato perverso que o homem pratica livremente perante Deus e contra Deus, recusando seu amor. É a pior notícia com a qual o homem poderia se deparar: + o homem tem um problema que ele mesmo não pode solucionar; + tem um inimigo que não pode vencer; + o homem com toda a sua ciência e seu poder não é capaz de sair fora do domínio do Príncipe deste mundo, nem pagar o pecado do mundo; + o homem não pode libertar-se do pecado: faz o mal que não quer e não faz o bem a que se propõe. O homem é de natureza pecadora, por isso peca, ou seja, sua natureza é decaída, pecadora, por isso comete pecado, por força de sua própria natureza. Por isso podemos afirmar: O homem peca porque é pecador e não, é pecador porque peca. Por esse motivo o homem não pode mudar-se por si mesmo; por suas próprias forças não é capaz de renovar-se, fazer-se criatura nova, mudar seu coração, solucionar o problema de sua própria existência. O homem não pode salvar-se a si mesmo; não pode salvar-se sozinho. Por outro lado, nenhum homem poderá salvar a outro, pois se um cego tentasse ajudar o outro, ambos cairiam no buraco. O homem tem um problema que não pode solucionar. Esta é a pior notícia que podemos ter escutado e, todavia, é a verdade. Nenhum jornal ou periódico, tão cheios de notícias negativas, jamais deu uma tão má como esta. O dia em que o homem quis construir a torre de Babel, para alcançar o céu, fracassou; o dia em que o homem quis ser Deus, no paraíso, submergiu no absurdo. O homem não pode por suas forças chegar a Deus.
09:33
July 8, 2020
O casamento é como um passeio de barco
“O casamento é como uma longa viagem em um minúsculo barco a remo. Se um dos passageiros começar a balançar o barco, o outro tem que estabilizá-lo. Caso contrário, os dois afundarão juntos” (Dr. David Rubin). Deus criou o homem e a mulher à sua imagem e semelhança e traçou um maravilhoso plano de relacionamento para ambos. A plenitude desse relacionamento querido por Deus passa pela vida matrimonial. O matrimônio é tão caro para Deus que a Bíblia inicia com a criação do homem e da mulher, com a declaração de que o homem não pode ficar sozinho e de que a mulher é carne da carne do homem, ou seja, foram feitos um para o outro e termina com a celebração das núpcias do cordeiro com a sua noiva que é a igreja. Como foi dito no texto do Dr. David Rubin o casamento é como um barquinho a remo que requer equilíbrio da parte dos dois. Homem e mulher, guiados pelo amor, devem remar com a mesma intensidade, dedicação e fidelidade, para que o barco não se desestabilize e venha a afundar. Que princípios o casal pode seguir para manter equilibrado o barco do matrimônio? São inúmeros, mas aqui destaco apenas três: Primeiro é preciso se dedicar ao amor. Amor é delicado como planta, precisa de cuidados diários para sobreviver. Por isso, tanto o homem quanto a mulher, precisam cultivar atitudes de amor, carinho e afeto, bem como palavras agradáveis que possam sustentar o amor. Um “eu te amo” sempre faz bem quando brota do coração; e existem infinitas formas de fazer essa declaração. Dizer ao outro: “se cuida”, “estou com saudade”, “você é especial”, “você me faz bem”, “espero chegar em casa logo para te ver”, “já comeu hoje?”, dentre outras, são maneiras simples de dizer ao outro que você se importa com ele.  Andar de mãos dadas, fazer um elogio, perceber a unha feita, a barba feita, o novo corte de cabelo, o perfume novo, tomar um sorvete juntos, ir a uma pizzaria ou restaurante, fazer um passeio... são gestos que demostram o quanto se ama e se importa com o outro. Quando se cultiva o amor de verdade, não se achará espaço no coração para infidelidades, enganos e dissimulações. Lembre-se: infidelidade não é apenas trair. É, também, não cuidar, não ser presença, não se importar. Amar é ajudar o outro a ser melhor do que era antes de encontrar e conhecer você. Você tem cultivado o amor todos os dias? Segundo, é preciso dialogar. Efésios 4,26 diz que não devemos deixar o sol se por sobre a nossa ira ou nosso ressentimento. O casal precisa resolver os problemas e diferenças cada dia, sem adiar, sem acumular ressentimentos ou diferenças. Ouvir não é algo fácil, muito menos expressar os seus sentimentos e desgostos, mas é preciso se exercitar. A graça do Senhor Jesus jamais os abandonará. Terceiro, é preciso manter a comunhão com Deus. Observe que quando Eva