Skip to main content
Balanço e Fúria

Balanço e Fúria

By Rodrigo Corrêa
Um podcast dedicado a interpretar as relações entre música e política.
Where to listen
Pocket Casts Logo

Pocket Casts

Spotify Logo

Spotify

Clubber de quebrada – raça, classe e território na música eletrônica de São Paulo com Felinto e Mafalda
Depois de mais de um mês sem episódios, voltamos! Na companhia de Felinto e Mafalda, cruzamos as experiências e as produções das quebradas através da música eletrônica. Experiências e produções que consideram o trânsito, que abarcam as complexidades das sociabilidades, das disputas de território, da criação de espaços, do mundo que existe entre a zona sul, norte, leste e oeste até o centro. Do Madame Satã ao Sound Factory, do miami bass ao house, das tretas às assimilações. Dedicado a todo clubber de quebrada, cybermano, poperô, lagartixa ou jangueiro.
01:35:19
August 10, 2022
Punky reggae party - quando a comunidade jamaicana encontra a juventude britânica com Bruno Lancelotti e Felix Barreira
Ao fim da segunda guerra mundial, a Inglaterra, apesar de vitoriosa, se vê na necessidade de reerguer suas estruturas estremecidas pelos quase 20 anos de conflito entre os países Aliados e os do Eixo. Para sua reconstrução, mão de obra indiana, paquistanesa e caribenha foi incorporada a partir de facilitações nos processos de integração dos imigrantes à sociedade britânica. Com esses imigrantes, veio a cultura, e dessa integração entre os imigrantes e os ingleses, revelam-se novos dilemas nas relações entre a juventude. Podemos dizer que as experiências musicais e sociais, experimentadas em solo britânico, mais intensas, vivas, criativas e conflitantes se deram no período de 1950 à 1980? Acho que sim. Um episódio sobre Desmond Dekker, Laurel Aitken, The Clash, Trojan Records, Blue Beat, Don Letts, 2 Tone Records, Lee Perry, Rock Against Racism e algo mais. Episódio masterizado por Igor Souza, do estúdio Mitra.
01:45:47
June 27, 2022
Remetente/destinatário – discos, zines e amizades nas correspondências dos anos 90 com Douglas Utescher (Ugra Press)
As correspondências via carta nos anos 80 e 90 foram talvez a única forma dessa geração se corresponder, a mais barata e acessível, mas ao mesmo tempo, foi a principal plataforma para o exercício da escrita e da leitura, do esforço de entender e se fazer entendido, de responder a uma outra temporalidade que está longe de pertencer a lógica do imediato e do simultâneo. Douglas Utescher se apropriou dessa prática por boa parte da sua vida e refinou suas percepções estéticas, políticas, músicas e literárias através dela.
01:04:31
June 15, 2022
Sub e Grito Suburbano – coletâneas como documento, memória e comunidade com Clemente Nascimento
Dentre os discos mais importantes do punk nacional, dois são coletâneas. Coletâneas frutos da mobilização de duas bandas que abrem mão de lançar um disco individual, como o Cólera (no caso do Sub) e Olho Seco (no caso do Grito Suburbano), para incluir outras bandas no registro. Aqui temos o primeiro registro daqueles que tiveram a forma independente como método e como princípio, daqueles que tinham na sua negação a sua atividade. Sub, Grito Suburbano, O Começo do Fim Mundo, Ataque Sonoro, coletâneas gravadas na casa dos amigos que tinham os discos, cartas e fitas trocadas entre punks da Vila Carolina, do meio-oeste dos Estados Unidos ou de algum lugar da Finlândia no começo dos anos 80. A conversa com Clemente Nascimento é sobre isso.
46:24
May 19, 2022
Black dada nihilismus – a imaginação radical de Amiri Baraka com Nathália Grilo
Amiri Baraka enquanto vivo buscou ser livre até que finalmente fosse. Caminhou junto de Allen Ginsberg, Jack Kerouac e Ted Joans nos inferninhos de Greenwich Village, em Nova York. Conheceu a Cuba em seu processo inicial pós-revolução e volta para casa transformado. Radicaliza sua forma política e estética a partir do nacionalismo negro durante mobilizações pelos direitos civis nos anos 60. Assume o marxismo-leninismo sob o contexto dos movimentos de libertação do terceiro mundo nos anos 70. Fundou editoras, construiu periódicos, lançou discos e levou um tapa na cara do Charles Mingus que não gostou de algum escrito seu sobre Jazz de vanguarda. Tudo isso sob o som e companhia de alguns nomes como Archie Shepp, Albert Ayler, Cecil Taylor, Sun Ra e inúmeros outros... Desculpem a descrição bagunçada. A vida de Amiri Baraka foi grandiosa.
