Skip to main content
Start now. Cry later

Start now. Cry later

By Start now. Cry later
Better not stop. A Portuguese startup scene podcast. Hosted by Mariana Barbosa and André Forte.
Where to listen
Google Podcasts Logo

Google Podcasts

Overcast Logo

Overcast

Pocket Casts Logo

Pocket Casts

RadioPublic Logo

RadioPublic

Spotify Logo

Spotify

Let's get physical (therapy) | Márcio Colunas, cofundador e CSO da Sword Health
Nasceu em 2015, na Universidade de Aveiro, na sequência de um acidente sofrido pelo irmão do seu cofundador. Na universidade, Virgílio Bento começou a aperfeiçoar uma ideia que cruzava a terapia músculo-esquelética com a tecnologia, e da qual nasceu a Fénix, uma assistente virtual bem atenta aos tratamentos dos pacientes que assiste.  Fundada em 2015, a Sword Health está desde 2019 no mercado australiano e, desde 2020, no norte-americano. Hoje, a ferramenta tecnológica acompanha complementa, com a ajuda da tecnologia, cerca de 4.000 tratamentos por dia.  No final de 2021, depois de uma ronda de financiamento Série D, no valor de 189 milhões de dólares, foi a 6.ª startup com ADN português a atingir o estatuto de unicórnio. Oito anos depois do primeiro dia, Márcio Colunas, cofundador e CSO da Sword Health, recupera memórias dos primeiros tempos e sublinha a importância da vontade de mudar o mundo para o sucesso do negócio. 
40:02
April 13, 2022
Coast to coast, cost to profit | Hugo Oliveira, CEO e fundador da Indie Campers
Em 2013 eram seis carrinhas. Em 2015 já tinha 25 e levantou a primeira ronda de financiamento liderada pela Portugal Ventures, posição que seria vendida dois anos depois. Do início, a tentar vender o sonho americano mais romantizado do mundo, as roadtrips numa camper Van, até hoje, a preparar o sonho de conquistar o mercado americano, Hugo Oliveira, fundador e CEO da Indie Campers é o convidado deste episódio do Start now. Cry later. Vem falar sobre os desafios de gerir uma frota de cerca de 2000 autocaravanas - a maior frota própria de aluguer a nível europeu..., que percorrem estradas de 14 países e 40 cidades em países como Portugal, Espanha, França, Itália, Suíça, Alemanha, Holanda, Croácia, Bélgica, Reino Unido, Irlanda, Islândia, Suécia e Áustria, bem como Sardenha e Sicília. Com clientes de mais de 130 nacionalidades e mais de 200.000 noites passadas em autocaravanas, a empresa quer ser um polo de atração de talento tecnológico, estando a preparar a evolução para o “conceito de uma one-stop-shop para todas as necessidades relacionadas com road trips e turismo itinerante a nível mundial”.
45:04
August 26, 2021
More disruption, less speculation | Diogo Mónica, Co-Founder & President of Anchorage
Before founding Anchorage, he was security lead at Docker, an open platform for building, shipping and running distributed applications. While at Docker he worked on the security foundations of the container and orchestration subsystems that are now used as core building blocks of modern IT infrastructure worldwide. Diogo Monica was an early employee at Square where he led the platform security team and built the security infrastructure used by the company to move over $80B in annualized volume. Co-Founder and President of Anchorage, fintech that brings the world’s most advanced and proven security architecture to cryptocurrency custody, to deliver the services institutions expect from a traditional custodian, he is also an angel investor, a security engineer and a father-to-be. And he is our today's episode at "Start now. Cry later".
51:43
August 03, 2021
Nurture a culture | Rui Costa, co-founder and CEO of EatTasty
A ideia surgiu em 2016 e era simples: rentabilizar cozinhas profissionais, em restaurantes, nas horas em que estas não eram usadas. A operacionalização, possível, pensaram Rui Costa e Orlando Lopes. A EatTasty começou por ser um negócio de entrega de almoços em empresas, cresceu, amadureceu, e internacionalizou-se. No início deste ano, estreou-se no Porto e, entretanto, reinventou-se - e ao negócio - em ano de pandemia. Rui Costa, cofundador da EatTasty, é o convidado deste episódio do "Start now. Cry later". Vem falar de comida, de negócios e de como nutrir uma cultura é muito mais do que alimentá-la bem.
40:52
July 20, 2021
Leading an electric fleet | Jane Hoffer, CEO of GoWithFlow
Jane Hoffer believes companies’ successes are the direct result of a leader’s ability to mentor and develop their people. Through care for the teams and attention to evolving the supporting operating environment, Jane creates the foundation for success. Across her career people speak to the importance of working with and for her. As CEO, Jane Hoffer has started and led companies through the stages of founding, growth, acquisition and public company exit (Prescient). In the roles of President, COO, and CBO (Chief Business Officer), Jane has complemented the CEO and their leadership teams. She has partnered to grow teams, raise capital ($80+million), improve operational efficiencies, penetrate new and existing markets and position for the next phase of business (littleBits, Heartwork, Veniam). In 2019, she decided to move to Portugal and start her most recently venture: to be the leader and CEO of GoWithFlow. 