rompeu a comunhão com Deus, rompeu também com seu marido Adão. E logo após, Adão acusa Eva, que acusa a serpente do erro que eles cometeram. Se não houver comunhão com Deus nenhum relacionamento se sustentará. Um culpará o outro sempre pela falta de atenção, cuidados, pela infelicidade vivida, pelas próprias frustrações e decepções. Os dois precisam buscar a Deus juntos, meditar sua palavra e se alimentar da espiritualidade da oração e meditação. Amados irmãos, o casal precisa aprender caminhar juntos na mesma direção. Sonhar os mesmos sonhos e lutar por eles, acreditando um no outro. Motivando o outro a crescer e desenvolver o seu potencial. O marido precisa aprender a ajudar sua esposa a crescer, confiar nela, ser atencioso e amoroso e, da mesma forma, a esposa deve ajudar seu marido a ser melhor, confiando nele, sendo atenciosa e amorosa. E os dois juntos, viverem um amor tão intenso e sincero que os filhos se sintam acolhidos, amados e valorizados e queiram, também eles, fazer a experiência de amar.
06:22
July 8, 2020
O extraordinário amor de Deus
Deus ama você de uma maneira pessoal e incondicional. Deus criou o homem, por amor, à sua imagem e semelhança. Chamando-o à existência por amor, chamou-o ao mesmo tempo ao amor. Infunde Deus no homem o espírito de vida e o destina à felicidade. O homem pode gozar de toda a criação, dominar tudo o que existe sobre a terra e é convidado a manter uma relação pessoal com o Criador. Deus é amor e vive em si mesmo um mistério de comunhão pessoal de amor. Criando-a à sua imagem e conservando-a continuamente no ser, Deus inscreve na humanidade do homem e da mulher a vocação, e, assim, a capacidade e a responsabilidade do amor e da comunhão. O amor é, portanto, a fundamental e originária vocação do ser humano.Como consequência da comunhão íntima com Deus, tudo é: harmonia – equilíbrio – felicidade. Deus é infinitamente bom com todos os homens: + com o gago Moisés ou com o pequeno Zaqueu; + com o pobre Amós ou com o instruído Nicodemos; + com a singela Maria de Nazaré ou com o desobediente Jonas; + com o ladrão condenado à morte, renegado pela sociedade, para qual não havia outro remédio senão a morte. Vejam os pássaros do céu. Eles não semeiam nem ceifam e Deus lhes dá a cada dia seu alimento. Nós valemos para Deus muito mais que as aves e todos os animais juntos. Vejam os lírios dos campos, eles não tecem nem fiam, e Deus os veste com beleza inigualável; quanto mais a nós que somos seus filhos, mesmo que sejamos pecadores. Mais ainda, ama-nos de maneira especial. O pior de todos os pecadores é o mais amado por Deus, pois onde abunda o pecado superabundo seu amor misericordioso. O mais pecador é quem pode experimentar mais perdão, gozo e esperança, porque é o mais necessitado. Se alguém perdoasse dois devedores: um devendo uma quantia pequena e o outro devendo uma quantia imensa. Poderíamos perguntar: a quem foi dado o maior perdão? Responderíamos: a quem devia mais. Assim é, quem muito necessita mais experimentará o amor misericordioso de Deus. Deus o ama e a única coisa que lhe pede é que: creia em seu amor; creia nele; confie em seu plano, mais do que no seu. A primeira coisa que Deus nos pede não é que o amemos, e sim que nos deixemos amar por ele. Ele só quer que você experimente o seu amor por você. Não se trata de chegarmos a ele, é ele que quer chegar até nós. Não se trata de o alcançarmos, e sim, deixarmo-nos alcançar por ele. Antes de começarmos a buscá-lo, ele já andava nos buscando. Ele tomou a iniciativa e veio ao nosso encontro. O amor não consiste em que nós amemos a Deus, senão em que ele nos amou primeiro. Não fomos nós que o elegemos, ele nos elegeu primeiro. Não somos nós a favorecer Deus com nosso amor, é ele quem nos favorece com seu amor, porque seu amor é eterno. Nós buscamos a Deus e queremos amá-lo, entretanto, ninguém pode amá-lo sem antes ter experimentado seu amor. Devemos parar, deter-nos e desejarmos ser alcançados por ele, pelo seu amor que é eterno. Deus ama todos os homens, porque somos seus filhos, obra de sua mão. Ama os bons e os maus, católicos e protestantes, ateus e perseguidores da Igreja, sacerdotes, líderes sindicais, prostitutas. Ama-nos a todos porque somos seus filhos. Deus não nos ama pelo que fazemos, mas pelo que somos: seus filhos amados. Deus nos ama não porque somos bons, e sim, porque bom é ele.