01:25:35
May 06, 2022
Interiorano e ambicioso – entre a vontade de dominar o mundo e a vida sem herança com Diego Max
Diego Max é produtor musical e artista gráfico de Assis, velho oeste paulistano, e desde o começo dos anos 2000 orienta seus afetos criativos a partir da necessidade da descoberta das brechas para se criar um lugar, seja em um apartamento apertado no centro de São Paulo ou na COHAB em sua cidade natal. Um episódio dedicado aos interioranos e ambiciosos, sem herança, muitas vezes precarizados e cansados por esse mundo que ainda não nos venceu.
58:32
April 28, 2022
Mark Fisher – entre a melancolia da música britânica e da crise do capitalismo
O quanto da melancolia expressa na cultura é capaz de denunciar a barbarie que o capitalismo tardio representa na vida das pessoas? Amauri Gonzo nos fala sobre como Mark Fisher costura em seu pensamento referências que vão de Joy Division, Tricky à Jacques Derrida e Fredric Jameson. Use o cupom #BalancoEFuria20 e compre os livros do Mark Fisher com 20% de desconto no site da @autonomialiteraria.
01:32:21
April 15, 2022
Cumbia madre del pueblo – latinoamerica em festa e luta com Pablo Fidel (La Delio Valdez), Pensanuvem (Macumbia) e Gui Miranda (Boxe Vila Anglo)
Do norte do México ao sul da Argentina, a cumbia mobiliza os corpos para se movimentar em sua direção. Cumbia é sobre amores perdidos, ganhados, festas, ódio à polícia, mas também sobre identidade latinoamericana, auto organização e mobilização coletiva. Aqui conversamos com Pablo Fidel, membro da importantíssima banda de cumbia argentina La Delio Valdez, que não é só grande pela qualidade musical, mas também pela forma cooperativa de funcionamento baseada nas experiências das fábricas argentinas recuperadas pelos operários no começo dos anos 2000, Pensanuvem, que há 10 anos nos aproxima da linguagem cumbiera e de nossos vizinhos latinoamericanos e Guilherme Miranda, que tem sua vida cruzada pela paisagem argentina, do boxe ao futebol, do punk a cumbia.
52:32
March 03, 2022
Ver o jazz – as capas de disco e a fotografia do jazz americano (50-70) com Ricardo Magrão
A fotografia e as capas dos discos de jazz foram potentes o suficiente para forjar no imaginário de seu público uma forma que torna impossível seu não reconhecimento. Uma forma capaz de atingir a síntese mais refinada do que significa beleza e radicalidade, simplicidade e complexidade. Uma conversa com Ricardo Magrão que cruza a trajetória de nomes como Francis Wolff, Reid Miles, Blue Note, Prestige, Atlantic, Black Jazz e outras mais.
59:43
February 03, 2022
O pós-punk paulistano nos anos 80 – entre a vanguarda estética e a vanguarda política com Miguel Barella e Alex Antunes
Os últimos anos da ditadura no Brasil foram permeados por um espírito do tempo que soprava um vento que trazia como novidade política e artística movimentações que iam do trotskismo da LIBELU ao som do Gang of Four, das intervenções do grupo Viajou Sem Passaporte aos encontros no Madame Satã, da necessidade de romper com a complexificação proposta pelo rock progressivo a vontade expandir com o minimalismo que compõe o pós-punk. Esse é um passeio de 77 a 85 com Miguel Barella e Alex Antunes.
01:05:04
January 14, 2022
Nossa pátria é o mundo inteiro, nossa lei é a liberdade – entre o internacionalismo do punk e do futebol com Mandioca
Das partidas que aconteciam entre uma banda e outra no galpão do Jabaquara, durante as Verduradas, para a formação de um time punk, à esquerda e antifascista que criou conexões com times da mesma dimensão em outros países da Europa e da América do Sul. Uma conversa sobre punk, torcidas organizadas, futebol de várzea, outras formas de se formar um time e se organizar uma partida, movimentos autônomos, antifascismo e sobre o que estamos fazendo e o que podemos fazer de nossas vidas.
