Skip to main content
DADOS

DADOS

By DADOS Revista de Ciências Sociais
Podcast de divulgação dos artigos publicados em DADOS - Revista de Ciências Sociais. Criada em 1966 e editada pelo Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Iesp-Uerj), a revista circula trabalhos inéditos e inovadores, oriundos de pesquisa acadêmica, de autores brasileiros e estrangeiros. O periódico tem como objetivo conciliar o rigor científico e a excelência acadêmica com ênfase no debate público a partir da análise de questões substantivas da sociedade e da política.
Currently playing episode

[Dados vol.59, n.3] Divisão Sexual do Trabalho e Democracia, por Flávia Biroli

DADOS

1x
[Dados vol.59, n.3] Divisão Sexual do Trabalho e Democracia, por Flávia Biroli
No terceiro episódio do Podcast DADOS, a cientista política Flávia Biroli conversa com a assistente editorial da revista Marcia Rangel Candido sobre o artigo  "Divisão Sexual do Trabalho e Democracia", um dos mais citados da publicação. Leia o resumo abaixo: O objetivo deste artigo é analisar as conexões entre a divisão sexual do trabalho, aqui entendida como um fator fundamental na produção do gênero, e os limites das democracias contemporâneas. A análise se apoia em extensa literatura sobre o tema, acompanhada de aporte empírico que permite situar a discussão no contexto brasileiro. É orientada por dois axiomas e uma hipótese, aos quais correspondem as três principais seções do artigo: (A1) a divisão sexual do trabalho está na base das hierarquias de gênero nas sociedades contemporâneas; (A2) essas hierarquias assumem formas diferenciadas segundo a posição de classe e raça das mulheres; (H) as assimetrias assim constituídas, entre as quais se destacam o acesso desigual a tempo livre e a renda, limitam a participação política das mulheres. O reconhecimento do impacto da divisão sexual do trabalho se faz em uma concepção ampliada da política, que leva em conta as relações de poder no cotidiano. A análise destaca como essas relações incidem no acesso ao sistema político. Procura, com isso, colaborar para a construção de modelos teóricos que incorporem essa dimensão fundamental das relações de gênero, a divisão sexual do trabalho, à análise crítica dos limites da democracia. Para consultar o texto completo acesse: https://doi.org/10.1590/00115258201690 Site de DADOS http://dados.iesp.uerj.br/ DADOS no Twitter https://twitter.com/DadosRevista DADOS no Instagram https://www.instagram.com/DadosRevista/ DADOS no Facebook https://www.facebook.com/revistadados/ 
32:24
October 18, 2020
[Dados vol.62 n.3] Contrapúblico ultraliberal e os protestos contra Dilma Rousseff, por Camila Rocha
No segundo episódio do Podcast DADOS, a cientista política Camila Rocha (Cebrap) conversa com o editor-chefe da revista, Luiz Augusto Campos, sobre o artigo "“Imposto é Roubo!” A Formação de um Contrapúblico Ultraliberal e os Protestos Pró- Impeachment de Dilma Rousseff", um dos mais citados na publicação. Leia o resumo abaixo:  O objetivo deste artigo é apontar o papel desempenhado pelo contrapúblico ultraliberal na convocação e direção dos primeiros protestos pelo impeachment de Dilma Rousseff. Para tanto, procurei apontar a pertinência da utilização do conceito de contrapúblico para caracterizar as dinâmicas que perpassavam os integrantes de grupos e espaços de debate relacionados ao ultraliberalismo. A partir de uma triangulação de dados empíricos, foi realizada uma reconstrução histórica, bem como demonstrada a existência de um contrapúblico ultraliberal com base no conteúdo de entrevistas em profundidade com militantes. Conclui-se que a reunião precoce desse grupo, na internet, deu início à formação de um contrapúblico ultraliberal calcado na existência de uma identidade coletiva por parte de seus membros. A permanência e institucionalização de tal contrapúblico foi facilitada pelo suporte organizacional e financeiro de uma rede pré-existente de think tanks liberais no país, possibilitando que seus membros pudessem convocar e liderar os primeiros protestos pró- impeachment de 2014. Isso se deu em virtude de mudanças na estrutura de oportunidades políticas relacionadas às revoltas de Junho de 2013 e à reeleição de Dilma Rousseff em 2014. O texto completo pode ser consultado em: http://dx.doi.org/10.1590/001152582019189 Site de DADOS http://dados.iesp.uerj.br/ DADOS no Twitter https://twitter.com/DadosRevista DADOS no Instagram https://www.instagram.com/DadosRevista/ DADOS no Facebook https://www.facebook.com/revistadados/ 
34:19
July 2, 2020
[Dados vol. 63 n.1] Um Pensador da Democracia: A Ciência Política de Wanderley Guilherme dos Santos, Por Christian Lynch
No episódio de estreia do Podcast DADOS, o cientista político Christian Edward Cyril Lynch conversa com nosso editor-chefe Luiz Augusto Campos sobre o artigo "Um Pensador da Democracia: A Ciência Política de Wanderley Guilherme dos Santos", recém-publicado no vol.63, n.1 da revista. O trabalho apresenta uma visão lógico-sistemática do conjunto da ciência política de Wanderley Guilherme dos Santos. São examinados quatro pontos de sua ciência política: 1) Filosofia social, em suas dimensões ontológica e epistemológica; 2) Teoria política, descrevendo o papel dos clássicos e dos modernos; 3) Teoria da mudança política, contando com uma tipologia de regimes, suas modalidades de trânsito de um para outro, bem como as hipóteses de reforma e ruptura; e 4) Teoria da democracia, contemplada em suas três dimensões: integração, participação e redistribuição. Leia o artigo completo em nosso site: http://dados.iesp.uerj.br/ DADOS no Twitter https://twitter.com/DadosRevista DADOS no Instagram https://www.instagram.com/DadosRevista/ DADOS no Facebook https://www.facebook.com/revistadados/ 
52:12
May 27, 2020