10:38
July 1, 2020
Nuvem de gafanhotos da Argentina ao Brasil. Será sinal do fim do mundo? dos tempos? do apocalipse?
Nas últimas décadas, mundo tem passado por momentos difíceis: tsunamis, vulcões em erupção, terremotos, colapso financeiro, divisões políticas e religiosas, guerras constantes e ameaças de guerras, conflitos familiares e entre nações, fomes, pestes, doenças incuráveis, guerra intelectual e crimes cibernéticos. Esse ano de 2020 ainda veio somar mais uma série de problemas que desestabilizou ainda mais o mundo: vespas assassinas, corona vírus, corrupção dos políticos se aproveitando do avanço do novo corona vírus e, ultimamente uma nuvem de gafanhotos que começou no Paraguai, destruindo plantações de milho, infestou várias regiões, invadiu a  Argentina e segue em direção ao sul do Brasil, ameaçando destruir as lavouras daquela região. Diante disso tudo, várias perguntas vêm surgindo: será isso o sinal do final dos tempos? Será o sinal da volta de Jesus? Do fim do mundo? Do fim da humanidade? Tudo isso é cumprimento de alguma profecia? Deus está castigando a humanidade? Para entendermos esse fenômeno e arriscar uma resposta que não fira os ensinamentos bíblicos, precisamos analisar algumas coisas importantes nas sagradas escrituras. Como o povo da bíblia entende a presença do gafanhoto? - Em primeiro lugar, é preciso lembrar que o gafanhoto é inseto limpo e por isso pode ser usado como alimento, como está escrito em Lv 11,20-23 e confirmado em Mt 3,4, versículo que apresenta João Batista comendo gafanhoto com mel silvestre. A pessoa que vive pela fé já poderia parar aqui, não é verdade? Se o gafanhoto pode ser alimento, quem tem fé poderia pensar que é a provisão de Deus para ninguém passar fome na pandemia (Ex 16,15), não é verdade? Mas alguns só sabem enxergar o lado ruim das coisas, então vamos continuar... - Em segundo lugar o gafanhoto foi visto como o juízo de Deus sobre os opressores de seu povo (Ex 10). E ali, Deus prometeu que nunca mais haveria uma praga igual (Ex 10,14). - Em terceiro lugar o gafanhoto foi visto como o castigo de Deus pela infidelidade do povo à aliança (Ml 3,11; 1Rs 8,37; 2Cr 7,13; Am 7,1-3; Jl 1,4). Nesse caso, o propósito não é fazer mal ao povo e sim levar o povo ao arrependimento e à mudança de vida (conversão); vale ressaltar que algumas pessoas estão pregando por aí, com base em Ml 3,11, que é preciso pagar o dízimo para Deus livrar do gafanhoto, pois eles interpretam os gafanhotos como forças demoníacas que vieram para destruir a vida humana e suas provisões, porém, não há base exegética para isso no texto, pois assim, teríamos que admitir que Deus enviou demônios contra os Egípcios em Ex 10, o que não possui fundamento algum; - Em quarto lugar o gafanhoto é símbolo do dia do Senhor (Jl 2,1-5). O dia do Senhor é o dia do juízo de Deus contra os inimigos de seu povo, do mesmo modo como aconteceu em Ex 10. A ideia é: do mesmo modo que os gafanhotos destroem tudo pela frente, o exército de Deus vai destruir os inimigos do povo de Deus, levando o povo de Deus à vitória e à liberdade; - Em quinto lugar o gafanhoto é símbolo do poder do maligno que fere (apenas isso!) os servos do Cordeiro (Ap 9,1-11). Aqui eles não atacam plantações, e sim receberam poder de atormentar as pessoas, como se fossem picadas venenosas de escorpiões. E nós já sabemos que são os gafanhotos parecidos com demônios dos dias atuais que ferem, reduzem direitos, envenenam e destroem a dignidade dos filhos de Deus, não é mesmo? - Em sexto lugar, observe que em nenhum momento o gafanhoto foi visto pelo povo hebreu como sinal de fim dos tempos ou fim do mundo. Nem o próprio Jesus, quando fala dos sinais próximos do reinado messiânico (Mt 24) fala de gafanhotos. Confie na palavra de Deus em Fl 4,6-7: “Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o coração e a mente de vocês em Cristo Jesus”.