01:19:15
November 29, 2021
Dos Racionais MC's aos Paiter Suruí – canções e lutas por terra e liberdade com Txai Suruí
No começo desse mês de novembro, em Glasgow, na Escócia, aconteceu a COP 26, Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, e a representante do Brasil nessa conferência foi a ativista indígena Txai Suruí, que além apresentar as demandas de seu povo, denunciar as iniciativas de um governo devastador e alertar o mundo sobre o massacre de indígenas que acontece em solo brasileiro, trouxe em seu discurso referências que iam dos zapatistas aos Racionais MC's. Uma conversa sobre luta, terra, território e também sobre rap.
42:04
November 25, 2021
Punks, skins e socialistas – as virtudes e contradições dos movimentos de juventude nos anos 80 com Mao
O processo de redemocratização do Brasil, Desmond Dekker, as greves operárias do ABC no fim dos anos 70, a convergência estético-política da origem operária dos punks e skinheads, as contradições e as virtudes que compõem a prática de cada um, a fundação do PT, a coletânea Strenght Thru Oi!, a retomada das mobilizações dos movimentos sociais, Redskins… os que moram do outro lado do muro nunca vão saber o que se passa no subúrbio. Uma conversa sobre punks, skins e socialismo com o professor Mao.
01:17:40
November 05, 2021
1 por amor, 2 por dinheiro – pelo direito de viver do que se faz com Sistah Chilli
Formação de comunidade, redes de compartilhamento e meios de distribuição alternativos, microfone aberto e shows gratuitos, apoio mútuo e solidariedade, essas são algumas das maneiras possíveis para se acessar e criar música sem dinheiro, mas longe de romantizar qualquer modo de existência próximo da precariedade, é necessário reconhecer o direito de artistas que estão longe do centro econômico de viverem daquilo que fazem. 1 por amor, 2 por dinheiro é sobre descobrir, pesquisar e fazer som com e sem grana. Uma conversa com Sistah Chilli.
01:07:53
October 26, 2021
Do cinza ao sol – o desembarque do grime londrino em solo brasileiro com Antconstantino
O cruzamento do dancehall, drum & bass, jungle, ragga e rap nas ruas de Londres no começo dos anos 2000 fez com que uma nova expressão musical à margem, impulsionada pelas rádios piratas e sound systems, se desenvolvesse. O Grime é a síntese dessa mistura no som e da crueza da vida vivida na lírica. Este episódio com Antconstantino percorre o caminho que rememora a trajetória do gênero em seu início até respingar no Drill quando inspira os estadunidenses e no funk, quando chega ao Brasil.
01:00:25
October 11, 2021
Sob este asfalto, existe terra – quando o punk encontra a causa indígena com Andreza Poitena e Josimas Ramos
A articulação do punk com movimentos de resistência dos mais diversos sempre foi notável. Da causa palestina aos direitos dos animais, de movimentos de ocupação ao direito à cidade... enquanto mobilização estético/político/cultural, é um movimento que historicamente foi capaz de assimilar as demandas de seu tempo e se por ombro a ombro com aqueles protagonizavam a luta, e com a causa dos povos originários não seria diferente.   Andreza e Josimas, além de voltarem sua vida para construção de espaços para o fortalecimento do anarquismo, do punk, do veganismo e do faça-você-mesmo, também atuam ao lado dos Tupi Guarani com o Vivência na Aldeia.
01:09:46
October 04, 2021
Do atlântico ao spiritual jazz – corpo, barulho e espiritualidade com Nathália Grilo
Ao cruzar o atlântico rumo às Américas, a diáspora africana levou consigo tantas coisas quanto deixou. A espiritualidade, as formas de sociabilidade e a linguagem desaguavam em suas expressões sagradas e musicais. Do blues ao free jazz, de Amiri Baraka à Kamasi Washington, da relação de John Coltrane com o islã à formação musical dentro da igreja católica de Billie Holiday, a espiritualidade rebelde estava lá.
01:12:12
September 12, 2021
Hip Hop Rio – as características do desenvolvimento do rap carioca com Marcelo D2
A singularidade do rap carioca sempre foi notável, da lírica às batidas, das influências à personalidade daqueles que o fizeram, são muitos os elementos que marcaram a forma de se fazer rap no Rio de Janeiro nos anos 90 e 2000. Uma conversa com Marcelo D2 que atravessa os bailes funk dos anos 80, a influência do skate e do punk para o rap e um caminho único que consegue cruzar Sonic Youth e Public Enemy e The Cure e Jovelina Pérola Negra numa mesma ideia de composição.