54:12
July 05, 2021
Smooth riding | Pedro Andrade, cofundador e CEO da Hunter Boards
Com um sistema de suspensão único no mundo, os skates elétricos da Hunter Boards conseguem ir mais longe e mais rápido, sem o desconforto da vibração do chão. Reconhecido por publicações especializadas como a revista Input ou a generalista The Verge, o projeto da Hunter Boards foi nomeado pela Time como uma das melhores ideias de 2020. Entretanto, há poucas semanas, Pedro Andrade estreou-se na lista "30 under 30", da revista Forbes. Da to do list comprida, cumprida dia após dia, para entrar num mercado avaliado atualmente em dois mil milhões de dólares ao protótipo, agora produzido na fábrica do Carregado, passaram uns meses. As primeiras 50 unidades produzidas devem chegar em breve aos seus donos. A maioria dos skates vendidos chegará aos Estados Unidos (74%) mas também a clientes no Reino Unido (6%), Austrália (6%), Suécia (4%), Noruega (2%), Rússia (2%) e Portugal (2%).
45:18
June 08, 2021
So close, no matter how remote | June Bolneo, co-founder of WorkRemote
Born and raise in the Philippines, and moved - and living - in Portugal, June Bolneo is our first english-speaker guest at "Start now. Cry later". Remote worker and a remote-work advocate, she actually worked on her remote skills specially to be able to move to Lisbon and work form Portugal. Founded WorkRemote to guide others how to work online, she's been helping remote workers and companies who are willing to work remotely since 2012. But, why Portugal? And why working remotely five years ago, when (almost) nobody did it? Meet June Bolneo, Learning Experience Design Lead @ Grow Remote, co-Founder of WorkRemote and working remotely from Portugal to the world. More about AWS Startup Loft here.
51:52
May 18, 2021
All you need is a break | Pedro Oliveira, cofundador da Landing.jobs
Estudou Engenharia no Técnico e passou pela Accenture e pela EDP, até fundar a primeira startup, a Oopssss booking, em 2012. No mesmo ano, foi um dos criadores do Break, um dos primeiros eventos de networking para empreendedores em Portugal. Uns anos depois, em 2007, cofundou com José Paiva a Landing.Jobs - Jobbox na altura - uma plataforma de recrutamento em tech que é, atualmente, uma marca e um player importante no setor. Com a Landing, criou marcas como o Landing.Fest e a (mais recente) Future.Works. Agora, fez uma pausa para incubar o que vem a seguir. Pedro Oliveira, cofundador da Landing.jobs, é o convidado deste episódio. 
01:22:06
April 27, 2021
2020: no hard feelings | Ana Pimentel e Diogo Ferreira Nunes
Se as startups e todo o ecossistema empreendedor já estavam habituados a uma dose generosa de incerteza e desassossego, em 2020 estes fatores foram transportados para uma transversalidade gritante e... evidente. Depois do ano passado e, projetando o futuro, só sabemos uma coisa: nada será como antes. Hoje, para este episódio especial, que fecha a primeira temporada de "Start now. Cry later", dispensámos bolas de cristal, borras de café, cartas astrais e um sem número de outros métodos de adivinhação. Em troca, convidámos dois jornalistas que acompanham há muitos anos as andanças do ecossistema e que, como nós, têm podcasts que falam de passado, de presente e de futuro. Ana Pimentel, editora de Tecnologia do Observador, e Diogo Ferreira Nunes, jornalista do Dinheiro Vivo, fazem um balanço do ano que passou, refletem sobre as histórias que escreveram, recuperam as entrevistas mais interessantes que fizeram, os projetos mais inspiradores e as aprendizagens mais valiosas. Além disso, antecipam o futuro. Promete!
58:23
February 11, 2021
Go remote, stay close | João Carreira, cofundador da Rural Move
Ter uma experiência distinta de trabalho, viver dentro de uma nova comunidade e, eventualmente, equacionar uma mudança de espaço e de vida. São esses alguns dos objetivos da equipa que trabalha com João Carreira, dedicada atualmente para fazer crescer a Rural Move.  Criada em plena pandemia com o objetivo último de fixar as pessoas em territórios de baixa densidade populacional em Portugal, o projeto tem a decorrer três pilotos em zonas diferentes do país. A ideia é escalar a ideia e, sobretudo, as experiências de trabalho remoto rural, fora dos grandes centros urbanos. 
44:07
January 29, 2021
Profitable impact | António Miguel, managing partner da Maze
"Maze" não é um labirinto com uma entrada e uma saída mas uma multiplicidade de caminhos e soluções. É nessa ideia que assenta o projeto Maze, fundado em 2013 em Portugal, com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian. À frente da empresa de investimento em startups de impacto está António Miguel.  "Existimos para provar que o impacto social e ambiental é a maior oportunidade económica dos nossos tempos", assinala, neste episódio do Start now. Cry later. A crença de que o impacto é, de facto, uma enorme oportunidade económica, tanto de investimento como de retorno, é o que faz do dia-a-dia da equipa da Maze a aventura que António detalha. 