14:47
June 28, 2020
Nada e ninguém nesse mundo pode substituir os pais na vida dos filhos. Os pais são insubstituíveis
A filha de 4 anos de um pai muito ocupado adquiriu fixação pela história dos três porquinhos e exigia que ele lesse para ela todas as noites. O homem, satisfeito consigo mesmo, gravou a história em uma fita. Quando a menina pediu novamente para ouvi-la, ele simplesmente ligou o playback. Isso funcionou por algumas noites, mas numa noite a menina deu o livro de histórias ao seu pai. “Querida”, disse ele, “você sabe ligar o aparelho sozinha?”. “Sim”, disse ela, “mas eu não posso sentar no colo do aparelho”.  Nada pode substituir os pais, nem um gravador, nem um computador ou tablet, nada! Nunca desista dos seus filhos pelo fato de serem rebeldes. Eles ainda aprenderão o que é amar. Eles só precisam do seu tempo, da sua atenção, do seu exemplo de vida, mais do que de suas palavras, mais do que seu ouro e riquezas. Como disse Jesus, “o filho faz o que vê o pai fazer” (Jo 5,19).  A maior herança que vocês, pais, podem deixar aos seus filhos, não são as riquezas desse mundo, e sim, as riquezas da eternidade, que a traça não come e a ferrugem não corrói. Brinque com seus filhos, converse com eles, seja presença na vida deles, faça passeios com eles, dê a eles a oportunidade de conhecer o herói ou heroína que você é. Dê a eles não o melhor dos frutos da terra, mas o melhor de sua vida. Reserve tempo para eles, eles precisam de você. Ame, simplesmente ame, quaisquer que sejam as circunstâncias.
04:32
June 26, 2020
O medo distorce a realidade. Não tenha medo, Deus está contigo e jamais abandonará você!
Frequentemente somos assaltados por situações que nos causam medo e até pânico. E diante disso, não poucas vezes, perdemos a paz, a serenidade e a esperança.  Qual a reposta que o cristão deve dar aos medos que o assaltam?  Em primeiro lugar, viver pela fé: a vida do justo está nas mãos de Deus, por esse motivo, não há razão para andarmos abatidos e prostrados no nosso dia a dia;  Em segundo lugar, é preciso confiar em Deus. Quando tudo parece perdido, sem sentido ou vazio, é preciso entender que Deus tem poder para realizar muito mais que pedimos ou somos capazes de crer;  Em terceiro lugar, depender de Deus. As nossas escolhas precisam se firmar nas promessas de Deus. Ele prometeu que estaria com os seus até o fim dos tempos (Mt 28,20). Por esse motivo é possível afastar o temor do coração e, assim, reencontrar a paz.  Amado irmão e irmã, a superação do medo passa pela fé que depositamos em Deus, pela confiança de que tudo está em seu domínio e pela dependência que temos dele, pois sabemos que sem ele nada podemos realizar. Creia em Deus, confie em Deus e dependa dele, pois ele ama você e jamais vai abandonar você (Hb 13,15; Is 41,10; Dt 31,6; Js 1,9; Is 43,13).
03:08
June 20, 2020