01:22:45
September 06, 2021
Jamericans – a razão jamaicana do hip hop estadunidense com SonoTWS
Se não fosse a cultura e a comunidade jamaicana estabelecida no Bronx dos anos 70, o hip hop seria composto por pela figura do DJ e Mc como conhecemos? Qual a relevância dos toasters e dos sound systems pra isso tudo? Uma conversa com SonoTWS que atravessa figuras como Count Machuki, U Roy, Kool Herc, Born Jamericans, Pete Rock, InI e algumas outras coisas nesse ensaio livre sobre as relações entre a cultura jamaicana e o hip hop.
01:11:59
August 30, 2021
Keep the faith – o northern soul e o swing das margens com Lovesteady
Depois de uma semana inteira trancafiados por quase 10 horas diárias em uma fábrica qualquer de alguma cidade ao norte da Inglaterra, jovens entediados ansiavam pelos finais de semana e pelo encontro nos clubes que celebravam os singles mais raros de soul estadunidense dos anos 60. A camisa de botão mais bem passada, o sapato mais bem lustrado, anfetamina no bolso e acrobacias na pista de dança. Os clássicos da Motown e da Stax não eram o suficiente para eles. KEEP THE FAITH
58:56
August 12, 2021
Testemunha ocular - a fotografia e a música independente na São Paulo dos anos 80 com Rui Mendes
Talvez Rui Mendes seja um dos principais responsáveis pela tradução em imagem do espírito do tempo que envolveu a cena musical de São Paulo nos anos 80. Uma passagem por sua formação  na ECA-USP e as bandas de pós-punk que surgem dali, sua relação com parte das bandas punks da periferia, por casas como Napalm e Madame Satã e pela longevidade de um trabalho que registra importantes momentos de bandas como Cólera, Ratos de Porão e Mercenárias, assim como de Racionais Mc's, Tim Maia, Bezerra da Silva e inúmeros outros.
01:04:29
July 22, 2021
A arte de não vender – entre a música experimental e a política radical com J.P. Caron e Bruno Trochmann
Um episódio sobre os artistas do fracasso e a constituição de comunidades no subsolo da indústria cultural. Fugazi, Henry Flynt, John Cage, Ben Davis, Adorno, Marx, a cena japonesa e a realização política a partir da organização coletiva se misturam nessa conversa sobre música experimental, noise, free-jazz, punk, arte conceitual e derivados. Link do texto que baseia o episódio: https://lavrapalavra.com/2020/06/04/gato-tosco-contra-tigres-de-papel/
01:42:50
July 09, 2021
Sangue, suor e soul – o Blaxploitation e a música negra norteamericana dos anos 70 com Maria Eduarda
Shaft, Superfly, Sweet Sweetbacks Baaddassss Song, Coffy, Isaac Hayes, Curtis Mayfield, Earth Wind & Fire, crítica a violência policial, subversão dos papéis sociais, violência, humor, crítica ao racismo estrutural, soul, funk, Motown e Stax. Um episódio sobre a vida do cinema e da música negra norteamericana dos anos 70.
01:18:44
June 25, 2021
Música de assistir – celebrar documentários com In-Edit Brasil com Maurício Gaia e Andrea Pasquini
O In-Edit é um evento cinematográfico que tem como objetivo fomentar a produção e a difusão de filmes documentários que tenham a música como elemento integrador. Começou em 2002 em Barcelona e desde 2009 acontece no Brasil. Uma conversa que contempla dos primeiros atravessamentos entre música e produções audiovisuais de Maurício Gaia e Andrea Pasquini (membros da organização e curadores do festival) até a programação e a composição do evento que acontecerá esse ano. Em 2021, a 13ª edição será realizada online, para todo o Brasil, entre os dias 16 e 27 de junho.
01:00:46
June 14, 2021
Autodidatismo e as artes plásticas – a música, a imagem e a experimentação material com Alexandre Cruz Sesper
Das capas dos discos do Subhumans e Black Flag as semelhanças com o trabalho de Laurie Rosemberg, do encontro com o Discharge ao encontro com John Heartfield, dos flyers de shows a exposições em galerias, de trabalhos na sala de amigos ao acervo da MAC-USP... Uma conversa com Sesper que apresenta as influências, recursos e atravessamentos de uma trajetória artística que cruza as ruas e as galerias.