46:09
December 29, 2020
Too resilient, too wordly | Madalena Rugeroni, Too Good to Go Portugal
"O que é o falhanço? Se alguém me perguntasse 'arrependes-te?', eu diria: 'faria tudo outra vez." Madalena Rugeroni não desistiu enquanto não foi aceite na Google, em Miami. Depois de tentar "umas 15 vezes", conseguiu. E a lição de resiliência serviu-lhe para a vida. Mudou-se para Londres e foi, meses antes de cofundar a Misk, que voltou para Lisboa.  A startup, uma rede social de restauração com base em recomendações, não teve sucesso mas nem por isso Madalena desistiu de tentar outra vez. Desde 2019 que é a responsável pela Too Good to Go, app criada na Dinamarca que quer acabar com o desperdício alimentar em todo o mundo, para o mercado português. Em vésperas de comemorar um ano por cá, Madalena Rugeroni fala da importância de um propósito no lançamento e no crescimento de um negócio. E explica, com exemplos, que a resiliência é a base para o caminho empreendedor. 
46:47
October 16, 2020
Why-Fi | Amélia Santos, cofundadora da Innuos
Em 2009, a mesa da sala de casa de Amélia e Nuno era o laboratório de experiências do primeiro servidor da InnuOS. De lá saíram as primeiras centenas de unidades que o projeto, ainda sem nome, vendeu através do eBay.  Sem investidores e, sete anos depois, lançaram a InnuOS, empresa pensada para o "nicho" da alta fidelidade de som, um mercado avaliado em 17 biliões de dólares, a nível mundial.  Atualmente em 34 mercados, a InnuOS produz, a partir do Algarve, aquela que é considerada a fonte digital com a melhor qualidade de som a nível internacional. Os seus servidores são recomendados por marcas como a Bang & Olufsen. Amélia Santos conta, passo a passo, o caminho que transformou a mesa da sala, em Londres, à internacionalização a partir do sul de Portugal.  
52:57
August 14, 2020
The gatekeeper | Catarina Salteiro, diretora de comunicação da DefinedCrowd
Há três anos, não fazia ideia sobre onde estaria hoje. Mas foi por curiosidade sobre o mundo das startups e por uma ambição genuína de poder trabalhar um pouco por todo o mundo que a nossa convidada de hoje se candidatou a uma vaga para gerir a comunidade da DefinedCrowd. Na altura, a startup com sede em Seattle e fundada pela portuguesa Daniela Braga empregava cerca de 20 pessoas. Pouco mais de mil dias depois, são mais de 300. Ela estava lá, a ver isto tudo a acontecer. E a contribuir para que tudo acontecesse e fosse contado. Responsável pela comunicação da startup de inteligência artificial, Catarina Salteiro é a convidada deste episódio.
01:13:31
July 07, 2020
Incubadoras: alavanca ou adversidade? | Tiago Ratinho, investigador e professor universitário de empreendedorismo
É professor universitário e investigador na área do empreendedorismo. O último estudo que fez foi publicado, no final de 2019, numa das revistas académicas de referência mundial, o Journal of Business Venturing, uma das revistas académicas de referência mundial, listada pelo Financial Times no Top50. Nele, fala-se das implicações profundas para o entendimento do impacto das incubadoras mas também para a prática de incubação.  Neste episódio do Start now. Cry later olhamos para o desenvolvimento do ecossistema empreendedor português de outra perspectiva. Afinal, as incubadoras são assim tão importantes? Que impacto têm no dia a dia e no crescimento de uma empresa que acaba de nascer? São um espaço de conforto ou de desconforto no sentido de permitirem desenvolver negócios?
54:53
June 01, 2020
Comida de cão, you sexy thing! | André Jordão, fundador e CEO da Barkyn
Para comprar um iô-iô fundou o seu primeiro negócio aos sete anos: começou a criar e a vender bichos-da-seda a toda a escola. Depois de passar por consultoras e outras grandes empresas, André Jordão fundou a Foodzai e, anos mais tarde, a Barkyn, um marketplace dedicados aos amigos de quatro patas. Como é que a comida de cão é um negócio sexy? O André Jordão explica.
30:59
April 28, 2020
Testar, validar, investir | Cristina Fonseca, empreendedora e investidora
Aos 23 anos, fundou a Talkdesk, um dos três unicórnios com ADN português. Aos 32, tornou-se investidora no Indico Capital Partners, o maior fundo privado de capital de risco em Portugal. Sobre a última década, a empreendedora e investidora sublinha a rapidez com que passou o tempo e partilha algumas das muitas histórias que guardou para contar: é hora de "give back" ao ecossistema.
34:57
March 25, 2020
"Vejo mais unicórnios" | Ricardo Lima, head of startups da Web Summit
Ricardo Lima, head of startups da Web Summit fala sobre o maior evento de tecnologia e empreendedorismo do mundo, sobre o "teatro" das startups e sobre o falhanço.
40:43
February 26, 2020