01:33:09
May 30, 2021
Haverá futuro? – como o punk e a ficção científica especulam o fim do mundo com Acácio Augusto e Wander Wilson
O Começo do Fim do Mundo, No Future, guerra fria, bomba nuclear, ascensão do neoliberalismo, desemprego, alta tecnologia e baixa qualidade de vida, William Burroughs, Blade Runner, anos 80... seriam os punks os maiores anunciadores do apocalipse ou do fim do futuro da segunda metade do séc. XX? Uma conversa com Acácio Augusto e Wander Wilson.
01:22:32
May 20, 2021
Ame o boxe, odeie o fascismo – centros autônomos e formação de comunidade através da luta com Breno Macedo e Raphael Piva
Existe um caminho que cruza o boxe com a tradição política socialista das ocupações italianas, com os interesses de Julio Cortázar, Miles Davis e Prince Buster, com a luta pelos direitos civis nos Estados Unidos, com a discussão do jovem anarquista inglês Albert Meltzer com a grande Emma Goldman, com a composição da Frente de Choque do Partido Comunista Brasileiro nos anos 30 contra os fascistas e algumas coisas mais. Conversa com Breno Macedo e Raphael Piva sobre boxe, autonomia e antifascismo. Escutem!
01:16:37
May 06, 2021
Space is the place – espaço, cidade e a cosmologia de Sun Ra com Malu de Barros
Sun Ra foi sem dúvida uma das figuras mais radicais da história da música. Ao romper com sua identidade construída a partir de uma relação histórica racista do ocidente, assumindo outro nome e outra forma de existir, rompe também com o que é convencionado dentro do jazz, da poesia, do cinema e da política afrocentrada. Sun Ra é uma potência capaz de redirecionar nosso olhar ao ler o mundo, sua arte nos diz sobre ciência, filosofia, espiritualidade e também pode nos instrumentalizar para realizar uma crítica ao urbanismo, à cidade e ao território, e é sobre isso que Malu de Barros nos fala.  
01:13:07
April 25, 2021
Por entre os rasgos da modernidade – da collage surrealista à colagem punk com Fabiana Gibim e Mário de Alencar
Por entre os rasgos da modernidade revelam-se expressões que no juntar dos cacos do mundo mostram sua potência. O ato de colar papel sobre uma superfície vem desde a antiguidade e atravessa o mundo em desencanto, a realidade da guerra e a crise da vida no capitalismo. Uma técnica apropriada por artistas de vanguarda, de não-vanguarda, pela contracultura, pelos intelectuais, pelo punk e por quem quis. Uma conversa sobre pappier colé, assemblagem, collage, colagem com Fabiana Gibim e Mário de Alencar.
01:47:06
April 19, 2021
Nazi hippies fuck off – da contracultura à direita alternativa com Amauri Gonzo
Quando foi que a direita passou a evocar pautas historicamente defendidas pela esquerda ou oriundas de meios contraculturais? Como se dá esse movimento que esvazia termos e conceitos, subvertendo o sentido para benefício próprio? Seria capaz a direita prosperar produzindo cultura da pior qualidade, como vem fazendo? Haverá futuro? Haverá futuro? Essas são algumas questões que Amauri Gonzo nos apresenta nessa conversa. 
02:06:02
April 14, 2021
As skateparts e a formação musical – a trilha sonora em primeiro plano com Kamau
Muito antes dos algoritmos ditarem o que você deve ouvir primeiro, os vídeos de skate faziam o serviço de curadoria musical para composição de cada parte, fazendo com que em uma hora de vídeo você passasse por John Coltrane, King Diamond, Nas, Jeru the Damaja, Patife Band, Jackson 5 e Gang of Four. Kamau no mic.
01:23:32
March 30, 2021
A pedagogia do cartaz - entre o papel, a forma e a palavra com Camila Rosa
O cartaz é parte essencial das produções oriundas da contracultura. É o espaço em que a arte e a mensagem se realizam, em que há a possibilidade do experimento e de tradução de recortes complexos da história com texto e imagem, ou menos que isso. Camila Rosa é ilustradora e nessa conversa atravessamos um caminho que visita brevemente suas referências e sua trajetória, dos flyers de shows punks que denunciavam o movimento do mundo às ilustrações de Emory Douglas nas ações dos Panteras Negras. Escutem!
01:21:46
March 13, 2021
Como um sintoma do mundo – a comunidade hardcore/punk nos anos 90 sob a chegada do novo milênio com Frederico Freitas
Se nos anos 80 o punk europeu evidenciava a derrocada do liberalismo, que deixava toda uma juventude sob a condição do desemprego, do tédio, da falta de perspectiva e o punk brasileiro evidenciava o resultado de 21 anos de ditadura militar e vivia uma recessão econômica, a miséria e a violência, nos anos 90, outro horizonte se abre para jovens que descobriam o hardcore/punk como uma plataforma para acessar e difundir algumas pautas que até então eram pouco elaboradas pela geração punk anterior, como os direitos dos animais, direitos humanos, reforma agrária, globalização, a oposição ao projeto neoliberal e outras formas de se pensar a prática política à esquerda, através dos coletivos, da Ação Global dos Povos, Comitê Pró-Zapatista, do Centro de Mídia Independente, dentre outras várias questões que permearam o imaginário de uma geração que atravessa os anos 90 até meados da primeira década dos anos 2000.
01:19:55
March 07, 2021
We've got the jazz – o hip hop e a assimilação do jazz como forma e conteúdo com Tiago Frúgoli
Uma conversa que visita o Harlem dos anos 20 e vê as poesias de rua sendo elaboradas a partir da estrutura do jazz, passa pelas aproximações da linguagem musical de Miles Davis e Herbie Hancock de algo que se volta aquilo que poderíamos chamar de rap, se afunda nas produções dos anos 90 onde esse casamento é celebrado com nomes como A Tribe Called Quest, Digable Planets, The Roots, J Dilla, Guru, Pete Rock... chegando até os anos 2000, em que os músicos de jazz tem em seu repertório uma história marcada pela audição de rap.
01:19:26
February 28, 2021
The revolution will not be televised – a música e o partido dos Panteras Negras com Rodrigo Brandão e Rodrigo Carneiro
Uma conversa que atravessa a erudição rueira do Harlem Renaissence, passa pelo engajamento do jazz dos anos 60, cai na produção fonográfica que propagandeava a causa do Black Panthers Party pela voz de Elaine Brown e The Lumpen, cruza a influência dos panteras negras e Young Lords no surgimento do hip hop, chega ao Brasil dos anos 70, em que as movimentações políticas e tensões raciais nos EUA impactam fortemente alguns músicos daqui, assim como tantas outras coisas mais que reverberam no tempo fortemente influenciadas pelo caráter estético e ideológico dos Panteras Negras. Escutem.
01:02:59
February 26, 2021
A China, o punk e o declínio da civilização ocidental com Alê Amazonia
Alê Amazonia viveu na China por 8 anos e no processo de se estabilizar no país, se desloca de sua zona de conforto relativamente ocidentalizada em Shangai e parte para a periferia, submergindo em uma realidade chinesa muito diferente da que era vivenciada nos centros econômicos e pólos de trabalho repletos de estrangeiros. Esse movimento para o interior da cultura e das relações chinesa o coloca em contato com a cena punk local, montando sua banda e participando de movimentações onde muitas vezes se vê como o único estrangeiro.  Contradições, tensões, prisões, o milenar e o moderno cruzam nossa conversa. Ouça!
01:16:17
February 20, 2021
As pessoas e as máquinas – música eletrônica, ruído e ruína com Felinto e Raiany Sinara
Dos experimentos sonoros desenvolvidos pelos futuristas e dadaístas no começo do séc. XX, passando pela música concreta e música eletrônica alemã dos anos 50, pelo krautrock, pela disco, acid house e techno da cena britânica, de Chicago e de Detroit, elaboramos os processos de ruptura da forma de se fazer música a partir de máquinas, de ruídos e de modificações digitais de timbres e texturas, além dos aspectos comunitários que se dão a partir dessa música que é essencialmente negra e que abarca também a questão LGBTQIA+ e uma outra elaboração da cidade/espaço/tempo.
01:33:26
February 15, 2021
Imigrantes, refugiados e os punks no velho continente com Adriessa Souza e Lilian Rodrigues
Historicamente a retórica punk sempre rechaçou a ideia de nação/pátria/fronteira, e com o passar dos tempos, as práticas que se voltavam muito para expressões estéticas, passam também a se voltar para questões políticas.  Enquanto rede internacional, a comunidade punk também se mobiliza para acolher e orientar imigrantes (ilegais ou não) e refugiados, auxiliando com teto, comida, com a língua e as burocracias do país. Adriessa e Lilian vivem há algum tempo em Berlin e nos contam um pouco dessa relação com a comunidade punk/organizações de esquerda locais enquanto imigrantes latino-americanas. 
01:24:13
February 10, 2021
Ruptura da fórmula – experimentos da música de improviso brasileira com Maurício Takara e Rodrigo Brandão
O que a música de improviso diz sobre o mundo? Para onde o experimentalismo aponta? Sobre as tensões dos limites propostos pelas fórmulas musicais pré-estabelecidas e sobre o regimento da indústria fonográfica, Mauricio Takara e Rodrigo Brandão resgatam as memórias de Pedro Santos, Naná Vasconcelos, Airto Moreira, Hermeto Pascoal, Uakti, Dom Salvador, Jocy de Oliveira... para apontar as direções percorridas por esses músicos no Brasil de horizonte nublado, entre os anos 50 e 80.
01:14:56
January 11, 2021
Guerrilha simbólica – o pixo e a disputa pela cidade com Djan Ivson (Cripta)
A potência do pixo é capaz de transformar a cidade-mercadoria em cidade-jogo, a arte segura e cômoda em arte de risco, de vida e morte. Uma conversa com Djan Ivson sobre a história do pixo, principalmente o desenvolvimento de suas fórmulas dos anos 90 até os dias de hoje.
01:16:37
December 17, 2020
Queercore – a esquina onde a comunidade LGBT e o punk se encontram com Cauê Xopô e Bruna Provazi
Stonewall Inn, repressão policial, Marsha P. Johnson, Sylvia Rivera, solidariedade da comunidade LGBT com os movimentos de libertação nacional, oposição à guerra no Vietnã, Homocore, J.D's, Bruce LaBruce, MDC, Big Boys, Team Dresch, Outpunk, jornal O Lampião, os anarcopunks e a contribuição para a primeira Parada Gay de São Paulo, Espaço Impróprio, LadyFest... Cauê Xopô e Bruna Provazi nos apresentam alguns elementos ajudam a vislumbrar a historia do queerpunk. 
01:04:48
December 12, 2020
Check the rhime – o rap alternativo e uma outra elaboração estética da cultura de rua com Parteum
Os momentos de associação e desassociação com a geração anterior, adaptação e continuidade nas formas de se fazer rap, a profunda relação entre música e skate, as novas possibilidades de se ler e rimar a vida cotidiana nas ruas. Uma conversa que atravessa A Tribe Called Quest, De La Soul e The Pharcyde, passando por Potencial 3, Mzuri Sana, Kamau e Elo da Corrente, fechando com uma ode ao vô Chiquinho. Enfim, uma conversa sobre rap com Fábio Luiz, vulgo Parteum.
01:29:33
November 27, 2020
The Five Percenters – Islamismo e hip hop nos EUA dos anos 90 com Marcola
Como o islamismo se estabelece em território norte-americano como religião e se desenvolve para uma expressão que carrega consigo valores que dialogam com a necessidade de sobrevivência no gueto? quais interlocuções essas práticas estabelecem com política, auto-defesa e o hip hop? Como praticamente todos os maiores nomes do rap dos anos 90, de Wu Tang-Clan a Erykah Badu, foram atravessados por essa influência? Marco Aurélio, a.k.a. Marcola nos fala sobre importância desses cruzamentos para a formação da maior manifestação cultural de nosso tempo. KEEP IT REAL, Y'ALL!
01:25:42
November 21, 2020
Escrita à flor da pele – quando o punk encontra o anarquismo e o feminismo com Elaine Campos
Qual a relevância do movimento das ex-presas políticas da ditadura militar no Brasil para a formação do primeiro coletivo das feministas anarcopunks em São Paulo? Qual o intercâmbio estabelecido com o movimento Hip-Hop? Como a produção de fanzines e a criação de espaços para formação intelectual permitiu a produção de uma literatura que documentasse a própria história? Elaine Campos nos apresenta os caminhos traçados por algumas mulheres punks que se defrontam com o anarquismo e o feminismo no começo dos anos 90 e suas interlocuções com outros fenômenos culturais e políticos  durante essa trajetória.
01:17:01
November 16, 2020
Cidades invisíveis – os flanantes e a invenção e descoberta do meio urbano com Murilo Romão
Pode o skate tensionar os limites que existem entre o público e o privado, contribuir para uma outra definição de cidade, juntar Tony Alva, João do Rio e Foucault? Murilo Romão, skatista que documenta o skate de seu tempo e sua relação com a cidade nos fala sobre as referências que cruzam seus filmes para além das manobras. Escutem!
01:24:44
November 06, 2020
Radicalizar a arte/cotidianizar a revolução: o situacionismo e o punk com Paulo Rocha
A ruptura da separação entre arte/revolução e vida cotidiana
01:21:09
November 02, 2020
Malandragem de verdade é viver – samba, raça e classe em São Paulo com Viny Rodrigues
Como o samba se relacionou com a cidade, com a lei, com o trabalho, com o racismo, com a polícia e com a indústria musical? Qual a importância histórica do samba para o imaginário de um Brasil que cambaleou entre a ideia de progresso, desenvolvimento, modernidade e violência, exclusão e miséria? Viny Rodrigues, cria da Casa Verde, nos apresenta caminhos para compreender o samba com o olho na religião, na geografia, no desvio, na resistência, no balanço e na fúria de viver. Quem nunca viu vem ver caldeirão sem fundo ferver.
01:17:37
October 26, 2020
Os malditos da música brasileira com Kiko Dinucci
Aqueles que amaldiçoaram Jards Macalé, Walter Franco, Tom Zé, Jorge Mautner, Itamar Assumpção e Luiz Melodia são os mesmos que amaldiçoaram a música dos negros escravizados, os primórdios do samba, o brega e são os mesmos que amaldiçoam o funk e a pisadinha. Uma conversa com Kiko DInucci que nos ajuda a entender a arapuca que a indústria musical e a crítica especializada podem representar para os artistas populares ou radicais. 
01:55:39
October 22, 2020
Do Capão para o mundo: reconhecendo paralelos entre Cólera e Racionais com Arthur Dantas
Só quem é de lá sabe o que acontece. O que o Cólera e o Racionais Mc's nos falam sobre o Capão Redondo e o Brasil dos anos 80 e 90? Conversa com Arthur Dantas, que além de ser um punk que ouve rap, é um estudioso que se debruçou sobre o Sobrevivendo no Inferno e Pela Paz em Todo Mundo produzindo um livro pra cada disco. Escutem!
01:21:46
October 17, 2020
Movimentos antiglobalização e o hardcore em São Paulo com Ruy F. e André Mesquita
Qual a relação entre a comunidade hardcore/punk e os comitês pró-ezln, manifestações contra a ALCA e o G-8, contra a invasão do Iraque pelos Estados Unidos e a composição da  "nova esquerda" no Brasil dos anos 2000? André Mesquita e Rua F. nos ajudam a compreender a dimensão desse fenômeno   Escute o programa do Rua F. na viruscomun rádio comunitária aqui: https://mixlr.com/viruscomun/showreel/xruydox e do André Mesquita aqui: https://mixlr.com/viruscomun/showreel/love-streams-004 Leia os escritos do André Mesquita em: http://andremesquita.redezero.org
01:40:49
October 04, 2020
As veias abertas da América do Sul com Daniel Villaverde (Sonidos Latinos)
O episódio da música argentina, chilena, uruguaia, peruana e colombiana. Uma passagem pela Nueva Canción Chilena, Nuevo Cancioneiro, Cumbia, rock sessentista, proto-punk e causos diversos sobre o engajamento e as roubadas dos artistas habitantes dessa terra chagada que é a América do sul.   Escute Sonidos Latinos: https://mixlr.com/viruscomun/showreel/sonidos-latinos-venezuela-70
01:20:59
October 01, 2020
Música Jamaicana contra o império com Jurássico (Y&M on a Jamboree)
Das montanhas ocupadas pelos rastafaris aos showmícios em defesa da candidatura de Michael Manley. A música jamaicana já disse: a babilônia cairá.
01:23:07
September 25, 2020
Jazz e política? com Juninho Sangiorgio
Das worksongs cantadas nas plantações de algodão ao Guru Jazzmatazz. Uma conversa sobre cultura, arte, política e diversão.
01:17:32
September 20, 2020